Animais de estimação ajudam pessoas com doenças mentais sérias

Estudo constata que animais de estimação podem ajudar pessoas com doenças mentais sérias a manterem uma rotina e afastar pensamentos suicidas

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 dez 2016 - 15:40

Quem tem um bichinho de estimação em casa sabe o quanto eles podem ajudar a trazer certo conforto com as coisas não vão muito bem. Mas, você sabia que isso pode ser ainda mais forte para pessoas que sofrem com algum tipo de doença mental séria?

Foi exatamente isso o que um estudo constatou.

De acordo com a pesquisa, quando pessoas com esquizofrenia ou transtorno bipolar foram perguntadas quem ou o que as ajudou a manter o controle em momentos de crises, muitos disseram que foram os animais de estimação que mais ajudaram.

Os animais de estimação só ótimas companhias para pessoas com doenças mentais graves. (Foto: Reprodução)

“Quando me sinto muito para baixo, eles são maravilhosos porque eles não vão sair do meu lado por dois dias. Eles só ficam comigo até que eu esteja melhor”, afirmou um participante do estudo e tutor de dois cães e dois gatos.

Segundo Helen Brooks, pesquisadora de saúde mental na Universidade de Manchester, no Reino Unido, e principal autora do estudo, muitas pessoas com doença mental grave vivem em casa e têm contato limitado com outras pessoas, então muitas acabam tendo uma conexão emocional mais profunda com seu animal de estimação, mais até do que com amigos e familiares.

Para o estudo foram entrevistadas 54 pessoas com doenças mentais graves de longo prazo. Vinte e cinco deles consideravam seus animais de estimação como parte de sua rede social.

Os cientistas perguntaram aos pacientes por quem eles procuravam quando precisavam de ajuda ou conselhos, onde obtiveram apoio emocional e encorajamento e como passaram seus dias.

Os participantes receberam um diagrama com três círculos consecutivos irradiando para fora de um quadrado representando o participante. Eles foram convidados a escrever as pessoas, lugares e coisas que lhes deram apoio nos círculos, com os círculos mais próximos ao centro sendo o mais importante.

Estudos apontam que os animais de estimação podem deixar pessoas com doenças mentais mais ligadas ao mundo real. (Foto: Reprodução / Gary John Norman / Getty Images)

65% dos participantes que disseram considerar seus animais de estimação como parte de suas redes sociais os colocaram no círculo central e mais importante, o mesmo lugar em que muitas pessoas colocam familiares e assistentes sociais próximos. 20% colocaram os animais de estimação no segundo círculo.

“Eu acho que é muito difícil conseguir entender a experiência real quando você não teve uma doença mental para saber como é. É como se existisse um abismo profundo entre nós…. [as outras pessoas] estão de um lado e nós estamos do outro lado. Estamos enviando sinais de fumaça um para o outro para tentar entender uns aos outros Mas nem sempre … nem sempre entendemos”, disse um participante do estudo.

Pessoas com doenças mentais muitas vezes veem seus grupos sociais encolher. Para muitos deles, os animais podem romper o isolamento. Pois os pets dão carinho sem a necessidade de compreender a desordem.

“[Animais de estimação] não olham para as cicatrizes em seus braços. Eles não questionam onde você esteve”, comentou um participante.

Este participante do estudo tinha uma rede social limitada, por isso colocou seus pássaros no círculo social mais próximo em sua vida, junto com seu assistente social e grupo de jardinagem.(Foto: Reprodução / Helen Brooks / University of Manchester)

Segundo alguns participantes, os animais de estimação forneceram mais do que apenas apoio emocional e companheirismo, eles também conseguiam distraí-los da doença, mesmo em casos mais graves.

Além disso, ter que cuidar de animais de estimação ajuda a evitar que as pessoas com doenças mentais se afastem do mundo real. Um participante contou que caminhar com seu cão o ajuda a sair de casa e encontrar outras pessoas. “Isso me surpreendeu, a quantidade de pessoas que param e falam com ele, e isso me alegra com ele. Eu não tenho muito na minha vida, mas ele é muito bom, sim”.

Os animais de estimação também fazem com que pessoas com doenças mentais mantenham uma rotina, o que é realmente importante para elas. “Levantar-se de manhã para alimentá-los e levá-los para caminhar, lhes dá estrutura e um sentido de propósito que eles não terão de outra forma”, explica Helen Brooks.

Muitos dos participantes do estudo estão desempregados por causa de sua doença e ter um animal de estimação bem cuidado foi uma fonte de orgulho para eles.

De acordo com Mark Longsjo, diretor do programa de serviços para adultos no McLean Southeast, um centro de internação mental em Middleborough, Massachusetts, as entrevistas no estudo refletem suas experiências profissionais.

Os animais ajudam a pessoas com doenças mentais manterem sua rotina e a afastar pensamentos suicidas. (Foto: Reprodução / eusemfronteiras)

“Temos tantos pacientes chegando, e sempre lhes perguntamos quem lhes dão apoio, às vezes seus familiares, às vezes seus amigos, mas é muito comum ouvir sobre animais de estimação”, afirmou Mark Longsjo.

Ainda segundo Mark Longsjo, pacientes com animais de estimação já afirmaram que os animais os ajudaram a desistir de pensamentos suicidas, pois eles sabem que os pets dependem deles.

Além disso, Helen Brooks afirmou que muitos de seus pacientes disseram que algumas vezes parecia que seus animais de estimação sentiam quando eles precisavam de ajuda e eram capazes de cuidar de seus tutores.

Helen Brooks espera que mais profissionais da saúde considerem a incorporação de animais de estimação em planos de cuidados para pessoas com doença mental.

 

Fonte: npr.org

Cadelinha morre de tanta tristeza após ser abandonada por seu tutor em aeroporto

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 nov 2017 - 9:28

Nós ficamos completamente arrasados e de coração partido quando acontece algo com nossos animais de estimação. A morte dos nossos amigos peludos é uma dor enorme e o mesmo acontece se eles fogem e se perdem, casos que nos trazem muita preocupação sobre como eles estão longe de nós.

Para os cães, a dor da morte de seus tutores também é muito grande, perdendo apenas para o sofrimento do abandono, que os enche de uma enorme tristeza.

 » Read more about: Cadelinha morre de tanta tristeza após ser abandonada por seu tutor em aeroporto  »

Evelyn Regly adota cãozinho SRD do Instituto Luisa Mell

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 nov 2017 - 18:32

Grande sucesso nas redes sociais e no YouTube, onde conta com mais de três milhões de seguidores, a blogueira e youtuber Evelyn Regly acabou de passar por um momento muito difícil em sua vida.

Junto da alegria de se mudar para uma casa nova grande e espaçosa, seu sonho junto com o marido, Evelyn teve a tristeza de perder o seu cachorrinho de estimação e melhor amigo Bidu.

Eu só queria agradecer a todas as mensagens e orações.

 » Read more about: Evelyn Regly adota cãozinho SRD do Instituto Luisa Mell  »

Tutor faz festão de aniversário para cachorro e gasta quase R$ 3 mil

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 nov 2017 - 9:38

Cada vez mais vistos como membros da família por seus tutores, os cãezinhos de estimação estão ganhando muitas coisas que antes era só para os humanos, como é o caso de certidão de nascimento, documento de carteira de identidade e até festinhas de aniversário.

Fazendo da forma como é possível para cada família, os tutores não estão mais deixando os aniversários de seus amigos de quatro patas passar em branco e cada vez mais cachorros estão tendo o seu momento de “Parabéns para você”.

 » Read more about: Tutor faz festão de aniversário para cachorro e gasta quase R$ 3 mil  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cadelinha morre de tanta tristeza após ser abandonada por seu tutor em aeroporto

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 nov 2017 - 9:28

Nós ficamos completamente arrasados e de coração partido quando acontece algo com nossos animais de estimação. A morte dos nossos amigos peludos é uma dor enorme e o mesmo acontece se eles fogem e se perdem, casos que nos trazem muita preocupação sobre como eles estão longe de nós.

Para os cães, a dor da morte de seus tutores também é muito grande, perdendo apenas para o sofrimento do abandono, que os enche de uma enorme tristeza.

Foi o que aconteceu com uma cadelinha que recebeu o nome de Nube Viajera dos veterinários que fizeram seu tratamento.

Nube Viajera foi encontrada vagando pelo aeroporto de Palonegro, na Colômbia. De acordo com testemunhas e funcionários do aeroporto, a cadelinha passou cerca de um mês sem sair de dentro do aeroporto e sempre cheirando a todos que ela encontrava.

Mesmo recebendo os cuidados necessários, a tristeza consumiu a cadelinha e ela acabou falecendo. (Foto: Reprodução / The Telegraph UK / CEN)

A suspeita é que o tutor da cadela tenha abandonado o animal no aeroporto e que ela não saiu de lá na esperança de que sua família voltasse para buscá-la.

Ainda segundo os funcionários do local, tanto muitos deles quanto vários passageiros ofereceram comida ao animal, mas ele sempre se recusou a comer, tamanha era a sua tristeza.

A cadela foi resgatada depois que uma ONG foi informada do caso. Assim, Nube Viajera foi retirada do aeroporto e levada para receber cuidados médicos, já que ela estava extremamente desnutrida e cada vez mais fraca.

Porém, a tristeza da cadelinha não teve fim ao ser levada para receber cuidados. De acordo com os médicos veterinários que cuidaram de Nube Viajera, ela continuou se recusando a comer e, mesmo recebendo alimentos e remédios por meio de injeção intravenosa, sua saúde não melhorou e ela foi ficando cada vez mais triste, entrando em uma depressão que acabou levando a cadelinha à morte.

É preciso que todos aqueles pensam em levar um animal para casa entendam que esses bichinhos se apegam tanto aos seus humanos, que ser abandonado por aqueles que o pet mais ama pode afetar de uma forma muito forte a vida desses animais, como foi o caso da cadelinha Nube Viajera, que acabou falecendo após ser abandonada.

Fonte: The Telegraph UK

Evelyn Regly adota cãozinho SRD do Instituto Luisa Mell

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 nov 2017 - 18:32

Grande sucesso nas redes sociais e no YouTube, onde conta com mais de três milhões de seguidores, a blogueira e youtuber Evelyn Regly acabou de passar por um momento muito difícil em sua vida.

Junto da alegria de se mudar para uma casa nova grande e espaçosa, seu sonho junto com o marido, Evelyn teve a tristeza de perder o seu cachorrinho de estimação e melhor amigo Bidu.

Eu só queria agradecer a todas as mensagens e orações. Tenho certeza que Deus ouviu cada um de vcs. Estava indo pra São Paulo hoje, antes de ir pro aeroporto, fui visitar meu Bidu no hospital, senti a patinha dele gelada e ele mesmo com os olhos abertos, parecia se despedir de mim…. mas eu não queria acreditar naquilo. Beijei ele, fiz carinho na sua barriguinha e disse pra ele que Deus tava cuidando dele. A última semana foi tão difícil pra nós… difícil acordar e não ter ele indo atrás de nós no banheiro, sua caminha vazia, sem ele latir pedindo biscoito de maisena que ele adorava… a casa parecia estar com um vazio sem fim. Ficamos sem força pra trabalhar, pra fazer a mudança pra casa nova… nada tinha graça e não tinha mesmo. Cadê ele no meio das caixas fazendo bagunça?! Pedindo pra ir na rua?! 😔 Hoje ele nos deixou…. Fizemos tudo que podíamos por ele, e ele sentiu tanto isso, que lutou até o fim… foi um velhinho guerreiro, mas agora se foi. Viveu com a gente tantos anos, viu a gente namorar, noivar e casar. Ele esteve nos melhores e nos piores momentos das nossas vidas. Nós vamos levar ele pra sempre nos nossos corações. Filho, descansa em paz! Mamãe te ama e vai te amar pra sempre! Meu bafinho❤️🐶😔#Biduzi 2002 ✝️ 2017

A post shared by Evelyn Regly (@evelynregly) on

O cãozinho, que já tinha 15 anos e estava bastante velhinho, acabou ficando doente por conta do peso da idade e faleceu, após ficar internado e lutar bastante pela vida.

Porém, cerca de cinco dias depois do falecimento de Bidu, um novo membro chegou para animar a nova casa da família, o cachorrinho vira-lata Pernalonga.

Pernalonga foi adotado há cerca de um mês atrás, quando Evelyn foi visitar o Instituto Luisa Mell para gravar um vídeo e ajudar o local, divulgando o trabalho que a ativista animal Luisa Mell faz.

Cheguei xentiiiii!!!!! Êêê 👏🏻👏🏻👏🏻 Pra quem não me conhece, eu sou o Pernalonga. Fui resgatado junto com a minha mãe e meus irmãos pelo @institutoluisamell 🐾 minha mãe foi no instituto há um mês atrás e ela nem foi pra me adotar, mas eu não quis nem saber, eu que adotei ela. 😇 Ela não resistiu ao meu charme 😬 Eu não pude ir com ela no mesmo dia, pq eu tinha que castrar e tomar umas vacinas, mas depois o @institutoluisamell é tão bacana que cuidou tudo disso pra mim e ontem eu fiz a minha primeira viagem de avião. Fui pra minha casa nova e virei carioca cara, tá pensando o que mermão?! Kkkk ontem quando cheguei tudo era novo pra mim… me deparei com um negocio escrito meu nome, mas fiquei com medo daquilo. Depois minha Mãe subiu nela e me ensinou que era pra eu dormir. Se chama cama cara!!!! Eu ameiiiiii!!!!! 🤗 Nem chorei sabia? Eu sempre quis ter um lar. Dormi a noite toda, mas acordei minha mãe 5:59, pq eu tava apertado pra fazer xixi. Ela me soltou no quintal e eu abri a torneira naquele mato kkkkkk Ganhei uns negócios pra eu comer da amiga da minha mãe do @petdobred, ela disse que é brinquedo. Pq eu quis comer uns chinelos que eu vi no chão 🙄 agora já sei que não pode… mas dá mole não hein gente… aquelas havaianas são tentadoras kkkkkkk Espero que meus amigos do Instituto possam ter a sorte que eu tive. Conta pra todo mundo aí que meus amigos ficaram lá no @institutoluisamell esperando pra ter um lar também. Eles fazem feira de adoção sempre. Não gasta dinheiro não cara, adote um dos meus amigos pra gente ficar feliz. 💙#PernalongaRegly

A post shared by Evelyn Regly (@evelynregly) on

Porém, como na época a blogueira ainda estava em um apartamento pequeno esperando a casa ficar pronta e o cãozinho ainda precisava tomar algumas vacinas e ser castrado antes de ser liberado, Evelyn preferiu esperar se mudar para depois buscar o Pernalonga para o animal passar a viver de vez com sua família.

Finalmente esse dia chegou e a youtuber voou até São Paulo, no dia 17 de novembro, especialmente para buscar o cãozinho, que se adaptou muito bem na casa nova, descansou bastante para repor as energias e já começou a brincar e se soltar.

(Vídeo: Reprodução / YouTube Evelyn Regly)

Nós ficamos muito felizes que o Pernalonga chegou para encher o novo lar da família de felicidade e afastar a tristeza.