Por que adestrar um cachorro?

A educação e aprendizagem de regras básicas são a base para uma convivência feliz

por Olivier Soulier — publicado 6 ago 2014 - 10:25

MITOS: O Akita não deve ser adestrado, o Fila brasileiro não pode ser adestrado para guarda e defesa, Bull Terriers e Buldogues não aprendem, essa raça ou outra é muito teimosa, esse cachorro não entende nada!
Por que adestrar? Não adianta! Não precisa!

Pois é, isso é uma pergunta séria. Foto: Reprodução

Pois é, ainda tem gente que acredita que não precisa adestrar cachorro. Vai entender! Foto: Reprodução

Tais sentencias, sem dúvida, não fazem sentido ou não têm nenhum fundamento científico, nem o mínimo de coerência.

Tais declarações equivalem a dizer que não precisa educar os nossos filhos humanos ou que por pertencer a tal ou tal outra raça, etnia ou grupo, um indivíduo não pode aprender. Alguém dotado de razão e de um mínimo de conhecimento iria, em sã consciência, fazer tal afirmação?

Pior afirmar que educação, aprendizagens e regras não são necessárias, de nada serve, não adianta!

Um pouco como com as nossas crias humanas, com períodos e durações relativos, pois como todos sabem, o desenvolvimento dos nossos mascotes é bem mais acelerado do que o nosso, podemos afirmar com todo o fundamento das pesquisas científicas mais adiantadas que:

Os filhotes, após o fim do período de transição, quando os olhos começam a abrir, os ouvidos ainda fechados e as capacidades motoras e de sustentação começando a se desenvolver, desde o início do período de socialização entre 21 a 28 dias de idade, até os seus sentidos começando a funcionar normalmente, os ouvidos já funcionais e com toda a capacidade de se mover começam a exploração do seu novo lar.

Assim até a puberdade (entre 6 e 18 meses de idade), os cães vão aprender tudo que irá definir a base dos seus futuros comportamentos: Socialização com o meio, os ambientes e os outros seres vivos, formas de se comunicar e entender os outros, medos e temores

Em função da energia e da confiança própria, eles vão fazer isso mais ou menos freneticamente.

Por não terem dedos preênseis, eles experimentam tudo com a boca, o que oferece grandes perigos.

De fato, como os nossos filhos “humanos”, eles não sabem que produtos sanitários ou de limpeza, fios e correntes elétricos, vidros, copos de madeira, plásticos, varandas ou piscinas, etecetera são perigosos e extremamente prejudiciais à saúde.

Que móveis, chinelas, celulares, notebooks e fiações, livros, faturas, lixos, papeis e outros artefatos higiênicos não prestam para se divertir, pelo contrário.

Que pássaros, gatos, outros roedores de estimação e até outros cães não podem dividir, com eles, nossa atenção ou simplesmente servir a treinar e experimentar os seus instintos predadores.

Que os proprietários são quem fixam as regras, os limites e as restrições dentro de casa, na rua ou na sociedade humana em geral. E que por isso não podem discutir com eles, disputar com eles e, sobretudo nunca ameaçá-los nem mordê-los nem para brincar.

Isso tudo, nem a criança humana inventa, faz parte de um processo educacional e de aprendizagem essencial e necessário, sem o qual simplesmente não tem como conviver na nossa sociedade.

 

Responsabilidade dos proprietários

A responsabilidade é nossa, os proprietários, orientados da forma que podemos com literatura, pesquisas na internet, programas de televisão ou com ajuda profissional especializada: adestradores, educadores, comportamentalistas estudiosos do comportamento animal e da forma de moldá-lo ou corrigí-lo em função das nossas exigências, da nossa realidade e da realidade de cada um dos nossos animais.

Todos os cães de todas as raças, inclusive os mais pacatos, em minha opinião, devem ser educados no sentido de aprender regras e limites indispensáveis à boa convivência em geral, assim como devem ser socializados exaustivamente, tanto no objetivo de tornar a convivência mais fácil e harmoniosa, quanto de torná-los mais felizes.

De fato, decifrando-os para os seus proprietários, os mesmos passam a entendê-los e se conscientizam da responsabilidade que têm de preparar melhor a família toda para ter paciência e determinação no processo de ensinamento dos bons modos, assim como dos esforços indispensáveis em procurar preencher as suas necessidades básicas.

Passando a procurar por soluções mais eficientes e acessíveis para educá-los melhor e oferecer atividades físicas e ocupacionais para “os seus filhos de quatro patas”.

O nosso dever, como proprietários informados, é de ensinar limites claros e necessários para conviver bem com a família e a sociedade em geral.

O quanto antes melhor!

 

Por que devemos adestrar nossos cães?Foto: Reprodução.

Por que devemos adestrar nossos cães?Foto: Reprodução.

 

De luto pela morte de seus dois cãezinhos, homem ganha surpresa emocionante de sua esposa

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 nov 2017 - 18:29

Nós já comentamos aqui no Portal do Dog como é doloroso perder um cachorrinho de estimação. Na maioria dos casos, esses bichinhos são mais do que apenas animais, são membros da família e deixam bastante saudade quando partem.

Um homem chamado James Xuereb, que vive com sua família em Ontário, no Canadá, passou por essa dor em dose dupla. Ele perdeu seus dois cãezinhos da raça Bichon Frisé, parecida com Poodle, chamados Nemo e Lucy.

 » Read more about: De luto pela morte de seus dois cãezinhos, homem ganha surpresa emocionante de sua esposa  »

Cachorro penetra faz sucesso nas redes sociais

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 nov 2017 - 9:31

No sábado passado, dia 11 de novembro, uma festa realizada em Novo Horizonte, no interior de São Paulo, contou com uma presença bastante diferente não tão desejada pelos organizadores da “balada”.

Um cachorrinho vira-lata foi descoberto entre o publico que curtia a música alta que tocava no salão onde a balada era realizada e foi expulso do local por seguranças.

O momento foi flagrado pelo fotógrafo profissional Lucas Valéo e a foto em que mostra o cãozinho nos braços de um dos seguranças se tornou um sucesso nas redes sociais,

 » Read more about: Cachorro penetra faz sucesso nas redes sociais  »

Homem em fase terminal de doença consegue se despedir de seu cachorro no hospital

por Andrezza Oestreicher — publicado 17 nov 2017 - 9:32

Quem é apaixonado por cachorro sabe como é muito difícil se manter distante de seu melhore amigo de quatro patas. Na hora de viajar, a despedida do cão sempre é a mais demorada de todas e na volta o cãozinho é sempre o primeiro a ganhar um abraço.

Muitas pessoas que estão doentes em hospitais acabam ficando ainda piores pela falta que sentem de seus cachorrinhos. No caso de pacientes que não têm mais uma perspectiva de conseguir voltar para casa,

 » Read more about: Homem em fase terminal de doença consegue se despedir de seu cachorro no hospital  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

De luto pela morte de seus dois cãezinhos, homem ganha surpresa emocionante de sua esposa

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 nov 2017 - 18:29

Nós já comentamos aqui no Portal do Dog como é doloroso perder um cachorrinho de estimação. Na maioria dos casos, esses bichinhos são mais do que apenas animais, são membros da família e deixam bastante saudade quando partem.

Um homem chamado James Xuereb, que vive com sua família em Ontário, no Canadá, passou por essa dor em dose dupla. Ele perdeu seus dois cãezinhos da raça Bichon Frisé, parecida com Poodle, chamados Nemo e Lucy.

O homem ficou extremamente emocionado com a surpresa e não conseguia parar de chorar. (Foto: Reprodução / Facebook Jaleen Xuereb)

Os cães já eram idosos, um deles faleceu de insuficiência cardíaca congestiva e o outro da idade avançada. O tutor ficou devastado. Seu coração estava completamente partido e ele ficou extremamente triste.

Arrasada por ver seu marido assim e com medo de que ele fosse tomado pro uma depressão, a esposa de James, junto com a filha do casal, preparou uma linda surpresa para o marido, que deixou o homem aos prantos, mas dessa vez de felicidade.

No intuito de ver o homem voltar a sorrir, a esposa e a filha de James deram de presente para ele um novo filhotinho, que veio acompanhado de um cartão emocionante.

Passada a emoção inicial, o homem era só felicidade com o novo filhote. (Foto: Reprodução / Family Pet / Jaleen Xuereb)

Com a foto de um cachorrinho na capa, o cartão dizia: “Oi, meu nome é Lumo. Eu sou um menino Bichon. Não, eu não sou Nemo, e nem poderia ser Lucy. Minha mãe me comprou para trazer alguma felicidade de volta à sua vida. Então, enquanto caminharmos nesta jornada de vida juntos, que possamos criar nossas memórias maravilhosas e reavivar as belas lembranças que você teve com Nemo e Lucy. Com amor, Lumo”.

Bringing happiness back into my fathers life after the loss of our two beloved dogs Nemo & Lucy💙💜 Welcome to the family Lumo.. from Bichon Lovers .References from very happy puppy owners

Posted by Jaleen Xuereb on Sunday, November 5, 2017

Extremamente emocionado, o homem não conseguiu ler o cartão até o final e ao receber em seus braços o novo filhote Lumo (uma combinação entre os nomes de Lucy e Nemo), James não segurou as lágrimas.

Difícil mesmo não se emocionar com essa história tão comovente.

Fonte: Family Pet

Cachorro penetra faz sucesso nas redes sociais

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 nov 2017 - 9:31

No sábado passado, dia 11 de novembro, uma festa realizada em Novo Horizonte, no interior de São Paulo, contou com uma presença bastante diferente não tão desejada pelos organizadores da “balada”.

Um cachorrinho vira-lata foi descoberto entre o publico que curtia a música alta que tocava no salão onde a balada era realizada e foi expulso do local por seguranças.

Na foto, o cãozinho aparece com o rabo entre as pernas e cara de quem não está entendendo nada. (Foto: Reprodução / G1 / Lucas Valéo)

O momento foi flagrado pelo fotógrafo profissional Lucas Valéo e a foto em que mostra o cãozinho nos braços de um dos seguranças se tornou um sucesso nas redes sociais, ganhando muitas curtidas e sendo compartilhada por muitas pessoas.

Lucas Valéo estava no local para fazer fotos da festa e do público e fez a imagem por acaso. Em entrevista ao site G1, ele contou que ia fazer uma foto de uma jovem que estava na balada, e que de fundo pegou o cachorro, que estava com o rabo entre as pernas e cara de que não estava entendendo nada, sendo segurado por um segurança.

O fotógrafo disse ainda que postou a foto nas redes sociais sem grandes intenções e que nunca imaginou que ela iria tomar proporções tão grandes. “Não esperava uma repercussão tão grande assim. Já fiz fotos de bagunças em casamento, nunca fiz algo viralizar assim. Minhas fotos têm no máximo 100 curtidas, um pouco mais. Isso ajuda a divulgar o trabalho”, afirmou Lucas, que trabalha como fotógrafo de casamentos e aniversários e faz fotos em baladas para conseguir uma renda extra.

hahaha demais

A post shared by Chapolin Sincero (@chapolinoficial) on

Ainda de acordo com o fotógrafo, ele acredita que a imagem, que já tinha mais de 260 mil curtidas e de 7.500 mil comentários até a tarde da última sexta-feira, 17 de novembro, “explodiu” depois que uma amiga compartilhou em um grupo do aplicativo de conversas “WhatsApp”.

Eu não sei vocês, mas a primeira coisa que eu pensei ao ver a foto do cachorro na festa foi: “Até o cãozinho vai para a balada e eu não!”.

Fonte: G1