Entrevista com Jorge Pereira da Unidade K9 de São Paulo

Descubra mais sobre o trabalho de cães de utilidade, detecção, proteção, busca e resgate e dos homens e mulheres responsáveis por essas missões

por Samantha Kelly — publicado 5 abr 2014 - 14:41

Unidade K9

Unidade K9

Além dos melhores pets que alguém pode sonhar em ter, os cães também são trabalhadores árduos e nos ajudam imensamente ao emprestar seu super sentido, o olfato, em missões que incluem salvamento, detecção de substâncias ilícitas e proteção.

Para nos introduzir a esse universo, conversamos com Jorge Pereira, da Unidade K9, grupo especializado e extremamente competente, que tem como finalidade treinar e formar cães de utilidade, detecção, proteção, busca e resgate, fazendo uso das mais modernas e atualizadas técnicas.

Descubra como os cães são treinados para performar determinadas funções, de que maneira o seu bem-estar é garantido e o que acontece uma vez que eles precisam se aposentar.

Nosso agradecimento especial a esses homens, mulheres e cães, que se doam com o objetivo de construir uma sociedade mais justa, realizando um trabalho com muita seriedade e respeito aos animais.

A Unidade K9 está presente nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Siga o trabalho da Unidade K9 no Facebook!

 

1) Como começa a preparação dos cães?

Tudo começa com uma brincadeira, onde o cão tem que usar seus instintos naturais para obter o que ele deseja, é uma troca.. a resposta que desejamos para que ele receba o que ele quer, seja um brinquedo ou comida ( petiscos).

 

Esquerda: Unidade K9, célula de trabalho São Paul. Direita: Sede em Barra Mansa a célula da Unidade K9. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Esquerda: Unidade K9, célula de trabalho São Paulo. Direita: Sede em Barra Mansa a célula da Unidade K9. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

2) Qual tipo de treinamento e método é oferecido pela Unidade K9?

Como temos várias atividades, uma gama grande de métodos são utilizados, mas todos eles motivacionais, nunca usamos forçamento, até porque isso vai refletir diretamente no resultado final, um cão deve desempenhar uma atividade com alegria, e só assim vamos obter sucesso na formação do mesmo, e nesse trabalho não podemos ter um cão que possa desistir do trabalho, pois vidas estão em risco e dependemos da capacidade e determinação desses peludos para salvá-las.

 

Treino e instruções com nossos os Cães de Guerra da FAB. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Treino e instruções com nossos os Cães de Guerra da FAB. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

3) Como os cães são escolhidos, avaliados e quais critérios são utilizados para determinar se os animais estão aptos a entrarem em campo.

Nossos cães são selecionados avaliando grau de socialização, com pessoas e animais, vontade brincar ou se alimentar (Play Drive e Food Drive) e determinação, e a partir daí como ele se sai nos treinamentos. Depois disso ele passa pelas especializações, de acordo com a facilidade dele em determinada função, tipo: gosta de brinquedo, mas adora interagir com pessoas (Busca/ Salvamento e Mantrailing), gosta de brincar mas somente com seu condutor, mais indicado para detecção de substâncias, etc.

 

Esquerda: Busca e captura em mata. Direita: Formação dos cães começa cedo. Foto: Reprodução/Facebook. Montagem: Portal do Dog

Esquerda: Busca e captura em mata. Direita: Formação dos cães começa cedo. Foto: Reprodução/Facebook. Montagem: Portal do Dog

 

4) Como os cães são designados para um trabalho específico?

Como disse acima, levamos em consideração a capacidade de aprendizado e personalidade do cão, exemplo: Um cão muito alegre e ativo, aquele que não para quieto, dificilmente pode ser um farejador de explosivos, pois tem que ser um cão mais concentrado e não estabanado, mas ele pode servir muito bem em detecção de substâncias ilícitas ou salvamento e até detecção de animais silvestre para combate de tráfico. Também levamos em consideração a socialidade do cão e se mais de um condutor poderá trabalhar com ele, coisa que não conseguimos com cães de salvamento em mata (mantrailing), ele sempre terá somente um condutor.

 

Equipe Unidade K9-SP, divisão Detecção, realizou o trabalho de detecção preventiva para o Projeto Maná Para Guiné. O Projeto Maná para Guiné é um projeto cristão interdenominacional que visa contribuir materialmente para as necessidades dos órfãos e demais cidadãos de Guiné-Bissau, um dos países mais pobres do mundo. Graças à colaboração de inúmeras pessoas e empresas nacionais e internacionais, o Projeto arrecadou doações suficientes para que fosse carregado o container e encaminhado à África.  Os cães fizeram uma varredura para garantir que não fosse embarcado nenhum item que pudesse prejudicar o despacho e o recebimento das doações. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Equipe Unidade K9-SP, divisão Detecção, realizou o trabalho de detecção preventiva para o Projeto Maná Para Guiné.
O Projeto Maná para Guiné é um projeto cristão interdenominacional que visa contribuir materialmente para as necessidades dos órfãos e demais cidadãos de Guiné-Bissau, um dos países mais pobres do mundo.
Graças à colaboração de inúmeras pessoas e empresas nacionais e internacionais, o Projeto arrecadou doações suficientes para que fosse carregado o container e encaminhado à África.
Os cães fizeram uma varredura para garantir que não fosse embarcado nenhum item que pudesse prejudicar o despacho e o recebimento das doações.
Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

5) Descreva o trabalho dos cães em cada uma das seguintes situações: utilidade, detecção, proteção, busca e resgate.

Utilidade ou cão auxiliar: Cão que desempenha trabalho junto ao seu tutor, geralmente uma pessoa com alguma deficiência ou problema de saúde, em nosso caso treinamos cães para auxiliar e dar independência a deficientes auditivos e pessoas que sofrem de diabetes.
Detecção: cães que aprendem a identificar odores específico e indicá-los, seja sentando ou latindo (substâncias não voláteis). Aqui na Unidade treinamos cães para identificar material explosivo, chocolate, ilícitos, formigas, silvestre, gases e até pragas.
Proteção: Trabalho onde o cão é treinado para defender o seu condutor ou pessoas ligadas a ele, de situações críticas como assaltos, sequestro, tumulto e guarda de perímetro, através do fator intimidatório que o cão exerce, e em último caso o cão pode entrar em confronto direto realizando contato físico e imobilizando o meliante.
Busca e Resgate: Trabalho onde cães são treinados para encontrar pessoas soterradas, perdidas ou em dificuldades, exemplo: Catástrofes naturais, desabamento, regiões colapsadas, pessoas perdidas em matas ou áreas urbanas, cenas de crimes, etc. Temos cães capazes de detectar até cadáveres enterrados e acredite, até afogados.

 

Direita: Treino de mantrailing em Sorocaba. Esquerda: Dobermans. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Direita: Treino de mantrailing em Sorocaba. Esquerda: Dobermans. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

6) Quais cuidados são tomados para garantir o bem-estar dos animais no trabalho.

Quando falamos em cães de trabalho, tenho que frisar que somente nós os condutores que trabalhamos e nossos cães brincam, e isso é levado a sério, quando um cão não está feliz em realizar essa brincadeira, ele não vai a uma ocorrência . Além disso todos nossos profissionais são treinados em primeiros socorros, cuidados com cães e na maioria são tutores dos cães com quem trabalham. Os cães são parceiros desses condutores e o sentimentos e ligações são fortíssimos, e assim todos cuidados são tomados para que essa parceira dure por muito tempo, e para isso cuidados com alimentações especiais, veterinário e contato social é prioridade de nosso equipe.

 

A equipe esteve em Sorocaba, participando do evento Domingo Animal, no Mercadão Campolim. Os cães e condutores fizeram demonstrações de faro, proteção, agility além de muitas brincadeiras com o público. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

A equipe esteve em Sorocaba, participando do evento Domingo Animal, no Mercadão Campolim.
Os cães e condutores fizeram demonstrações de faro, proteção, agility além de muitas brincadeiras com o público. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

7) O que acontece com os trabalhadores caninos uma vez que eles se aposentam do serviço?

A prioridade é ficar com seus condutores, após 8 anos de trabalho. Se por algum motivo ele não puder ficar, temos uma lista de pessoas que ficam de poder levar um deles para suas casas, mas até hoje todos ficaram com seus condutores, e nenhum foi doado. Lembrando que mesmo depois de aposentado, eles tem que manter uma rotina de atividades, brincadeiras, passeio, etc, pois parar repentinamente pode causar danos psicológicos e comportamentais para esse animais que sempre tiveram muita atividade.

 

Bloodhounds. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Bloodhounds. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

8) Qual é a importância do trabalho desses grande animais para a nossa sociedade?

Podemos numerar várias delas, hoje muitas ocorrências não podem fazer uso da capacidade olfativa desse cães, como em casos de desabamentos, onde o tempo é crucial para salvar alguém, ou casos de crianças que se perdem ou são raptadas, e até idosos com Alzheimer, que podem sair para comparar um pão e não voltar, ou pessoas com problemas psicológicos. Infelizmente hoje as forças militares, como polícia e corpo de bombeiros, não conseguem atuar em todos os casos, por ser pequeno o número efetivo de cães nessas funções, e assim podemos auxiliar essas famílias que nos pedem ajuda, e no caso dos cães auxiliares, esse cães podem levar a independência a muitas pessoas que até por conta dos riscos causados por algumas doenças podem se privar do contato social e atividades fora de casa, pela falta de um cão que possa ajudá-lo, e sem contar que um cão é um ótimo relações públicas e facilitador para amizades!

 

Uso de tecnologia nos treinos da Unidade K9. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Uso de tecnologia nos treinos da Unidade K9. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

9) O Brasil possui uma história de treinamento de cães?

Sim, o Brasil tem uma forte história no treinamento de cães, mas muito está voltado aos trabalhos militarizados, relacionados a segurança pública, e também em particulares por conta da falta dessa segurança. Com relação a cães de busca e salvamento, detecção, e auxiliares, estamos começando os trabalhos há pouco tempo, tanto que ainda não é tão utilizado os trabalhos desse peludos, que podem reduzir muito tempo de investigações e salvamentos, mas é uma questão de tempo até perceberem a importância do uso dos cães, isso já é evidente na Europa e USA.

 

Esquerda: Treino de mantrailing. com filhotes de Rastreador Brasileiro em Sorocaba. Direita: Descontração e muito treino. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

Esquerda: Treino de mantrailing. com filhotes de Rastreador Brasileiro em Sorocaba. Direita: Descontração e muito treino. Foto: Reprodução/facebook. Montagem: Portal do Dog

 

10) Qual a situação atual do treinamento de cães no país.

Eu diria que o Brasil está em um bom momento com relação ao treinamento de cães de serviço, grandes nomes da cinofilia tem contribuído com informações e cursos de capacitação para profissionais que buscam por conhecimento técnico, mas seria melhor se o comando de muitas instituições desse o verdadeiro crédito e investimento para dar condições de trabalho para seus comandados, e também pesa muito a falta de reconhecimento da nossa categoria, o que dificulta separar quem realmente trabalha e se dedica de forma séria a formação de cães de trabalho.

Mas tem muita gente que vem trabalhando duro em todo país para que isso mude, e eu tenho muita esperança que isso aconteça em breve, ma até lá, com fé em Deus vamos mantendo nosso trabalho visando sempre o compromisso de salvar vidas e cuidar bem dos nossos parceiros de quatro patas!!

Cadela que sofria maus-tratos em casa é resgatada pela polícia

por Andrezza Oestreicher — publicado 12 dez 2017 - 9:32

Em Santa Cruz do Sul, município do Rio Grande do Sul, policiais civis foram até uma residência para resgatar dois cães que sofriam maus-tratos causados pelo homem que deveria cuidar dos animais.

As denúncias foram feitas por uma ONG de proteção animal local, a Protetores de Santa Cruz, que já tinha ficado com um outro animal do mesmo homem, depois que também receberam, no mês de abril, denúncias de que ele maltratava o cão que tinha acabado de adotar.

 » Read more about: Cadela que sofria maus-tratos em casa é resgatada pela polícia  »

Voluntários resgatam cão que ficou 24h preso em tubulação em Santos

por Andrezza Oestreicher — publicado 11 dez 2017 - 18:31

Durante um passeio com seu tutor, um pequeno cãozinho da raça Chihuahua se soltou de sua coleira e fugiu. Porém, o animal acabou caindo em um canal e ficando preso em tubulação da rede pluvial de Santos, no litoral de São Paulo, que coleta água da chuva de bueiros e a despeja no Canal 6.

“Eu estava passeando com ele de tarde quando ele se soltou da coleira, saiu correndo e caiu no canal”,

 » Read more about: Voluntários resgatam cão que ficou 24h preso em tubulação em Santos  »

Bruno Gagliasso faz parceria com Ibama e constrói casa de recuperação para animais silvestres

por Andrezza Oestreicher — publicado 11 dez 2017 - 9:30

O ator Bruno Gagliasso e sua esposa, a também atriz Giovanna Ewbank, são apaixonados por cachorros. O casal é, atualmente, tutor de sete cães e já ajudou animais abandonados a encontrarem novas famílias.

Porém, o amor que a família tem pelos animais não se restringe somente aos cachorros. E prova disso é o que Bruno está fazendo para ajudar a milhares de animais silvestres em nosso país.

Quando a felicidade invade o coração e alma….

 » Read more about: Bruno Gagliasso faz parceria com Ibama e constrói casa de recuperação para animais silvestres  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cadela que sofria maus-tratos em casa é resgatada pela polícia

por Andrezza Oestreicher — publicado 12 dez 2017 - 9:32

Em Santa Cruz do Sul, município do Rio Grande do Sul, policiais civis foram até uma residência para resgatar dois cães que sofriam maus-tratos causados pelo homem que deveria cuidar dos animais.

As denúncias foram feitas por uma ONG de proteção animal local, a Protetores de Santa Cruz, que já tinha ficado com um outro animal do mesmo homem, depois que também receberam, no mês de abril, denúncias de que ele maltratava o cão que tinha acabado de adotar.

A cadela encontrada no local estava assustada e parecia muito debilitada. (Foto: Reprodução / Portal Gaz)

Dessa vez, a Polícia Civil esteve na casa do acusado, juntamente com ativistas da causa animal e a Brigada Militar, onde cumpriu um mandado de busca e apreensão para recuperar dois cachorros.

De acordo com delegada Raquel Schneider, da Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento, as denúncias afirmam que o acusado, um homem que vivia na mesma casa que os animais, agredia os cachorros com pauladas e chutes.

No local, apenas um animal foi encontrado, uma cadela da raça Labrador de cerca de 12 anos de idade que estava sem água, sem comida e aparentava estar bastante debilitada. Além disso, a cadela apresentava marcas de ferimentos.

Ainda na casa, também foram encontrados e apreendidos objetos que podem ter sido usados na agressão aos animais, como um estilete e pedaços de madeira.

Na casa também foram encontrados e apreendidos objetos que podem ter sido usados para agredir os animais. (Foto: Reprodução / Portal Gaz / Paola Severo)

Em relação ao outro animal, também uma cadela, o acusado disse informalmente que a abandonou na Avenida Paul Harris próximo a uma oficina mecânica. Policiais chegaram a buscar pela região mas ela não foi encontrada.

O animal resgatado foi levado para uma clínica veterinária. A cadela ficou internada para fazer exames e um laudo. Além de muito assustada e aparentar ter medo de pessoas, existe a suspeita de que ela tenha alguma fratura, pois estava se movendo com muita dificuldade.

O acusado foi levado à Delegacia de Polícia, onde respondeu algumas perguntas e assinou termo circunstanciado. Ele irá responder por maus-tratos a animais e o abandono de animal deve ser incluído na acusação, pois isso também é crime.

Fonte: Portal GAZ

Voluntários resgatam cão que ficou 24h preso em tubulação em Santos

por Andrezza Oestreicher — publicado 11 dez 2017 - 18:31

Durante um passeio com seu tutor, um pequeno cãozinho da raça Chihuahua se soltou de sua coleira e fugiu. Porém, o animal acabou caindo em um canal e ficando preso em tubulação da rede pluvial de Santos, no litoral de São Paulo, que coleta água da chuva de bueiros e a despeja no Canal 6.

“Eu estava passeando com ele de tarde quando ele se soltou da coleira, saiu correndo e caiu no canal”, contou Luiz Skitnevsky, tutor do animal.

O resgate do animal foi feito por voluntários, que contaram com a ajuda da equipe da Coordenadoria de Defesa da Vida Animal. (Foto: Reprodução / Prefeitura de Santos / Isabela Carrari)

No mesmo dia em que seu cachorro caiu no canal, os bombeiros foram chamados para fazer o resgate. Porém, como o animal, que se chama Junior, estava muito assustado, cada vez que via os soldados se aproximando, ele se afastava.

O trabalho teve de ser suspenso durante toda a noite e madrugada e foi retomado no dia seguinte ao acidente. “À noite, pedi para um morador de rua ficar monitorando e, se caso o cachorro saísse da tubulação, ele pegaria pra mim”, disse Luiz.

No outro dia, voluntários voltaram para tentar resgatar o cãozinho Junior e dessa vez contaram com a ajuda da equipe da Coordenadoria de Defesa da Vida Animal (Codevida). “Como havia um banco de areia que impedia de chegarmos até o cachorro, conseguimos maquinário para abrir caminho”, explicou Leila Abreu, coordenadora do órgão.

O cãozinho estava bastante sujo, mas não apresentava ferimentos. (Foto: Reprodução / Prefeitura de Santos / Isabela Carrari)

Leila Abreu também explicou que a família do animal acompanhou o resgate e negou que Junior fosse vítima de maus-tratos. O cãozinho foi devolvido para o seu tutor logo depois que um voluntário conseguiu retirá-lo da tubulação.

Junior, que estava bastante sujo, mas não apresentava ferimentos, foi imediatamente levado para uma clínica veterinária, onde foi examinado e logo liberado para voltar para casa. “Estávamos nervosos e desde ontem acompanhamos tudo. Foi um alívio e agora estamos felizes”, disse o tutor do animal.

Fonte: G1