Cachorros estão incapazes de pensar por si depois de séculos de domesticação

por Samantha Kelly — publicado 25 set 2012 - 17:48

Cachorros x Lobos

De acordo com um novo estudo, os cachorros passaram a depender tanto de humanos que eles perderam a habilidade de pensar por si próprios.

Os pesquisadores acreditam que os anos de domesticação levaram os cães a perderem a habilidade de resolver problemas, como faziam antes na selva.

Os pets falharam nos testes básicos que lobos e cachorros selvagens passaram com facilidade. Essa perda de habilidade parece estar geneticamente ligada aos cachorros em geral, o que explica a dificuldade de cães de ruas em sobreviverem.

Segundo o psicólogo Bradley Smith, responsável pelo estudo, “Lobos são bem melhores que cachorros na resolução de problemas que não são sociais. Geralmente cachorros selvagens sobrevivem tirando vantagem das sobras de humanos ou animais de criação domésticos. Precisaria de muitas gerações de cachorros bem sucedidos para começarem a adotar tais habilidades cognitivas, necessárias para sobrevivência na selva.”

Smith e sua colega de trabalho, Carla Litchfield, colocaram cachorros domésticos e dingos para passar por um teste.

Dingos são cachorros domésticos, que por muitas gerações, se adaptaram à vida do outback australiano. Como resultado, os dingos desenvolveram instintos mais selvagens, que hoje os diferenciam dos outros cães domésticos.

Os pesquisadores colocaram um comedouro com ração atrás de uma cerca. Para alcançar a comida, os animais precisariam seguir a cerca, se afastar da comida,  passar por uma porta para então voltar.

Todos os dingos conseguiram chegar na comida em cerca de 20 segundos, tendo vantagem na porta. Os cães domésticos, em contrapartida, pareciam estar confusos. Eles batiam a patinha na cerca, cavavam, até latiam, de frustração, e então chamavam ajuda. Os pesquisadores também mostraram que, como os dingos, os lobos facilmente completavam o teste.

Smith completou “Os cachorros são incríveis em tarefas sociais, como comunicação com humanos, o uso dos humanos como ferramentas e aprendizado através da observação de humanos. Entretando, lobos são bem melhores na resolução de problemas gerais.”

Ele também disse que lobos também são melhores em trabalhar individualmente e no uso de ferramentas, como cordas.

Rob Appeleby, um pesquisador da Griffith University em Brisbane, Austrália, descreveu as evidências como “constrangedoras”.

Ele adicionou “Esse estudo sugere que podem haver diferenças cognitivas entre cães selvagens e domesticados, potencialmente sendo relacionadas com suas diferentes histórias de evolução.”

 

Texto de Daily Mail, traduzido por Portal do Dog,

 

Senhor com doença terminal tem como último desejo ver seu cachorro mais uma vez

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 maio 2018 - 20:23

O cãozinho Shep, um fofo Border Collie, e seu tutor, um senhor chamado Peter Robson eram melhores amigos e muito apegados um ao outro desde que o peludo entrou na vida do homem.

Shep foi um presente dado para Peter por sua família logo após sua esposa falecer. Com a chegada do cachorro, o homem voltou a sorrir. Os dois se tornaram grandes companheiros e viveram juntos por oito anos. Até que Peter ficou bastante doente e precisou ser internado.

 » Read more about: Senhor com doença terminal tem como último desejo ver seu cachorro mais uma vez  »

Cãozinho ajuda irmão canino a lidar com a cegueira e dupla se torna inseparável

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 maio 2018 - 18:24

É sempre muito complicado saber qual a melhor decisão a tomar quando nossos cães estão com algum problema de saúde grave e sabemos que uma das opções, por mais que seja a mais indicada, vai afetar bastante a vida do peludo.

Foi por essa situação que Kim, de 49 anos, e seu marido Joe, de 51, tutores do fofo cãozinho Jake, precisaram passar.

Quando tinha cerca de quatro meses, Jake, um alegre Golden Retriever,

 » Read more about: Cãozinho ajuda irmão canino a lidar com a cegueira e dupla se torna inseparável  »

Cachorrinho de Meghan Markle ganha carona de rainha Elizabeth na véspera do casamento da tutora

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 maio 2018 - 16:00

Nós não sabemos se a atriz Meghan Markle ganhou o coração da Rainha da Inglaterra e avó de seu marido, mas o seu cãozinho definitivamente já ganhou a simpatia da Rainha mais apaixonada por cachorros que conhecemos.

O cachorrinho Guy, que é da raça Beagle, foi adotado de um abrigo por Meghan em 2015. Porém, a esposa do príncipe Harry não apenas adotou o cãozinho, ela salvou o peludinho.

Guy havia sido resgatado em uma floresta e como o abrigo não encontrava ninguém que quisesse adotá-lo,

 » Read more about: Cachorrinho de Meghan Markle ganha carona de rainha Elizabeth na véspera do casamento da tutora  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Senhor com doença terminal tem como último desejo ver seu cachorro mais uma vez

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 maio 2018 - 20:23

O cãozinho Shep, um fofo Border Collie, e seu tutor, um senhor chamado Peter Robson eram melhores amigos e muito apegados um ao outro desde que o peludo entrou na vida do homem.

Shep foi um presente dado para Peter por sua família logo após sua esposa falecer. Com a chegada do cachorro, o homem voltou a sorrir. Os dois se tornaram grandes companheiros e viveram juntos por oito anos. Até que Peter ficou bastante doente e precisou ser internado.

Posted by Ashley Stevens on Thursday, March 29, 2018

O senhor tinha uma grave doença pulmonar que foi diagnosticada em 2015 e foi piorando a cada ano. Este ano, em estágio bastante avançado, Peter, com 70 anos, teve que ser internado em um hospital e ficou semanas sem poder ver seu amado cachorro.

Ao saber que Peter estava piorando, sua família perguntou o que eles poderiam fazer para amenizar a situação. Tudo o que Peter pediu foi que ele pudesse ver seu amado cachorro pela última vez e se despedir de seu amigo peludo.

A equipe do Ninewells Hospital, localizado em Dundee, na Escócia, trabalhou bastante junto com a família de Peter para que o encontro fosse possível. O tutor já começou a chorar antes mesmo do seu amigo peludo chegar. Quando o encontro finalmente aconteceu, ninguém conseguiu segurar as lágrimas.

Posted by Ashley Stevens on Thursday, March 29, 2018

A neta de Peter, Ashley Stevens, filmou o momento em que o avô e Shep se viram novamente. Mesmo bastante fraco, Peter retirou sua máscara de oxigênio para poder dar um beijo no seu tão amado peludo. O amor do homem e a saudade que ele sentia por seu cão ficaram muito visíveis.É impossível não ficar extremamente tocado e emocionado com a cena.

O incrível encontro durou cerca de 30 minutos e foi realmente uma despedida entre os amigos, pois o senhor Peter acabou falecendo poucas horas depois de ver Shep no hospital.

A neta de Peter publicou em suas redes sociais um belo agradecimento à equipe do hospital, por permitir e organizar aquele lindo encontro, permitindo que seu avô conseguisse realizar seu último pedido.

Absolutely amazed and touched today from NHS ninewells hospital, our grandads last and final wish was to see his dog one…

Posted by Ashley Stevens on Thursday, March 29, 2018

“Absolutamente maravilhada e tocada hoje no NHS Ninewells Hospital, o último desejo de nosso avô foi ver seu cão mais uma vez. Ainda em choque que o desejo foi concedido e eles se superaram, foram além e fizeram um homem que estava morrendo muito feliz. Cheryl Whyte, enfermeira da Ward 3, você é um anjo absoluto e todos nós somos eternamente gratos, você não sabe o que isso significava para nosso avô”, escreveu ela, que finalizou pedindo para que todos compartilhassem sua publicação para que mais pessoas pudessem ver como os funcionários e enfermeiros do hospital são incríveis.

Fonte: The Animal Rescue Site

Cãozinho ajuda irmão canino a lidar com a cegueira e dupla se torna inseparável

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 maio 2018 - 18:24

É sempre muito complicado saber qual a melhor decisão a tomar quando nossos cães estão com algum problema de saúde grave e sabemos que uma das opções, por mais que seja a mais indicada, vai afetar bastante a vida do peludo.

Foi por essa situação que Kim, de 49 anos, e seu marido Joe, de 51, tutores do fofo cãozinho Jake, precisaram passar.

Cadelinha enche seu irmão canino de carinho. (Foto: Reprodução / Caters News / Metro UK)

Quando tinha cerca de quatro meses, Jake, um alegre Golden Retriever, foi diagnosticado com epilepsia. Por conta deste problema de saúde, o cãozinho começou a ficar com os olhos muito ressecados.

O incômodo nos olhos fazia com que o cachorro coçasse bastante a região o que acabou danificando sua visão. Por conta disso, ele precisou fazer intervenções regulares em suas córneas.

Depois que o cachorro lutou contra infecções graves ainda bem pequeno, os tutores de Jake tomaram a difícil e triste decisão de retirar os olhos do animal, que ficou livre dos problemas que tanto o incomodavam, mas completamente cego.

“Estávamos com o coração partido e não tínhamos ideia de como Jake lidaria com ser cego”, contou a tutora. Porém, ela se sentiu um pouco mais aliviada depois que encontrou, através da internet, outras famílias com cães cegos e viu que geralmente eles lidavam muito bem com a nova condição.

A cadela ajuda seu irmão cego no dia a dia. (Foto: Reprodução / Caters News / Metro UK)

Pensando em ajudar Jake em sua adaptação à nova condição, os tutores decidiram aumentar a família e levaram um novo filhote para casa pouco antes da cirurgia de Jake.

A cadelinha Addie, também Golden Retriever, ajudou bastante o seu irmão mais velho e acabou se tornando uma espécie de cão-guia para o irmão. Ela o ajuda a subir as escadas e o guia nas caminhadas. Kim até colocou um sininho na coleira da cadelinha para que o Jake sempre consiga saber onde ela está.

Além disso, Addie sempre faz muito carinho em Jake e enche o irmão canino de lambeijos no focinho, principalmente na região dos olhos.

O cãozinho cego é muito feliz com a ajuda e companhia da irmã canina. (Foto: Reprodução / Caters News / Metro UK)

De acordo com Kim, os cães são inseparáveis e Jake nunca foi tão feliz em sua vida. Para a tutora, Addie é responsável por boa parte dessa felicidade. “Eles são uma dupla adorável e nós temos muita sorte em ter os dois em nossas vidas”, afirma ela.

Fonte: Metro UK