O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
REPULSA A RAÇÃO
10 nov 2015
Comportamento: REPULSA A RAÇÃO
Tutor(a): Alexandra, Emanuel Campos e Regiani., | O cachorro: Nina, Mel e Liz.
Como agir com pets que rejeitam a ração

“Alexandre Rossi, tudo bem? Somos fãs de vocês e está de parabéns pelo seu trabalho que tanto ajuda os animais! Uma cachorrinha que morava na rua, teve os seus filhotinhos no lote de uma vizinha e nós ficamos um deles. É a Nina, nossa alegria. Espoleta tipo a Estopinha. rsrsr Adora dar jump rsrsr O problema que ela não fica querendo comer ração e, às vezes, quando come algo diferente, o pelo fica feio e começa cair. O que pode ser feito para ela acostumar somente com a ração? Muito obrigada e um beijão a todos!” – Alexandra.

“Olá doutor Alexandre, tudo bem? Ótimo. Doutor, tenho uma cadelinha da raça poodle, ela tem uma grande dificuldade para comer, principalmente ração (olha que compro ração boa, pedigree) pois bem, ela é muito ruim para comer a ração desde recém-nascida, quando eu a comprei, gosta muito de frango e carne bovina e outros, há um tempo eu a levei para o veterinário, foi feito alguns exames, não deu nada de mais, ele recomendou que eu desse pra ela, um estimulante de apetite (apevitin), remédio para humano, criança, então, ela toma esse remédio duas vezes por dia, assim, depois de alguns minutos, ela acaba comendo um pouco da ração, muito pouco, e além disso, ela dorme muito durante o dia, mais ama passear, brincar correr, ela não gorda, bem magrinha o pelo deixa ela bem cheia, em casa sem fazer nada só dorme, a região que moramos é muito quente, não sei se tem algo a ver com isso, doutor o que você me diria, como faço para mudar essa situação, fazer com que ela tenha mais interesse na ração dela. desde já muito grato.” – Emanuel Campos, dono da Mel, de 1 ano e 3 meses.

“Liz é uma mini maltês de 3 quilos, saudável, elétrica e brincalhona. muito brava. Chega a me morder quando sou eu quem da banho nela. No pet, ela se comporta melhor. Ultimamente, não come ração de jeito nenhum, mesmo que eu a deixe por dias sem outro alimento. Só come presunto, patezinho de carne (que tenho que dar na boca dela) e carne assada. Quando sai pra passear, late muito e corre, o que faz com que não aproveite o passeio calmamente. Tenho que usar duas coleira porque da peitoral ela escapa. Fico preocupada por essa alimentação errada dela. Sei que a culpa é minha, mas confesso que não lembro como essa situação se desenrolou pra chegar nesse grau. Estou muito aflita. Por favor me ajudem a corrigir os erros e a educá-la.” – Regiani, dona da Liz, de 2 anos e 8 meses. Ver resposta

SEDENTARISMO
3 nov 2015
Comportamento: SEDENTARISMO
Tutor(a): Andrea Yurttas, | O cachorro: Bonny
Importância do enriquecimento ambiental para o pet

“Ele veio filhote, juntou-se ao meu filho, Arthur. Desde então, dedico minha vida aos dois. Agora, velhinho, embora tomando todos os cuidados com sua saúde, Bonny permanece a maior parte do tempo sedentário. Minha casa é muito perto da praia e tem um espaço enorme em meu terreno. Mesmo assim, ele se recusa a ir até a esquina. O veterinário examinou e falou ser da idade. Mas, entristeço-me ao ver meu velhinho assim, olhando para o nada. Não se interessa por brinquedos. Atende aos nossos chamados e se alimenta bem. Ajude-me, Dr. Rossi. Temo que isso o leve a uma depressão. Brevemente, teremos um agravante: viajarei por três meses e ele ficará aos cuidados do meu filho e meus pais em nossa casa. Agradeço desde já a atenção.” – Andrea Yurttas, dona do Bonny, de treze anos.
Ver resposta

MEDO E CIÚMES
25 out 2015
Comportamento: MEDO E CIÚMES
Tutor(a): Gilmara Moreira e Ionara Carvalho, | O cachorro: Paco e Pretinha
Dicas para lidar com cães medrosos e ciumentos

“Oi Alexandre, tudo bom? Preciso muito de sua ajuda porque não sei mais o que fazer com meu cachorro. O Paco não é castrado, mas desde pequenininho adora fugir, mas ele não vai atrás de cadela, ele gosta é de correr na rua: corre numa velocidade que, se ele atropelar uma moto, é capaz de matar uma pessoa pela velocidade e força que ele tem. Acho que deve estar pesando uns 60 quilos. Nós já fizemos de tudo: cerquei o quintal com muro, coloquei grade na frente da casa, mas ele pula, pode ser a altura que for, coloquei cerca elétrica, mas também não teve jeito. Agora, ele fica amarrado no vai e vem, mas, mesmo assim, ele consegue estourar a corrente, e o peitoral de couro bem forte que compramos ele arrebentou no segundo dia, com um só tranco. Tenho muita dó de ele ficar preso, porque ele é muito dócil, e meu marido também está ficando chateado com a situação. Ele me diz que, por ele, ele passa a corrente no corpo todo do cachorro só para ele não sair na rua. Outra coisa que já estava me esquecendo de comentar: ele é muito grande, mas é medroso, tem muito medo de chuva, raio, fogos e qualquer barulho. Ele passa mal, às vezes, ele parece que vai ter um ataque epilético ou enfartar (não é exagero). Fora o Paco tenho mais dois cachorros: a Nina, que é irmã dele; e o Nerinho, que é bem pequenininho pois tem seis meses, e fica dentro de casa e já foi castrado. Outra coisa que gostaria de saber é se dá para o Paco ser castrado mesmo com mais de quatro anos. Por favor, se você puder nos ajudar, ficaria muito feliz, pois nós estamos sofrendo. Porém, o Paco é quem mais sofre por não poder aproveitar o quintal. Desde já agradeço e aguardo sua resposta, meu marido e eu somos muito seus fãs! Assistimos todos os seus quadros no programa da Eliana. Muito obrigada!” – Gilmara Dias Moreira, dona do Paco, de quatro anos e seis meses.

“No dia 24/04/15, resgatei em uma avenida bem movimentada da minha cidade, uma cadelinha que, aparentemente, teria sido abandonada. Estou dando lar temporário para ela, já a levei ao veterinário e foi constatado que ela tem um ano e é de porte médio. Ela é muito brincalhona, mas o problema é que já tenho uma cadelinha de dois anos, e moro em apartamento. Então, as duas ficam bem perto uma da outra, a Pretinha tem ciúme da minha cadelinha e está avançando nela. Tudo que a gente dá para a Pink, ela quer, ou se a gente vai dar carinho para a Pink, ela se mete na frente e bate na Pink. Tenho o cuidado de dar as mesmas coisas para a Pretinha para que não aconteça isso, mas não está adiantando. O que posso fazer nesse caso?” – Ionara Carvalho, dona da Pretinha, de um ano. Ver resposta

NÃO FAZ XIXI EM CASA
18 out 2015
Comportamento: NÃO FAZ XIXI EM CASA
Tutor(a): Soraya Mouzinho e Leandro Argoud, | O cachorro: Raj e Deep
Cães que fazem xixi apenas durante o passeio: como agir?

“Oi Alexandre Rossi, tenho o Raj de 6 anos e tenho um problema que gostaria que você me ajudasse. O Raj, quando pequeno, sempre fez as necessidades em casa… no jornal na área e nunca foi um cachorro de levantar a perna e fazer xixi em móveis ou semelhante. Comecei a levar na rua mais para ele se distrair e pronto isso se tornou um hábito, não faz mais nada dentro de casa, a não ser quando ele está com dor de barriga e como minha casa é de 2 andares ele faz no box do banheiro. Já tentei várias vezes sem sucesso e depois que ele pegou a doença do carrapato fiquei mais apavorada. Já deixei ele o dia todo sem ir na rua  coloquei o jornal onde ele fazia , comprei o PIPI Dog , até o jornal com o xixi da cachorrrinha do meu vizinho eu coloquei. O que faço??? É terrível quando chove… me ajuda.” – Soraya Mouzinho, dona do Raj, de seis anos.

“Meu Dachshund de 3 anos, foi acostumado sempre fazer as necessidades sempre na rua. Ele pede sempre para sair para fazer, até aí tudo bem. Mas, durante a noite ele chama mais que uma vez para sair, isso incomoda. Como posso mudar isso? Sempre, antes de dormir, chamamos ele sai para fazer, mas sempre acorda mais que 2 ou 3 vezes na noite!!! Como posso fazer? Ele é muito esperto, aprende muito rápido… Obrigado.” – Leandro Taffarel Argoud, dono do Deep, de três anos. Ver resposta

APRESENTAÇÃO DE ANIMAIS
9 out 2015
Comportamento: APRESENTAÇÃO DE ANIMAIS
Tutor(a): Daiane da Rosa Pinto e Rosana Gruber, | O cachorro: Mel e Caçolinhu
Como apresentar seu pet para um novo animal

“Boa tarde, atualmente montei um negócio de rações e precisei me mudar de meu apartamento e, consequentemente, tive que levar minha gatinha para a casa nova, onde já mora uma gatinha. Bom, essa semana levei-a ela em um transportador e a deixei em meu quarto com seu pertences. Enfim, hoje faz três dias que ela está morando na casa nova, ainda bem assustada, sendo que ainda não apresentei a outra gatinha. No momento, elas estão separadas, mas notei que ela sente muito medo. Porém, ela já andou pela casa, e eu queria muito um auxílio de como apresentar essas duas moças. Att, Daiane.” – Daiane da Rosa Pinto, dona da Mel, de sete anos.

Peguei meu Caçolinhu da rua, doente, em fevereiro do ano passado, e já tinha duas gatas adultas, que hoje têm quatro anos. Tentei, por diversas vezes, colocá-los no mesmo ambiente, porém ele avança nelas. Já tentei acostumá-los com o cheiro uns dos outros e, as gatas até ficam bem no mesmo ambiente, mas ele não tem jeito. Toda vez que elas passam por ele, ele tenta avançar. Hoje, eles ficam em ambientes diferentes: elas, dentro de casa e ele, no quintal. Quando o coloco na sala, tenho que prendê-las no quarto. Gostaria de saber como acostumá-los todos no mesmo ambiente. Obrigada. – Rosana Gruber, dona do Caçolinhu, de dois anos. Ver resposta

COMANDOS
29 set 2015
Comportamento: COMANDOS
Tutor(a): Antonia, Luan Henrique e Suzanete Silva., | O cachorro: Babi, Fiora e Jack.
Como os comandos podem ser importantes no dia a dia com o pet

“Bom dia, eu queria saber como faço para ensinar minha cachorra BABI a dar a patinha?” – Antonia, dona da Babi, de cinco meses.

“Olá tenho a seguinte dificuldade com a Fiora, ela tem problemas com limites, tanto para não sair para fora do portão, quanto para não entrar em casa. quando abrimos o portão para entrar com o carro, ela sai e as vezes correndo, quase foi atropelada algumas duas vezes. Agradeceria por dica de como impor limite de espaço. Obrigado.” – Luan Henrique, dono da Fiora, de quatro meses.

“Nosso Jack é um cãozinho muito amoroso e lindo, quando o adotamos tinha três meses e estava um pouco debilitado com bastante carrapatos e vermes, veio de uma ninhada de cinco filhotes, ele era o mais franzino e fraco, todos diziam que ele iria morrer, o levamos à veterinária e tratamos de tudo, vacinamos e o enchemos de carinho, no período das vacinas ele teve um problema na pele que estourou todo seu corpo, (dermatite) ficou muito feio, mas com um tratamento muito sério ficou logo tudo bem. Por causa desse problema demos muito dengo para ele e o deixamos muito à vontade, cometendo alguns “erros”, como por exemplo, subir na cama, no sofá, comer comidas caseiras, quando não queria a ração, hoje estamos tentando corrigir esses erros, pois ele não come ração sem que esteja misturada com arroz e frango ou arroz e carne, não obedece quando pedimos para ele não subir ou descer das camas e do sofá, e olhe que ele tem sua própria caminha, pois não sabemos como lidar com essa situação. Gostaríamos de sua ajuda no sentido de fazer com que nosso cãozinho não suba mais nas camas, no sofá e coma ração, pois esta difícil fazermos isso sozinhos. Sim não posse deixar de relatar que ele é ciumento, mas muito dócil. Agradecemos sua atenção, com todo carinho, família Silva. Ah, não poderia deixar de fazer elogios a linda cadelinha Estopinha, abraços!!!” – Suzanete Nascimento Cunha Silva, dona do Jack, de 1 ano e 10 meses.  Ver resposta

AGRESSIVIDADE
22 set 2015
Comportamento: Agressividade
Tutor(a): Veronica Rodrigues, Karina Ribeiro e Michele Gomes., | O cachorro: Pekeno, Meg e Isnup.
Agressividade em cães

“Oi Alexandre, eu tenho um cão de 8 meses, da raça basset e ele está começando a avançar na minha mãe e a bater na mãe dele. O pai dele é assim, as duas vezes que veio cruzar com minha cadela, ele era bravo, porém muito carinhoso, mas me mordia. O pai do meu filhote morou um tempo na casa da mãe da tutora dele e não ficou lá por ter este gênio que meu cão tem. O que devo fazer, pois já tive alguns cães desta raça, todos muito carinhosos e calmos, mas o Pekeno é muito agitado ainda mais quando não estou em casa.” – Veronica Maria Rodrigues, dona do Pekeno, de oito meses.

“A Meg é uma cadela com as mesmas características físicas da Estopinha. Ela foi abandonada e achada por uma moça, que logo em seguida, colocou para adoção. Foi amor à primeira vista, fiquei com ela, ela cresceu super bem, tomou todas as vacinas, e está aprendendo as coisas certinhas. Porém, a minha preocupação é que a Meg não pode ficar perto de criança pois ela não gosta. Há menos de duas semanas, eu abri meu portão, ela saiu correndo para a rua, estava passando uma criança com seus pais, e ela tentou atacar a criança. Então, na hora da raiva, chegaram a ameaçar a dar veneno e, por isso, fico muito preocupada pois não sei o que fazer para ela gostar de crianças. Peço muito a sua ajuda. Sigo o facebook da Estopinha, muito fofa. Obrigada pela atenção.” – Karina Sarzi Ribeiro, dona da Meg, de sete meses.

“Eu tenho dois cachorros, um mais ciumento do que o outro, Isnup e Scub. O Isnup é o pior, não recebo mais ninguém na minha casa e, quando chega alguém no portão, ele não para de latir e morde o Scub, que é seu irmão da mesma idade. Se alguém entrar, ele vai para cima e morde, eu moro nos fundos da minha mãe, e quando vou para casa dela, ele não para de latir, quando desco para ir embora, ele pula na gente desesperado. Demora um pouco e se acalma, vai para a caminha e dorme. Ele é muito possessivo, quer a gente só para ele e não obedece. Eu preciso de ajuda, por favor.” – Michele Gomes, dona do Isnup, de um ano e quatro meses. Ver resposta

REPULSA A BANHO
15 set 2015
Comportamento: REPULSA A BANHO
Tutor(a): Silvia Paixão, Vanessa e Márcia Chiara., | O cachorro: Brad, Blade e Marley.
Dicas para lidar com pets que têm medo de banho

“Olá, tenho um cachorro de seis anos chamado Brad (SRD), sempre cuidei dele e nunca tive problemas, até um veterinário me disse uma vez que Brad confia muito em mim. Só que, no mês de julho/2015, fui surpreendida nas duas vezes em que fui lhe dar banho, pois ele cismou de me morder. Levei um susto enorme, ele nunca havia tido tal comportamento, tive que pegar um pedaço de mangueira e ameaçar dar umas lambadas nele, de mentirinha, é claro, pois nunca lhe bati, mas ele morre de medo da mangueira. Assim, pude terminar o banho. Fiquei muito triste porque amo muito o Brad, me senti traída, por um pouco de tempo. Será que tenho sufocado o Brad com tanto carinho e ele está pensando que quem manda na casa é ele? Estou tentando mostrar a ele que eu mando, mas confesso que não resisto e abraço e beijo muito ele e pior, estou com medo de dar banho nele de novo…” – Silvia Paixão Machado, dona do Brad, de seis anos.

“Meu cachorro não gosta de banho e nem deixa escovar os dentes dele, se tento fazer, ele ataca. É difícil levá-lo ao veterinário pois ele não aceita nenhum comando. Tentei distraí-lo com petisco mas não deu certo. Nas atividades normais como brincar e passear ele se torna mais calmo. Ele também é super carinhoso comigo e gosta de chamar atenção.” – Vanessa, dona do Blade, de seis anos.

“O Marley, meu filhote de nove meses não gosta de tomar banho, ele pula, dá cambalhota, quer morder! Levamos no petshop para tomar banho, a veterinária teve que dar remédio para ele se acalmar, e só assim conseguiu dar banho nele. O que posso fazer?” –  Márcia Chiara da Silva Costa, dona do Marley, de nove meses. Ver resposta