Entrevista com Gustavo Silva, vice-presidente da UPAC

por Fabio Sakita — publicado 9 dez 2012 - 20:40

Gustavo Silva. Foto. Fabio Sakita

 

Nesse sábado (8) aconteceu mais uma Feira de Adoção de Cães e Gatos da União Protetora dos Animais Carentes (UPAC) em Fortaleza e o Portal do Dog esteve lá para acompanhar o evento.

É válido e necessário divulgar este belo trabalho sendo feito no auxílio de animais e na educação do público. Por ano, cerca de 600 animais são atendidos pela UPAC.

O que observamos é que o bem estar dos animais sempre é  a prioridade, desde o resgate das ruas, à busca de tratamento e recolocação em lares saudáveis até o acompanhamento pós-adoção.

Os interessados na adoção passam por uma entrevista, na qual os voluntários avaliam criteriosamente com o intuito de definir se o candidato interessado tem o perfil adequado ou poderá suprir todas as necessidades do animal.

Para nos falar um pouco mais sobre a UPAC, conversamos com Gustavo Silva, vice-presidente da ONG.

Confira a entrevista:

 

Como surgiu a UPAC?

A UPAC nasceu de um grupo de pessoas que tinham um interesse em comum, o cuidado com os animais e a preocupação com os animais que estavam na rua. Essas pessoas se uniram, são amigos de escola e amigos de faculdade, e fundaram a UPAC.

Com o tempo, até por conta de precisar tornar a coisa mais específica, eles foram avançando, juntando mais pessoas, dividindo atividades e formando um grupo mais organizado.

Até para lidar com as doações, a gente sentiu necessidade de tornar formal, então deixou de ser um grupo para virar uma ONG, a gente tem CNPJ, tem conta em banco, etc.

 

Foto. Fabio Sakita

 

Como é o trabalho hoje?

Hoje a UPAC trabalha com três vias:

A primeira que a gente faz e não tem como fugir, é o resgate de animais, a UPAC começou assim e vai continuar fazendo esse resgate de animais na rua. Tratamos os animais, se for necessário levamos para o abrigo direto ou para uma clínica veterinária para passar por uma quarentena, recebendo todo o tratamento.

A segunda parte está vinculada com a doação, são os eventos de feira e doação pelo site. Hoje a gente recebe muito mais por meio do facebook e do site do que pela feira. Na feira a gente expõe o nosso trabalho para as pessoas que não conhecem, mas a UPAC mesmo acontece na internet.

E a terceira vertente é a educação, não pode ficar só tirando cachorro da rua sem que o público não saiba que isso é errado. Então a gente trabalha com a educação, hoje temos uma parte que está ativa em empresas e escolas , a gente faz palestras, eventos e acaba reunindo pessoas novas que querem ajudar e não tem todo esse conhecimento. Nós damos todo o treinamento.

 

Foto. Fabio Sakita

 

Vocês têm um programa chamado fiel doador, como ele funciona?

Nós temos um gasto muito grande, são 25 cães e 350 gatos. Nós temos dois abrigos, um próximo de Messejana e o outro na Sabiaguaba. O gasto não é só de ração, que seria o básico, mas principalmente a parte clínica. Como os animais são pegos na rua, eles não estão bem e o tratamento pode ser pesado e as vezes eles ficam internados.

Com o tempo a gente foi vendo que as pessoas até se interessam pelo trabalho, ajudam, mas é uma coisa que não prende. Ajuda hoje, amanhã, mas acaba deixando.

Nós criamos esse programa para tentar trazer uma pessoa fixa, pode ser com R$ 10,00 por mês, com 1 kg de ração, mas que se possa contar com essa doação.

Em troca a gente acaba dando benefícios, indica clínicas com desconto, tem kits com camisetas e chaveiros, a pessoa tem um retorno e não importa o valor da doação, portanto que a gente possa conta com essa pessoa. (Visite o Link do Fiel Doador no site da UPAC)

 

Foto. Fabio Sakita

 

Para as pessoas que admiram o trabalho da UPAC e querem colocar a mão na massa, como ser um voluntário?

A gente precisa de voluntários. Hoje no grupo, de efetivos, aquelas pessoas que estão ajudando, que podemos contar e que têm poder de voto na ONG são em torno de 12. Mas 12 pessoas para cuidar de 25 cães, sendo que todo mundo trabalha e estuda, é complicado. Em uma feira como essa, é preciso muitos voluntários e a gente está aberto a recebe-los.

Nós já lançamos um edital que explica todos os cargos e funções da UPAC, desde tratar direto com o animal, que é o mais requisitado, até pessoas que têm uma habilidade maior com a computação, com a escrita, que têm habilidade artística e podem fazer um folder da UPAC, por exemplo. Aproveitamos todas as habilidades que possam aparecer.

Estamos tentando ser o mais correto possível, treinando o pessoal para também fazer com que se sintam parte do grupo com palestras. Nós estamos estudando a possibilidade de fazer um certificado de um curso de 40 horas.

 

Foto. Fabio Sakita

 

Para os que estão lendo essa entrevista, como funciona a doação?

Doação nós aproveitamos basicamente tudo. Dinheiro, ração, medicamento, tem gente que conhece um petshop e tem um banho de graça, nós levamos e damos o banho lá. A gente recebe doações de roupas e objetos usados.

A fonte de renda hoje da UPAC é o bazar e a lojinha. A lojinha são produtos nossos, com a logo da UPAC e o bazar são as doações que a gente divide entre bazar e brechó.

O brechó é mais popular e o bazar tem peças com mais qualidade, são objetos novos que a gente recebe.

Para doar, entre em contato com a UPAC por email ou pelo site, avise que tem a doação que a gente pode buscar na casa da pessoa (Fortaleza e arredores).

 

Como pessoas de outros estados podem doar?

Como a gente tem status de ONG, a gente tem uma conta da UPAC. De outros estados a gente recebe ajuda em forma de dinheiro, que é mais fácil.

 

 

Doações:

Banco do Brasil
Nome: União Protetora dos Animais Carentes
Agência: 1295-5
Conta: 42.417-x
CNPJ: 106477890001-20

 

Doações via Boleto Bancário ou Cartão de Crédito, podem ser feitas via site do Vakinha:
http://www.vakinha.com.br/Vaquinha.aspx?e=122454

 

Site Oficial: http://upacfortaleza.wordpress.com

Facebook: www.facebook.com/ongupac

Twitter: http://twitter.com/upacfortaleza

 

 

Nós do Portal do Dog agradecemos a UPAC por terem sido tão solícitos, nos recebendo com toda disposição, mesmo com a correria da Feira.

Com o dia dos pais chegando, confira as melhores dicas de presentes para os papais de cachorro

por Samantha Kelly — publicado 20 jul 2017 - 19:12

Dia dos pais tem que incluir os papais de cachorro. Pensando nisso, a Doguim, loja do Portal do Dog especializada em apaixonados por animais, oferece uma série de produtos lindos e cheios de design desenvolvidos para pais de peludo.

Com a proximidade do dia 13 de agosto, nós listamos as melhores dicas de presentes para os super pais apaixonados por seus filhos de quatro patas.

Não deixe para última hora para garantir o presente perfeito para os papais de cachorro.

 » Read more about: Com o dia dos pais chegando, confira as melhores dicas de presentes para os papais de cachorro  »

Apesar da falta de recursos financeiros, morador de rua não abandonou seu amigo peludo

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jul 2017 - 18:30

Gilberto é um homem bem simples e que vive nas ruas. Ele não tem recursos financeiros nem para si mesmo, mas cuida com todo amor e carinho do seu cachorro, um fofo SRD que vive com ele.

Um dia, andando pelas ruas, Gilberto estava atravessando a rua com o cão, quando de repente, por algum motivo, o cão quis voltar no meio do caminho. Nesse momento, um carro atropelou o cachorrinho, que sofreu um machucado bem grave em uma das patas.

 » Read more about: Apesar da falta de recursos financeiros, morador de rua não abandonou seu amigo peludo  »

Angélica lamenta nas redes sociais a morte do novo filhotinho de sua família

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jul 2017 - 9:37

Nós contamos para vocês aqui sobre o mais novo filhotinho do casal de apresentadores Angélica e Luciano Huck. O animal, da raça Rhodesian Ridgeback, ou Leão da Rodésia, foi presente do médico veterinário e adestrador de cães Henrique Perdigão.

No último domingo, dia 16 de julho, Angélica publicou uma foto em homenagem ao cãozinho Babbo, que passou cerca de 18 dias com a família da apresentadora e, com apenas dois meses, acabou falecendo.

 » Read more about: Angélica lamenta nas redes sociais a morte do novo filhotinho de sua família  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Com o dia dos pais chegando, confira as melhores dicas de presentes para os papais de cachorro

por Samantha Kelly — publicado 20 jul 2017 - 19:12

Dia dos pais tem que incluir os papais de cachorro. Pensando nisso, a Doguim, loja do Portal do Dog especializada em apaixonados por animais, oferece uma série de produtos lindos e cheios de design desenvolvidos para pais de peludo.

Com a proximidade do dia 13 de agosto, nós listamos as melhores dicas de presentes para os super pais apaixonados por seus filhos de quatro patas.

Não deixe para última hora para garantir o presente perfeito para os papais de cachorro. Acesse a Doguim aqui e confira todos os nossos produtos.

 

1) Pais de cachorro (coleção família)

Nossa super coleção ”Família Pet” focada nos pais de cachorro permite que os tutores possam personalizar completamente os produtos, com ilustrações caninas lindas e exclusivas.

Dentre as opções de personalização estão mais de 70 raças caninas (incluindo 8 variações para os queridos vira-latas), até 5 raças por produto com inclusão do nome do pet e 6 cores de fundos (verde, azul, roxo, salmão, rosa e amarelo).

Clique aqui para conferir as canecas, squeezes, almofadas e canecas de chopp disponíveis.

 

2) Lançamento Canecas de Chopp

Temos uma série de opções, fresquinhas para o dias dos pais, com temas divertidos e carinhosos, especialmente para os papais que curtem uma gelada.

Clique aqui para conferir todas as canecas de chopp.

 

3) Fotos e ilustrações personalizadas

Como qualquer apaixonado por pet, nós queremos a fotinho dos nossos filhos em tudo. Na Doguim você pode ter a foto do seu pet personalizada com ilustrações especiais.

Clique aqui para conferir as ilustrações disponíveis.

Apesar da falta de recursos financeiros, morador de rua não abandonou seu amigo peludo

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jul 2017 - 18:30

Gilberto é um homem bem simples e que vive nas ruas. Ele não tem recursos financeiros nem para si mesmo, mas cuida com todo amor e carinho do seu cachorro, um fofo SRD que vive com ele.

Um dia, andando pelas ruas, Gilberto estava atravessando a rua com o cão, quando de repente, por algum motivo, o cão quis voltar no meio do caminho. Nesse momento, um carro atropelou o cachorrinho, que sofreu um machucado bem grave em uma das patas.

Gilberto ficou bastante preocupado com a situação do cão e emocionado ao vê-lo receber atendimento. (Foto: Reprodução / Facebook Luisa Mell)

Desesperado, sem ter nenhum tipo de suporte financeiro para levar o cão a uma clínica veterinária, Gilberto não sabia o que fazer, só sabia que não podia abandonar o seu melhor amigo naquela situação.

Até que pessoas de bom coração acionaram o Instituto Luisa Mell, que atua principalmente no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção. Voluntários do Instituo foram prontamente até o local e levaram o animal para receber os cuidados médicos necessários.

O homem ficou o tempo todo do lado do seu amigo peludo. (Foto: Reprodução / Facebook Luisa Mell)

Gilberto foi junto e não saiu do lado de seu amigo peludo em nenhum momento. No momento do atendimento do animal ele estava bastante emocionado e chorou contando como aconteceu o atropelamento. “A hora que eu atravessei a rua, ele pegou e quis voltar. Aí o carro pegou ele”, contou Gilberto.

O cãozinho precisou passar por uma cirurgia e depois ficou algumas semanas em tratamento enquanto se recuperava, o que, através do vídeo do Instituto Luisa Mell, podemos ver que aconteceu de forma rápida e tranquila.

Um resumo em um minuto do nosso trabalho no Instituto Luisa Mell. Todos os dias por aqui são assim: cheios de desafios, poucas derrotas, muitas vitórias e finais felizes! Cada um de vocês que nos ajuda faz, mesmo sem saber, parte dessa e todas as nossas histórias! Obrigada, sempre!

Posted by Luisa Mell on Wednesday, July 5, 2017

(Vídeo: Reprodução / Facebook Luisa Mell)

Esperamos que o morador de rua Gilberto sirva de exemplo e toque o coração de muitas pessoas e deixamos um agradecimento especial e parabéns ao belíssimo trabalho que o Instituto Luisa Mell faz com aqueles animais que mais precisam.

Fonte: Procura-se Cachorro / Luisa Mell