Frutas permitidas e proibidas para cães

Descubra quais frutas podem ou não ser oferecidas ao seu cachorro

por George Augusto — publicado 22 mar 2014 - 3:51

Ao contrário do que muitos tutores pensam, os cães domésticos podem comer frutas. Os cães são carnívoros por natureza, porém podem usufruir de uma boa fruta fresca. Como os cachorros, em certas ocasiões, não possuem uma seletividade tão aprofundada, podem ingerir sementes ou cascas (de algumas frutas), fazendo com que, em alguns casos, aconteça uma indigestão, consequentemente afetando sua saúde e o seu bem estar. É importante ressaltar, que não é indicado que os cães se alimentem somente de frutas, pois pode não suprir as exigências nutricionais do animal.

Não é todo tipo de fruta que seu animal pode consumir. Existem frutas que não são indicadas para os cães. Assim como nós, os animais podem apresentar alergias a certas frutas, mesmo tendo sido indicado o seu fornecimento. As frutas devem ser escolhidas conforme o estado de saúde de que seu animal goza no momento, pois existem algumas alterações no organismo, que o uso indiscriminado de algum tipo de nutriente pode agravar, piorando o quadro clínico. É importante que o médico veterinário seja consultado para uma dieta correta, de acordo com a saúde do animal.

A administração de frutas para a dieta de um animal é um assunto polêmico. É sempre indicado que os tutores levem seu cão para uma consulta com o médico veterinário de sua confiança. Não se deve administrar alimentos alternativos sem a consulta de um profissional. Um alimento tanto pode ser ótimo para o equilíbrio do organismo, quanto extremamente tóxico e maléfico para o animal. Não alimente o animal somente com frutas. É indicado que seja feito como complemento nutricional. Assim como alertado acima, existem animais que possuem problemas em sua saúde e não podem ingerir certos tipos de frutas. É importante que os cães passem por exames rotineiros numa clínica especializada. Uma dieta correta, aumenta significantemente a vida útil do animal. Consulte sempre um médico veterinário.

 

Frutas permitidas e proibidas para cães. Foto: Reprodução

Frutas permitidas e proibidas para cães. Foto: Portal do Dog

 

As frutas a seguir, são as principais que podem ser oferecidas para o animal, lembrando sempre que um médico veterinário deverá ser consultado antes.

– Banana: A banana deve ser servida sempre sem a sua casca e nunca em grandes quantidades. A banana é rica em potássio, vitaminas A e C e fibras. Excelente para uma boa manutenção do sistema imunológico.

– Caju: Rica em vitamina C e ferro, o caju é sempre bem vindo à alimentação do animal. É uma fruta que auxilia o sistema imunológico do animal. Alguns animais não aceitam bem o caju pelo seu gosto “travoso”, porém existem cães que adoram. Não deve ser entregue com a castanha.

– Caqui: O Caqui é uma fonte de vitamina C e E, sendo uma das mais ofertadas, por ter uma boa palatabilidade (por ser bastante doce). Além das suas vitaminas, ele tem fortes nutrientes, como: Carboidrato, fósforo, potássio, cálcio e fibras. Deve-se administrar em pouca quantidade.

– Maçã: Essa fruta é de alto valor nutritivo, porém não deve ser oferecido o seu talo, pois este libera ácido cianídrico. Ela é rica em vitaminas B, C e E, sendo uma boa escolha para complementar a nutrição diária do seu cão.

– Pêra: Ela é uma fruta bastante adocicada e de boa palatabilidade. Ela é rica em vitamina A e C, além de ser uma fonte bastante rica em complexo B. Não é indicado fornecer ao animal a fruta com o talo interno com as sementes.

– Manga: A manga não deve ser oferecida com casca e nem caroço, pois pode ocorrer um engasgamento. Ela é rica em fibras alimentares e vitamina C. É muito importante, quando há um desequilíbrio nutritivo, ofertar ao animal a manga.

– Kiwi: É uma fruta que contém vitamina C, sendo bastante indicada para ofertar ao cão. Além da vitamina C, ela é rica em fibras e magnésio. Alguns estudiosos afirmam que pode prevenir o câncer. Retirar a casca ao entregar ao cão.

– Goiaba: A goiaba é rica em vitaminas A, B e C. Ela pode ser fornecida com casca, pois ajuda no bom funcionamento do intestino. Além dessas vitaminas, ela também contém nutrientes muito importantes, como: ferro e fósforo. Ajuda a combater a diarréia e é fonte de carboidratos.

– Morango: É uma fonte de vitamina C, A e complexo B. O morango é uma das frutas mais eleitas pelos os cães. É sempre bom oferecer morango orgânico. O morango tem poucas calorias e melhora a função cerebral, afirmam especialistas. Pode ser administrado com a casca, porém em quantidade controlada.

 

As frutas que serão mostradas a seguir, não são indicadas para os cães consumirem.

– Laranja: Essa fruta pode ter um valor muito nutritivo para o cão, porém se ele tiver gastrite, pode fazer muito mal pela sua acidez. Ela não pode ser fornecida com casca, pois  pode “queimar” a boca do animal. Muitos médicos veterinários não indicam o consumo da laranja, pois muitos tutores não sabem se o animal tem ou não gastrite, podendo levar a piora do quadro. Ela é rica em vitamina C.

Abacaxi: O abacaxi é rico em vitamina C e B6, além de tiamina, ferro e magnésio. Não é muito indicada pela sua acidez, porém existem tutores que ofertam. Ela não pode ser ofertada com a casca, pois poderá “atacar” o sistema gastrintestinal do animal.

Uva: A uva é rica em vitamina C e complexo B. Ela não é indicada para ser ofertada para os cães. Há relatos de que cães consumiram uvas e chegaram a óbito. Estudiosos afirmam, que a uva causa lesões renais graves nos cães.

Abacate: O abacate é rico em vitamina A, B1, B2, E e K. Não é uma fruta indicada por muitos médicos veterinários, pois ela possui uma substância tóxica para os cães, chamada Persina. O abacate também pode causar problemas no sistema gastrintestinal do cão.

Carambola: A carambola é rica em vitamina A, C e complexo B. Ela não é indicada para a alimentação do Pet, pois contém uma toxina natural que não é filtrada pelo do rim do animal que é portador de insuficiência renal. Os médicos veterinários não indicam, pois em dúvida se o animal é ou não nefropata (portador de doença renal), não é indicado administrar.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário: