Cachorro morre sufocado com saco de salgadinho e tutores fazem apelo nas redes sociais

O cãozinho encontrou um saco de salgadinho na cozinha, conseguiu abrir e enfiou a cabeça para comer os últimos farelos. O saco ficou preso na cabeça do animal, causando asfixia e sua morte

por Andrezza Oestreicher — publicado 4 abr 2018 - 9:38

Muitos tutores de cachorro trabalham fora e, por esse motivo, precisam deixar seus animais sozinhos por algum período de tempo. Pensando na segurança do cão, os tutores procuram deixar a área dos peludos livres de fios ou qualquer coisa que possa machucá-los.

Porém, quando falamos em animais de estimação, o cuidado deve ser redobrado, mesmo que eles fiquem sozinhos apenas por pouco tempo.

One week ago I kissed my baby boy goodbye on my way out for work. But I had no idea it would be for the last time….

Posted by Christina Young on Monday, February 26, 2018

É isso que Cristina Young e seu marido querem passar para todos os tutores de animais ao divulgar a causa da morte trágica de seu amado e tão bem cuidado cachorro Petey, da raça Pit Bull.

Em publicações emocionante em suas redes sociais, o casal contou que o marido teve uma surpresa terrível ao chegar em casa do trabalho. Normalmente, o cachorro sempre o recebe bastante animado na porta, mas neste dia não foi isso o que aconteceu.

O marido chegou a desconfiar que o animal estivesse escondido por ter feito alguma coisa errada, mas infelizmente não era nada disso.

Ao entrar na sala de jantar, o homem viu o cachorro sem vida com um saco de batatinha enfiado na cabeça.

O que aconteceu foi que o cachorro encontrou o saco de salgadinho, conseguiu abrir e começou a comer. Quando restaram apenas os farelos, o cão enfiou a cabeça no saco, porém, cada vez que ele respirava lá dentro para pegar os retinhos de batata, o saco ficava mais apertado em sua cabeça, até chegar ao ponto de sufocar o animal.

It’s 5 o’clock somewhere…

A post shared by Christian Villarreal (@cville7) on

Cristina sabia que seu animal era esperto e não entendia como ele não tinha conseguido tirar o saco de sua cabeça com as patas. Tentando entender o que tinha acontecido, o casal fez várias pesquisas para saber se casos assim são raros e tiveram uma grande surpresa ao ver que o número de morte por sufocamento como a de seu cachorro era bem maior do que imaginavam.

De acordo com as pesquisas do casal (números provavelmente indicando casos nos Estados Unidos, já que o caso aconteceu no Texas), cerca de três a cinco casos de animais de estimação asfixiados são informados a cada semana e 42% deles ocorrem enquanto o tutor está na sala ao lado do pet.

Porém, o que as pessoas não sabem é que os animais podem ficar sufocados muito rápido. De acordo com as informações encontradas pelo casal, leva apenas cerca de 3 minutos para o oxigênio cair para níveis fatais.

Apesar disso, os tutores ficaram impressionados com a falta de divulgação sobre esse assunto e de informações de cuidados para evitar a asfixia ou até de como agir caso alguém encontre um animal sufocando.

One week ago today I had to say goodbye to my baby boy.. My heart hurts and I miss him like crazy but I am so thankful I had him in my life at all. Although this is hard to talk about and probably not fun to read, I feel like @mschris99 and I need to share what happened to Petey to hopefully prevent this from happening to anyone else. Last Monday I came home and was not greeted at my door like usual. I thought Petey was hiding from guilt from getting on the couch but as I walked in further I discovered my poor sweet boy lifeless in our dining room with a chip bag over his head. He got it off our counter and after eating all the chips he went back for crumbs and got the bag stuck over his head. Each time he tried to get some he inhaled causing the bag to tighten ultimately resulting in suffocation. We have done a lot of research and the stats on how often this happens is insane. 3-5 pet suffocation’s get reported every week and 42% occurs when the owner is in the next room. It only takes roughly 3 minutes for their oxygen levels to drop to fatal limits. Chip bags, cereal bags, bread bags, popcorn bags, dog/cat treats bags are the most common. Petey was everything to me and I wouldn’t wish this feeling on anyone. If you are a pet owner please be extra careful and share this with other pet owners to help spread awareness. We thought we were so careful with Petey but it never occurred to us that he could lose his life from a chip bag.. Research also shows 90% of pet owners didn't know the dangers until it happened to their pet. Love and hug your pets extra tight and just be a little more cautious about these dangers in honor of my boy Petey Pablo. We love you so much boy. #preventpetsuffocation #pitbullsofinstagram @preventpetsuffocation

A post shared by Christian Villarreal (@cville7) on

Ainda de acordo com a pesquisa do casal, em 90% das ocorrências relatadas, os tutores afirmaram que nunca tinham ouvido falar de casos assim até que aconteceu com eles.

Sacos plásticos, de supermercado, sacos de batatinha, de salgadinho, pacotes de pipoca e até saco de pão, todos podem causar asfixia em animais de estimação.

O casal finalizou suas postagens pedindo que todos os tutores tenham um cuidado redobrado com seus animais e deixem sacos, sejam eles de que tipo for, longe de seus peludos e que compartilhem essas informações com outros tutores, para que juntos possam proteger o maior número de animais.

De casa ao trabalho, Ana Maria Braga tem sempre a gostosa companhia de seus cachorros

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 abr 2018 - 18:45

Tem muito tutor por aí que seria muito mais feliz no trabalho se pudesse ter a companhia do seu animal de estimação durante o tempo que precisa ficar fora de casa se dedicando a sua profissão.

Aqui no Brasil ainda são poucas as empresas que permitem a presença dos pets de seus funcionários. Mas algumas pessoas têm bastante sorte de poder ter a companhia de seus amados peludos em todo lugar, e uma delas é a querida apresentadora Ana Maria Braga.

 » Read more about: De casa ao trabalho, Ana Maria Braga tem sempre a gostosa companhia de seus cachorros  »

Médicos Veterinários poderão ser obrigados a informar indícios de maus-tratos a animais para a polícia

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 abr 2018 - 9:00

Durante consultas ou até mesmo em avaliações simples, médicos veterinários podem ser capazes de identificar se um animal está sendo vítima de maus-tratos ou de alguma negligência.

Pensando nisso e em ajudar a diminuir o número de animais maltratados pelos próprios tutores em nosso país, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou proposta que prevê a obrigação de médicos veterinários comunicarem imediatamente à Polícia Judiciária quando constatarem indícios de maus-tratos naqueles animais nos quais prestarem atendimentos médicos.

 » Read more about: Médicos Veterinários poderão ser obrigados a informar indícios de maus-tratos a animais para a polícia  »

Através de anúncio na internet mulher descobre que cachorro desaparecido estava com vizinhos

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 abr 2018 - 15:24

Só quem tem um cachorrinho desaparecido sabe o desespero que é o momento das buscas, de não saber como o animal está, e a tristeza que toma conta quando a esperança de encontrar o amado animal vai se acabando.

Foi com essa angústia e tristeza que a tutora Silmara Ribeiro do Amaral e sua filha, uma menina de oito anos, viveram durante um ano após o desaparecimento do amado cachorro da família, um Pug de três anos chamado Gordo.

 » Read more about: Através de anúncio na internet mulher descobre que cachorro desaparecido estava com vizinhos  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

De casa ao trabalho, Ana Maria Braga tem sempre a gostosa companhia de seus cachorros

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 abr 2018 - 18:45

Tem muito tutor por aí que seria muito mais feliz no trabalho se pudesse ter a companhia do seu animal de estimação durante o tempo que precisa ficar fora de casa se dedicando a sua profissão.

Aqui no Brasil ainda são poucas as empresas que permitem a presença dos pets de seus funcionários. Mas algumas pessoas têm bastante sorte de poder ter a companhia de seus amados peludos em todo lugar, e uma delas é a querida apresentadora Ana Maria Braga.

Família ❤️ #maisvoce

A post shared by Ana Maria Braga (@anamaria16) on

⚫⚪ #lookdodia

A post shared by Ana Maria Braga (@anamaria16) on

Ana Maria está sempre com o cenário do seu programa recheado de peludos, pois seus cachorros têm liberdade total para circular pelo local.

Já tão famosos quanto sua mamãe humana, os cães também possuem fãs e o público do programa matinal “Mais Você” até estranha e se preocupa quando os cachorros não aparecem.

Peppa pedindo carinho… quem aguenta? 🐶💗

A post shared by Ana Maria Braga (@anamaria16) on

#crystal 💞🐶

A post shared by Ana Maria Braga (@anamaria16) on

Bastante coruja, Ana Maria não esconde sua paixão pelos pets e sempre aparece no programa com algum (ou alguns) deles no colo e alisando os animais enquanto conversa com o público de casa ou com seus convidados, que também não resistem aos cães da apresentadora e fazem muito carinho nos peludos.

Assim como todos os apaixonados por seus animais, a tutora também costuma publicar muitas fotos dos seus cãezinhos no seu perfil oficial nas redes sociais.

Duas cachorras e só uma cadeira. Como faz? 💛 #ciumes #vidadecao

A post shared by Ana Maria Braga (@anamaria16) on

Feliz Páscoa ✨

A post shared by Ana Maria Braga (@anamaria16) on

Para quem há acompanha a Ana Maria Braga e o “Mais Você” há mais tempo, se lembra bem da pet que abriu as portas e a primeira a ganhar espaço no estúdio do programa. A fofa e peludinha Belinha foi adotada pela apresentadora com dois meses de idade e foi para o céu dos cachorros aos 12 anos de idade, em janeiro de 2015.

Médicos Veterinários poderão ser obrigados a informar indícios de maus-tratos a animais para a polícia

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 abr 2018 - 9:00

Durante consultas ou até mesmo em avaliações simples, médicos veterinários podem ser capazes de identificar se um animal está sendo vítima de maus-tratos ou de alguma negligência.

Pensando nisso e em ajudar a diminuir o número de animais maltratados pelos próprios tutores em nosso país, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou proposta que prevê a obrigação de médicos veterinários comunicarem imediatamente à Polícia Judiciária quando constatarem indícios de maus-tratos naqueles animais nos quais prestarem atendimentos médicos.

(Foto: Reprodução / Wide Open Pets)

O texto aprovado se insere na Lei 5517/68, que trata da profissão de médico veterinário.

De acordo com o relator, deputado Ricardo Izar (PP-SP), “é justo e necessário que essa comunicação seja realizada pelo estabelecimento, porém, o texto deixa dúvidas de como será feita e quem será responsável pela fiscalização dos estabelecimentos. Com a vinculação do dispositivo à Lei 5517/68, caberá aos Conselhos Federal e Regional de Medicina Veterinária, autarquia já constituída, a exercer a fiscalização do profissional e do estabelecimento para verificar o efetivo cumprimento da legislação”.

Ainda de acordo com o deputado, o governo não terá nenhum novo custo, pois a estrutura existente nos conselhos absorveria essa fiscalização como rotina.

De acordo com o texto aprovado, os comunicados de maus-tratos feitos pelos médicos veterinários para a polícia devem conter relatório assinado com algumas informações mínimas específicas como:
– nome, endereço e contato do acompanhante do animal no momento do atendimento;
– informações do atendimento prestado, contendo a espécie, raça e características físicas do animal, descrição de sua situação de saúde na hora do atendimento e os respectivos procedimentos adotados.

(Foto: Reprodução / Animal Lawyers)

Porém, foi retirada do texto a pena que previa interdição do estabelecimento para quem descumprir a medida.

A proposta será analisada, em caráter conclusivo, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Esperamos que esse passo ajude a diminuir os casos de violência contra animais de estimação no Brasil.

Fonte: Agência Câmara Notícias