Entrevista com Dra. Sylvia Angélico, responsável pelo site Cachorro Verde

O trabalho feito através do site Cachorro Verde tem incentivado muitos tutores a conhecer e fazer a transição para a Alimentação Natural

por Samantha Kelly — publicado 21 set 2014 - 19:21

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Nas últimas décadas, houve uma grande mudança de comportamento e atitude na sociedade relacionada com a crescente busca do ser humano por felicidade e bem-estar físico, emocional e mental. Essa busca não é focada apenas em si, mas se extende à família (humana e canina).

Como parte dessa maior conscientização, a alimentação natural para pets no Brasil tem chamado cada vez mais atenção de tutores que buscam alternativas mais saudáveis para seus cães. Essa tendência por si só desafia as noções preconcebidas do mercado pet e abre espaço para que os tutores, com conhecimento baseado em pesquisas sérias e discernimento, tenham o poder de escolha de decidir pelo que julgam ser melhor para seus animais de estimação.

E quando o assunto é AN, o trabalho da médica veterinária Sylvia Angélico tem sido muito importante em difundir a ideia e auxiliar tutores que desejam fazer essa transição. Desde 2008 com o site Cachorro Verde, Dra. Sylvia tem oferecido informações essenciais, desmistificando e tornando mais acessível a AN. Em paralelo ao seu trabalho online, é possível adquirir ainda mais conhecimento através dos cursos que ministra, e que já passaram por diversas cidades no Brasil, e de consultas particulares.

Abaixo você confere a entrevista que a Dra. Sylvia Angélico concedeu ao Portal do Dog.

 

PdD) Como surgiu o projeto do site Cachorro Verde e o seu interesse na Alimentação Natural.

O (então) blog Cachorro Verde nasceu em junho de 2008. Nessa época eu cursava o 3o ano de Medicina Veterinária e me perguntava porque os veterinários afirmavam que somente ração industrializada era uma opção aceitável de dieta para cães e gatos. A indagação surgiu graças a um livro que comecei a ler na época – “A Cura Natural para Cães e Gatos”, escrito pela norte-americana Diane Stein. A autora questiona diversos paradigmas de saúde animal, em especial a alimentação à base de ração e os tratamentos dependentes de fármacos agressivos. Foi um toque de despertar para mim, uma grande epifania.

Nessa mesma ocasião comecei a trocar informações pelo finado orkut com uma culinarista adepta de refeições cruas para os cães dela e que relatava infinitas melhoras na saúde deles. Ela praticava uma versão do sistema BARF (sigla em inglês para comida crua biologicamente adequada), dieta à base de ossos, vísceras e carnes cruas, criada no final dos anos 1980 pelo veterinário australiano Dr. Ian Billinghurst. Descobri que fora do Brasil as dietas caseiras balanceadas eram bem difundidas, com inúmeros livros publicados. Importei alguns desses livros, os devorei, e passei a servir para meus cães uma versão abrasileirada da BARF.

Meus cães eram jovens e não estavam exatamente doentes. Mas todos tinham uma coisinha aqui, outra ali, que os veterinários diziam ser normal. Mau hálito, queda de pelos acentuada o ano todo, coceiras, otites que viviam voltando e uma facilidade absurda de engordar, mesmo comendo uma quantidade pequena de ração de qualidade Super Premium – e nenhum petisco. Pois bem: TODOS esses probleminhas desapareceram em poucas semanas com a troca da ração pela Alimentação Natural crua com ossos. Eu não compreendia porque essa transformação ocorrera, mas imediatamente senti vontade de compartilhá-la com outros interessados e estudar pra valer a nutrição de cães e gatos. Desse impulso nasceu o blog Cachorro Verde. Que menos de um ano mais tarde já tinha crescido e virado a 1a versão do site que existe hoje.

 

PdD) Quais foram as alterações mais visíveis que você notou em seus próprios pets após a mudança na alimentação.

A Maya, Teckel de Pelo Longo, tinha uma otite atrás da outra. Ficava com os ouvidos cheios de cera escura e cheirando a salgadinho de milho. O veterinário dizia que era uma consequência normal de orelhas peludas e caídas. Depois da AN (“Alimentação Natural”), ela nunca mais apresentou um episódio de otite. Ela tinha era alergia a algum componente da ração.

O Oliver, um Pastor de Shetland, engordava se comia mais que míseros 50g de ração por refeição. Passou a receber três vezes essa quantidade de alimentos por refeição e até hoje mantém um peso enxuto. Rações convencionais à base de cereais possuem elevado índice glicêmico (acarretam picos de açúcar no sangue e insulina), predispondo à obesidade.

Meus outros cães passaram a apresentar hálitos mais suaves (e isso comendo carnes cruas!), dentes mais limpos e a casa não ficava mais lotada de pelos. AN crua com ossos requer mastigação, o que ajuda a “descolar” o tártaro. E a proteína e gordura da dieta têm aproveitamento excelente pelo organismo dos cães, resultando em pele e pelagem mais saudáveis.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

PdD) O trabalho sendo feito através do Cachorro Verde hoje é sinônimo de seriedade e dedicação à divulgação da alimentação natural para pets. Como você enxerga esse reconhecimento e interesse do público em querer oferecer alternativas mais saudáveis para seus cachorros.

Ainda fico surpresa com o interesse crescente que a AN está despertando no nosso país. Por saber que essa é uma iniciativa que exige comprometimento do tutor, preparo, organização e alguma dedicação, eu havia me conformado em fazer trabalho de formiguinha, pensei que estaria sempre à margem, apelando a uma minoria de pessoas. Mas não tem sido nada assim. As pessoas – mesmo aquelas que levam vidas corridas – parecem estar curtindo de verdade assumir a alimentação dos seus peludos, cozinhar pra eles. Isso é maravilhoso, porque porque mostra que há muitos tutores dispostos a investir no principal pilar de saúde, a base de tudo, que é a alimentação.

Afirmo com toda convicção que o Brasil tem tudo para ser um dos maiores países em número de interessados e adeptos de dietas mais saudáveis para pets. Estamos vivendo um momento de intensa ruptura de paradigmas em matéria de alimentação de pets no Brasil. O espaço que a AN vem conquistando na grande mídia e até dentro de algumas universidades, comprova isso. Mesmo nos países onde as dietas estão consolidadas há décadas e há mais opções comerciais de AN, não vemos a iniciativa sendo divulgada positivamente em revistas e jornais de peso, na televisão e nas faculdades, como tem acontecido por aqui.

 

PdD) O que os pais de cachorro precisam compreender e aprender antes de adotar a AN.

AN exige organização para preparo periódico das porções diárias. Não é aceitável começar seguindo direitinho a orientação, tenha ela sido passada por um profissional ou aprendida em livro ou site, e depois ir relaxando, deixando de pesar as porções diárias, descuidando da variação dos ingredientes. O sucesso da empreitada depende desses fatores. Também é importante contar com um veterinário clínico-geral amistoso à dieta caseira, do contrário, qualquer probleminha de saúde que o pet apresente será atribuído à AN.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

PdD) O site Cachorro Verde possui informações sobre AN crua com ossos, AN crua sem ossos e AN cozida. Nos fale um pouco sobre suas vantagens e desvantagens e como saber qual é a melhor escolha para cada cachorro.

AN crua com ossos é a dieta que preparo para meus cães desde 2008. Sigo uma versão do sistema da BARF, dieta postulada pelo veterinário australiano Ian Billinghurst no final dos anos 1980 e muito popular em todo o mundo. Essa dieta procura replicar no ambiente urbano a composição de uma presa e por esse motivo é composta por carnes, ossos e vísceras crus e acrescida de uma parte de vegetais triturados, além alguns alimentos funcionais para adição de nutrientes específicos. As vantagens da AN crua com ossos são a praticidade, afinal dispensa cozimento e o fato de que é intensamente nutritiva, pois os alimentos não são submetidos à ação do calor. Além disso, quando os ossos são oferecidos inteiros, a dieta promove a limpeza dos dentes graças à mastigação. Uma minoria dos cães, contudo, não aceita ou não tolera bem carnes cruas e para raças de focinho achatado, como Shih Tzu e Buldogues, que são propensos a engasgos, convém moer os ossos.

AN cozida é uma dieta bastante equilibrada e que não leva ossos – eles somente são seguros quando crus. É um modelo mais universal, muito bem aceito e tolerado pela maioria dos cães. Oitenta por cento dos meus clientes opta pela versão cozida. Dentre suas vantagens destaco o maior apelo ao paladar e a ampla opção de ingredientes, grãos e cereais, tubérculos, carnes, vísceras e vegetais. As desvantagens ficam por conta do maior trabalho para preparar, já que toos os itens são cozidos, o fato de a dieta não contribuir com a limpeza dos dentes e de requerer adição diária de cálcio – na AN crua com ossos, os próprios ossos são a fonte de cálcio.

E há a AN crua sem ossos, uma versão da cozida com carnes e vísceras oferecidos crus, carboidratos sempre cozidos (esse grupo de alimentos não deve ser servido cru) e legumes cozidos ou crus e triturados – como o pet e o tutor preferirem. Essa dieta reúne os benefícios das carnes cruas – mais aminoácidos, mais vitaminas – à praticidade de não precisar cozinhar todos os ingredientes.

Percebo que o tutor escolhe o modelo de AN com base com base no que conhece sobre dietas caseiras. Como a maioria das pessoas nunca ouviu falar no modelo com carnes cruas e aprendeu que ossos devem ser evitados, acabam optando pela versão cozida. Mas as três dietas são válidas para cães comprovadamente saudáveis de todas as idades.

 

PdD) Quais dicas você pode dar aos tutores que afirmam não ter condições financeiras suficientes ou tempo para se dedicar a AN de seus cães. A AN de fato é para todos?

Quem compra ração de categoria Super Premium não vai estranhar os gastos com a AN. E ela pode ser barateada se a pessoa fizer uma boa pesquisa antes de dar início. Coração e língua de boi são carnes mais em conta que filé de alcatra ou mesmo acém. Sardinhas são mais em econômicas que pescada branca. Arroz integral comprado no mercado municipal ou na zona cerealista em saco grande é mais barato que o comprado em supermercado. O mesmo princípio vale para quase todos os itens da dieta.

Com relação à justificativa comum de “não tenho tempo para aderir”, percebo que quem diz isso não parou para se informar a fundo sobre a AN. Hoje em dia, ninguém tem tempo, todo mundo vive na correria. Mas para aquilo que realmente importa, todos fazemos um espacinho. É assim que casais com criança pequena conseguem aderir, senhoras ativas, mulheres fazendo mestrado e até comissárias de bordo. A dieta pode perfeitamente ser preparada de uma vez em grande quantidade, separada em porções diárias e congelada por até um mês, sem perda nutricional significativa. Feito isso, é só tirar todo dia uma porção do freezer, descongelar e servir. Quem é que não tem algumas horinhas sobrando a cada quinze dias ou até a cada mês?

Minhas dicas para quem deseja passar seu pet para AN mas não sabe se vai dar conta: procure ler bastante sobre a dieta e troque informações com adeptos. Em comunidades específicas sobre o assunto, como a “Alimentação Natural para cães e gatos Brasil”, no Facebook, há milhares de praticantes das dietas, de todos os cantos do Brasil. Contar com a ajuda de um “padrinho” no início é uma mão na roda. E, se a AN realmente não cabe na sua vida agora mas você quer uma opção mais saudável de dieta para seu peludo, procure uma empresa que fornece dietas naturais comercialmente, como a carioca Pet Delícia e a paulistana La Pet Cuisine, entre outras.

 

PdD) Me fale um pouco sobre os cursos que ministra e o que os tutores podem esperar ao atender as aulas, que já passaram por diversas cidades do Brasil.

Desde 2012, ano de inauguração dos cursos, foram 31 cursos em 9 estados brasileiros. O curso tem por objetivo dar um panorama geral sobre AN cozida e AN crua com ossos para cães e gatos. Nele, falo sobre os benefícios das dietas, também sobre as desvantagens, ensino o cálculo das porções, as fórmulas, dou dicas para peludos gordinhos, abordo petiscos saudáveis, ervas, métodos de preparo que preservam os nutrientes, técnicas de armazenamento, como introduzir a dieta e como monitorar a saúde do animal que recebe AN. É bastante abrangente e extenso, com até 7 horas de duração, mas me preocupo em tornar a apresentação interessante e divertida.

Quero que o participante saia do evento com todas as informações necessárias para dar início, com segurança e praticidade. Em São Paulo, onde resido, ofereço a uma turma menor, de até 30 pessoas, a versão teórico-prática do curso, com direito a montagem de refeições em uma cozinha e cães degustadores. Nos demais estados faço a versão teórica, mas exibo vídeos ao final da apresentação, demonstrando o passo-apasso do preparo. E, muito importante: qualquer pessoa interessada pode participar. Não precisa ser veterinário ou zootecnista para entender e aproveitar.

 

PdD) Você atua como veterinária nutróloga e atende a consultas particulares, até mesmo à distância, o que é maravilhoso. Como os interessados devem proceder e como são as consultas.

Só pra constar: amo gatos, mas acabei optando por atender somente cães. O agendamento da consulta é realizado por email. O interessado envia uma mensagem para o endereç[email protected] ou [email protected]. Como a procura tem sido intensa, minha agenda está lotada até novembro. Por esse motivo, não tenho como atender emergências.

A consulta tem 1h30 de duração, é realizada presencialmente na loja onde atendo, a MOM, em São Paulo (www.momcaesegatos.com.br) ou então à distância, por Skype. Depois de uma cuidadosa entrevista sobre o paciente, proponho a dieta caseira que julgo mais adequada ao quadro e elaboro uma planilha informando a quantidade a servir diariamente de cada alimento, opções de ingredientes, a relação de complementos (vitaminas, minerais, óleos) a adicionar e sua dosagem, petiscos indicados e temperos do bem, que são ervas aromáticas. Repasso cada linha da orientação com o cliente, esclareço dúvidas e envio por email apostilinhas de apoio que abordam técnicas de preparo e armazenamento, além de como solucionar possíveis contratempos e dicas para promover saúde através de mudanças no estilo de vida do pet. A partir desse momento, mantenho contato com o cliente por email e celular. Costumo pedir que, dentro de um mês o tutor entre em contato por email e me conte como o pet está indo, envie fotos etc. Mediante o relatado, proponho reavaliação na primeira oportunidade disponível ou dentro de alguns meses.

 

PdD) O que significa a longo prazo enxergar a saúde do cachorro de maneira holística, proativa e funcional, termos que voce utiliza para se definir como profissional e que acreditamos serem perfeitos para explicar o que a AN oferece.

Significa procurar entender como aquele animal “funciona”, quais são os “órgãos de choque” (mais debilitados) dele, e agir preventivamente, antes que a doença aconteça. Muitas pessoas acreditam que doença é sempre algo que aparece de repente, uma fatalidade. Mas não é bem assim. Doenças crônicas, como câncer e diabetes, são um processo. Sim, existe a predisposição genética a algumas doenças. Mas a genética quase nunca é a força mais determinante. O sedentarismo, o excesso de peso, o descuido com os dentes, o ambiente doméstico negativo, o consumo de alimentos industrializados, ricos em farinhas brancas e açúcar, o abuso de fármacos como antiinflamatórios e antibioticos – até mesmo de pipetas antipulgas convencionais e vacinas – pode patrocinar enfermidades que vão de alergias a insuficiência renal e câncer.

Dentro e fora das consultas chamo a atenção do tutor para esses pontos. Os maiores responsáveis pela saúde, bem estar e expectativa de vida dos nossos peludos somos nós, seus tutores. Não é o veterinário e nem o DNA do bicho.

Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 13:23

Coisa boa é aumentar a família e levar um cachorrinho novo para casa. Além de todo o amor que eles sempre estão prontos para nos dar, esses animais conseguem trazer ainda mais luz, vida e alegria para o lar.

Quem está vivendo esse momento de muita alegria com um novo cãozinho em casa é Sharon Stone.

Joe and I welcome his new pal Bandit. #JoeStone #BanditStone #family ❤️

 » Read more about: Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho  »

Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 9:23

A Atrofia Muscular Espinhal, bastante conhecida também como AME, é uma doença degenerativa genética que afeta o sistema nervoso e leva à redução das funções motoras. Ela resulta em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.

A AME afeta os movimentos das pernas e braços, muitos pacientes perdem esses movimentos, e afeta também os músculos que atuam na deglutição de alimentos e na respiração.

Por conta disso tudo, pessoas com Atrofia Muscular Espinhal acabam não vivendo uma série de experiências que para aqueles que não sofrem com a doença seria tão simples. 

 » Read more about: Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes  »

Cachorros da raça Galgo Italiano são encontrados vivendo em terríveis condições em São Paulo

por Andrezza Oestreicher — publicado 25 abr 2018 - 13:00

Mais uma vez, a ganância do ser humano, chamado de racional, transformou seres tão amáveis como os cachorros em máquinas de reproduzir filhotes e em fonte de lucro e de dinheiro. É exatamente isso o que criadouros clandestinos fazem.

Na última sexta-feira, dia 20 de abril, a Polícia Militar Ambiental (PMA) encontrou em uma residência em Praia Grande, no litoral de São Paulo, cachorros da raça Galgo Italiano, considerada rara no Brasil, em um estado terrível e em visíveis condições de grave negligência.

 » Read more about: Cachorros da raça Galgo Italiano são encontrados vivendo em terríveis condições em São Paulo  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 13:23

Coisa boa é aumentar a família e levar um cachorrinho novo para casa. Além de todo o amor que eles sempre estão prontos para nos dar, esses animais conseguem trazer ainda mais luz, vida e alegria para o lar.

Quem está vivendo esse momento de muita alegria com um novo cãozinho em casa é Sharon Stone.

Joe and I welcome his new pal Bandit. #JoeStone #BanditStone #family ❤️

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

Já tutora de um cachorro da raça Buldogue Francês chamado Joe, a atriz decidiu aumentar sua família e levou para casa um fofo filhotinho. O cãozinho também é da raça Buldogue Francês, porém em cores diferentes do seu irmão canino mais velho, e recebeu o nome de Bandit Stone.

Goodnight. ❤️ #BanditStone

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

Sharon apresentou o novo membro de sua família para seus fãs e seguidores através de seu perfil oficial no Instagram. Em uma série de duas fotos, uma em que ela aparece muito feliz segurando o novo filhote e outra em que Joe aparece debaixo das pernas da tutora, a atriz escreveu: “Joe e eu demos boas-vindas ao seu novo amigo Bandit”.

Depois da apresentação, Sharon Stone já começou a encher seu perfil na rede social de fotos do novo filhote, assim como toda tutora apaixonada e mamãe coruja.

Joe and Bandit! ❤️ #puppylove #JoeStone #BanditStone #bigbrother

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

A atriz também compartilhou um vídeo em que aparecem os dois cachorros, onde o pequeno Bandit tenta chamar a atenção de Joe, que prefere se coçar um pouquinho.

Entre as fotos que mostra o fofo filhote dormindo, Sharon postou uma em que aparece com Bandit no colo e confessou que Joe parece estar com um pouquinho de ciúmes do novo irmãozinho. Porém, apesar disso, ela afirmou que eles estão se dando bem.

Bandit é realmente uma fofura de cãozinho.

Fonte: People

Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 9:23

A Atrofia Muscular Espinhal, bastante conhecida também como AME, é uma doença degenerativa genética que afeta o sistema nervoso e leva à redução das funções motoras. Ela resulta em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.

A AME afeta os movimentos das pernas e braços, muitos pacientes perdem esses movimentos, e afeta também os músculos que atuam na deglutição de alimentos e na respiração.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Por conta disso tudo, pessoas com Atrofia Muscular Espinhal acabam não vivendo uma série de experiências que para aqueles que não sofrem com a doença seria tão simples. Porém, um grupo de pacientes nos Estados Unidos contou com uma ajuda para lá de especial para ter uma experiência diferente e muito feliz.

Juntamente com o Cure SMA, um grupo que financia pesquisas relacionadas à doença, a cadelinha surfista Ricochet proporcionou muita diversão a esses pacientes, que tiveram a oportunidade de entrar no mar e surfar com a peluda.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Ricochet é o único SURFice dog® do mundo que fornece assistência terapêutica enquanto cria experiências únicas de surfe e outras atividades que reduzem a ansiedade social e capacitam crianças com necessidades especiais, pessoas com deficiências, soldados feridos e veteranos com TEPT.

As crianças eram as mais animadas do grupo de pacientes, todas queriam ser a primeira a surfar com Ricochet, cadela que tem treinamento extensivo como cão de serviço.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Como muitas das crianças que participaram da atividade não conseguem manter a cabeça erguida sozinha, uma cadeira de banho foi adaptada e fixada na prancha de surf para deixar os pequenos seguros e confortáveis.

O passeio contou com a participação e ajuda de uma incrível equipe de voluntários qualificados que fez com que a experiência fosse um sucesso e muito feliz para todos.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Apesar de todas as dificuldades e trabalho que deu colocar a ideia do surf com os pacientes em prática, todos, tanto crianças quanto adultos, se divertiram bastante e não queriam que aquele dia acabasse.

Fonte: 3 Million Dogs / Diário Catarinense