3 mar 2015 - 18:00
thumbnail 1 summary

Cães de abrigos estão ajudando cientistas a encontrarem os gorilas mais raros do mundo

Pesquisadores norte-americanos e alemães estão procurando gorilas-do-rio-cross em Camarões.

Escrito por Karina Sakita
Jornalista do Portal do Dog

O olfato dos cães é realmente impressionante. Eles são capazes de identificar câncer de próstata, alertar diabéticos sobre uma mudança de quantidade de açúcar no sangue e até mesmo, farejar corpos submersos em rios.

Poderíamos escrever um texto enorme sobre quantas coisas os cachorros conseguem farejar porque a lista é extensa (veja mais algumas, clicando aqui).

Agora, um grupo de pesquisadores alemães e norte-americanos estão contando com a ajuda de cães de abrigos para encontrar os gorilas mais raros do mundo.

 

Cachorra Lily. (Foto: Reprodução / Scientific American)

Cachorra Lily usa seu faro para ajudar gorilas. (Foto: Reprodução / Scientific American)

 

O trabalho, que está sendo realizado em Camarões, pretende localizar gorilas-do-rio-cross que estão ameaçados de extinção.

Megan Parker, do Working Dogs for Conservation in Montana, explica como é feito esse trabalho:

 

Nós selecionamos os cachorros ávidos, o que significa que têm mais energia, a maioria das pessoas diria que é isso é algo obsessivo. Isso nos permite treina-los como cães detectores. Essas características faz com que sejam cachorros menos desejados como animais de estimação, mas nós selecionamos os cães de abrigos exatamente por causa dessas particularidades. Esses cães também precisam ser focados e ter o desejo de trabalhar com um cuidador, assim como ser capaz de se manter focado enquanto trabalha, ignorando todas as distrações que normalmente seriam uma tentação aos cachorros.

 

Equipe Working Dogs for Conservation. (Foto: Reprodução / Scientific American)

Equipe Working Dogs for Conservation. (Foto: Reprodução / Scientific American)

 

Fonte: Bark Post

 

 


  • Compartilhe


  • Receba as notícias do
    Portal do Dog no seu email!
    É gratuito!

    Deixe seu comentário