25 razões porquê o uso de animais em testes é uma prática inútil e cruel

Uma lista de razões que mostram o quanto é inútil os testes com animais

por Fabio Sakita — publicado 24 out 2013 - 0:27

1 – Menos de 2% das doenças humanas são observadas em animais.
2 – Testes em animais e os resultados nos humanos concordam somente de 5 a 25% das vezes.
3 – 95% das drogas homologadas por testes em animais são imediatamente descartadas como desnecessárias ou perigosas ao humanos.
4 – Pelo menos 50 drogas no mercado causam câncer em animais de laboratório. Mas elas são permitidas porque é admitido que teste em animais não são relevantes.
5 – A P&G usou um almíscar artificial apesar de ter causado câncer em ratos. Eles alegaram que os resultados nos testes dos animais eram “de pouca relevância para os humanos”.
6 – Mais de 90% dos resultados dos testes em animais são descartados por serem inaplicáveis aos homens.
7 – Testes em ratos são apenas 37% eficazes na identificação da causa de câncer em humanos. Jogar uma moeda para o alto (cara ou coroa) tem mais acerto.
8 – Roedores são animais quase sempre utilizados na pesquisa do câncer. Eles nunca pegam carcinomas, a forma humana de câncer, que afeta as membranas (por exemplo, câncer de pulmão). Seus sarcomas afetam ossos e tecidos conjuntivos: os dois não podem ser comparados.
9 – Quando perguntados se concordam que experimentos em animais podem ser enganosos “por conta das diferenças anatômicas e fisiológicas entre os animais e os humanos”, 88% dos médicos concordaram.
10 – Diferença de sexo entre animais de laboratório pode causar resultados contraditórios. Isso não corresponde com os seres humanos.
11 – 9% dos animais anestesiados, que deveriam recobrar consciência, morrem.
12 – Estimativa de 83% de substâncias são metabolizadas por ratos de forma diferente do que é nos humanos.
13 – De acordo com testes em animais, o suco de limão é um veneno mortal, mas arsênio, cicuta e toxina botulínica são seguros.
14 – 88% dos fetos natimortos são causados por medicamentos que são considerados seguros através dos testes em animais.
15 – Um em cada seis pacientes hospitalizados estão lá por causa de um tratamento que tenham feito.
16 – Nos EUA, 100 mil mortes por ano são atribuídas a tratamentos médicos. Em um ano, 1,5 milhão de pessoas foram hospitalizadas devido a tratamentos médicos.
17 – 40% dos pacientes sofrem de efeitos colaterais como resultado de prescrição médica.
18 – Mais de 200 mil medicamentos já foram lançados. A maioria deles já foi retirado do mercado. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), apenas 240 são “essenciais”.
19 – Um congresso de medicina na Alemanha concluiu que 6% das doenças fatais e 25% das doenças orgânicas são causadas por medicamentos. Todos foram testados em animais.
20 – A operação de salvamento da gravidez ectópica (gravidez anormal que ocorre fora do útero) foi atrasada 40 anos devido a vivisecção.
21 – Aspirina falhou em testes com animais assim como cardioglicosideos (remédio para o coração), tratamentos de câncer, insulina, penicilina e outros medicamentos seguros. Eles teriam sido banidos se fossem baseados nos teste com animais.
22 – Trinta e três animais morrem em laboratórios pelo mundo a cada segundo.
23 – Crueldade: Para testar drogas e insumos para a indústria, bilhões de animais – principalmente roedores, cães, gatos e primatas – são trancados em laboratórios anualmente e submetidos a práticas dolorosas. Inserção de substâncias tóxicas em seus olhos, inalação forçada de fumaça e implantação de eletrodos em seu cérebro são apenas algumas destas práticas. Via de regra, são utilizados animais de pequeno porte e dóceis, para facilitar o manejo dentro dos institutos de pesquisa. Neste cenário, a raça Beagle, infelizmente, se encaixa perfeitamente e são eles os preferidos dos vivisseccionistas
24 – Atraso no desenvolvimento da ciência: O médico norte-americano Ray Greek – um dos entusiastas de que a vivisecção é um atraso ao desenvolvimento da ciência – disse, em 2010, à Revista Veja: “As drogas deveriam ser testadas em computadores, depois em tecido humano e daí sim, em seres humanos. Empresas farmacêuticas já admitiram que essa será a forma de testar remédios no futuro.” Ray afirma que os testes são uma falácia e que atrasam a ciência. Ele é voluntário para testes em humanos, desde que observados todos os pré-requisitos de segurança.
25 – Ineficiência dos testes: O médico Ray Greek, ainda em entrevista à Revista Veja, em 2010, afirmou: “A indústria farmacêutica já divulgou que os remédios normalmente funcionam em 50% da população. É uma média. Algumas drogas funcionam em 10% da população, outras 80%. Mas isso tem a ver com a diferença entre os seres humanos. Então, nesse momento, não temos milhares de remédios que funcionam em todas as pessoas e são seguros. Na verdade, você tem remédios que não funcionam para algumas pessoas e ao mesmo tempo não são seguros para outras. A grande maioria dos remédios que existe no mercado são cópias de drogas que já existem, por isso já sabemos os efeitos sem precisar testar em animais. Outras drogas que foram descobertas na natureza e já são usadas por muitos anos foram testadas em animais apenas como um adendo. Além disso, muitos remédios que temos hoje foram testados em animais, falharam nos testes, mas as empresas decidiram comercializar assim mesmo e o remédio foi um sucesso. Então, a noção de que os remédios funcionam por causa de testes com animais é uma falácia.”

Referências e fontes:
Animal Liberation Front
Vista-se

Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 13:23

Coisa boa é aumentar a família e levar um cachorrinho novo para casa. Além de todo o amor que eles sempre estão prontos para nos dar, esses animais conseguem trazer ainda mais luz, vida e alegria para o lar.

Quem está vivendo esse momento de muita alegria com um novo cãozinho em casa é Sharon Stone.

Joe and I welcome his new pal Bandit. #JoeStone #BanditStone #family ❤️

 » Read more about: Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho  »

Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 9:23

A Atrofia Muscular Espinhal, bastante conhecida também como AME, é uma doença degenerativa genética que afeta o sistema nervoso e leva à redução das funções motoras. Ela resulta em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.

A AME afeta os movimentos das pernas e braços, muitos pacientes perdem esses movimentos, e afeta também os músculos que atuam na deglutição de alimentos e na respiração.

Por conta disso tudo, pessoas com Atrofia Muscular Espinhal acabam não vivendo uma série de experiências que para aqueles que não sofrem com a doença seria tão simples. 

 » Read more about: Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes  »

Cachorros da raça Galgo Italiano são encontrados vivendo em terríveis condições em São Paulo

por Andrezza Oestreicher — publicado 25 abr 2018 - 13:00

Mais uma vez, a ganância do ser humano, chamado de racional, transformou seres tão amáveis como os cachorros em máquinas de reproduzir filhotes e em fonte de lucro e de dinheiro. É exatamente isso o que criadouros clandestinos fazem.

Na última sexta-feira, dia 20 de abril, a Polícia Militar Ambiental (PMA) encontrou em uma residência em Praia Grande, no litoral de São Paulo, cachorros da raça Galgo Italiano, considerada rara no Brasil, em um estado terrível e em visíveis condições de grave negligência.

 » Read more about: Cachorros da raça Galgo Italiano são encontrados vivendo em terríveis condições em São Paulo  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 13:23

Coisa boa é aumentar a família e levar um cachorrinho novo para casa. Além de todo o amor que eles sempre estão prontos para nos dar, esses animais conseguem trazer ainda mais luz, vida e alegria para o lar.

Quem está vivendo esse momento de muita alegria com um novo cãozinho em casa é Sharon Stone.

Joe and I welcome his new pal Bandit. #JoeStone #BanditStone #family ❤️

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

Já tutora de um cachorro da raça Buldogue Francês chamado Joe, a atriz decidiu aumentar sua família e levou para casa um fofo filhotinho. O cãozinho também é da raça Buldogue Francês, porém em cores diferentes do seu irmão canino mais velho, e recebeu o nome de Bandit Stone.

Goodnight. ❤️ #BanditStone

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

Sharon apresentou o novo membro de sua família para seus fãs e seguidores através de seu perfil oficial no Instagram. Em uma série de duas fotos, uma em que ela aparece muito feliz segurando o novo filhote e outra em que Joe aparece debaixo das pernas da tutora, a atriz escreveu: “Joe e eu demos boas-vindas ao seu novo amigo Bandit”.

Depois da apresentação, Sharon Stone já começou a encher seu perfil na rede social de fotos do novo filhote, assim como toda tutora apaixonada e mamãe coruja.

Joe and Bandit! ❤️ #puppylove #JoeStone #BanditStone #bigbrother

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

A atriz também compartilhou um vídeo em que aparecem os dois cachorros, onde o pequeno Bandit tenta chamar a atenção de Joe, que prefere se coçar um pouquinho.

Entre as fotos que mostra o fofo filhote dormindo, Sharon postou uma em que aparece com Bandit no colo e confessou que Joe parece estar com um pouquinho de ciúmes do novo irmãozinho. Porém, apesar disso, ela afirmou que eles estão se dando bem.

Bandit é realmente uma fofura de cãozinho.

Fonte: People

Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 9:23

A Atrofia Muscular Espinhal, bastante conhecida também como AME, é uma doença degenerativa genética que afeta o sistema nervoso e leva à redução das funções motoras. Ela resulta em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.

A AME afeta os movimentos das pernas e braços, muitos pacientes perdem esses movimentos, e afeta também os músculos que atuam na deglutição de alimentos e na respiração.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Por conta disso tudo, pessoas com Atrofia Muscular Espinhal acabam não vivendo uma série de experiências que para aqueles que não sofrem com a doença seria tão simples. Porém, um grupo de pacientes nos Estados Unidos contou com uma ajuda para lá de especial para ter uma experiência diferente e muito feliz.

Juntamente com o Cure SMA, um grupo que financia pesquisas relacionadas à doença, a cadelinha surfista Ricochet proporcionou muita diversão a esses pacientes, que tiveram a oportunidade de entrar no mar e surfar com a peluda.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Ricochet é o único SURFice dog® do mundo que fornece assistência terapêutica enquanto cria experiências únicas de surfe e outras atividades que reduzem a ansiedade social e capacitam crianças com necessidades especiais, pessoas com deficiências, soldados feridos e veteranos com TEPT.

As crianças eram as mais animadas do grupo de pacientes, todas queriam ser a primeira a surfar com Ricochet, cadela que tem treinamento extensivo como cão de serviço.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Como muitas das crianças que participaram da atividade não conseguem manter a cabeça erguida sozinha, uma cadeira de banho foi adaptada e fixada na prancha de surf para deixar os pequenos seguros e confortáveis.

O passeio contou com a participação e ajuda de uma incrível equipe de voluntários qualificados que fez com que a experiência fosse um sucesso e muito feliz para todos.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Apesar de todas as dificuldades e trabalho que deu colocar a ideia do surf com os pacientes em prática, todos, tanto crianças quanto adultos, se divertiram bastante e não queriam que aquele dia acabasse.

Fonte: 3 Million Dogs / Diário Catarinense