O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
Lynda, Bella, Princesa, Príncipe e Nina
19 jan 2016
Comportamento: Coprofagia
Tutor(a): Larissa Pereira, Maria Paiva e Maria Cermaria, | O cachorro: COPROFAGIA
O que é preciso saber sobre a coprofagia

“Olá, tenho quatro cadelas lindas e tenho uma dúvida. A Lynda come coco, mas come a mesma ração que as 3. A Bella e a Princesa roem as caminhas delas mesmo tendo brinquedinhos. Gostaria de saber o que eu faço para que a Lynda pare de comer coco e que as 2 “roedoras de caminhas” kkkkkkkkk parem de roer?” – Larissa Pereira, dona da Lynda, Bella e Princesa, de três anos, um ano e nove meses.

“Dr.Alexandre, o Príncipe ele é um cão muito agitado, mas adora crianças. Quando ele fica dentro de casa, ele fica na guia porque ele sai mijando em tudo. Recentemente, ele foi castrado. Eu tenho um gato e, se der bobeira, ele come as fezes dos gatos. O que eu faço? Espero sua resposta. Desde já muito obrigado. bjos na Estopinha.” – Maria José Paiva, dona do Príncipe, de um ano e cinco meses.

“Ela é uma cachorrinha muito agitada, apesar de ter espaço em casa e eu andar com ela. Às vezes, ela come partes de suas fezes, outras vezes não chega a engolir, ficando na boca e depois cuspindo. Por orientação da veterinária, passei a dar floral, mas nada adiantou, pois ela só come o que acabou de fazer. Li muito sobre coprofagia, tentei de tudo que me indicaram, mas não resolve, preciso urgente de sua ajuda, pois é muito desagradável e ela é muito fofa e fica dentro de casa. Obrigada! Bjs para a Estopinha e Bartho.” – Maria Cláudia Cermaria, dona da Nina, de um ano.

Por Raphael Storti, adestrador da equipe Cão Cidadão.

Olá Larissa, Maria José e Maria Claudia, tudo bem com vocês? Coprofagia é um dos temas mais delicados para nós, donos de cães. No latim, “copro” significa “fezes” e, “fagia”, “ingestão”. Esse problema ocorre naturalmente em algumas espécies, como cães e gatos, mas possui tratamento.

O primeiro passo é averiguar se o problema é fisiológico ou comportamental. Para isso, é necessário solicitar ao veterinário alguns exames que verificam se o cão possui boa absorção dos nutrientes presentes na ração. Muitas vezes, o cão come as fezes por possuir um déficit nutricional, causado por problemas digestivos ou pela má qualidade da ração.

Descartados os problemas fisiológicos, nós podemos verificar as possíveis causas comportamentais. Por exemplo, alguns cães passam a comer suas fezes por levarem muitas broncas ao errar o lugar em que devem fazer as necessidades e, a partir daí, passam a comê-las para esconder as “provas do crime”. Outra possibilidade é a imitação das atitudes do dono, por isso a pessoa deve evitar limpar as fezes na frente do cão, para não virar uma disputa para ver quem “pega” primeiro.

Algumas mudanças nos hábitos colaboram muito na resolução da coprofagia. Aumentar as atividades do pet, passear mais com ele e oferecer enriquecimento ambiental através de brinquedos interativos são ótimas maneiras de acabar com o tédio do animal, já que esse é um motivo que pode levá-lo a comer e a brincar com as suas fezes.

Especificamente no caso do cãozinho Príncipe, que come as fezes do gato, uma solução possível é subir a caixa de areia do gato, para que ele não as alcance. Fezes de outros animais são atrativas aos cães, então, se possível, elimine o acesso dele.

No mercado, existem alguns medicamentos que mudam o sabor e o odor das fezes, e que até podem ajudar no tratamento, mas, geralmente, não resolvem o problema sozinhos. No entanto, não deixe de procurar a ajuda de um médico veterinário e solicitar suporte especializado de um adestrador da Cão Cidadão, pois a coprofagia tem solução.