Cãozinho sofre grave violência no interior de São Paulo e é encontrado com patas mutiladas

O cachorro estava com a almofada de uma das patas completamente arrancada e a da outra pata pendurada

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 out 2017 - 18:39

Infelizmente, a violência contra os animais ainda estão chegando a níveis que nós nem conseguiríamos imaginar. Na cidade de Araraquara, localizada no interior de São Paulo, um caso em particular está chocando a população.

Pingo, um cachorrinho vira-lata de apenas sete meses de idade, tem o costume de andar pela sua rua. Porém, no último sábado, dia 21 de outubro, ele não voltou. Suas tutoras ficaram bastante preocupadas, pois isso nunca tinha acontecido, e rapidamente começaram a procura pelo cão.

Cãozinho está internado e segue em tratamento com antibióticos e fazendo a troca de curativos três vezes ao dia. (Fotos: Reprodução / G1 / Arquivo pessoal)

Até que no final da tarde, elas conseguiram encontrar o cão, que estava coberto de mato e em um estado terrível.

“Ele sempre vai dar uma voltinha, mas vai até na esquina e volta. Mas de repente ele sumiu. Andamos o bairro inteiro de moto, quando deu uma 17h30 uma moça veio falar que ele estava no mato, perto da linha do trem, chorando”, contou Tamiris Silva, uma das tutoras do animal.

O cãozinho chorava de dor, pois estava com suas duas patinhas dianteiras mutiladas. A almofada de uma das patas foi completamente arrancada e a da outra estava pendurada.

Pingo foi rapidamente levado para uma clínica veterinária, onde recebeu atendimento de emergência e está internado. Ainda não se sabe exatamente o que aconteceu, mas pelas lesões do animal, acredita-se que os machucados tenham sido causados por violência humana.

Ainda não se sabe se será preciso amputar as patas de Pingo. (Fotos: Reprodução / G1 / Arquivo pessoal)

O cão segue estável na clínica, onde precisará ficar internado por mais alguns dias e está fazendo tratamento com antibióticos e curativos, que são trocados três vezes ao dia. De acordo com o veterinário que está cuidando do animal, ainda não é possível dizer se será preciso amputar as patas do cachorro.

Enquanto isso, as tutoras de Pingo estão tendo gastos de cerca de R$ 310 por dia com os cuidados do cão, incluindo diária de internação, medicamentos e curativos, e pedem ajuda para continuar pagando o tratamento do bichinho.

Quem quiser ajudar de alguma forma, é só entrar em contato com as tutoras através dos números (DDD 16) 99251-3295 ou 99307-7230.

Um boletim de ocorrência do caso foi registrado e a Polícia Civil está investigando como crime de maus-tratos.

Fonte: G1

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

 » Read more about: Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês  »

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda,

 » Read more about: Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira  »

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor,

 » Read more about: Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

A new photograph of The Queen at home at Windsor Castle, taken by Annie Leibovitz, will feature in @VanityFair in celebration of #Queenat90

A post shared by The Royal Family (@theroyalfamily) on

A cadelinha Willow, que tinha quase 15 anos de idade e era a última descendente de Susan, sofria de um câncer e estava sendo bem cuidado, porém, quando sua saúde piorou, a Rainha Elizabeth preferiu por fim ao sofrimento da amada cadela, que foi sacrificada no último domingo, dia 15 de abril, no Castelo de Windsor.

De acordo com uma fonte do Palácio de Buckingham, a perda de Willow, que se tornou sua companheira mais fiel, foi muito difícil para a rainha. “Ela lamentou a morte de todos os seus Corgis ao longo dos anos, mas ficou mais chateada com a morte de Willow do que qualquer um deles. E isso provavelmente porque Willow foi o último elo com seus pais e uma diversão que remonta à sua própria infância. Realmente parece o fim de uma era”, disse a fonte.

A escolha por não continuar a ter novos cães descendentes de Susan se deu por conta do medo que a rainha tinha de que acontecesse algum acidente, visto que ela já é idosa e os cachorros sempre ficam nos seus pés, ou de que ela tivesse um problema de saúde mais grave e acabasse deixando os animais.

Os cachorros têm passe livre pelas residências reais. (Foto: Reprodução / Instagram @theroyalfamily)

Apesar da profunda tristeza, a Rainha Elizabeth tem ainda três cães, dois Dorgis, mistura de Corgi com Dachshund, chamados Vulcan e Candy, e um Corgi, que foi adotado pela rainha depois que o tutor do animal, um funcionário do palácio de Sandringham, faleceu.

Fonte: The Daily Mail

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda, tem uma turma grande em casa e suas redes sociais estão repletas de registros dos pets.

Tenho certeza que metade da população brasileira desejou agora mesmo ser adotada por essa família.

 

Um tapete? Não… O Marley aproveitando o chão geladinho nesse calor. 🖤

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

A minha turma é da pesada… 😍🙈

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on