Segundo estudo, cães reconhecem as palavras associando-as a tamanho e textura

por Samantha Kelly — publicado 23 nov 2012 - 7:52

Cães reconhecem as palavras associando seus significado à tamanho e textura. Foto: Reprodução/Google Images

 

Segundo estudo realizado pela University of Lincoln, os cães aprendem o significado das palavras associado-as a tamanho e textura ao invés de formatos.

Pesquisadores descobriram que a maneira que um cachorro aprende a associar uma palavra com um objeto é um processo totalmente diferente do que o dos humanos.

Quando crianças aprendem a linguagem, eles aprendem ao associar as palavras com os formatos dos objetos.

Por exemplo, quando crianças vão aprender o que é uma “bola” e depois são apresentadas a outros objetos com formatos, tamanhos ou texturas similares, elas vão identificar aquele objeto também como “bola”.

É um fato conhecido que cães associam palavras à objetos, como brinquedos ou biscoitinho, mas seu método de aprendizado até então não havia sido estudado.

No estudo, os pesquisadores apresentaram a Gable, um Border Collie de 5 anos, objetos com formatos similares para ver a influencia da forma no processo de associação.

Eles descobriram que após um breve período de treinamento, Gable aprendeu a associar o nome do objeto com o seu tamanho, ao identificar outros objetos de tamanhos similares com o mesmo nome.

Depois de um longo período de exposição tanto ao nome quanto ao objeto, o cão aprendeu a associar a palavra à outros objetos de textura similares, mas não à forma.

A diferença no processo pode ter como base a história evolutiva e como ela moldou nossos sentidos a perceberem formas, tamanhos e texturas, afirma a Dr. Emile van der Zee, líder da pesquisa.

Apesar do nosso cachorro compreender o comando “Pega a bolinha”, ele pode pensar no objeto de uma maneira muito diferente do que você quando escuta a frase.

 

Onde a forma importa para nós, tamanho e textura importam mais para o nosso cachorro. Esse estudo mostra pela primeira vez que há uma diferença qualitativa no processo de compreensão das palavras do cachorro e do humano. Dr. Emile van der Zee

 

Fonte Daily Mail

deixe seu comentário: