O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
Medo de banho
22 dez 2017
Comportamento:
Tutor(a): Daniela Possani, | O cachorro: Zoé
Banho? Não, obrigada!

“Olá! Tenho uma Chow chow que nunca gostou de banho. Desde muito filhote tentei acostumá-la no pet shop, mas já nas primeiras vezes ela mordia a pessoa.  Um dia colocaram a focinheira nela, mas mesmo assim a cadelinha não acalmou.  Comecei a dar banho em casa, por achar que seria menos traumático para ela. Mas ela sempre avança e quase me morde. Em vez de melhorar está cada vez pior.  Tento levar os brinquedos dela junto, mas não melhora a situação. Dou banho nela uma vez no mês e é sempre muito difícil.  Gostaria de alguma dica para fazer o cachorro gostar do banho. Obrigada!”

Por Cintia Suzuki, adestradora e franqueada da Cão Cidadão 

Olá, Daniela!

Não é raro encontramos tutores que passam pela mesma situação. Muito provavelmente as primeiras experiências com o banho não foram muito agradáveis para a Zoé e, certamente, ela fez uma associação bastante negativa a estes momentos.

Como o banho é uma situação que a Zoé terá que passar durante a sua vida, devemos pensar em treinos que tornem a atividade menos desconfortável.

Antes de iniciar qualquer exercício, é necessário aprender a ler os sinais de desconforto que a Zoé apresenta, como lamber o focinho, virar o rosto de forma a evitar o confronto direto, mostrar os dentes e o rosnar. Percebendo estes sinais, recue e não force a situação. Desta forma, respeitamos os limites de desconforto e antecipamos as mordidas, evitando acidentes.

Dessensibilização sistemática e associação positiva

A dessensibilização consiste em habituar a Zoé aos banhos. Devemos expô-la, de forma gradativa, aos objetos e contextos que significam “banho”. Procure deixar próximo a vocês a toalha, o shampoo, a escova de pentear, o secador e objetos que remetem ao momento de higiene.

Durante a apresentação dos estímulos, devemos fazer associações positivas. Podemos oferecer petiscos, dar carinho ou brincar com a Zoé. Aos poucos, procure familiarizá-la ao ambiente e aos objetos utilizados no banho, mas sem, de fato, dar o banho. Desta forma “quebramos” a associação destas impressões negativas.

O objetivo é que uma nova associação, agora positiva, se concretize e assim a Zoé consiga ficar mais tranquila nesta situação. Podemos tornar o banho divertido para a Zoé e isto ajudará, apesar do desconforto existente, tornar a atividade menos desagradável.

Conte com a ajuda de um adestrador profissional caso tenha dificuldades. Com paciência e carinho, este comportamento pode ser revertido.

Siga o Portal do Dog