O que fazer quando meu cão quer comer minha comida? O que posso dar?

Tipos de comida que não podem ser compartilhados com seu pet de maneira alguma.

por — publicado 24 out 2016 - 17:42

Uma das perguntas mais comuns no consultório veterinário é: dos alimentos humanos, o que posso oferecer ao meu cão? E não é por ser comum que a resposta é fácil. Esse é um assunto que dará vários artigos, contudo começaremos com uma lista básica do que não pode ser ofertado.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Doces: em hipótese alguma deve ser oferecido qualquer alimento com açúcar para cães. Pense sempre que cães, antes da domesticação, não tinham acesso a açúcar. Sabemos que muita coisa foi alterada no metabolismo deles desde então, porém essa não foi uma delas. Eles ficam obesos com facilidade além de também sofrerem de diabetes. Cuidado com alimentos “diet” que contem adoçantes. Um dos mais utilizados hoje é o xilitol, que pode intoxicar gravemente seu cachorro. Uma bala pode ser o suficiente para causar um quadro grave de hipoglicemia (glicemia abaixo do normal) e insuficiência hepática.

Alimentos gordurosos: todos precisamos de gordura para que o corpo funcione bem, contudo sem excessos e gorduras de boa qualidade. Nada de dar frituras ou patês para o seu melhor amigo.

Chocolate: além do açúcar e da gordura, ele contém uma substância advinda do cacau chamada teobromina que pode ser tóxica para cães, podendo até mesmo leva-los a óbito.

Sal: não dê nada que contenha sal para seu cão. Se ele come um alimento completo e balanceado, com certeza já está ingerindo a quantidade necessária de sódio.

Cafeína: pode causar quadros de convulsão e alterações cardíacas e respiratórias.

Uvas e uvas passas: podem causar falência renal rapidamente.

Bebidas alcoólicas: além de uma brincadeira de muito mau gosto, pode causar mal estar, alterações de comportamento, de metabolismo, danos cerebrais e hepáticos.

Sementes: de maça e de pera, caroços de damasco, de ameixa e de pêssego podem ser letais pois contem ácido cianídrico (que se transforma em cianeto – veneno –  durante a digestão). Essa substância interfere na função dos glóbulos vermelhos podendo causar desmaios, convulsões, come a morte.

Cebola e alho: crus, cozidos ou em molhos, esses dois ingredientes contem compostos sulfurosos extremamente tóxicos para seus cães que podem ocasionar alterações nas hemoglobinas, gerando graves anemias. Algumas linhas de estudos de alimentos caseiros para cães indicam pequenas quantidades diárias de alho para o aumento de imunidade e como repelente de pulgas e carrapatos. Existem estudos que asseguram que oferecer pequena quantidade (lâmina) de alho diário, durante anos, não causaria nenhuma alteração nos exames, já que a dose para intoxicação por esse ingrediente é bastante alta. Esses estudos que chegam a citar que, para intoxicar um cão de 5 kg, seriam necessários 5 dentes de alho em uma única refeição. Já a cebola, pode causar quadros graves em baixíssimas doses, até mesmo nas quantidades para o preparo de arroz para humanos. Por isso, muito cuidado com as comidas feitas para humanos e papinhas para crianças.

Existem outros alimentos que também podem causar problemas ao seu cão, contudo esses são os mais comuns. Mesmo que em pequenas quantidades, melhor não arriscar a saúde dos nossos mascotes, não é mesmo?

Em caso de dúvida ou de ingestão de qualquer alimento deferente ou objeto estranho, busque seu veterinário de confiança.

 

Escrito por Fabíola Monteiro, médica veterinária responsável pela empresa Panela do Pet, especializada em alimentação natural desidratada, ração natural sem corantes, conservantes ou aditivos químicos. Saiba mais sobre a Panela do Pet em www.paneladopet.com.br ou [email protected]

deixe seu comentário: