Animais amados e rejeitados dividem leitos do 1º hospital público

por Samantha Kelly — publicado 16 out 2012 - 7:58

Animais amados e rejeitados dividem leitos do 1º hospital público.

 

A fila de espera, de até 12 horas para receber atendimento clínico gratuito, é dividida entre o amor incondicional aos bichos e a negligência com os animais. No bairro Tatuapé, zona leste de São Paulo, funciona o primeiro hospital público para cães e gatos, custeado com verbas do governo municipal (R$ 600 mil por mês).

O perfil de pacientes vai de um extremo a outro. Disputam as 30 senhas distribuídas diariamente para as consultas e cirurgias cachorros como Napoleão. O cão é “filho” mais velho de Cilmara Pina e teve um câncer descoberto recentemente. Lá também é tratada Menina, de procedência desconhecida. A vira-lata foi abandonada na porta da unidade dentro de uma caixa de papelão, agonizando e sem o movimento das patas traseiras.

 

Fonte IGTv

deixe seu comentário: