Entrevista com Gustavo Silva, vice-presidente da UPAC

por Fabio Sakita — publicado 9 dez 2012 - 20:40

Gustavo Silva. Foto. Fabio Sakita

 

Nesse sábado (8) aconteceu mais uma Feira de Adoção de Cães e Gatos da União Protetora dos Animais Carentes (UPAC) em Fortaleza e o Portal do Dog esteve lá para acompanhar o evento.

É válido e necessário divulgar este belo trabalho sendo feito no auxílio de animais e na educação do público. Por ano, cerca de 600 animais são atendidos pela UPAC.

O que observamos é que o bem estar dos animais sempre é  a prioridade, desde o resgate das ruas, à busca de tratamento e recolocação em lares saudáveis até o acompanhamento pós-adoção.

Os interessados na adoção passam por uma entrevista, na qual os voluntários avaliam criteriosamente com o intuito de definir se o candidato interessado tem o perfil adequado ou poderá suprir todas as necessidades do animal.

Para nos falar um pouco mais sobre a UPAC, conversamos com Gustavo Silva, vice-presidente da ONG.

Confira a entrevista:

 

Como surgiu a UPAC?

A UPAC nasceu de um grupo de pessoas que tinham um interesse em comum, o cuidado com os animais e a preocupação com os animais que estavam na rua. Essas pessoas se uniram, são amigos de escola e amigos de faculdade, e fundaram a UPAC.

Com o tempo, até por conta de precisar tornar a coisa mais específica, eles foram avançando, juntando mais pessoas, dividindo atividades e formando um grupo mais organizado.

Até para lidar com as doações, a gente sentiu necessidade de tornar formal, então deixou de ser um grupo para virar uma ONG, a gente tem CNPJ, tem conta em banco, etc.

 

Foto. Fabio Sakita

 

Como é o trabalho hoje?

Hoje a UPAC trabalha com três vias:

A primeira que a gente faz e não tem como fugir, é o resgate de animais, a UPAC começou assim e vai continuar fazendo esse resgate de animais na rua. Tratamos os animais, se for necessário levamos para o abrigo direto ou para uma clínica veterinária para passar por uma quarentena, recebendo todo o tratamento.

A segunda parte está vinculada com a doação, são os eventos de feira e doação pelo site. Hoje a gente recebe muito mais por meio do facebook e do site do que pela feira. Na feira a gente expõe o nosso trabalho para as pessoas que não conhecem, mas a UPAC mesmo acontece na internet.

E a terceira vertente é a educação, não pode ficar só tirando cachorro da rua sem que o público não saiba que isso é errado. Então a gente trabalha com a educação, hoje temos uma parte que está ativa em empresas e escolas , a gente faz palestras, eventos e acaba reunindo pessoas novas que querem ajudar e não tem todo esse conhecimento. Nós damos todo o treinamento.

 

Foto. Fabio Sakita

 

Vocês têm um programa chamado fiel doador, como ele funciona?

Nós temos um gasto muito grande, são 25 cães e 350 gatos. Nós temos dois abrigos, um próximo de Messejana e o outro na Sabiaguaba. O gasto não é só de ração, que seria o básico, mas principalmente a parte clínica. Como os animais são pegos na rua, eles não estão bem e o tratamento pode ser pesado e as vezes eles ficam internados.

Com o tempo a gente foi vendo que as pessoas até se interessam pelo trabalho, ajudam, mas é uma coisa que não prende. Ajuda hoje, amanhã, mas acaba deixando.

Nós criamos esse programa para tentar trazer uma pessoa fixa, pode ser com R$ 10,00 por mês, com 1 kg de ração, mas que se possa contar com essa doação.

Em troca a gente acaba dando benefícios, indica clínicas com desconto, tem kits com camisetas e chaveiros, a pessoa tem um retorno e não importa o valor da doação, portanto que a gente possa conta com essa pessoa. (Visite o Link do Fiel Doador no site da UPAC)

 

Foto. Fabio Sakita

 

Para as pessoas que admiram o trabalho da UPAC e querem colocar a mão na massa, como ser um voluntário?

A gente precisa de voluntários. Hoje no grupo, de efetivos, aquelas pessoas que estão ajudando, que podemos contar e que têm poder de voto na ONG são em torno de 12. Mas 12 pessoas para cuidar de 25 cães, sendo que todo mundo trabalha e estuda, é complicado. Em uma feira como essa, é preciso muitos voluntários e a gente está aberto a recebe-los.

Nós já lançamos um edital que explica todos os cargos e funções da UPAC, desde tratar direto com o animal, que é o mais requisitado, até pessoas que têm uma habilidade maior com a computação, com a escrita, que têm habilidade artística e podem fazer um folder da UPAC, por exemplo. Aproveitamos todas as habilidades que possam aparecer.

Estamos tentando ser o mais correto possível, treinando o pessoal para também fazer com que se sintam parte do grupo com palestras. Nós estamos estudando a possibilidade de fazer um certificado de um curso de 40 horas.

 

Foto. Fabio Sakita

 

Para os que estão lendo essa entrevista, como funciona a doação?

Doação nós aproveitamos basicamente tudo. Dinheiro, ração, medicamento, tem gente que conhece um petshop e tem um banho de graça, nós levamos e damos o banho lá. A gente recebe doações de roupas e objetos usados.

A fonte de renda hoje da UPAC é o bazar e a lojinha. A lojinha são produtos nossos, com a logo da UPAC e o bazar são as doações que a gente divide entre bazar e brechó.

O brechó é mais popular e o bazar tem peças com mais qualidade, são objetos novos que a gente recebe.

Para doar, entre em contato com a UPAC por email ou pelo site, avise que tem a doação que a gente pode buscar na casa da pessoa (Fortaleza e arredores).

 

Como pessoas de outros estados podem doar?

Como a gente tem status de ONG, a gente tem uma conta da UPAC. De outros estados a gente recebe ajuda em forma de dinheiro, que é mais fácil.

 

 

Doações:

Banco do Brasil
Nome: União Protetora dos Animais Carentes
Agência: 1295-5
Conta: 42.417-x
CNPJ: 106477890001-20

 

Doações via Boleto Bancário ou Cartão de Crédito, podem ser feitas via site do Vakinha:
http://www.vakinha.com.br/Vaquinha.aspx?e=122454

 

Site Oficial: http://upacfortaleza.wordpress.com

Facebook: www.facebook.com/ongupac

Twitter: http://twitter.com/upacfortaleza

 

 

Nós do Portal do Dog agradecemos a UPAC por terem sido tão solícitos, nos recebendo com toda disposição, mesmo com a correria da Feira.

Além da rampinha: Escada em espiral é opção chique e compacta para seu cachorro subir na cama

por Samantha Kelly — publicado 15 jun 2018 - 9:30

Ficamos apaixonadas pela escada em espiral da Sophipet com um ar super sofisticado. Ela é totalmente personalizável, com várias opções de cores e estilos para combinar com diferentes tipos de decoração.

Muitos não sabem, mas rampas e escadinhas dessa forma ajudam bastante os pets a não forçarem as costas com os vários pulos acrobáticos que eles dão quando sobem e descem da cama, sofá e afins.

Ela chega até 100 cm de altura para as camas mais altas e possui apenas 45 cm de raio,

 » Read more about: Além da rampinha: Escada em espiral é opção chique e compacta para seu cachorro subir na cama  »

Operários indianos constroem estrada em cima de cachorro que dormia na rua

por Samantha Kelly — publicado 15 jun 2018 - 7:02

O incidente é tão absurdo que é difícil acreditar como alguém pode ser tão insensível em relação a vida do próximo.

Operários em uma estrada de Agra, na Índia, não se deram o trabalho de mover um cachorro que dormia no local enquanto eles recapeavam a rua e seguiram com o dia como se não houvesse ninguém ali. Sim, eles construíram a rua em cima do cachorro e ele morreu após ter sido esmagado pelo rolo compressor enquanto os trabalhadores nivelavam a rua.

 » Read more about: Operários indianos constroem estrada em cima de cachorro que dormia na rua  »

Hotelzinho para cachorro compartilha a loucura quando a piscina é liberada para seus hóspedes caninos

por Samantha Kelly — publicado 14 jun 2018 - 8:20

O hotelzinho canino Happy Tails Camp em Norfolk, no estado norte-americano de Virginia, compartilhou o momento exato quanto seus hóspedes caninos foram liberados para cair na piscina.

Para quem acha que já foi em uma pool party bacana, sem dúvida não incluiu no currículo essa experiência incrível.

 

 » Read more about: Hotelzinho para cachorro compartilha a loucura quando a piscina é liberada para seus hóspedes caninos  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Além da rampinha: Escada em espiral é opção chique e compacta para seu cachorro subir na cama

por Samantha Kelly — publicado 15 jun 2018 - 9:30

Ficamos apaixonadas pela escada em espiral da Sophipet com um ar super sofisticado. Ela é totalmente personalizável, com várias opções de cores e estilos para combinar com diferentes tipos de decoração.

Muitos não sabem, mas rampas e escadinhas dessa forma ajudam bastante os pets a não forçarem as costas com os vários pulos acrobáticos que eles dão quando sobem e descem da cama, sofá e afins.

Ela chega até 100 cm de altura para as camas mais altas e possui apenas 45 cm de raio, o que salva bastante espaço. Dá até para adicionar uma proteção na escada para evitar acidentes.

Elas são feitas com excelente qualidade e o preço, apesar de ser salgado (começa em US $ 420 e, para a opção mais cara, você precisa desembolsar mais de US $ 1.500), ainda são uma ótima ideia e opção para quem pode pagar.

Queremos opções mais acessíveis para ontem!

 

Operários indianos constroem estrada em cima de cachorro que dormia na rua

por Samantha Kelly — publicado 15 jun 2018 - 7:02

O incidente é tão absurdo que é difícil acreditar como alguém pode ser tão insensível em relação a vida do próximo.

Operários em uma estrada de Agra, na Índia, não se deram o trabalho de mover um cachorro que dormia no local enquanto eles recapeavam a rua e seguiram com o dia como se não houvesse ninguém ali. Sim, eles construíram a rua em cima do cachorro e ele morreu após ter sido esmagado pelo rolo compressor enquanto os trabalhadores nivelavam a rua.

Transeuntes ainda podiam ver metade do corpo do cão preso ao asfalto e a brutalidade do acontecido provocou uma série de protestos por parte da população, levando com que polícia local abrisse um caso contra a empresa contratada.

De acordo com uma entrevista publicada pelo India Today, um oficial de polícia envolvido na investigação explicou que o animal estava dormindo quando foi esmagado pelo rolo compressor. Os trabalhadores declararam que eles informaram o engenheiro responsável pelo projeto sobre o ocorrido, porém ainda assim ele ordenou que a estrada fosse construída em cima do animal e assim eles fizeram.

 

Foto: Reprodução