Winnie Rocha de Salvador “Eu tenho uma pinscher 0 de 8 meses. Por diversas vezes ao ficar sozinha ela revira o lixo, pega roupas sujas na área de serviço, e as espalha pela casa toda. O que devo fazer para mudar esse comportamento dela? Grata, desde já!”

por Olivier Soulier — publicado 3 dez 2012 - 12:42

Winnie bom dia!

Sua pinscher, como muitos animais de companhia, provavelmente descobriu o lixo muito cedo e muitas vezes a lixeira representa para eles quase que uma caverna de Ali Baba, uma ilha do tesouro.

De fato, fora regularmente conter restos de comida, geralmente é cheia de materiais para mastigar, rasgar ou triturar o que, embora pode oferecer perigo (isso eles não advinham), ocupam qualquer filhote de várias espécies durante bastante tempo.

É claro que nossos pertences como, por exemplo, nossas roupas sujas também os interessam e atraem muito.

Pelo nosso cheiro que encontram nelas e pelo valor que demostramos para elas: vestindo-as no dia a dia, colocando-as nas cestas de roupas sujas ou as guardando nos armários.

Sem falar que muitas vezes tentando recriminá-los quando descobrimos que mexeram no lixo ou nas nossas roupas sujas acabamos ensinando-os a reproduzir tais comportamentos para chamar nossa atenção, já que demonstramos dar certo.

 

Para evitar que isso aconteça ou, no seu caso, corrigir aconselho:
1- Desviar a atenção do animal do lixo ou das suas roupas impedindo o acesso dos mesmos durante um período de quinze a vinte dias. E, enquanto isso, oferecer objetos ocupacionais bem mais interessantes, com atrativos olfativos e gustativos, a exemplo dos Petgames e Petballs (recheados de ração ou petiscos para cães): www.petgames.com.br
2- Quando liberar de novo o acesso usar de correções despersonalizadas: criando um incômodo, um desconforto ou um leve susto, sem o animal perceber que alguém aciona a correção, mas sim associando-a somente ao comportamento indesejado.

3- Oferecer mais atividades físicas e ocupacionais e ensinar regras e limites mais claros dentro do grupo.

4- Criar um período de desligamento desde cedinho:

Dar muita atenção ao filhote quando chega a nossa casa é mais que saudável para evitar acidentes e criar uma socialização primordial com a nossa família.

Mas rapidamente ele tem que aprender a ter mais autonomia e independência para não sentir demais as angustias e os estresses quando se encontre sozinho.

 

Tenha paciência e determinação e não esqueça que eles não nascem nem desembarcam nas nossas vidas preparados para respeitar nossos interiores e nossos pertences.

Eles precisam brincar e se ocupar muito e como as crianças humanas tem uma necessidade visceral de descobrir o ambiente, a curiosidade e determinação que podem empregar para isso é quase que incansável.

Sem mais por enquanto, desejo muitos anos de convivência agradável e prazerosa com sua Pinscher, alias seria grato se respondesse a minha curiosidade: qual o nome dela?

 

PS: Meus textos são usados em seminários, palestras e cursos e juntados para confecção de livros sobre o assunto. Agradeço para não repassar sem minha autorização expressa e escrita.

 

Olivier Soulier e Equipe EAOS.
(85) 30880058 91084492 86994492 99085782
www.caonota10.com.br
www.eaos.com.br

Cachorros com doença em fase terminal se tornam amigos e aproveitam seus últimos meses juntos

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 maio 2018 - 9:36

Receber a notícia de que nosso cãozinho está com uma grave doença em fase terminal e que lhe resta apenas poucos meses de vida é muito difícil. Porém, apesar da tristeza, o ideal é aproveitar ao máximo esses dias e tentar deixar o animal o mais confortável possível, além de mimá-lo bastante.

É exatamente isso o que os tutores dos cães Harley Bruiser, um Buldogue de 10 anos de idade, e Buckeye, um Golden Retriever de 15 anos de idade,

 » Read more about: Cachorros com doença em fase terminal se tornam amigos e aproveitam seus últimos meses juntos  »

Cachorro fica com medo de trovões e acaba indo parar em telhado de mercado

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 maio 2018 - 9:27

Não é tão difícil encontrar pessoas que têm medo de trovões. Os fortes barulhos o forte barulho, que é causado por descargas elétricas na atmosfera, conseguem assustar muita gente.

Com sua audição extremamente desenvolvida, os cachorros também sofrem bastante com os trovões. Se para nós os barulhos já são fortes, imaginem para eles.

O cãozinho Thor é acostumado a ficar com seus irmãos caninos na cobertura da casa onde vive, em Caxias do Sul,

 » Read more about: Cachorro fica com medo de trovões e acaba indo parar em telhado de mercado  »

Longe de sua tutora há nove meses, cadela tem reação tocante ao vê-la na televisão

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 maio 2018 - 9:23

Apesar de ser sempre muito difícil ficarmos longe de nossa família, amigos e de nossos animais de estimação, Algumas vezes isso é necessário. Coisas como cursos, treinamentos e trabalho, podem acabar nos afastando de casa por algum tempo.

Nesses casos, a tecnologia e a internet se tornam ótimos aliados, pois, com apenas um clique, conseguimos conversar e ver aqueles que amamos, incluindo nossos amados peludinhos.

A venezuelana Oriany De Oliviera precisou se mudar de país por causa de seu trabalho.

 » Read more about: Longe de sua tutora há nove meses, cadela tem reação tocante ao vê-la na televisão  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cachorros com doença em fase terminal se tornam amigos e aproveitam seus últimos meses juntos

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 maio 2018 - 9:36

Receber a notícia de que nosso cãozinho está com uma grave doença em fase terminal e que lhe resta apenas poucos meses de vida é muito difícil. Porém, apesar da tristeza, o ideal é aproveitar ao máximo esses dias e tentar deixar o animal o mais confortável possível, além de mimá-lo bastante.

É exatamente isso o que os tutores dos cães Harley Bruiser, um Buldogue de 10 anos de idade, e Buckeye, um Golden Retriever de 15 anos de idade, estão fazendo por seus animais. Os médicos deram apenas cerca de 4 a seis meses de vida para ambos os cachorros.

Posted by Ashley McElfresh on Monday, May 14, 2018

Mas, além de muito amor de seus tutores, os cães também estão ganhando muito carinho um do outro. Os pets se conheceram depois de receber o triste diagnóstico e logo ficaram amigos.

Para aproveitar o fim de suas vidas como merecem, como muito amor, mimo e alegria, cada um ganhou de seus tutores uma lista de desejos que estão realizando, em maior parte, juntos.

Os cães já aproveitaram um dia de compras em uma loja de animais e ganharam muitas guloseimas e muitos carinhos até agora. E ainda tem mais por vir. “Eu acho que é realmente importante continuar dando ao seu animal a melhor qualidade de vida até o final”, afirma a veterinária Grace Kemp, tutora de Buckeye.

O Golden Retriever foi adotado por Grace ainda bem jovem e após ser resgatado. Além de membro da família, ele também é um companheiro de trabalho da tutora e sempre a acompanha no hospital veterinário.

Posted by Grace Kemp on Friday, May 18, 2018

Depois de anos dando muito amor para a sua família, o cãozinho Harley, que está mais próximo da estimativa que seu veterinário lhe deu, está ganhando ainda mais amor e sendo mais mimado do que já era normalmente.

O fofo Buldogue também aproveitou um gostoso picolé ao pôr do sol e um passeio com seus tutores em uma Harley Davidson.

Ashley McElfresh, tutora de do cãozinho, está publicando todas as aventuras do animal, que está fazendo uma viagem de carro com sua família, em um grupo no Facebook chamado “Bucket List Adventures of Harley Bruiser”, onde Buckeye frequentemente aparece realizando desejos da lista junto com seu amigo canino.

Posted by Ashley McElfresh on Monday, April 30, 2018

A intenção dos tutores com essa lista de desejos é que os cães, mesmo com todas as suas condições, aproveitem seu restinho de vida e sintam que são muito amados e que têm uma grande importância para toda a família.

Fonte: People

Cachorro fica com medo de trovões e acaba indo parar em telhado de mercado

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 maio 2018 - 9:27

Não é tão difícil encontrar pessoas que têm medo de trovões. Os fortes barulhos o forte barulho, que é causado por descargas elétricas na atmosfera, conseguem assustar muita gente.

Com sua audição extremamente desenvolvida, os cachorros também sofrem bastante com os trovões. Se para nós os barulhos já são fortes, imaginem para eles.

O cachorro ficou desesperado sem conseguir sair sozinho do telhado. (Foto: Reprodução / Janete Kriger)

O cãozinho Thor é acostumado a ficar com seus irmãos caninos na cobertura da casa onde vive, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Os animais sempre ficam no espaço tranquilamente. Porém, na última sexta-feira, dia 18 de maio, não foi bem assim.

Bastante assustado com a forte chuva que caía e os altos trovões que aconteceram pela manhã, o cachorro acabou indo parar no telhado de um mercado que fica próximo de sua casa e não conseguiu sair de lá sozinho. O formato do telhado, que não era plano, junto com a água da chuva, deixava tudo ainda mais complicado e bastante perigoso para o animal.

Vendo a situação de grande risco em que o cãozinho se encontrava e o desespero do animal sem conseguir sair dali, os vizinhos ficaram bastante preocupados e logo pediram ajuda para os bombeiros.

O cãozinho foi resgatado depois que um caminhão com cesto aéreo foi enviado até o local e Marcos Paulo, um dos operadores do caminhão, se prontificou a, mesmo com a chuva forte, ir no cesto para pegar o animal.

A fotógrafa Janete Kriger, que viu a situação do cão e assistiu todo o resgate, contou em seu perfil no Facebook que o resgate não foi fácil, mas que Marcos Paulo insistiu e fez toda a diferença.

O cãozinho foi resgatado em segurança com a ajuda dos bombeiros. (Foto: Reprodução / Janete Kriger)

“A sorte dele foi quando um caminhão, desses que tem um cesto aéreo, parou. O herói do dia foi o Marcos Paulo, que, mesmo embaixo de chuva, se prontificou para tentar retirar o cão, que estava muito assustado. Foi uma tarefa difícil, mas Marcos Paulo conseguiu. Gesto querido e emocionante deste homem que não mediu esforços para ajudar”, contou ela na rede social, publicando junto fotos do animal e da ação de Marcos Paulo.

No final, o cãozinho foi resgatado com segurança e Janete fez questão de agradecer ao herói do dia, mesmo sem o animal ser dela.

Fonte: GaúchaZH