O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
MEDO E CIÚMES
25 out 2015
Comportamento: MEDO E CIÚMES
Tutor(a): Gilmara Moreira e Ionara Carvalho, | O cachorro: Paco e Pretinha
Dicas para lidar com cães medrosos e ciumentos

“Oi Alexandre, tudo bom? Preciso muito de sua ajuda porque não sei mais o que fazer com meu cachorro. O Paco não é castrado, mas desde pequenininho adora fugir, mas ele não vai atrás de cadela, ele gosta é de correr na rua: corre numa velocidade que, se ele atropelar uma moto, é capaz de matar uma pessoa pela velocidade e força que ele tem. Acho que deve estar pesando uns 60 quilos. Nós já fizemos de tudo: cerquei o quintal com muro, coloquei grade na frente da casa, mas ele pula, pode ser a altura que for, coloquei cerca elétrica, mas também não teve jeito. Agora, ele fica amarrado no vai e vem, mas, mesmo assim, ele consegue estourar a corrente, e o peitoral de couro bem forte que compramos ele arrebentou no segundo dia, com um só tranco. Tenho muita dó de ele ficar preso, porque ele é muito dócil, e meu marido também está ficando chateado com a situação. Ele me diz que, por ele, ele passa a corrente no corpo todo do cachorro só para ele não sair na rua. Outra coisa que já estava me esquecendo de comentar: ele é muito grande, mas é medroso, tem muito medo de chuva, raio, fogos e qualquer barulho. Ele passa mal, às vezes, ele parece que vai ter um ataque epilético ou enfartar (não é exagero). Fora o Paco tenho mais dois cachorros: a Nina, que é irmã dele; e o Nerinho, que é bem pequenininho pois tem seis meses, e fica dentro de casa e já foi castrado. Outra coisa que gostaria de saber é se dá para o Paco ser castrado mesmo com mais de quatro anos. Por favor, se você puder nos ajudar, ficaria muito feliz, pois nós estamos sofrendo. Porém, o Paco é quem mais sofre por não poder aproveitar o quintal. Desde já agradeço e aguardo sua resposta, meu marido e eu somos muito seus fãs! Assistimos todos os seus quadros no programa da Eliana. Muito obrigada!” – Gilmara Dias Moreira, dona do Paco, de quatro anos e seis meses.

“No dia 24/04/15, resgatei em uma avenida bem movimentada da minha cidade, uma cadelinha que, aparentemente, teria sido abandonada. Estou dando lar temporário para ela, já a levei ao veterinário e foi constatado que ela tem um ano e é de porte médio. Ela é muito brincalhona, mas o problema é que já tenho uma cadelinha de dois anos, e moro em apartamento. Então, as duas ficam bem perto uma da outra, a Pretinha tem ciúme da minha cadelinha e está avançando nela. Tudo que a gente dá para a Pink, ela quer, ou se a gente vai dar carinho para a Pink, ela se mete na frente e bate na Pink. Tenho o cuidado de dar as mesmas coisas para a Pretinha para que não aconteça isso, mas não está adiantando. O que posso fazer nesse caso?” – Ionara Carvalho, dona da Pretinha, de um ano.

Por Francis Paese, adestradora da equipe Cão Cidadão.

Olá Gilmara e Ionara!

No caso do Paco, ele pode, sim, ser castrado com mais de quatro anos. Para isso, você deve fazer uma consulta com o veterinário para ver se ele está bem e também realizar exames pré-operatórios, para saber se ele está apto a ser operado.

Em relação às fugidas dele, é necessário fazer um treino de limite, para que ele aprenda que do portão ele não pode passar. Para isso, você deve transformar os momentos em casa em algo agradável e o fato de sair de casa uma coisa desagradável. Para ter um pet educado, além de dar carinho e atenção, é importante ensiná-lo o que ele deve ou não fazer, por meio de comandos e limites. Os melhores limites são aqueles bem explicados e invariáveis, impostos de forma prática e inteligente, como o uso de guia e coleira, de barreiras ambientais e comandos.

Além disso, proporcionar uma rotina regular de brincadeiras e exercícios como, por exemplo, brincar com bola, passear, fazer enriquecimento ambiental com garrafa pet e petiscos, Kong recheado e petiscos espalhados pela casa para que ele “fique caçando” ajudarão também. Você pode treinar o Paco para sossegar após cada sessão de exercícios, estabelecendo recompensas para quando ele estiver calmo. Lembre-se de não reforçar comportamentos indesejáveis quando ele estiver eufórico porque, nesses casos, você deve ignorá-lo.

Treinar comandos básicos como “senta”, “deita” e “fica”, com calma e silêncio, fará com que vocês tenham um cão mais obediente e tranquilo. Dessa forma, realizar os treinos com guia longa, frustrando as tentativas de fuga do Paco, e recompensando o “fica”, fará com que ele entenda que, quando ele não foge, é recompensando com coisas boas e, quando ele tenta desobedecer e fugir, é frustrado.

Quanto ao medo que o Paco tem de barulhos, uma dica é fazer um treinamento de dessensibilização. Pode ser que, algumas vezes, a fuga dele seja motivada pelo medo que ele sente. Para iniciar o treino de dessensibilização, grave o som de fogos e comece a tocá-lo para o Paco, em um volume baixo, enquanto ele brinca ou se alimenta e, aos poucos, vá aumentando o som, se ele estiver tranquilo. A ideia é que ele perca o medo e não fique mais assustado, por isso, você não pode aumentar o som rápido demais.

Não se esqueça de recompensar o Paco sempre que ele ficar bem e aumentar o som. Porém, caso ele fique com medo, retroceda o treinamento. Com esse medo de barulhos, o ideal é que o Paco tenha um local onde se sinta seguro e protegido. Se ele já tiver esse lugar, deixe que ele permaneça lá, caso contrário, procure um local onde o som fique abafado e ele possa ficar tranquilo. Além disso, um som ou uma televisão ligada ajudará também.

Sobre o ciúme da Pretinha, normalmente isso acontece porque o cão associa a presença do outro a algo ruim, como perder a atenção do dono ou, até mesmo, se sentir ameaçado. É preciso que a Pretinha entenda que a Pink não fará mal a você e nem a ela, e que ela comece a relacionar a presença da Pink a coisas boas.

Você pode também treinar os comandos básicos de obediência, como o “senta”, o “deita” e o “fica” com as duas ao mesmo tempo e com ajuda de outra pessoa. O fato de a Pretinha ser treinada, ganhar atenção e recompensas, no mesmo ambiente em que a Pink, ajudará na associação positiva, e vai garantir que ela fique mais treinada e obediente.

Lembre-se de sempre recompensar a Pretinha por se comportar como você deseja, como, por exemplo, quando a Pink chegar no mesmo ambiente e ela não demonstrar agressividade. Mostre a ela, de maneira positiva, que é esse comportamento que você espera.

Siga o Portal do Dog