Animais não poderão mais ser expostos em vitrines de Pet Shops no Brasil sem aval de um veterinário

Caso os animais não estejam vivendo nas condições adequadas, os vetérinários deverão responder a um processo ético-profissional

por Samantha Kelly — publicado 22 jan 2015 - 11:13

Em uma mudança importante e há muito tempo necessária, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), através da resolução 1.069, determinou que os Pet Shops não poderão mais expor animais em gaiolas e vitrines sem que um médico veterinário seja responsável e garanta uma série de cuidados específicos para a preservação do bem estar e saúde do animal.

O profissional deverá levar em consideração se o animal tem acesso a alimentação adequada, conforto, estímulos (no caso objetos de enriquecimento ambiental no local), se a iluminação não agride ao animal, se o pet possui espaço suficiente para se locomover e fazer suas necessidades, livre de ruídos, poluição e estresse.

Caso os animais não estejam vivendo nas condições adequadas, os médicos vetérinários deverão responder a um processo ético-profissional, além de estarem sujeitos, juntamente com o estabelecimento, a receber multas.

A resolução foi publicada em outubro de 2014, porém entrou em vigor apenas na semana passada.

Essa medida já segue a resolução vigente desde 2008, na qual determina que todos os Pet Shops devem ter um médico veterinário no local (leia aqui).

 

Animais não poderão mais ser expostos em vitrines ou gaiolas em Pet Shops. Foto: Reprodução

Animais não poderão mais ser expostos em vitrines ou gaiolas em Pet Shops. Foto: Reprodução

deixe seu comentário: