Após morte de cadelinha, mulher apresenta problema no coração conhecido como síndrome do coração partido

A síndrome tem sintomas parecidos com os de um infarto e ocorre após grandes acontecimentos emocionais, como a perda de um filho

por Andrezza Oestreicher — publicado 25 out 2017 - 9:25

Quem já perdeu um cachorrinho ou um animalzinho de estimação que amava muito sabe como este momento pode ser sofrido e como a falta do bichinho é bem dolorosa, parece que o nosso coração vai se quebrar.

Nos Estados Unidos, uma mulher apresentou um problema de coração após perder sua amada cadelinha de estimação da raça Yorkshire Terrier.

A cadelinha tinha nove anos quando faleceu e sua tutora sofreu bastante. (Foto: Reprodução / The Washington Post / Joanie Simpson)

Em uma manhã como outra qualquer, Joanie Simpson acordou com uma forte dor nas costas que subiu para o peito no momento em que ela se mexeu. Em menos de meia hora ela estava na emergência em uma clínica local, de onde foi encaminhada para um hospital logo em seguida.

Joanie, que tem 62 anos de idade, estava apresentando sinais claros de infarto. Porém, exames mais criteriosos feitos no Memorial Hermann Heart & Vascular Institute -Texas Medical Center, hospital de doenças cardíacas e vasculares, mostraram que o problema no coração da mulher era outro.

Ela estava na verdade com cardiomiopatia de Takotsubo, uma condição mais conhecida como síndrome do coração partido e que tem sintomas muito parecidos com os de ataques cardíacos.

A síndrome do coração partido acontece após grandes acontecimentos ou estresses emocionais, como a morte de um ente muito querido, como um filho, marido/esposa, e é daí que vem o nome “síndrome do coração partido”. No caso de Joanie, a condição apareceu após a morte de sua cadela Meha.

A síndrome do coração partido acontece após grandes acontecimentos emocionais, como a morte de um ente muito próximo e amado, por isso o problema é conhecido por esse nome. (Foto: Reprodução / publicdomainpictures)

Meha, que tinha nove anos quando faleceu, sofria de insuficiência cardíaca. Segundo Joanie, a cadela era como uma filha para ela e foi uma grande companhia para ela e seu marido depois que seus filhos saíram de casa.

Na época em que apresentou seu problema cardíaco, Joanie estava passando por uma série de pequenos estresses: seu filho tinha que passar por uma cirurgia e seu genro estava desempregado.

A morte da cadelinha, que aconteceu em maio do ano passado na frente de Joanie um dia depois dela ter desistido de eutanasiar o animal, foi como a gota d’água para a mulher, que afirmou ter sido horrível testemunhar a morte de sua cadela e que foi realmente um momento muito difícil para ela.

Após receber o tratamento necessário, Joanie recebeu alta médica e segue se cuidando em casa. Ela hoje está bem, mas precisa tomar medicamentos diariamente para o coração.

A síndrome do coração partido apresenta sintomas muito parecidos com os de um infarto. (Foto: Reprodução / Burger / Phanie / Arquivo AFP)

Apesar de não ser o primeiro caso de síndrome do coração partido após a morte de um animal de estimação, o acontecimento foi bastante divulgado na mídia, principalmente para mostrar como a perda de animais de estimação pode afetar de forma muito forte os seus tutores, que muitas vezes têm seus cães como verdadeiros filhos.

Fonte: The Washington Post

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda,

 » Read more about: Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira  »

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor,

 » Read more about: Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande  »

Dicas de presentes para o Dia das Mães

por Karina Sakita — publicado 18 abr 2018 - 18:42

Os cachorros já são parte da família, então é óbvio que mãe de cachorro também deve e merece comemorar o Dia das Mães.

Maridos, namorados e irmãos, vejam essas dicas de presentes para esta data especial!

E essas sugestões também vão servir para você que tem uma mãe que é apaixonada por cachorro. Não deixe para a última hora e garanta o presente dela na loja Doguim.

 » Read more about: Dicas de presentes para o Dia das Mães  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda, tem uma turma grande em casa e suas redes sociais estão repletas de registros dos pets.

Tenho certeza que metade da população brasileira desejou agora mesmo ser adotada por essa família.

 

Um tapete? Não… O Marley aproveitando o chão geladinho nesse calor. 🖤

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

A minha turma é da pesada… 😍🙈

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

Praça onde tudo aconteceu, sempre com a presença de crianças brincando. (Foto: Reprodução / Campo Grande News)

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor, que estava solto, se aproximou do seu pet e, em seguida, o policial disparou.

Thor foi atingido com um tiro e imediatamente socorrido por seus tutore, sendo levado para uma clínica veterinária. Não foi informado detalhes da situação do animal.

Além do fato de ter machucado gravemente o cachorro, os frequentadores da praça ficaram bastante assustados com o ocorrido, pois no momento do tiro havia muitas crianças brincando no local. “A praça estava lotada de crianças, poderia ter atingido outra pessoa”, afirmou uma testemunha.

De acordo com o depoimento prestado pelo policial, que se apresentou na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Piratininga ainda na noite do dia do incidente, ele contou que passeava com seu cão quando o Labrador escapou de uma casa e avançou no seu animal.

Animal baleado foi imediatamente socorrido e levado para clínica veterinária. (Foto: Reprodução / Campo Grande News)

Ainda no depoimento, o policial contou que atirou no chão para proteger seu cachorro, mas que o tiro acabou acertando Thor.

De acordo com o delegado Hoffman D’avilla, responsável pelo caso, o policial passou por teste do bafômetro, que deu negativo. Ainda segundo ele, todos os fatos serão analisados para que a ocorrência possa ser registrada.

O caso deve ser colocado em segredo de Justiça por envolver um policial.

Fonte: Campo Grande News