Cachorro operado foge de hospital veterinário público em SP

por Fabio Sakita — publicado 15 set 2012 - 0:01

Um cão da raça rottweiler fugiu do hospital veterinário público, localizado no bairro do Tatuapé, Zona Leste de São Paulo. O cachorro havia sido socorrido por vizinhos em São Miguel Paulista, após ter sofrido agressões do antigo dono, e levado para o hospital no começo do mês em estado de semicoma. A fuga ocorreu no último dia 7.

Cachorro tinha acabado de passar por uma cirurgia


 
Segundo o diretor administrativo do hospital, Renato Tartalia, após passar por uma cirurgia para corrigir uma fratura de mandíbula, o rottweiler estava sendo transportado com outros cães, em uma mudança de edifício feita no setor de internação. De dentro da gaiola, ele ameaçou morder o funcionário que o carregava. A casinha caiu de uma altura de cerca de 30 cm e a porta abriu, o que fez com que o cão fugisse.

“Ele estava recuperado da cirurgia e com a boca já refeita. Estava agressivo e assustando muita gente, mas estávamos lidando com ele. Infelizmente, foi uma fatalidade. Fomos atrás dele, eu fui de carro. O cachorro foi cercado duas vezes, mas estava muito agressivo”, disse o veterinário. É a primeira vez que um cachorro aos cuidados do hospital, inaugurado em julho, foge.

Busca

Assim que soube do caso do cachorro espancado, a advogada Paola del Giorno foi até a clínica saber de seu estado de saúde e se oferecer para adotá-lo. “Não tinha ninguém responsável por ele e me ofereci para adotá-lo. Isso foi no dia 5. Deixei meu telefone e pedi para me ligarem qualquer coisa. Como ele estava sem dentes e tinha a mandíbula quebrada, arrecadei papinhas para levar ao hospital. No dia 11, cheguei lá perguntando por ele e, após me deixarem esperando muito tempo, me falaram que o cachorro tinha fugido”, disse Paola ao G1.

Paola continua a busca pelo animal, que atende pelo nome de ‘Negão’ ou ‘Bob’. Segundo ela, seu estado é crítico. “Se estiver vivo, ele está babando, não tem dentes, sente muita dor e está agressivo, pois apanhou muito e tem muito medo”. Ela diz que ele escapou com uma coleira de couro marrom, uma atadura em volta do pescoço e acesso venoso na pata preso com esparadrapos. Ele teria sido visto pela última vez próximo ao clube do Corinthians, na Marginal Tietê.

deixe seu comentário: