O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
REPULSA A BANHO
15 set 2015
Comportamento: REPULSA A BANHO
Tutor(a): Silvia Paixão, Vanessa e Márcia Chiara., | O cachorro: Brad, Blade e Marley.
Dicas para lidar com pets que têm medo de banho

“Olá, tenho um cachorro de seis anos chamado Brad (SRD), sempre cuidei dele e nunca tive problemas, até um veterinário me disse uma vez que Brad confia muito em mim. Só que, no mês de julho/2015, fui surpreendida nas duas vezes em que fui lhe dar banho, pois ele cismou de me morder. Levei um susto enorme, ele nunca havia tido tal comportamento, tive que pegar um pedaço de mangueira e ameaçar dar umas lambadas nele, de mentirinha, é claro, pois nunca lhe bati, mas ele morre de medo da mangueira. Assim, pude terminar o banho. Fiquei muito triste porque amo muito o Brad, me senti traída, por um pouco de tempo. Será que tenho sufocado o Brad com tanto carinho e ele está pensando que quem manda na casa é ele? Estou tentando mostrar a ele que eu mando, mas confesso que não resisto e abraço e beijo muito ele e pior, estou com medo de dar banho nele de novo…” – Silvia Paixão Machado, dona do Brad, de seis anos.

“Meu cachorro não gosta de banho e nem deixa escovar os dentes dele, se tento fazer, ele ataca. É difícil levá-lo ao veterinário pois ele não aceita nenhum comando. Tentei distraí-lo com petisco mas não deu certo. Nas atividades normais como brincar e passear ele se torna mais calmo. Ele também é super carinhoso comigo e gosta de chamar atenção.” – Vanessa, dona do Blade, de seis anos.

“O Marley, meu filhote de nove meses não gosta de tomar banho, ele pula, dá cambalhota, quer morder! Levamos no petshop para tomar banho, a veterinária teve que dar remédio para ele se acalmar, e só assim conseguiu dar banho nele. O que posso fazer?” –  Márcia Chiara da Silva Costa, dona do Marley, de nove meses.

Por Ariadne Cardeliquio, adestradora da equipe Cão Cidadão.

Olá Silvia, Márcia e Vanessa, tudo bem? A relação banho/animal pode ser boa caso o peludo tenha sido adaptado a essa situação de forma correta e desde filhote, do contrário, pode se tornar algo traumático.

Tudo aquilo que vamos inserir na vida dos pets deve ser feito de forma gradual e prazerosa. Eles têm algumas formas de nos mostrar que não estão curtindo tal situação, como bocejar, lamber os lábios, virar a carinha, deixar o rabo embaixo das pernas, rosnar e até morder. Tudo isso mostra que tem algo errado e ele quer afastar aquilo ou quem está trazendo esse mal-estar a ele. Então, forçar nunca será a melhor opção.

Na natureza, os peludos não tomariam banho, mas vivendo em nossas casas, essa limpeza é necessária. Para acostumar o seu pequeno ao banho em casa ou no pet shop, leve-o algumas vezes ao local do banho, como um passeio, sem dar realmente o banho, faça brincadeiras e dê um petisco bem gostoso. Peça para o banhista, caso haja, para que o agrade também. Repita isso até que ele comece a gostar dessa situação.

Algumas vezes, deixe o secador ligado para, assim, fazer com que ele associe o barulho a coisas legais, tudo isso sempre recompensando! Faça bastante carinho, simulando o esfregar. Muitos cães têm medo de água, por isso, deixe-a em uma temperatura agradável, de preferência, em um chuveirinho. Vá molhando o peludo aos poucos, dependendo do medo que esse cão tenha, só molhe as patas, recompense, e em outra situação, molhe um pouco mais o corpo dele. Tudo isso em um local onde ele se sinta seguro, recompensando sempre.

No caso da escovação de dentes, o treino é o mesmo, sempre associar positivamente o toque na boca. No início, use o dedo, uma pasta com gosto bem gostoso e nunca o force a fazer nada. Filhotes realmente são mais agitados, pois ainda não estão acostumados com essas novidades, mas, com paciência, amor e petiscos, conseguimos.

Siga o Portal do Dog