Cuidados com os filhotes e vacinação.

Descubra os cuidados necessários para vacinar o seu filhote

por ricardojuca — publicado 7 out 2012 - 2:18

Vacinando seu filhote. Foto: Reprodução

Vacinando seu filhote. Foto: Reprodução

Olá leitores do blog! Muito prazer, meu nome é Ricardo Jucá, sou formado em Medicina Veterinária pela Faculdade de Veterinária do Ceará, FAVET da UECE. Neste pequeno blog irei dar dicas sobre cães e gatos (pequenos animais), tentarei ser bem direto e simples nas minhas palavras.

Bom, no meu primeiro “post” irei falar sobre cuidados dos filhotes e vacinações. Geralmente, recebo muitos clientes que tem muitas dúvidas, e sempre começo assim, “pense no seu filhote como um filho”, ele precisa de uma ótima alimentação, uma boa vermifugação e fazer todas as vacinas necessárias. Quando eu falo em alimentação, estou me referindo a uma ração de boa qualidade, saiba que um produto bom não precisa fazer propaganda em programas de culinárias matinais e nem patrocinar filmes de um cachorro bonito baseado em um livro (entenderam a indireta? quando for para falar mal de tal coisa não vou falar o nome direto), as melhores rações no mercado brasileiro são: Hill´s, Royal Canin e Proplan. Existe outras que você pode encontrar conversando com seu veterinário (balconista tem mania de comparar rações ruins com a Royal Canin, então acredite no seu veterinário, ele não ganha comissão por venda). Essas rações tem pouco corante e conservante (o excesso pode causar, por exemplo, problemas de pele), tem alto valor de digestibilidade (ou seja, o que ele come, quase 100% é absorvido pelo organismo) e produzem fezes pequenas e menos fedorenta. Vermifugação é o ato de dar remédio de verme, em filhotes pode ser dado a partir dos 20 dias de nascido, e ficar repetindo uma vez por mês até 7 meses de idade, e então dar reforço da dose a cada quatro meses. Por que todo mês até 7 meses de idade? Volto a falar, pense nele como uma criança, criança e filhote tem mania de tudo que ver na frente morder, levar para boca, o filhote quando está crescendo gosta de “investigar” o ambiente, então vai morder sandálias, gramas, sujeiras e brincar (como brincam) com baratas e formigas. Tudo isso pode causar ingestão de ovos de vermes, então 7 meses é o período, que em média, o filhote sai de filhote para jovem.

Agora, vacinação. Vou logo falando, o ato de vacinar é de responsabilidade do Médico Veterinário, exija isso! Estou cansado de ver balconistas fazendo vacinas não-éticas… O que são vacinas não-éticas? Irei falar agora, pense assim: Se existe mercado, com certeza vai ter alguém fabricando para tentar suprir aquele mercado com produtos de má qualidade, porém de baixo valor financeiro. Esse é o lance das vacinas não-eticas ( que podem ser até importadas), o público tem mania de dizer que vacina importada é a boa, não é exatamente assim. Essas vacinas não-éticas, são vacinas que o fabricante faz sem os pré-requisitos de biossegurança e de boas práticas de fabricação (BPF), não exigem conservação e vendem para qualquer pessoa, são vacinas que um bom Médico Veterinário não assina nem morto, são as famosas vacinas de R$10 ou R$ 15 que são feitas por balconistas e que não tem carimbo do Médico Veterinário. Vacinas éticas são vacinas que seguem todo um protocolo de produção, o fabricante exige uma boa conservação, vendem somente para Médicos Veterinários, tem um valor bem mais alto, em média R$ 50,00 da virose. Em filhotes pode começar a vacinação depois da vermifugação, existe vacinas que se pode começar com 30 dias de nascido, porém o protocolo mais famoso é para começar com 45 dias.

Irei falar mais sobre alimentação, vacinação e vermifugação nos próximos encontros, tentei ser bem direto e tentei resumir um pouco de tudo. Não fique triste, toda semana estarei aqui para falar um pouco de tudo. Podem enviar comentários, dúvidas ( consultas não se pode fazer por nenhum meio de telecomunicação, é proibido por lei).

Só mais uma coisa, só para resumir: Procure sempre um Médico Veterinário, não vá atrás de um prático, o barato sai muito mais caro, o seu animal é um ser vivo e merece ser tratado com dignidade. Obrigado por ler o meu post, acho que ler e aprender não é perda de tempo. Até a próxima.

 

Texto escrito por Dr. Ricardo Jucá

Cães treinados trabalharam no processo de buscas após incêndio da Grenfell Tower, em Londres

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 jun 2017 - 18:15

Na madrugada do dia 14 de junho, um grande e trágico incêndio tomou conta de um prédio residencial de 24 andares localizado em Londres, o Grenfell Tower, e causou a morte de mais de 70 pessoas.

Bombeiros e policiais começaram a trabalhar o mais rápido possível para apagar o fogo e começar as buscas por sobreviventes. E foi aí que começou a participação de cães de serviço.

Cachorros especialmente treinados ajudaram no lento e meticuloso processo de busca.

 » Read more about: Cães treinados trabalharam no processo de buscas após incêndio da Grenfell Tower, em Londres  »

Apesar de rumores, festival anual em Yulin segue vendendo carne de cachorro e gato

por Samantha Kelly — publicado 21 jun 2017 - 16:14

Ativistas em todo o mundo comemoraram quando a Humane Society International (HSI) declarou que o governo chinês iria banir o consumo de carne de cachorro no controverso festival de Yulin.

Há 10 anos o festival oferece aos participantes carne canina e felina como opções no menu. Estima-se que nos 10 dias de funcionamento do evento ele abata, por ano, uma média de 10 mil cães e gatos.

Em entrevista para a BBC,

 » Read more about: Apesar de rumores, festival anual em Yulin segue vendendo carne de cachorro e gato  »

Cachorrinho vai até pet shop buscar sua ração sozinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 jun 2017 - 8:53

Quando nós estamos precisando de alguma comida vamos até o supermercado sozinhos para comprar e quando a comida de nossos animais acabam nós fazemos o mesmo.

Porém, o cachorrinho Pituco, que vive com sua família na cidade de Paraí, no Rio Grande do Sul, parece que não gosta de esperar pelos seus tutores e prefere ir sozinho atrás de mais comida.

O pequeno cachorro sempre vai até uma pet shop próximo de sua casa sozinho para buscar sua ração.

 » Read more about: Cachorrinho vai até pet shop buscar sua ração sozinho  »

deixe seu comentário:

Cães treinados trabalharam no processo de buscas após incêndio da Grenfell Tower, em Londres

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 jun 2017 - 18:15

Na madrugada do dia 14 de junho, um grande e trágico incêndio tomou conta de um prédio residencial de 24 andares localizado em Londres, o Grenfell Tower, e causou a morte de mais de 70 pessoas.

Bombeiros e policiais começaram a trabalhar o mais rápido possível para apagar o fogo e começar as buscas por sobreviventes. E foi aí que começou a participação de cães de serviço.

Cães treinados trabalharam junto com bombeiros e policiais após a tragédia. (Foto: Reprodução / Metro UK / PA)

Cachorros especialmente treinados ajudaram no lento e meticuloso processo de busca. Os cães foram essenciais neste caso, principalmente para acessar os pisos superiores e locais que os humanos não conseguiriam. Pois como o prédio estava bastante danificado, os animais causariam menos danos, por serem menores e mais leves do que os humanos.

Assim como os bombeiros humanos, as equipes caninas da London Fire Brigade que estiveram no local e entraram no prédio receberam equipamentos especializados de segurança, incluindo proteção para as patas.

Apesar de parecer uma tarefa bastante perigosa, os cães foram o tempo inteiro assistidos pelos bombeiros e não sofreram nenhum dano ou ferimentos por conta do trabalho realizado no prédio, em meio aos escombros.

Os cães foram assistidos pelos bombeiros e não sofreram nenhum dano. (Foto: Reprodução / Metro UK / Getty)

Os cães que trabalharam no local também são treinados para identificar uma variedade de substâncias inflamáveis. Porém, nada foi encontrado pelos animais.

Fonte: Metro UK

Apesar de rumores, festival anual em Yulin segue vendendo carne de cachorro e gato

por Samantha Kelly — publicado 21 jun 2017 - 16:14

Ativistas em todo o mundo comemoraram quando a Humane Society International (HSI) declarou que o governo chinês iria banir o consumo de carne de cachorro no controverso festival de Yulin.

Há 10 anos o festival oferece aos participantes carne canina e felina como opções no menu. Estima-se que nos 10 dias de funcionamento do evento ele abata, por ano, uma média de 10 mil cães e gatos.

Em entrevista para a BBC, infelizmente donos de barraquinhas e restaurantes locais confirmaram que tudo seguirá exatamente como nos outros anos e que não houve nenhum comunicado oficial quanto a questão de venda de carne canina e felina por parte nem do governo chinês, nem dos organizadores do evento.

Há uma forte presença policial nas ruas para evitar que ativistas querendo salvar os animais e vendedores entrem em conflito.

Devido a repercussão negativa que o festival atrai todos os anos, as autoridades locais baniram o abate público de cães em 2016 para evitar mais protestos.

O governo de Yulin declarou repetidamente que não organiza o evento e, por isso, não poderia proibir a presença dos cachorros. Em adição, o país não proíbe o consumo de carne de de cães e gatos.

Mesmo com os contratempos, o trabalho não para e ontem (20), após 10 horas de negociações, um grupo parceiro da HSI conseguiu parar um caminhão e salvar mais de 800 cães e alguns gatos que estavam indo em direção de Guangzhou, o maior centro de venda de carne de cães e gatos do mundo.

Cães sendo resgatados esse ano pela Humane Society International (HSI). Foto: Reprodução HSI/ Facebook

 

Entendendo o impasse

O consumo do carne canina é muito comum e aceito culturalmente em países como a China e Coréia do Sul, sendo até recomendado nos meses mais quentes do ano.

Os locais que consomem carne de cachorro reclamam que qualquer proibição seria uma imposição de costumes estrangeiros, e que os animais são abatidos de forma humana.

Já ativistas garantem que muitos cães e gatos são roubados de residências para serem usados como comida, que são transportados em pequenas gaiolas e abatidos de forma cruel.

Além da pressão ocidental, muitos chineses têm mudado de opinião quanto ao costume, principalmente porque hoje a China possui 62 milhões de cachorros registrados como animais de estimação.

Cães pendurados e prontos para o consumo na China. Foto: AFP