Entrevista com Gustavo Vivacqua do programa Viagens Maneiras no TLC Discovery

Não perca o programa Viagens Maneiras, no ar no canal de tv a cabo TLC Discovery com Gustavo Vivacqua. Ana Machado e o cachorro, da raça Labrador Retriever, Tapa.

por Samantha Kelly — publicado 21 ago 2013 - 19:27

Tivemos o prazer de conversar com o administrador de empresas e aventureiro Gustavo Vivacqua. Ele,  a psicóloga Ana Machado e o “Labradoido”  Tapa fazem parte do programa Viagens Maneiras, no ar atualmente no canal da TV a cabo TLC Discovery. O programa nos transporta para a aventura dos três, que percorreram 46 países em dois anos, passando por América do Sul, América do Norte, Europa, África e Ásia.

Eles viajaram equipados com o Farofamóvel, um carro adaptado com toda estrutura necessária para garantir um trajeto mais confortável . O veículo foi projetado para ser enviado em contêiner, facilitando assim o seu transporte.

O programa conta com 15 episódios e narra a viagem e impressões to trio nos mais diferentes países e culturas. A viagem transformou Tapa no cachorro mais viajado do mundo!

Essa é o tipo de série que nenhum amante canino e de viagens pode perder e o mais legal é que é uma produção brasileira!

 

Assistam o incrível vídeo com uma compilação de imagens das viagens. Nele vocês já vão poder sentir um gostinho do que esperar.

 

Confira abaixo nossa entrevista com Gustavo Vivacqua:

 

1) Como tudo começou, então com o Haxixe, até hoje, com o Tapa?

Comecei a viajar com o Haxi, meu primeiro cachorro que era uma labradoberman no Natal de 1994. Ele tinha apenas 14 dias de vida ainda. Quando abriu os olhos pela primeira vez,  ele já estava bem longe de casa. O Haxi era um soldado, um cachorro sério, fiel e parceirão. Aquele cachorro, não me dava trabalho nenhum. Ainda tenho muita saudade dele…
Depois que ele se foi veio o Tapa. Um cachorro bem diferente e malucão , que dá muuuito trabalho. Tapa é um cachorro fanfarrão, sacana e peidão.  Com certeza se existisse recall de labrador, o Tapa estaria na série defeituosa. Na série mais defeituosa.

 

2) Como surgiu a oportunidade do programa Viagens Maneiras no TLC Discovery?

Através da Produtora Soul Filmes que apresentou um piloto de programa com as imagens da viagem, contando nossa estória. O programa ser aceito no nosso canal preferido, foi bem além das nossas expectativas.

 

Viagens Maneiras vai ao ar no canal TLC Discovery.


 

3) Quanto tempo de viagem e quantos países vocês visitaram?

Viajamos durante 2 anos e 16 dias por 46 países. Alguns países passamos, voltamos e passamos de novo de 2 a 4 vezes. Demos com a cara na porta várias vezes nas fronteiras.

 

4) O que o telespectador pode esperar ao assistir o programa?

O protagonista do programa é o Tapa, um labrador maluco que topa qualquer parada. Eu e Ana, contamos nossas impressões dos lugares, enrrascadas e encrencas que o Tapa se meteu. Tapa também  tem voz e dá o seu ponto de vista canino no programa.

 
*clique nas imagens para ampliar


 

5) Quais as maiores dificuldades de viajar com um cachorro e de que maneira vocês precisaram adequar algum aspecto da viagem por causa do Tapa? (Seja um aspecto de logística, vistos ou físico no “Farofamóvel”)

Viajar com um cachorro grande é muito difícil. As dificuldades aumentam geometricamente com o tamanho do cachorro. Quase ninguém quer aceitar um cachorro em um hotel, se ele for grande então… ai ferra tudo. Cia aéreas idem. A maioria só transporta cachorro pequeno, quando transporta. Tudo tem que ser feito com bastante antecedência e planejamento, coisa que numa viagem longuíssima como a nossa é bastante difícil. O carro facilitou muito porque nos dava autonomia para ir e vir  alem de dormir onde quiséssemos.

 

6) Em países muçulmanos, os cães são mal vistos. Vocês encontraram alguma dificuldade em levar o Tapa?

Só descobrimos “In loco” . Não sabíamos que os muçulmanos odeiam cachorro e os associam com o demônio. Eles detestam o cachorro preto ainda mais. O cachorro preto é o mais odiado. Foi difícil dar um jeito pro Tapa não levar pedrada por aquelas bandas.  Os adultos foram hospitaleiros e tolerantes com a gente, mas nosso grande problema  foi com as crianças. Sempre que viam o Tapa ,  elas catavam uma pedra no chão para tacar nele. Foi bem esquisito.

 
*clique nas imagens para ampliar


 

7) Como vocês lidam com a falta de estrutura para cães em hospedagens e estabelecimentos?

É ai que entra o Farofamovel, o carro que adaptamos para a viagem. É nele que o Tapa dormia com a gente.

 

8) Qual seria um momento inesquecível e a maior enrascada em todos esses anos de aventura.

Paramos em uma dura da policia americana anti-terrorismo perto de uma represa em Nevada. O tira se ajoelhou para ver  se tinha algo suspeito embaixo do carro com um espelho. Foi ai que o Tapa deve ter pensado: –  Ajoelhou tem que rezar …  e partiu pro estupro. Quase fomos em cana.

 

9) Geralmente cães da raça Labrador Retriever são cheios de energia e extremamente brincalhões. Como vocês descreveriam a personalidade do Tapa?

Fanfarrão, sacana e peidão. Mas ele é um cachorro muito bonzinho, extremamente social e gentil com desconhecidos. Se um ladrão tentar entrar na minha casa o Tapa vai levar a guia da coleira na boca e mendigar um passeiozinho. Esse é o Tapa.

 

10) Como a presença do Tapa alterou e deu um outro significado a viagem?

O Tapa foi o proposito principal da viagem. Queríamos transforma-lo no cachorro mais viajado do mundo com 46 países visitados. O carro foi a forma mais viável de realizar a missão. E deu certo!

 

11) Para os que querem acompanhar mais o Viagens Maneiras, quais os horários do programa e como seguir vocês online? 

Passa no TLC Discovery , toda sexta-feira, 2 episódios seguidos: 20:00 e 20:30, logo a seguir reprises dos mesmos episódios: 1:00 e 1:30 da madruga, 10:00 e 10:30 da manha de sábado e 15:00 e 15:30 da sexta seguinte.

 

Acesse o site (aqui) e página oficial no facebook (aqui).

 
*clique nas imagens para ampliar

 

Curiosidades da viagem

 

. 129.111 km percorridos;
. 746 dias viajando;
. 46 países visitados;
. 279 cervejas diferentes;
. 32 idiomas diferentes;
. 91 diários de bordo;
. 13 idas ao hospital;
. 40 idas ao veterinário;
. Nenhum pneu furado;
. 18 duras policiais;
. Uma extorsão policial;
. 8 “pernadas” aéreas;
. 3 viagens de navio feitas pelo Farofamovel;
. 19 ferry boats;
. 5 sumiços do Tapa;
. Sem furto ou roubo de dinheiro ou documentos;
 

O caminho percorrido pelo trio.

 

Mais fotos da viagem

 
*clique nas imagens para ampliar


* Todas as imagens foram retiradas do Facebook do programa.

Para viajar na cabine dos aviões da Delta, cachorros deverão comprovar que são bem comportados

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jan 2018 - 18:36

A companhia aérea Delta Airlines informou que a partir de 1º de março, algumas normas irão mudar para que alguns animais possam voar na cabine de suas aeronaves junto dos tutores.

Em anuncio feito na última sexta-feira, dia 19 de janeiro, a empresa vai exigir dos tutores, além de toda a documentação que já é exigida atualmente, algumas garantias extras de que o animal é capaz de se comportar dentro da cabine do avião durante todo o tempo de voo.

 » Read more about: Para viajar na cabine dos aviões da Delta, cachorros deverão comprovar que são bem comportados  »

Pequeno gatinho ajuda cachorro a superar dor após perder seu melhor amigo

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jan 2018 - 9:30

Nós sempre falamos das diversas formas como os cães podem ajudar a nós e a outros animais. Porém, às vezes são eles que precisam de ajuda, como aconteceu com Forsberg quando ele perdeu o seu melhor amigo.

Forsberg, um cachorro da raça Golden Retriever, era muito apegado ao gato Ginger. Eles eram melhores amigos, faziam tudo juntos e eram muito felizes com a amizade que tinham.

Porém, depois de oito anos e meio de uma linda amizade,

 » Read more about: Pequeno gatinho ajuda cachorro a superar dor após perder seu melhor amigo  »

Cachorros encontrados em estado de negligência em um condomínio de luxo são resgatados

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 jan 2018 - 9:38

Após denúncias de vizinhos, 14 cachorros foram resgatados de uma casa localizada em um condomínio de alto padrão em Mogi das Cruzes, São Paulo.

De acordo com informações dadas pelos vizinhos e registradas em boletim de ocorrência, todos os moradores da casa estavam viajando e os animais estavam, ou deveriam estar, sendo cuidados por uma funcionária. Porém, o que se via no local era uma cena de completo abandono. Os animais estavam vivendo em meio a muita sujeira e fezes.

 » Read more about: Cachorros encontrados em estado de negligência em um condomínio de luxo são resgatados  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Para viajar na cabine dos aviões da Delta, cachorros deverão comprovar que são bem comportados

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jan 2018 - 18:36

A companhia aérea Delta Airlines informou que a partir de 1º de março, algumas normas irão mudar para que alguns animais possam voar na cabine de suas aeronaves junto dos tutores.

Em anuncio feito na última sexta-feira, dia 19 de janeiro, a empresa vai exigir dos tutores, além de toda a documentação que já é exigida atualmente, algumas garantias extras de que o animal é capaz de se comportar dentro da cabine do avião durante todo o tempo de voo.

Os tutores deverão assinar uma declaração afirmando que o animal sabe se comportar. (Foto: Reprodução / The Vacation Times)

Entre essas exigências estão provas de saúde ou vacinação pelo menos 48 horas antes do voo.

De acordo com a companhia aérea, essas medidas foram tomadas para que a segurança de todos durante os voos seja ainda maior.

O motivo que levou a Delta a tomar essas medidas foi o aumento no número de reclamações de animais que, além de urinar e defecar no avião, mordem outros passageiros, como o caso que aconteceu em junho do ano passado, onde um passageiro foi mordido diversas vezes no rosto pelo cachorro de outra pessoa e precisou ir para o hospital.

Essas exigências valem, principalmente, para animais de serviço, que viajam fora das gaiolas, como cães-guia, que ajudam pessoas algum tipo de limitação, e animais de apoio emocional, que muitas vezes não são treinados. Nestes casos os tutores deverão assinar uma declaração afirmando que o animal sabe se comportar.

As novas exigências valem, principalmente, para animais de serviço. (Foto: Reprodução / The Vacation Times)

Para os animais que viajam em gaiolas nada muda.

De acordo com John Laughter, vice-presidente sênior de segurança da Delta, a empresa está buscando um equilíbrio entre “a necessidade legítima dos passageiros de terem esses animais” e a segurança durante os voos.

Fonte: O Globo

Pequeno gatinho ajuda cachorro a superar dor após perder seu melhor amigo

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 jan 2018 - 9:30

Nós sempre falamos das diversas formas como os cães podem ajudar a nós e a outros animais. Porém, às vezes são eles que precisam de ajuda, como aconteceu com Forsberg quando ele perdeu o seu melhor amigo.

Forsberg, um cachorro da raça Golden Retriever, era muito apegado ao gato Ginger. Eles eram melhores amigos, faziam tudo juntos e eram muito felizes com a amizade que tinham.

Quando faleceu, o gato Ginger deixou seu amigo canino bastante deprimido. (Foto: Reprodução / Instagram @jenphilion)

Porém, depois de oito anos e meio de uma linda amizade, Ginger faleceu aos 15 anos por conta de um câncer de tireoide e deixou seu amigo canino sem os seus aconchegos.

O cãozinho Forsberg ficou completamente devastado com a falta do amigo. No começo, sem entender o que tinha acontecido, o cachorro chegou a passar dias procurando por Ginger, chegando a ficar bastante deprimido.

Para ajudar o cão, a tutora Jen Philion decidiu levar um novo animal para casa, e optou por um fofo gatinho preto chamado Maxwell.

Forsberg voltou a ser feliz depois que um novo gatinho entrou para a família. (Foto: Reprodução / Instagram @jenphilion)

Ela até ficou com medo da reação do cão e de que ele viesse a ficar estressado com o novo animal, mas, felizmente, Forsberg e Maxwell se deram muito bem rapidamente.

De acordo com Jen, a preseça do novo gatinho fez com que Forsberg deixasse a tristeza de lado e voltasse a mostrar sua real essência novamente. Maxwell era a companhia que o cão precisava para ter com quem se aconchegar. Já o gatinho adorou ter o amigão como caminha.

Things must be happening outside.

A post shared by Jen Philion (@jenphilion) on

O tempo passou e a amizade e o amor entre eles cresceu bastante e hoje, dois anos depois, mesmo Maxwell tendo se transformado em um gato muito folgado, Forsberg ainda adora ficar na presença do amigo que lhe ajudou no momento mais triste de sua vida.

Fonte: The Holidog Times