Cachorros que se sentem culpados: A verdade sobre cães

No processo de domesticação,os cães se tornaram especialistas em leitura humana. O segredo da "culpa" está nessa habilidade.

por Olivier Soulier — publicado 17 abr 2014 - 18:24

Por que os cães fazem isso se eles não entendem o que a gente fala e têm memória curta? Memoria curta nunca foi!

Pelo contrário, podem identificar um cheiro especifico ou alguém depois de vários anos.

Agora se a reclamação acontece depois de alguns minutos eles não associam ao que fizeram minutos atrás, mas sim ao que estão fazendo na hora da reclamação.

Com o processo de domesticação de milhares de anos, além de ter perdido o medo do ser humano, característico aos animais selvagens, eles aperfeiçoaram a interpretação dos sinais, mesmo os mínimos, das pessoas com quem os cães domésticos convivem há gerações: Sinais verbais e não verbais que caracterizam perfeitamente o estado mental dos seus tutores e a antecipação de uma eventual reclamação ou bronca.

Sem falar que muitos deles aprendem a apaziguar a nossa ira com tais reações, o que faz parte do leque variado de atitudes e posturas de apaziguamento próprio a espécie.

Abaixar a cabeça é alias um sinal claro de submissão, típico nos canídeos, não uma prova efetiva da culpa deles.

A noção de culpa é um conceito criado pela mente humana assim como a sua interpretação da parte dos proprietários e que não tem sentido nenhum para os outros animais.

Inclusive alguns aprendem até a fazer mímicas e adotar posturas que vão da ameaça, ao choro, passando por sorrisos típicos, bocejos repetitivos e outras.

Certas vezes tão engraçadas, que levam os sensatos educadores a rir e brincar do e com o cachorro no lugar de reprimi-lo.

Assim os cães se adaptando conseguem truques que desarmam a maioria das manifestações agressivas dos seus “humanos”.

Conseguem enganá-los e se sair muito bem com isso.

A mímica do animal associada à ilusão de culpa que os humanos interpretam torna a situação engraçada.

Mas para verificar o não entendimento da noção de culpa da parte dos cães basta repetir da mesma forma o ritual de reclamação da parte dos proprietários no momento que o animal não tem feito nada, ao contrário tendo feito algo que normalmente lhe traz elogios e prêmios da parte dos tutores e poderá conferir as mesmas mimicas e atitudes da sua parte no objetivo de apaziguar, de submissão e não como forma de assumir uma culpa qualquer que, com certeza não terá e não tem como entender.

 

Cadelinha adotada é seguida por ovelhas da família e se torna a líder dos animais

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 dez 2017 - 9:30

A cadelinha Lady é da raça Basset Hound, que foi resgatada por um abrigo e adotada por sua família há três anos. Por conta de seu passado, que não é tão conhecido, a cadelinha tinha muito medo e chegava até a ser agressiva com outras pessoas, porém, as companhias certas fizeram com que Lady se abrisse mais para a sua nova família e ficasse mais tranquila e leve.

Na nova casa, os tutores Michael Jobson e Fiona Morton não conseguiam levá-la para passear no parque,

 » Read more about: Cadelinha adotada é seguida por ovelhas da família e se torna a líder dos animais  »

No Rio de Janeiro será proibido utilizar animais para testes de produtos cosméticos

por Andrezza Oestreicher — publicado 15 dez 2017 - 9:29

E a causa animal teve mais uma vitória no Brasil. Nos próximos dias, será promulgada uma lei que proíbe o uso de animais para testes de produtos cosméticos.

Em uma votação feita na última terça-feira, dia 14 de dezembro, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) derrubou, por 40 votos a favor e nenhum contra, o veto do governador Luiz Fernando Pezão e sancionará lei proibindo o uso de animais para cosméticos.

A lei irá valer em todo o estado do Rio de Janeiro e,

 » Read more about: No Rio de Janeiro será proibido utilizar animais para testes de produtos cosméticos  »

Em Portugal, crianças aprendem na escola sobre comportamento e bem-estar dos animais de estimação

por Andrezza Oestreicher — publicado 14 dez 2017 - 18:38

As pessoas costumam dizer que as crianças são o futuro planeta e a esperança de um mundo melhor. Pensando nisso, surgiu, em Portugal, o projeto “Eu Cuido. Um mundo melhor para os animais”.

O “Eu cuido”, que até o ano que vem vai atingir cerca de oito mil alunos só na Grande Lisboa e no Grande Porto, tem como maior objetivo ensinar e sensibilizar as crianças para diversos temas relacionados a animais de estimação.

 » Read more about: Em Portugal, crianças aprendem na escola sobre comportamento e bem-estar dos animais de estimação  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cadelinha adotada é seguida por ovelhas da família e se torna a líder dos animais

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 dez 2017 - 9:30

A cadelinha Lady é da raça Basset Hound, que foi resgatada por um abrigo e adotada por sua família há três anos. Por conta de seu passado, que não é tão conhecido, a cadelinha tinha muito medo e chegava até a ser agressiva com outras pessoas, porém, as companhias certas fizeram com que Lady se abrisse mais para a sua nova família e ficasse mais tranquila e leve.

Na nova casa, os tutores Michael Jobson e Fiona Morton não conseguiam levá-la para passear no parque, pois eles tinham receio de que ela viesse a avançar em alguém. Como eles moram em uma fazenda com bastante espaço, eles deixaram que a cadela ficasse livre pelo espaço enquanto cuidavam de alguma coisa na área externa.

Lady sempre é seguida pelas ovelhas da fazenda. (Foto: Reprodução / Metro UK / Mercury)

Porém, em um desses dias em que a cadela acompanhava seu tutor no trabalho da fazenda, por descuido, Michael deixou Lady se misturar com as ovelhas e ficou surpreso com o que aconteceu.

“Elas simplesmente começaram a seguí-la em todos os lugares. Isso certamente me fez rir. Ela [Lady] estava completamente inconsciente, mas estava fazendo um trabalho brilhante”, contou o tutor orgulhoso.

De cara a cadelinha se sentiu bastante à vontade no meio das ovelhas. Lady não se incomoda com os animais, fica tranquila entre eles e muitas vezes nem chega a perceber que é seguida pelas ovelhas.

A cadela acabou se tornando a líder do rebanho. (Foto: Reprodução / Metro UK / Mercury)

Os tutores ficaram impressionados com o talento que Lady tem para cão de pastoreio. Sempre que ela está perambulando pelo campo as ovelhas passam a seguir a cadelinha, apesar de Lady parecer estar mais preocupada em cheirar o mato e seguir seu tutor.

“Lady normalmente está atrás de mim me seguindo, mas às vezes ela sai sozinha e, de alguma forma, ela se torna a líder das ovelhas”, conta Michael.

De acordo com os tutores, eles estão até pensando em usar os talentos de Lady para ajudar o real cão de pastoreio da família, Tom.

Fonte: Metro UK

No Rio de Janeiro será proibido utilizar animais para testes de produtos cosméticos

por Andrezza Oestreicher — publicado 15 dez 2017 - 9:29

E a causa animal teve mais uma vitória no Brasil. Nos próximos dias, será promulgada uma lei que proíbe o uso de animais para testes de produtos cosméticos.

Em uma votação feita na última terça-feira, dia 14 de dezembro, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) derrubou, por 40 votos a favor e nenhum contra, o veto do governador Luiz Fernando Pezão e sancionará lei proibindo o uso de animais para cosméticos.

(Foto: Reprodução / The Wildcat Voice)

A lei irá valer em todo o estado do Rio de Janeiro e, de acordo com o seu texto, fica proibido o uso de animais para desenvolvimento, experimento e teste de produtos cosméticos, higiene pessoal, perfumes, limpeza e seus componentes. Além disso, também será proibida a comercialização de produtos que tiverem tido seus testes feitos em animais.

“Já há metodologias que fazem testes desses produtos sem utilizar os animais, então, nós temos que respeitar a dignidade dos animais e não tratá-los de forma cruel”, afirmou o deputado Gilberto Palmares, um dos autores do o projeto de lei 2.714/14, em comunicado oficial.

De acordo com Elizabeth Mac Gregor, diretora do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA) do Ministério da Ciência e Tecnologia emitiu um relatório em 2016 reconhecendo que os métodos alternativos validados são mais eficientes do que o modelo animal.

(Foto: Reprodução / sirireporter)

Para quem quer ter certeza se suas marcas preferidas não fazem testes em animais ou quer passar a escolher marcas que não contribuem com maus-tratos a animais, é só buscar no site do PETA a lista com as empresas certificadas que utilizam métodos alternativos de testes.

Para ter essas informações de empresas nacionais, é só entrar no site do Projeto Esperança Animal (PEA).

Fonte: O Globo / Capricho