O seu cãozinho está com problemas comportamentais?
Pergunte para o Alexandre Rossi e Cão Cidadão
Xixi somente dentro de casa
21 nov 2017
Comportamento:
Tutor(a): Carlene Trindade, | O cachorro: Lilica
Xixi dentro de casa

“Olá, Alexandre! Sou mãe da Lilica, uma vira-latinha linda de 10 anos! Eu morava em casa com um grande quintal com jardim onde ‘Liquinha’ fazia suas necessidades fisiológicas, mas agora me mudei para um apartamento.

Não estou conseguindo acostumar a Lica a fazer as necessidades fisiológicas na lavanderia, ela só quer fazer durante os passeios na rua. Ocorre que estou de férias, mas logo voltarei a trabalhar e ficarei muitas horas fora. Me preocupa a possibilidade de ela segurar a urina e as fezes o dia todo.

Li suas respostas para o Leandro e para a Soraya, tutores com problemas bem semelhantes, mas não consigo fazer ela urinar na fraldinha ou jornal. Tenho levado a fralda nos passeios, mas se eu aproximo a fralda dela enquanto está urinando, ela para.

Levo os petiscos que ela ama nos passeios, mas nem dá para usar este reforço, pois ela não urina na fraldinha. Já sujei a fralda e o jornal com a urina dela e deixei na lavanderia, mas ela nem passa perto.

A ração e petiscos já estão alojados bem longe da lavanderia e ela também não utiliza o espaço para brincar. Não sei mais o que fazer, estou muito preocupada! Peço, por favor, uma orientação.”

Por Andrei Kimura, adestrador e franqueado da Cão Cidadão

O problema da Lilica é comum. Quando acontece o que a Carlene descreveu, ou quando o animal aprende a fazer suas necessidades somente fora de casa (no caso de o tutor sempre sair no mesmo horário para passear com o cão), é prudente variar os horários destes passeios para que o pet não fique esperando para se aliviar.

Segurar a urina por muito tempo pode se tornar um problema grave, como incontinência e/ou infecção no aparelho urinário. Normalmente a bactéria que causa tais males é a Escherichia coli, infecção também denominada como cistite.

Carlene, os procedimentos que você usa estão corretos. Vamos ver o porquê deles, para que você possa aprimorá-los ainda mais dentro de casa. Quem sabe a Lilica não muda seus hábitos mais rápido do que você imagina?

  1. Leve o tapete higiênico ou o jornal no passeio

A intenção deste procedimento é fazer o cão associar a presença do tapete ou jornal com o ato de urinar. A Carlene disse que a cadelinha não urina quando vê o tapete. Isso pode acontecer porque talvez a Lilica tenha associado a fralda a uma situação negativa.

Por exemplo: se ela toma uma bronca e é levada ao tapete de forma ríspida, o pet pode achar que a fralda é algum tipo de castigo. Uma saída, neste caso, é a Carlene levar outro material absorvente nos passeios. Assim que a Lilica for fazer as necessidades dela, coloque suavemente o jornal perto dela e mostre que você ficará feliz por ela fazer o xixi naquele local. Chamamos esse incentivo de “xixi sob comando”. Quando ela terminar de se aliviar, dê um petisco.

Outra possibilidade que pode ter acontecido para o cão não querer usar a fralda higiênica é o dono ter colocado ela muito perto ou de forma abrupta debaixo dele e ter “cortado o barato” de fazer suas necessidades.

  1. Dê alternativas

Um cão que está acostumado a fazer suas necessidades fora de casa, como em um sítio, em casa com quintal que tenha grama ou na rua pode preferir utilizar a grama sintética, que é a que mais se aproxima da grama natural.

Caso seja possível, faça um canteiro de grama natural para o amigo ter seu espaço privado.

A Carlene também disse que sujou a própria fraldinha da Lilica com xixi dela mesma. Mas e se você tentar fazer isso com o xixi de outro cachorro? Talvez isso estimule a amiga a marcar o território sobre o xixi alheio.

  1. Comida, água, cama e brinquedos longe do local das necessidades

A dona da Lilica disse que separou a área de alimentação e brincadeiras do local desejado para os xixis e cocos. Está corretíssimo. Isso porque os cães não gostam de se alimentar no mesmo local onde fazem suas necessidades.

Uma observação a se fazer é que a Lilica já tem 10 anos, o que pode dificultar um pouco o processo de aprendizado dela. Contudo, a atitude dela poderá mudar se os tutores tiverem persistência, dedicação e paciência.

Vale também levar a Lilica a consultas periódicas ao veterinário para que o profissional avalie sua saúde.

Se precisar de ajuda neste processo de mudança de comportamento, conte com um adestrador profissional para te ajudar.

Boa sorte, Carlene!