Protetor faz relato emocionante sobre o seu cãozinho idoso

Eduardo resgatou e adotou Chico com apenas três dias de vida. Hoje, com 20 anos, o cachorrinho já está com o coração fraquinho e bastante debilitado, mas recebendo muito amor do tutor

por Andrezza Oestreicher — publicado 4 ago 2017 - 9:22

Infelizmente, nossos bichinhos de estimação não podem viver para sempre e para deixar tudo ainda mais difícil, nós já sabemos que o tempo de vida deles é bem menor do que o nosso e do que nós gostaríamos.

Nós queremos que eles fiquem o máximo possível de tempo ao nosso lado, mas também é muito difícil vê-los velhinhos e debilitados e saber que o seu tempo na terra está acabando.

Chico foi resgatado e adotado por Eduardo com apenas três dias de vida. (Foto: Reprodução / Facebook Anjos da minha vida – Resgates)

O protetor animal Eduardo Roz está passando por esse triste e complicado momento com o seu amado cãozinho Chico, um velhinho de 20 anos de idade.

Eduardo resgatou o Chiquinho da cracolândia. O animal tinha apenas três dias de vida e tinha acabado de ter o seu rabinho cortado com uma tesoura, sem nenhum tipo de cuidado. O homem levou o pequeno filhote desacordado para sua casa e cuida do cão até hoje, sempre com muito amor.

Mas não foi só Eduardo que cuidou de Chico. O cão também foi o porto seguro do tutor quando ele foi diagnosticado com um câncer de pele maligno. Eduardo não contou para ninguém do seu problema de saúde, apenas para o cão, que lhe deu forças e muito carinho.

Hoje, Chiquinho tem 20 anos de idade e já está bastante fraquinho. (Foto: Reprodução / Facebook Anjos da minha vida – Resgates)

O animal também foi uma espécie de irmão mais velho e fonte de amor para todos os animais que Eduardo resgatou e levou para a sua casa. Chico nunca mordeu e nem mesmo rosnou para nenhum deles e nem para ninguém.

Hoje, cerca de 20 anos depois, Chiquinho é cego, já tem um coração fraquinho, uma respiração difícil, tem rumores que não podem ser retirados por conta da idade e já está muito cansado, mas não deixa de dar amor.

Eduardo faz um lindo trabalho de proteção animal e ajuda milhares de animais abandonados. (Foto: Reprodução / Facebook Anjos da minha vida – Resgates)

Sabendo que o seu fiel companheiro Chico não ficará mais ao seu lado de corpo presente por muito tempo, Eduardo fez um relato emocionante falando sobre o cão e seu amor por ele.

Atualização:O Chico é muito velhinho, não está doente. Seu coração bate bem fraquinho, pode partir a qualquer momento. Ele Ainda está do mesmo jeito, mas ensaia uns passinhos pela casa, logo cansa e deita novamente. Sim, para a idade não há remédio.Fará uma bateria de exames com nosso Doutor David Belém que o está acompanhando, mas no momento, está de repouso. Vamos continuar orando por ele? Obrigado aos milhares de seguidores que torcem pela nosso anjinho.#################ELE ESTÁ QUASE PARTINDO…Meu Chiquinho… Nosso Chiquinho…Hoje ele amanheceu assim, mais fraquinho…Para um Cachorro vovô como ele (20 anos) não existe remédio. O rejuvenescimento é impossível.O Chico foi amigo (AMIGO MESMO) de todos os meus resgatados. Jamais mordeu alguém nem bichinho algum.Nunca rosnou para ninguém.Nem mesmo quando foi atacado por uma cadelinha que rasgava sua orelha em um acesso de raiva, ele não reagia, apenas deitou e gritava de dor enquanto tinha sua orelha rasgada. Eu corri desesperadamente para tirá-lo dali. Mas o ataque foi muito rápido.Outra vez um bandido entrou em casa, arrombou os carros para roubar o rádio e o Chico sequer latiu para o cara!Ele apenas rosnou uma única vez na vida, quando meu filho Gabriel (hoje com 9 anos) era um bebê de um mês e estava no carrinho e uma mulher que trabalhava na minha mãe (que meses depois foi pega roubando) se aproximou do Gabriel e colocou a mão na moleira dele (parte mole da cabeça do bebê).Quando arrombaram o portão e ele desapareceu por 5 dias, eu sai em uma busca frenética filmando 23 horas por dia.Rodei mais de 450 quilômetros dentro do meu bairro, imaginei meu bairro como sendo uma peneira onde as ruas eram as as linhas e as quadras os buraquinhos. Rodei em todas as linhas batendo de porta em porta, sem comer, chorando, um frio absurdo e uma chuva torrencial.Me doeu saber que um morador de rua tinha amarrado um fio de telefone (aqueles enrolados) em seu pescoço e feito uma guia com aquilo.Achou que era de uma pessoa e o levou até lá na favela. Chegando no local, não era e então ele o soltou dois quilômetros acima, com o fio de telefone no pescoço.Ele ainda me disse:"Era um Cachorro que parecia uma ovelha, cego, com os olhos bem azuis, que andava com certa dificuldade… e tinha umas bolas de tumor pelo corpo"!Eu disse: ELE MESMO!!!!Essa guia de telefone passou a ser a referencia dolorida… eu perguntava pelas ruas… vc viu um poodle velhinho andando por aí? 😭Um homem me respondeu:"Cara, naquela chuva absurda de ontem, uns moleques pegaram um Cachorro parecido com esse da foto e ele estava com um fio de telefone preto, rodaram ele de um jeito que ele desequilibrou e começou a rolar, gritando de dor! Corri e briguei com a molecada e eles largaram o Cachorro que saiu chorando!"Isso acabava comigo. Mas ao mesmo tempo me aumentava a força por saber que ele estava por ali.Eu gritava: Chicoooo!!!!!! 📣📣📣📣E nada.Ao longe, madrugada adentro, qualquer latido que eu ouvia para mim era a voz do Chico… Eu saia de uma rua e entrava em outra, queria invadir as casas as 2, 3 da madrugada.Fui encontrando outros cães necessitados e a procura pelo Chico me fez dar vida nova para alguns animais que cruzaram o meu caminho. Entrei em rios, terrenos baldios, alimentei animais de rua… Sabendo que não mais o encontraria, pensando no pior, eu fui para casa no último dia, cheguei às 4:30 da madrugada, sentia uma dor forte na cabeça e meu coração dava umas pontadas fortes, achava que iria enfartar. Escrevi uma carta no facebook, estava livre e desprendido de qualquer sentimento de vergonha, apenas queria que o mundo soubesse do nosso amor.Contei toda nossa história, desde quando ele veio parar em minhas mãos na região da cracolândia, com apenas 3 dias de vida.Contei das casas que moramos, do rato que avançou nele, da invasão de bilhões de formigas que atacaram seu pote de comida o dia que fiquei fora de casa o dia todo e elas infestaram seu corpo…Enfim…Um anjo que atravessou 3 casamentos e Ainda está aqui…Quando o encontrei através da ligação da nossa então seguidora (hoje amiga) Olga Brum, a qual alguns dias depois fizemos um resgate juntos, foi um dos melhores dias da minha vida. Naquela noite anterior ao encontro, escrevi uma carta de despedida e chorei a ponto de ficar deformado.Tirei uma foto do meu rosto, e postei a carta, na esperança de que o universo receberia aquelas minhas palavras de agradecimento e entrega, e que algum anjo pudesse entrar no coração do Chico e dizer tudo aquilo que eu sentia.Era quase 6 da manhã quando terminei a carta, enviei e desmaiei na mesa da cozinha. Dormi por uma hora e meia sentado, havia noites sem dormir…De repente o telefone toca, uma ligação da Grécia de uma brasileira se solidarizando. Em seguida uma integrante do Programa Pânico me liga e diz que chorou muito com o texto. Esse é o texto original, com menos curtidas porque é um repost, eu havia deletado após encontrar o Chico.https://m.facebook.com/photo.php?fbid=1028866700462932&id=100000188359557&set=a.675133982502874.1073741871.100000188359557Pensei…Nossa! Postei há menos de 2 horas. Abri o face e tinha 15 mil compartilhamentos e mais de 30 mil comentários. 😱 Muitos artistas me ligaram, pessoas comuns, protetores, donas de casa…Haviam milhares de solicitações de amizade, enfim…Em alguns instantes a Olga ligou e disse que ele estava na região da Matei Bei.Rodei por horas até o encontrar.Estava praticamente desacordado debaixo de um carro em uma vielinha.Levou mais de 20 minutos para me reconhecer. Desidratado, com fome, sede…Quando entrou no carro, parece que num estalo acordou e me reconheceu fazendo festinha com o pouco de forças que tinha.Hoje ele está aqui…Em meus braços…Coração fraquinho…Sei que é questão de dias… horas…Não sei…Já não aguenta mais parar de pé, anda um pouco e cai, respira com dificuldade, toma remédios para coluna, coração…Mas sei que os anjos no céu estão de braços abertos, rodeados por milhares de convidados especiais, patinhos, passarinhos, porquinhos, cães e gatos, falcão, Gavião, e taaaantos outros bichinhos que um dia ele cheirou e disse:"Se meu pai Edu te trouxe aqui em casa, seja bem vindo! Ele faz assim com todos os animaizinhos, como eu… salva e eles nunca mais sofrem!"Só que a vida é cruel, tem começo, meio e fim, e para alguns, mesmo que depois de adotados, os anjos vem buscar pelas mãos…Sinto que está chegando a hora desses anjinhos receberem aquele que os tratou com todo amor e carinho. Irão buscar o meu Chiquinho… 😭Só espero que Deus fortaleça o meu coração.O meu e o da Gracielle Beatryz, que hoje é sua mãe, cuida dele com todo amor e carinho e assim como eu, não está preparada para sua partida.Ele está aqui, quase não responde aos nossos chamados, sem forças para piscar, e respirando beeem fraquinho.Já disse:Ele é acompanhado pelo super competente doutor David Soares Pereira Belém.Faz parte da idade.Só sei dizer que o Chico me fez um homem melhor… ele salvou a minha vida. Tão pequeno, e tão espiritual… Nossos caminhos se cruzaram naquele beco… Nossas vidas se uniram para a eternidade. SIM, eu acredito no céu dos cachorros.Meu Chiquinho…Ele sabe quando estou triste e vem me lamber em silêncio como quem diz:"Calma, pai! Vai passar. Eu estou aqui!"Eu tenho esse medo da perda… Mas sei que juntos, um dia, atravessaremos a ponte do arco-íris. Ele vai me esperar com um novo corpinho, sem dores, e vamos correr felizes pelo paraíso em uma brincadeira sem fim.Como sempre quisemos…Em um momento só nosso… Pra sempre!Eduardo Roz facebook/anjosdaminhavidaresgates

Posted by Anjos da minha vida – Resgates on Monday, July 24, 2017

Eduardo faz um lindo trabalho de resgate de animais abandonados e em situação de abandono. Para saber mais sobre o seu trabalho e como ajudar que ele continue salvando vidas, basta clicar aqui e acessar a página “Anjos da minha vida – Resgates” no Facebook.

Cãozinho tem duas patas amputadas por causa da falta de cuidados com seus pelos

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 abr 2018 - 9:20

Apesar de dar muito amor, algumas pessoas não têm condições financeiras para manter e cuidar de um cachorro da forma que eles precisam para ter uma boa saúde e até demoram para pedir ajuda quando os pets precisam. Porém, é importante lembrar que até a falta de cuidados básicos, como banho e tosa, podem causar problemas de saúde graves.

O cãozinho Bobb, um Poodle Toy, vivia com tutores sem teto. Por não terem condições financeiras para cuidar do cão,

 » Read more about: Cãozinho tem duas patas amputadas por causa da falta de cuidados com seus pelos  »

Homem mata cachorro do vizinho e tenta servir o animal como jantar para o tutor

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 abr 2018 - 18:21

A crueldade humana contra os animais está atingindo níveis que nem conseguimos acreditar que possa ser verdade. Na Coreia do Sul, um homem matou o cachorro do vizinho, cozinhou o animal e convidou o próprio tutor para jantar.

Este caso terrível e absurdo de violência contra animais se tornou público depois que a família do cachorro assassinado publicou um pedido on-line pedindo apoio para garantir que o responsável pela morte do pet fosse severamente punido.

 » Read more about: Homem mata cachorro do vizinho e tenta servir o animal como jantar para o tutor  »

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

 » Read more about: Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cãozinho tem duas patas amputadas por causa da falta de cuidados com seus pelos

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 abr 2018 - 9:20

Apesar de dar muito amor, algumas pessoas não têm condições financeiras para manter e cuidar de um cachorro da forma que eles precisam para ter uma boa saúde e até demoram para pedir ajuda quando os pets precisam. Porém, é importante lembrar que até a falta de cuidados básicos, como banho e tosa, podem causar problemas de saúde graves.

O cãozinho Bobb, um Poodle Toy, vivia com tutores sem teto. Por não terem condições financeiras para cuidar do cão, o animal passou cerca de 10 anos sem receber uma tosa sequer. Durante todo esse tempo, os pelos do cachorro foram crescendo e formando vários nós até se tornar um enorme emaranhando que passou a afetar a sua saúde.

Cãozinho viveu cerca de 10 anos sem ser tosado nem uma vez. (Foto: Reprodução / Facebook Amaze-Bobb)

No final de 2015, Bobb foi encontrado e levado pelo controle de animais, em Los Angeles, por conta das condições em que ele estava sendo mantido. Em seguida, o cachorro foi resgatado pelo grupo de resgate e cuidados Synergy Animal Rescue, que o levou para receber os cuidados específicos que precisava.

A primeira coisa feita foi tosar o animal e livrá-lo de todo aquele excesso de pelos que o estava mantendo preso e em um estado terrível. Porém a situação era mais grave do que todos imaginavam.

O cãozinho tinha tantos nós, que alguns simplesmente cortaram sua circulação em duas de suas patas, a esquerda de trás e a direita da frente, que estava praticamente pendurada, presa apenas pelos nós. Ambas as patas tiveram que ser amputadas.

Cãozinho hoje tem 13 anos e se adaptou muito bem a sua condição. (Foto: Reprodução / Facebook Amaze-Bobb)

O pequeno cachorro também precisou arrancar vários dentes, que estavam podres e em péssimo estado.

Depois de todo esse tratamento, Bobb era um cãozinho completamente diferente, tanto por fora quanto por dentro. Ele estava mais leve e mais feliz.

Uma mulher chamada Megan Lundberg se ofereceu para dar lar temporário para o pequeno animal. Porém, ela e seu marido se apaixonaram por Bobb e decidiram adotá-lo de vez.

Ele é muito feliz com sua nova família, que o ama muito. (Foto: Reprodução / Facebook Amaze-Bobb)

Hoje com 13 anos de idade, Bobb vive muito feliz com seus pais humanos, irmãos caninos e irmãos felinos em um lar cheio de amor. Ele passou por fisioterapia, se adaptou muito bem a sua nova condição e se acostumou a andar de um lado para o outro com duas patas, o que faz com muita facilidade e rapidez.

Fonte: The Animal Rescue Site / Facebook Amaze-Bobb

Homem mata cachorro do vizinho e tenta servir o animal como jantar para o tutor

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 abr 2018 - 18:21

A crueldade humana contra os animais está atingindo níveis que nem conseguimos acreditar que possa ser verdade. Na Coreia do Sul, um homem matou o cachorro do vizinho, cozinhou o animal e convidou o próprio tutor para jantar.

Este caso terrível e absurdo de violência contra animais se tornou público depois que a família do cachorro assassinado publicou um pedido on-line pedindo apoio para garantir que o responsável pela morte do pet fosse severamente punido.

De acordo com a polícia local, o homem responsável pela morte do animal, um fazendeiro de 62 anos que não teve seu nome divulgado, confessou o crime e disse que matou o cachorro do vizinho por estar irritado com os constantes latidos do pet, que tinha dois anos de idade.

O criminoso contou que jogou uma pedra no cãozinho, um pequeno Corgi, e quando percebeu que o animal estava inconsciente o matou estrangulado. Em seguida, ele cozinhou o cachorro e chamou alguns vizinhos para dividir a “refeição”, incluindo o tutor do animal.

A família do cãozinho não tinha ideia do que tinha acontecido com o animal. Eles achavam que o pet estava desaparecido e chegaram a distribuir panfletos pedindo informações e oferecendo recompensas para quem encontrasse e devolvesse o cachorro.

Homem matou cachorro por estar irritado com os latidos do animal. (Foto: Reprodução / pets4homes)

De acordo com a filha dos tutores do cão, ela chegou a ir até a casa do responsável pela morte do animal, que fica três casas distante de onde o pet vivia. Ela disse que o homem a recebeu bem e foi simpático. “Quando cheguei à casa do homem, que fica a apenas três portas da nossa, ele expressou simpatia, prometendo nos informar se encontrasse o cachorro”, disse ela.

Ninguém desconfiava de nada. Porém, ela acredita que nessa época o fazendeiro já estava em posse do cão, vivo ou morto, em seu celeiro.

O criminoso ainda chegou a beber com o tutor do animal e confortá-lo sobre o sumiço do cão. Em seguida, ele convidou alguns vizinhos, inclusive o tutor, para comer carne de cachorro em sua casa.

O tutor não aceitou, pois não consome carne de cachorro. Porém, foi só depois deste convite que outro vizinho contou para a família o que realmente tinha acontecido com o pet.

Depois disso, o fazendeiro confessou seu crime para a polícia.

Apesar de o consumo de carne de cachorro ter diminuído bastante, ela ainda faz parte da culinária de uma parte dos sul-coreanos e mais de 1 milhão de cães ainda são consumidos na Coreia do Sul por ano.

O número está diminuindo graças à geração mais jovem, que está vendo cada vez mais os cães como animais de estimação e tornando o consumo da carne desses animais um verdadeiro tabu.

Fonte: The Guardian