O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
Sociabilização
6 mar 2016
Comportamento: sociabilização
Tutor(a): Giulia Sterchele, | O cachorro: Cookie
Dicas para uma boa sociabilização

“Li seu livro de adestramento quando o Cookie ainda era filhotinho (com aproximadamente 3 meses) e uma das coisas que me chamou atenção é que o cachorro precisa passar por diversas situações e experiências até os 5 meses de idade, para que se acostume com elas e não estranhe futuramente/ tenha algum tipo de trauma. Sabendo disso, o levei ao parque Ibirapuera, onde há dezenas de cães para que ele pudesse brincar e ser sociável – uma preocupação que tinha pois sharpeis tendem a ser antissociais e muitas vezes bravos. Sendo assim, observando o comportamento do Cookie percebi que no começo ele era bem na dele, era curioso para conhecer outros cachorros e brincava de vez em quanto, embora não seja seu ponto forte. Acontece que, com o passar do tempo, ele foi se tornando cada vez mais antissocial com os outros cachorros, mesmo com minha preocupação constante em continuar as atividades ao ar livre e contato com outros cães praticamente todo o final de semana. Hoje em dia, com 1 ano de idade, percebo que ele se tornou o contrário do que eu temia. Em vez de bravo, ele é extremamente medroso. Não deixa nenhum cachorro chegar perto dele no parque, principalmente se for cheirá-lo pra dar um ”oi”, independente de seu tamanho (foge até de pinscher e chihuahuas). Com humanos ele não apresenta medo nenhum e deixa mexerem tranquilamente. Qual poderia ser a causa do problema? Como solucioná-lo?” – Giulia Sterchele, dona da Cookie, de um ano. Ver resposta

POSSESSIVIDADE
8 fev 2016
Comportamento: possessividade
Tutor(a): Emanuela Alves, Eliza e Sílvia, | O cachorro: Juninho, Zeus, Thor e Princesa
Possessividade: entenda melhor esse comportamento

Em meados de janeiro/2015, resgatei das ruas um lhasa apso, macho, de aproximadamente 2 anos. Estava tosado, o que demonstrava q tinha dono. Contudo, o dono nunca apareceu e eu o coloquei para adoção, visto que já possuo 4 cachorros e 4 gatos, além de cuidar de animais de rua. Ele foi adotado 2 vezes: a primeira, a adotante me devolveu com menos de 24 horas, alegando que não tinha experiência com bichos (sem comentários!); a segunda, devolveu o animal depois de 2 meses, alegando que ele havia mordido seu filho e sua secretária. Nos períodos em que ele permaneceu na minha casa antes de ser adotado, eu tinha percebido que ele era dominante, agitado, possessivo. Mas, agora, ele voltou pior: late muito e para tudo; não deixa que ninguém pegue seus brinquedos; não gosta de nenhum dos meus bichos; já mordeu minha diarista; de repente, fica agressivo, sem que ninguém esteja brigando ou falando com ele; só tem confiança em mim, que foi quem resgatou ele; não admite que eu fale ou faça qualquer coisa para outro animal ou pessoa. Diante deste quadro, resolvi dar floral para ele. Como tem poucos dias, ainda não vi efeito. Já decidi que, mesmo com as dificuldades, vou ficar com ele. Sinto que a confiança dele está em mim, mas não posso mantê-lo sem que o mesmo aceite meus outros animais. Ressalto que os outros não implicam com ele e nem são agressivos. Informo, ainda, que ele foi castrado e nada no comportamento dele foi alterado. Por favor, preciso de ajuda. Preciso de uma luz. Sempre tive animais, resgato da rua, mas este caso tem sido o mais complicado. Obrigada! – Emanuela Alves, dona do Juninho, de dois anos.

Olá Alexandre, meu cachorro é muito ciumento comigo e meu marido. Quando vamos a casa de parentes não podemos fazer carinhos nos cães da casa que ele já avança, e se uma pessoa vier nos cumprimentar e ele estiver do lado ele avança também. O que devo fazer? Beijo! PS: Adoro seu trabalho! Já assisti várias entrevistas suas! E adoro a Estopinha e o Barthô! – Eliza, dona do Zeus, de 1 ano e 1 mês.

Thor um shitzu superpacato até demais..e princesa uma lhasa apso superagitada embora já mãe pela 2 vez . De certo tempo ela começou nunca ciúmes doentio com qualquer pessoa da família ou outro cãozinho que se aproxima de mim ou eu faça carinho . As brincadeiras dela estão machucando em mordidas inesperadas no ato de pular em vc. Soltar da guia nem pensar…foge saindo correndo…foge de banho, empurra vasilha de água ou comida . Estou cansada e o Thor as vezes briga feio com ela..tendo eu que jogar água..Será ciumes? Como posso fazer ambos entender que os amos iguais? – Sílvia, dona do Thor e da Princesa, de 2 anos e 5 anos, respectivamente. Ver resposta

Lynda, Bella, Princesa, Príncipe e Nina
19 jan 2016
Comportamento: Coprofagia
Tutor(a): Larissa Pereira, Maria Paiva e Maria Cermaria, | O cachorro: COPROFAGIA
O que é preciso saber sobre a coprofagia

“Olá, tenho quatro cadelas lindas e tenho uma dúvida. A Lynda come coco, mas come a mesma ração que as 3. A Bella e a Princesa roem as caminhas delas mesmo tendo brinquedinhos. Gostaria de saber o que eu faço para que a Lynda pare de comer coco e que as 2 “roedoras de caminhas” kkkkkkkkk parem de roer?” – Larissa Pereira, dona da Lynda, Bella e Princesa, de três anos, um ano e nove meses.

“Dr.Alexandre, o Príncipe ele é um cão muito agitado, mas adora crianças. Quando ele fica dentro de casa, ele fica na guia porque ele sai mijando em tudo. Recentemente, ele foi castrado. Eu tenho um gato e, se der bobeira, ele come as fezes dos gatos. O que eu faço? Espero sua resposta. Desde já muito obrigado. bjos na Estopinha.” – Maria José Paiva, dona do Príncipe, de um ano e cinco meses.

“Ela é uma cachorrinha muito agitada, apesar de ter espaço em casa e eu andar com ela. Às vezes, ela come partes de suas fezes, outras vezes não chega a engolir, ficando na boca e depois cuspindo. Por orientação da veterinária, passei a dar floral, mas nada adiantou, pois ela só come o que acabou de fazer. Li muito sobre coprofagia, tentei de tudo que me indicaram, mas não resolve, preciso urgente de sua ajuda, pois é muito desagradável e ela é muito fofa e fica dentro de casa. Obrigada! Bjs para a Estopinha e Bartho.” – Maria Cláudia Cermaria, dona da Nina, de um ano. Ver resposta

MEU CÃO NÃO GOSTA DE CRIANÇAS
12 jan 2016
Comportamento: MEU CÃO NÃO GOSTA DE CRIANÇAS
Tutor(a): Kássia Nascimento, Alda Magaly e Larissy Lúcio, | O cachorro: Duke, Dryka e Simba
Acostumando o cão ao convívio com crianças

“Adotei o Duke, mix de poodle com pequinês, quando ele tinha apenas 29 dias (A mãezinha dele morreu quando ele tinha quinze dias de nascido), e desde que chegou sempre se comportou muito bem. O único (e grande problema) e que minha sobrinha de 3 anos tem MUITO medo de cachorro e sempre que ela chega aqui em casa é a maior gritaria! No começo o Duke não se importava muito, ate ignorava. Mas de três meses pra cá, ele não atura mais esses gritos, chegou a tentar ataca-la e também a criar raiva de outras crianças. Se elas estiverem paradas, tudo ok, mas se começarem a correr ou gritar ele já fica incontrolável. Fico muito triste, pois ela frequenta bastante minha casa e para não haver transtornos sou abrigada a prendê-lo na área de casa e ele fica muito estressado, chora o tempo todo! Além disso, preciso viajar daqui a dois meses, e a melhor opção pra mim seria levá-lo, já que não tenho com quem deixar, porém, a minha sobrinha vai também e tenho medo que acabe sendo um stress! Essa semana, será providenciada a castração do Duke, mas temo que isso não funcione. Eu NECESSITO de uma luz, e acredito verdadeiramente no seu trabalho e no da sua equipe. Farei o que for necessário para que essa situação seja resolvida. Desde já, obrigada pela atenção.” – Kássia Nascimento, Duke, de onze meses e quinze dias.

“A Dryka, não é sociável com visitas, e principalmente com crianças, quando chega alguém em casa, logo tem q colocá-la em algum ambiente separado, pq já aconteceu até dela morder! Ela é uma fofa, mas só com a nossa família ( menos as crianças ). Nem na rua ela fica mansa, pois fica querendo pegar nos pés das pessoas q passam por perto. A amo demais, muitas vezes deixo de levá-la aos lugares por causa desse temperamento! O q devo fazer ???” – Alda Magaly M Campos, dona da Dryka, de dois anos.

“Olá, Alexandre e equipe do Cão Cidadão! Meu cachorrinho, Simba, é um Pequinês de 6 meses. Ele é muito carinhoso com as pessoas em casa, aprendeu certinho o lugar de fazer as necessidades e o comando “Não”. Porém ele tem um grande problema de socialização com os outros cachorros e com crianças. Inicialmente achei que o problema com crianças era por ciúme que ele possui de mim, tanto que evitava ficar perto das crianças e nenéns, quando ele estava no ambiente, ele lidava razoavelmente bem com isso, então achei que estava dando certo. Até o momento em que ele mordeu o rostinho do meu sobrinho de apenas 1 ano enquanto ele, o cão, estava no colo do meu cunhado e o neném fazendo carinho nele pelas “costas”. Isso foi um choque para mim, pois pretendo ser mãe em breve e não sei como o Simba poderá reagir. O que eu poderia fazer para adestrá-lo com relação a isso? Outro problema que ele tem é que ele não pode ver outros cachorros de maneira alguma, que ele quer avançar! Isso é muito difícil também, pois ele é muito pequeno e qualquer cachorro um pouco maior que ele o estrangularia em uma mordida só. Também gostaria muito da ajuda de vocês com isso! Agradeço pela atenção. Beeijos” – Larissy Lúcio, dona do Simba, de seis meses. Ver resposta

PROBLEMAS NO PASSEIO
6 jan 2016
Comportamento: Problemas no Passeio
Tutor(a): Márcia, Dalla e Cristiane Santin, | O cachorro: Kuka, Oscar e Kiko
Dicas para lidar com problemas durante os passeios

“Adotei a Kukinha numa Ong, onde a mãe dela havia sido recolhida, com 50 dias. É uma vira latinha linda de 3 aninhos, com 5kg 500gr. Sem muita experiência com cães e sabendo que enquanto não tivesse todas as vacinas não deveria conviver com outros cães, mantive-a em casa até os 4 meses. Não sei se por não ter sido sociabilizada, Kuka até hoje tem horror de sair de casa!!! Some e se esconde embaixo da cama quando vê a guia. Se forço em leva-la, treme muito, fica extremamente amedrontada e o coração acelerado. Puxa em direção ao prédio e fica de plantão na porta do elevador. Em casa pula, corre, brinca feliz. Devo força-la a sair? Ficar só em casa feito um gato não fará mal para sua saúde? São 3 anos que tento sair e volto estressada da tanto que ela puxa e treme. Obrigada” – Márcia, dona da Kuka, de três anos.

“O Oscar é um cão extremamente dócil, interativo, obediente dentro de casa, não é territorialista, brinca com meus outros dois cães (um border-irmão de 3 anos, e um lhasa). Não tem ciúme de comida, brinquedos, MASSSSSS na rua, avança em cachorros e pessoas, sai muito excitado de casa (não falo nada, nem solto som para não contribuir com o estado dele), e grita muito na rua se está feliz, como se tivesse sendo atropelado (rsrs), sou famosa no bairro. Por exemplo, no Museu do Ipiranga, brinca comigo, me segue, mas se um cachorro se aproximar… aiaiai… Gostaria muito de tentar algo, com vocês, para que ele tenha qualidade de vida, com menos excitação, e não ofereça risco às pessoas e cachorros. Obrigada.” – Dalla, dona do Oscar, de três anos.

“Boa Tarde!! Adotei o Kiko com aproximadamente 2 meses de idade, e em vista de ter que tomar as três doses da vacina só consegui leva-lo para passear com quatro meses, e no início ele passeava direitinho!! Aqui perto da minha casa tem um portão de ferro com um espaço de grades embaixo e uns três cachorros grandes vieram correndo dos fundos e pularam nesse portão fazendo um enorme estrondo (parecia uma explosão), eu levei um baita susto, imagina o Kikinho!! Bom, a partir daí ele ficou extremamente agitado nos passeios, quando ele vê outro cão mesmo de rua ele grita, late e se debate!! Fizemos um treinamento com um adestrador que nos ensinou a usar o enforcadorzinho de pano como correção, ele melhorou um pouco, mas ainda temos que tirá-lo da “zona de confronto”, pois ele fica bem agitado!! E além desse problema ele desenvolveu um verdadeiro pânico de estouros e foguetes, no último Natal/Ano Novo, fiquei desesperada, pois ele não para quieto, fica caminhando pelas peças da casa, querendo subir (moramos em um sobrado), se sobe quer descer, tenta subir nos móveis, tive que dar maracujina e outro calmantezinho fraco receitado pela Veterinária dele!!Ele toma florais, belladona…enfim, foi depois desse “trauma” com os cachorros do vizinho!!Não sei mais o que fazer, mas gostaria muito de socializa-lo e amenizar o medo de foguetes! O que devo fazer?” – Cristiane Santin, dona do Kiko, de dois anos. Ver resposta

NECESSIDADES NO LUGAR ERRADO
20 dez 2015
Comportamento: NECESSIDADES NO LUGAR ERRADO
Tutor(a): Carolina, Rubia Leme e Giovana Cardoso, | O cachorro: Gandalf, Preta e Theo
Como mostrar ao cão o local correto do banheirinho

“Olá! Adotei um daschund, o Gandalf, há 4 meses. Eu e meu marido somos apaixonados por ele, trouxe alegria à nossa casa depois que nosso primeiro cachorro morreu, há um ano e meio. Já tenho uma fêmea da mesma raça de 12 anos, que adotei quando já tinha 3 anos. Porém, estamos tendo muita dificuldade de educá-lo a fazer xixi e cocô no lugar e a não destruir os móveis. Moramos em apartamento. Ele chegou a ficar em uma área forrada com jornais, que fui tirando aos poucos até ficarem apenas no lugar determinado. Hoje ele fica solto, mas quando volto do trabalho é sempre uma surpresa: xixi ou cocô fora do lugar, sofá que ele cavou, até as caminhas dele e da cadela ele destruiu. Já comprei sprays antimordida, spray pode -não pode, pipi-dog, saio com ele todos os dias… Gostaria de saber o que eu poderia fazer para resolver esse problema. Obs: Gandalf foi castrado há quase 3 meses. Muito obrigada pela orientação!” – Carolina, dona do Gandalf, de um ano e oito meses.

“Olá! Morava no Japão lá minha poodle toy fazia xixi naqueles tapetes próprios! Agora viemos p o Brasil aqui ensinei ela a fazer só no quintal de casa no chão, ela aprendeu não fazia dentro de casa! Recentemente, ela começou a fazer xixi dentro de casa, um dia ate fez no colo do meu pai! Eu acho q deve ser pq tem uma criança em casa de 2 anos em casa e ela deve estar com ciúmes! Ela e muito apegada a mim gosta muito de ficar no meu colo! ela não gosta dele! Pq ele fica correndo atrás dela com o carrinho dele! quando ela faz dentro ela sabe q não pode pq faz e fica com medo fica de longe tremendo! oque devo fazer para ensina-la a fazer no quintal novamente?? muito obrigada! admiro muito seu trabalho e adoro a estopinha?” – Rubia Leme, dona da Preta, de cinco anos.

O Théo é um Golden retriever de 2 anos que adotamos no início de 2014. Já éramos sua 3ª família. Ele veio bem maltratado e vivia preso onde morava. Estava infestado de carrapato e bem abatido. Ele só fazia xixi e cocô na grama, mas passou a urinar no quintal inteiro, inclusive na calçada e no pneu da moto. Meu quintal é pequeno (20m², incluindo entrada da garagem) e o levo para passear próximo de casa todos os dias, porém tem dias que não dá tempo e ele fica sem passear. Minha rua é cheia de cachorros, então ele acaba mijando no portão de casa também. Gostaria de separar um pedacinho do quintal para ele fazer suas necessidades, mas não sei como ensiná-lo. Ele é inteligente e mesmo já sendo adulto acho que aprenderia. Por causa do pouco espaço, já até pensei em doá-lo para alguém que tivesse um espaço maior para ele, mas fico com dó porque ele adora as crianças e vice-versa, ele é apegado comigo (eu que cuido, dou banho, comida, escovo) então tem horas que fico dividida entre querer o melhor pra ele e o sentimento de carinho e apego que já temos. Por favor, nos ajude! Realmente tem horas que não sei o que fazer! – Giovana Cardoso, dona do Theo, de dois anos e quatro meses. Ver resposta

BURACOS NO JARDIM
9 dez 2015
Comportamento: BURACOS NO JARDIM
Tutor(a): Marta Lucila de Castro e Andressa, | O cachorro: Rek e Rocambole
Como lidar com os buracos no jardim

“Ele fura muito buraco e ainda carrega as coisas.” – Marta Lucila de Castro, dona do Rek, de um ano.

“Oi! Bom dia, eu tenho dois cachorros: uma tem dois anos e pouco e, o outro, é o filho dela de nove meses. Dois cocker spainel inglês. Eu estava tentando montar um jardim, mas ele cavuca tudo e também come todas as plantas, come até a grama e o vermífugo deles. As vacinas estão todas em dia, e mesmo assim ele come todas as plantas que vê!!! O que eu faço para ele parar de comer as plantas??? – Andressa, dona do Rocambole, de nove meses. Ver resposta

DESTRUIÇÃO
1 dez 2015
Comportamento: AgressividadeDestruição
Tutor(a): Denise, Aline Santolin e Sonia, | O cachorro: Maia, Pandora e Nina
Como lidar com cães destruidores

“Olá Alexandre. Primeiramente, quero dizer que minha família e eu admiramos muito seu trabalho. Maia é uma garotinha bastante ativa, saudável, brincalhona, inteligente e carinhosa. Embora já tenha 1 ano, uma de suas principais diversões é destruir todos os brinquedos que oferecemos, o que não seria nada anormal se tratando de um golden retriever. O problema é que ela destrói e tenta engolir os pedacinhos destruídos. Impossível deixá-la brincando sem supervisão. Átia, nossa labrador fêmea de 1 ano e meio, gosta de correr atrás de bolas, bastões etc, mas a Maia prefere ‘capturar’ o brinquedo, se esconder num cantinho para apressadamente destruí-los e saboreá-los como se fossem comida! Pelo menos uma vez por dia temos que tirar pedaços dos brinquedos de sua boca, para que ela não os engula, e é claro que ela não facilita em nada nosso trabalho e, mesmo assim, de vez em quando, suas fezes vêm acompanhadas de fragmentos ‘estranhos’. Ela se alimenta bem, oferecemos ração superpremium, e somos rigorosos com vacinação e vermifugação. Já não sabemos como agir nessa situação. Espero que você possa nos ajudar! Antecipadamente agradeço sua atenção.” – Denise, dona da Maia, de 1 ano.

“Alexandre! Tudo bem?! Tenho uma Beagle de 1 ano e 7 meses que é terrível! Moro de aluguel num apartamento. Como o apartamento é grande, reservamos um quarto só pra ela! Ela é totalmente destruidora. Enquanto eu e meu marido trabalhamos, ela fica no quarto (tem até um portãozinho, parece um quintal) e quando chegamos soltamos, a levamos para passear e enquanto estamos acordados, ela fica solta com a gente. Ela é cega, porque tem problemas genéticos. Já destruiu porta, guarda-roupa e agora tá fazendo um buraco na parede! Por que ela age assim? Teria alguma forma de ensiná-la que deve não raspar a parede? O quarto dela é grande, tem muitos brinquedos e uma casinha, sempre damos aqueles ossinhos de couro pra ela se distrair. O que podemos fazer?” – Aline Santolin, dona da Pandora, de 1 ano e 7 meses.

“Minha Nina detesta quando toca a campainha. Ela fique a mil com o estresse e pega logo minhas almofadas e sai mordendo. Nem preciso falar quantas almofadas já foram destruídas….rsrs . A última está com a capa toda rasgada. Não sei mais o que fazer. Já tentei algumas dicas que vi em seus programas na tv, mas nada funcionou.” – Sonia, dona da Nina, de 11 anos. Ver resposta