O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
adestrar um pet surdo
17 set 2018
Comportamento:
Tutor(a): Nelly e Lucas, | O cachorro: Maria
Ensinando um cão surdo

“Meu filho, Lucas, adotou um Bulldog Francês fêmea que tem dois meses e é surda. Por conta disso, ele não sabe como ensiná-la a fazer as necessidades no lugar certo. Ele já tem dois cães da mesma raça que fazem suas necessidades no jornal. Todos moram em apartamento. O que fazer? Desde já agradeço a ajuda.”

Por Samantha Melo, franqueada e adestradora da Cão Cidadão.

Olá, Nelly. Tudo bem?

Primeiramente, parabéns ao Lucas pela atitude incrível de adotar um pet com deficiência. Tenho certeza de que ela será muito feliz na nova família. Quanto à educação sanitária, fiquem tranquilos: a surdez não deve atrapalhar quase nada o processo.

Para começar, é preciso definir um local para o “banheirinho”, que deve ser grande o suficiente para forrar uma boa parte dele com jornal e ainda caber (ligeiramente afastados) o comedouro, o bebedouro e a caminha da Maria. Um ótimo exemplo é a área de serviço.

Além disso, é preciso que o ambiente tenha a possibilidade de ser isolado do resto da casa, seja por uma porta normal, portãozinho ou grades. A ideia é que a sua cachorrinha acerte o xixi mesmo quando não estiver sob supervisão. Portanto, colocá-la em um espaço reduzido quando não tiver ninguém por perto é a solução para diminuir as chances de erro.

Se o ambiente escolhido for grande, não há problema de deixar os outros cães juntos quando ele for sair por poucas horas. Lembrando que o tutor deve deixar alguns brinquedos para os pets se divertirem.

Outro ponto importante é que filhotes não gostam de ficar longe da família, por isso, dificilmente ela sairá de perto dos membros da casa para ir até o banheiro sozinha. Portanto, durante o período em que eles estiverem em casa, devem ter o hábito de levá-la ao banheiro em intervalos fixos.

Pets dessa idade não aguentam segurar suas necessidades por muito tempo, no máximo duas horas. Outros momentos também precisam de atenção, como logo após ela beber água, comer, brincar ou passear. E é essencial que esse caminho seja feito no chão e não no colo, para que ela aprenda a chegar no local certo sozinha. Se precisar, deixe-a com uma coleira confortável e, na hora de se aliviar, engate a guia para facilitar.

Para finalizar, não se esqueça de recompensar a sua cachorrinha! Aguarde-a terminar de fazer o xixi ou o cocô e ofereça um petisco bem gostoso, além de muito carinho.

Outra dica bacana é criar um gesto que mostre a ela que acertou, como um “joinha”. Todas as vezes que ela acertar, erga o polegar e ofereça logo em seguida um petisco. Esse gesto poderá ser usado sempre que ela realizar qualquer comportamento desejado, não só o xixi, ok?

Sobre os erros: eles vão acontecer. Afinal, ela é muito pequena ainda, além de estar em um ambiente totalmente novo. Então, se perceber que ela começou a fazer no local errado, pegue-a gentilmente no colo e leve até o lugar certo. Espere que termine de se aliviar e recompense-a.

Atenção: não dê broncas quando ela errar. Se não der tempo e o xixi for feito mesmo fora do jornal, retire a sua mascote do local e limpe a urina ou as fezes com um removedor enzimático (que você encontra em pet shops). É importante que a limpeza seja feita da forma e com o produto correto, para o cheiro sair completamente, já que os cães têm o olfato apurado.

Por fim, conforme os acertos forem acontecendo, aumente o tempo entre as idas ao banheirinho e gradualmente aumente a área de acesso sem supervisão. Caso sinta qualquer dificuldade com os treinos, conte com a ajuda da equipe da Cão Cidadão. Boa sorte!