Pit Bull que perdeu o nariz descobre finalmente o que é felicidade

Cão que foi encontrado abandonado com parte do focinho cortado fora é hoje exemplo de superação e felicidade

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 maio 2016 - 13:26

Em janeiro de 2015, Brittany Faske, voluntária do grupo de resgates ADORE (All Dogs Official Rescue Enterprise of Houston), recebeu uma ligação que lhe deixou bastante preocupada. Um trabalhador de uma construção em Houston, Texas, tinha visto um Pit Bull ferido que parecia ter perdido metade do seu rosto. O homem contou que o cão se escondeu no mato e não deixava ninguém se aproximar.

A mulher ficou atordoada com a ligação e foi até o local imediatamente. Quando ela encontrou o cão sentado perto de uma vala entre os sacos de restos de comida e pneus velhos, ela pôde ver que ele estava em uma situação bem pior do que ela tinha imaginado inicialmente. O cão estava tão mal, que na melhor das hipóteses, ela pensou que o máximo que poderia fazer era ajudar a acabar com o sofrimento dele.

O cão foi encontrado com o nariz cortado e em uma situação terrível. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

O cão foi encontrado com o nariz cortado e em uma situação terrível. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

“Este cão, que já tinha sido lindo, grande e forte, tinha sido reduzido a quase nada. Junto com seus ferimentos, ele estava tão magro que suas costelas, ossos do quadril e espinha dorsal estavam claramente visíveis sob sua pele. Ele estava coberto de sujeira e estava muito fraco”, disse Brittany ao site The Dodo.

Quando ela se aproximou do cão, ele deu um grunhido de advertência, mas isso não a assustou. Ela não esperava uma reação diferente dele, visto a situação em que ele se encontrava e tudo o que ele deve ter passado e sofrido para ficar assim.

Após algum tempo, o cão deixou que Brittany se aproximasse o suficiente para conseguir inspecionar seus ferimentos mais de perto. O animal não tinha mais a maior parte do nariz e focinho, e o que restou foi deixado pendurado na frente de seu rosto.

O cão foi resgatado, levado ao veterinário e fez tratamentos e cirurgia. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

O cão foi resgatado, levado ao veterinário e fez tratamentos e cirurgia. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Brittany logo concluiu que aquilo não poderia ter sido um acidente, pois o corte estava tão reto que só poderia ter sido feito com um instrumento afiado. Então, provavelmente aquela situação do cão era obra de um ser humano, talvez o mesmo que o deixou largado naquele lugar. Além da aparência horrível dos ferimentos, o cão também estava com um cheiro forte de infecção.

Após conseguir a confiança do cão, que recebeu o nome de Apollo, Brittany o levou para o veterinário. Apesar da enorme dor que o cão parecia sentir, ao entrar no carro da mulher ele conseguiu relaxar e até adormeceu. Porém, ele ainda não estava completamente fora de perigo.

Apesar de tudo o que havia passado, Apollo era muito sociável e carinhoso. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Apesar de tudo o que havia passado, Apollo era muito sociável e carinhoso. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

O cão precisava de cuidados médicos urgentes e Brittany não sabia se ele aguentaria os tratamentos que estavam por vir. Mas, ao chega na clínica, Apollo trotou ao redor da área de espera, cheirou as pessoas e interagiu com os outros cães.

Além de suas lesões faciais, um exame constatou que Apollo estava também com dirofilariose, uma condição que ocorre quando vermes parasitas migram através dos tecidos de um cão até seu coração e que pode levar à morte quando não tratada.

Brittany e o veterinário colocaram comida e água na frente de Apollo para ver que tipo de qualidade de vida que ele teria, e se ele ainda conseguia se alimentar de forma normal. Se ele conseguisse, então ele poderia ter uma chance.

A ligação entre o cão e a mulher que o resgatou foi tão forte que ela acabou o adotando. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

A ligação entre o cão e a mulher que o resgatou foi tão forte que ela acabou o adotando. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Sem hesitar, Apollo devorou rapidamente duas tigelas de comida e água. Então Apollo andou até a mulher que o resgatou e colocou a cabeça em sua na perna. “A partir desse momento, nós sabíamos que ele não era apenas um cão qualquer”, disse Brittany.

Depois de um tempo, Apollo fez uma cirurgia reconstrutiva. O nariz exterior do cão tinha ido embora, mas ele ainda tinha uma cavidade nasal que lhe permitia respirar. Durante a operação, o veterinário colocou um enxerto de pele ao redor do osso exposto da cavidade nasal de Apollo, que iria proteger o que restava de seu nariz. Enquanto parte da mandíbula superior e alguns dentes do cão tiveram que ser removidos, o veterinário também conseguiu manter o suficiente de sua boca para que ele pudesse comer e beber normalmente.

Apollo se deu muito bem com os cães de sua nova mamãe. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Apollo se deu muito bem com os cães de sua nova mamãe. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Enquanto isso, a adoção do cão ainda não tinha passado pela cabeça de Brittany, ela estava preocupada apenas com a cirurgia e recuperação do cão. Porém, ela sabia que ela e Apollo tinham construído um vínculo especial, que ficava mais forte a cada dia.

Assim que Apollo se recuperou, Brittany o apresentou a seus outros cães, dois machos já com mais de 10 anos. “Eles eram de raças fortes e muito temperamentais. Dois velhos rabugentos. Eu não tinha certeza se eles conseguiriam aceitar outro cão. Eles já estavam bastante acostumados em ser só os dois e eram bastante protetores em relação a mim”, contou ela.

E mais vez Apollo superou as expectativas de Brittany. Não só seus cães aceitaram o novo cão como Apollo adorou os cachorros mais velhos. Outro fato surpreendente sobre Apollo é que ele também adorava estar perto de pessoas, o que não era de se esperar depois de tudo o que ele tinha passado. Depois disso acabou sendo uma decisão fácil para Brittany adotar oficialmente Apollo.

Com a nova família Apollo descobriu o que é amor verdadeiro e felicidade. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Com a nova família Apollo descobriu o que é amor verdadeiro e felicidade. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

Mesmo com suas lesões faciais, Apollo agora vive uma vida plena. Seu nariz reconstruído manteve as funções de um nariz de qualquer outro cão, permitindo-lhe respirar, cheirar e espirrar. Sua mandíbula reformada também não o impediu de comer ou brincar.

Apollo adora ficar na poltrona enquanto assiste TV com Brittany, brincar com seus irmãos cães, comer e tomar sol. Além disso, o cão ganhou sessões de treino privadas em um curso de K9 do Total Control K9 College, onde tem aulas todos os sábados e parece gostar bastante.

O cão hoje está curado fisicamente e emocionalmente. Ele adora brincar e passear e vive muito feliz. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

O cão hoje está curado fisicamente e emocionalmente. Ele adora brincar e passear e vive muito feliz. (Foto: Reprodução / Brittany Faske)

O amor de Brittany ajudou Apollo a superar seus traumas emocionais e fazê-lo voltar a confiar nas pessoas e ser um cão bastante amoroso e carinhoso. “Eu nunca vi um cão mais feliz. Você pode ver a confiança e amor em seus olhos”, diz Brittany.

 

Fonte: The Dodo

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

 » Read more about: Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês  »

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda,

 » Read more about: Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira  »

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor,

 » Read more about: Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

A new photograph of The Queen at home at Windsor Castle, taken by Annie Leibovitz, will feature in @VanityFair in celebration of #Queenat90

A post shared by The Royal Family (@theroyalfamily) on

A cadelinha Willow, que tinha quase 15 anos de idade e era a última descendente de Susan, sofria de um câncer e estava sendo bem cuidado, porém, quando sua saúde piorou, a Rainha Elizabeth preferiu por fim ao sofrimento da amada cadela, que foi sacrificada no último domingo, dia 15 de abril, no Castelo de Windsor.

De acordo com uma fonte do Palácio de Buckingham, a perda de Willow, que se tornou sua companheira mais fiel, foi muito difícil para a rainha. “Ela lamentou a morte de todos os seus Corgis ao longo dos anos, mas ficou mais chateada com a morte de Willow do que qualquer um deles. E isso provavelmente porque Willow foi o último elo com seus pais e uma diversão que remonta à sua própria infância. Realmente parece o fim de uma era”, disse a fonte.

A escolha por não continuar a ter novos cães descendentes de Susan se deu por conta do medo que a rainha tinha de que acontecesse algum acidente, visto que ela já é idosa e os cachorros sempre ficam nos seus pés, ou de que ela tivesse um problema de saúde mais grave e acabasse deixando os animais.

Os cachorros têm passe livre pelas residências reais. (Foto: Reprodução / Instagram @theroyalfamily)

Apesar da profunda tristeza, a Rainha Elizabeth tem ainda três cães, dois Dorgis, mistura de Corgi com Dachshund, chamados Vulcan e Candy, e um Corgi, que foi adotado pela rainha depois que o tutor do animal, um funcionário do palácio de Sandringham, faleceu.

Fonte: The Daily Mail

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda, tem uma turma grande em casa e suas redes sociais estão repletas de registros dos pets.

Tenho certeza que metade da população brasileira desejou agora mesmo ser adotada por essa família.

 

Um tapete? Não… O Marley aproveitando o chão geladinho nesse calor. 🖤

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

A minha turma é da pesada… 😍🙈

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on