O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
Coprofagia
20 out 2017
Comportamento:
Tutor(a): Marília Fenerich, | O cachorro: Luli
O que leva meu cão a comer cocô?

“Desde pequena minha cachorrinha come cocô. Até os nove meses ela ficava bastante tempo sozinha. Mas desde setembro trabalho em casa e faço bastante companhia a ela. Esse comportamento melhorou bastante. Mas ainda ocorre.

Ela só come o cocô quando está sozinha, nunca na nossa frente. Principalmente quando está sozinha em casa. Brincamos com ela várias vezes ao dia (meu filho e eu), mas também temos nossos afazeres. Embora, por ela, brincaríamos o dia todo. Acredito que seja por ansiedade. Mas mesmo assim não sei o que fazer. Acabo ficando com nojo e raiva dela (que passa um tempinho depois).

Agradeço muito pela possível ajuda de vocês.”

Por Andrei Kimura, adestrador e franqueado da Cão Cidadão

Algumas raças apresentam propensão genética para a coprofagia, nome dado ao ato de ingerir fezes. No entanto, esse fato pode ser reforçado ou aprendido por atitudes que nós, humanos, devemos evitar para que os cães não apresentem este comportamento.

No afã de evitar que o cãozinho faça isso, os tutores tendem a reforçar esse comportamento dando muita atenção ao fato de o animal estar defecando.

Se existe uma expectativa muito forte, como o cão fazendo a necessidade e os tutores esperando para recolhe-las praticamente antes de ela tocar ao chão (estou exagerando para ilustrar, mas pode acontecer), o cãozinho pode interpretar que não deve fazer isso e, com o intuito de esconder dos donos as fezes, acaba ingerindo-as. Assim como recolhe-las na presença do cachorro também pode induzi-lo à coprofagia.

Outro comportamento muito recorrente que aumenta a possibilidade deste problema acontecer é dar bronca no animal quando ele defeca no lugar errado. Dessa forma, o cachorro, com medo da bronca, pode querer esconder as fezes e para isso as come.

No relato acima, a Marília afirma que a Luli só come cocô quando está sozinha. Neste caso, a cachorrinha pode estar apresentando ansiedade pela ausência dos donos. Por serem sociáveis, os cães não gostam de se sentir isolados, e por uma questão emocional precisam de atividades para dispersar essa tensão. E se o gasto de energia que o tutor proporciona não é suficiente, o animal buscará outros passatempos.

Um fator que também deve ser ponderado é a alimentação do animal. Dietas com mais quantidade de proteína podem induzi-lo a comer as fezes, principalmente se a qualidade desta proteína não permitir que ela seja digerida e absorvida de forma plena, aumentando assim o apetite do animal pelas fezes.

Os donos de pet com esse comportamento devem tentar minimizar as situações acima, primeiramente levando o bichinho ao veterinário para averiguar se sua saúde está em dia e depois promovendo a ele atividades, enriquecimento ambiental e oferecendo aquilo que ele mais gosta: a atenção dos donos.

Para tratar corretamente deste problema, caso ele seja de cunho comportamental e não médico, busque a ajuda de um adestrador profissional.

Boa sorte, Marília.