Após passar vida preso por corrente, cachorro finalmente está livre para correr

Cachorro que viveu três anos preso em corrente no quintal é resgatado, consegue correr livre pela primeira vez e está aprendendo o que é ser um animal de estimação

por Andrezza Oestreicher — publicado 6 nov 2017 - 9:35

Peanut é um cachorrinho que, apesar de já ter três anos de idade, só agora realmente começou a viver, ou ter a vida que ele e todos os cãezinhos merecem.

O animal ganhou um lar quando tinha poucos meses de idade, porém, em sua nova casa, que fica na Pensilvânia, Estados Unidos, o cachorro foi levado para viver no quintal, onde ficava o tempo inteiro acorrentado e sem receber nenhum tipo de carinho.

O cãozinho vivia acorrentado e só tinha essa casinha para ficar. (Foto: Reprodução / The Dodo / Russelline Steinbuhler)

Os vizinhos do cão só tomaram conhecimento da forma em que o pobre animal vivia quando uma cercava que ficava ao redor do quintal de sua casa caiu. Assim, todos passaram a ver o dia a dia do cachorro, sempre acorrentado.

Segundo informações, alguns vizinhos informaram do caso para as autoridades locais, porém nada foi feito. Até que o grupo de resgate de animais HOPE for Erie Animal Wellness, uma organização sem fins lucrativos, ficou sabendo do caso.

Por estarem muito longe da região onde Peanut vivia, era preciso que vizinhos intermediassem a ajuda. E assim Russelline Steinbuhler soube do pobre cãozinho que vivia preso bem perto de sua casa.

Com a ajuda de Russelline Steinbuhler e do grupo HOPE ele ganhou uma nova casinha e uma corrente mais longa. Poucas mundaças fizeram grande diferença na vida do cão. (Foto: Reprodução / The Dodo / Russelline Steinbuhler)

O cachorro vivia em uma casinha que já estava em péssimo estado. Cheia de furos, que deixavam entrar bastante água, com o piso bem podre e sem nada para protegê-lo.

Ao ver a situação do cão de perto, Russelline viu que não poderia simplesmente deixar que ele continuasse a viver daquela forma, então ela decidiu entrar em contato com os tutores do animal e pediu para ajudar a melhorar a vida de Peanut.

Os tutores do cão, que não eram maldosos com Peanut e pareciam ter deixado o cachorro viver no quintal por conta de um pensamento antigo de que os animais devem viver do lado de fora da casa, afirmaram que ele realmente ficava o tempo inteiro acorrentado e aceitaram a ajuda de Russelline, que por sua vez estava sempre recebendo apoio e orientação do grupo HOPE.

Quando foi libertado, Peanut foi levado para tomar um banho. (Foto: Reprodução / The Dodo / Russelline Steinbuhler)

O cãozinho então ganhou uma nova casinha, novas tigelas de água e ração e finalmente uma nova coleira com uma corrente bem mais comprida, que permitia que ele pudesse andar aproveitar mais da grama do seu quintal.

De acordo com Russelline, com esse pouco que recebeu o cãozinho já mudou. Ele parecia ser um animal mais feliz e estava gostando bastante da grama.

Depois disso, a mulher começou a interagir mais com o cão, passando a fazer visitas diárias ao animal, que nunca socializava com humanos. Ela ficava um tempinho com ele, ensinava algumas coisas e brincava com Peanut.

Time to Run – Finally!

First things first, Peanut was put in the play yard at Critter Camp and finally got to run. He has lived on a chain since he was a few months old. This is what the joy of a dog that has lived on a chain 24/7 and finally gets to run looks like. 🙂

Posted by Russelline Steinbuhler on Sunday, August 20, 2017

As coisas estavam bem melhor para o cão, mas iriam melhorar ainda mais depois que uma nova lei entrou em vigor na Pensilvânia. Essa lei limitava a quantidade de tempo que um cachorro poderia ficar preso por uma corrente.

Com isso, os tutores de Peanut preferiram entregar de vez o cachorro para a HOPE. E assim o cãozinho finalmente pôde saber o que é ser um animal de estimação e o que é ter liberdade para correr, coisa que ele nunca tinha feito em sua vida.

Ao sair da casa onde vivia, o cachorro foi levado para tomar um bom banho e em seguida foi para a área externa do local, onde finalmente ele correu livremente pela primeira vez em sua vida. Todos que estavam ali ficaram muito emocionados com a cena e Peanut parecia estar muito feliz.

Agora Peanut está em um amoroso lar temporário aprendendo o que é ser um animal de estimação de verdade. (Foto: Reprodução / The Dodo / Russelline Steinbuhler)

O cãozinho foi encaminhado para um lar temporário, onde está aprendendo, com uma família bastante amorosa, a ser um animal de estimação que vive dentro de casa.

Fonte: The Dodo

Tosadora japonesa aperfeiçoa o visual bolinha e transforma poodle em ovelha

por Samantha Kelly — publicado 22 jun 2018 - 12:34

Sesame é um Poodle japonês que ganhou fama por causa de seu corte bolinha impecável que faria qualquer fashionista sentir inveja. O motivo de tanta comoção é o fato do penteado ter transformado o garotinho canino em uma ovelha.

Infelizmente Yoriko Hamachiyo, a tosadora responsável por essa obra prima da pelagem canina, não compartilhou um vídeo dos bastidores do corte.

Será que o Poodle, uma das raças caninas com penteados mais clássicos de todas,

 » Read more about: Tosadora japonesa aperfeiçoa o visual bolinha e transforma poodle em ovelha  »

Cães são peça chave na investigação do caso de Vitória Gabrielly

por Samantha Kelly — publicado 21 jun 2018 - 9:52

O auxílio canino no caso da morte de Vitória Gabrielly tem sido fundamental. Ate agora, tanto um pet quanto uma equipe de cães especializados, foram peças chaves na investigação do crime.

Em um primeiro momento, enquanto a polícia ainda tentava encontrá-la e havia a esperança da menina ainda estar viva, a pista da localização exata do paradeiro de Vitória veio de um catador de latinhas que estava passeando com seu cachorro.

O pet ficou intrigado com o cheiro forte que vinha da mata e começou a latir sem parar.

 » Read more about: Cães são peça chave na investigação do caso de Vitória Gabrielly  »

Além da rampinha: Escada em espiral é opção chique e compacta para seu cachorro subir na cama

por Samantha Kelly — publicado 15 jun 2018 - 9:30

Ficamos apaixonadas pela escada em espiral da Sophipet com um ar super sofisticado. Ela é totalmente personalizável, com várias opções de cores e estilos para combinar com diferentes tipos de decoração.

Muitos não sabem, mas rampas e escadinhas dessa forma ajudam bastante os pets a não forçarem as costas com os vários pulos acrobáticos que eles dão quando sobem e descem da cama, sofá e afins.

Ela chega até 100 cm de altura para as camas mais altas e possui apenas 45 cm de raio,

 » Read more about: Além da rampinha: Escada em espiral é opção chique e compacta para seu cachorro subir na cama  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Tosadora japonesa aperfeiçoa o visual bolinha e transforma poodle em ovelha

por Samantha Kelly — publicado 22 jun 2018 - 12:34

Sesame é um Poodle japonês que ganhou fama por causa de seu corte bolinha impecável que faria qualquer fashionista sentir inveja. O motivo de tanta comoção é o fato do penteado ter transformado o garotinho canino em uma ovelha.

Infelizmente Yoriko Hamachiyo, a tosadora responsável por essa obra prima da pelagem canina, não compartilhou um vídeo dos bastidores do corte.

Será que o Poodle, uma das raças caninas com penteados mais clássicos de todas, ganhará mais um modelo? Se depender de nós, votamos sim mil vezes.

Sério, o resultado é tão incrível que as fotos parecem montagem, mas não são.

 

Cães são peça chave na investigação do caso de Vitória Gabrielly

por Samantha Kelly — publicado 21 jun 2018 - 9:52

O auxílio canino no caso da morte de Vitória Gabrielly tem sido fundamental. Ate agora, tanto um pet quanto uma equipe de cães especializados, foram peças chaves na investigação do crime.

Em um primeiro momento, enquanto a polícia ainda tentava encontrá-la e havia a esperança da menina ainda estar viva, a pista da localização exata do paradeiro de Vitória veio de um catador de latinhas que estava passeando com seu cachorro.

O pet ficou intrigado com o cheiro forte que vinha da mata e começou a latir sem parar. Foi graças a reação estranha do cachorro que o tutor foi verificar se havia de fato algo errado. Foi então que ele acabou se deparando com o corpo da menina, que se encontrava no mesmo local há 4 dias.

Após a confirmação da morte e localização do corpo, a próxima fase da investigação contou com a ajuda de Bazuka, Adaga e Duke, cães farejadores do grupo GBR. Através de odores de suspeitos fornecidos pela polícia, os cães vasculharam a área delimitada e verificaram se os cheiros poderiam ser encontrados no local.

Apesar da equipe envolvida não poder contar muito sobre o resultado para não atrapalhar o trabalho investigativo, o treinador dos cães afirma que os animais confirmaram a presença de alguns dos odores no local.

 

Foto: Reprodução/Record