Roe tudo?

por Fabio Sakita — publicado 25 set 2012 - 1:20


 
A grande queixa dos proprietários de filhotes é quanto ao hábito de seus animais roerem e, conseqüentemente, destruírem tudo o que vêem pela frente. Os cães adultos também adoram roer um bom osso, seja ele artificial (de couro) ou natural. Há cães que gostam de roer paredes… Mas qual o significado desse comportamento? Por que o cão rói tanto?

No caso de filhotes, os animais exploram seu novo mundo com a boca, o que não é diferente dos bebês humanos. Cheiram, lambem e engolem tudo o que lhes passa pela frente. Roer, além de ser uma brincadeira agradável para os animais, alivia o incômodo da troca de dentes, que começa a partir dos 3 meses e meio e vai até os 6 meses de idade. Nessa fase é importante ter cuidado com os cães novos, pois eles podem roer fios elétricos, o que causa sérias queimaduras na boca e língua, além do choque poder levar o animal a uma parada cardio-respiratória.

Roer vasos de jardim, pedras e paredes, nem sempre significa deficiências nutricionais causadas por verminoses. No entanto, sempre que o filhote ou mesmo o cão adulto tiver esse comportamento, é interessante realizar um exame de fezes do animal para tirar a dúvida.

Uma outra função bastante importante do ato de roer é a da limpeza dos dentes. A natureza, sempre muito sábia, improvisou uma escova de dentes natural para os animais. Assim, ao roer ossos e cartilagens, pelo atrito dos dentes com essas superfícies, os animais estão eliminando a placa bacteriana que forma o tártaro. Sim, animais também têm tártaro, e ele é o grande responsável pelo aparecimento de doenças periodontais, que causam a perda precoce dos dentes de cães e gatos.

Roendo ossos naturais, os animais também estão se abastecendo de minerais, principalmente de cálcio. Na natureza, os cães e lobos alimentavam-se apenas de carne, que é muito pobre desse mineral. Roendo os ossos da caça, essa necessidade era suprida. Hoje, com a facilidade das rações industrializadas, as necessidades de cálcio são todas supridas e o ato de roer, nos animais domésticos alimentados com ração, tem significado apenas de diversão e limpeza dentária.

Mas que tipo de ossos o animal pode roer? Existem os “ossos” sintéticos, feitos de couro de boi, e os ossos naturais. Os sintéticos têm formas variadas, e o animal os consome rapidamente. É contra-indicado apenas para cães que têm diarréias freqüentes por intolerância a esses produtos. Os ossos naturais podem ser dados, desde que GRANDES (joelho, fêmur ou canela) e COZIDOS. Do contrário, poderão causar perfurações intestinais e diarréia. Assim, jamais dê ossos de galinha para seu cão roer.

Roer é preciso, mas cuidado com o que o seu cão está roendo.

Fonte

deixe seu comentário: