Mastim Tibetano

Guardião por natureza, corajoso, fiel e dócil.
CBKC - Grupo 2
Grande Dogue muito elegante em sua roupagem preta.
Também conhecido como: Dogue Tibetano, Tibetan Mastiff e Do-khyi

Informações Gerais

Os criadores na Grã-Bretanha que adotaram esse cão o regeneraram de modo considerável e embelezaram a raça, mas muito raramente se encontra esse cão vigoroso, cuja cabeça simpática lembra um pouco o São Bernardo. Atualmente o Mastim Tibetano tornou-se um notável cão de companhia e de guarda, muito apegado ao dono. Ele é calmo e bastante distante.

Corajoso, fiel e dócil, possui grande censo do território e mostra-se extremamente desconfiado com estranhos.
Seu adestramento deve ser firme mas sem aspereza, e a sua cumplicidade com seu dono a base de seu bem estar. Esse cão não é adaptado à vida na cidade. Ele tem necessidade de correr na na natureza para se desenvolver.

A palavra “desafio” é freqüentemente aplicada a esta raça teimosa e independente. Ele é inteligente e tem uma forte tendencia a seguir suas próprias ideias. Ele quer agradar a ssu família, mas ele também tem sua própria agenda e muitas vezes deve ser lembrado de que ele não é o líder. O Mastim Tibetano é um guardião leal da família que leva seu trabalho a sério e é indiferente ou reservado em relação a estranhos.

O Mastim Tibetano é sensível às emoções. Não é uma boa ideia discutir com o seu cônjuge ou castigar seu filho na frente dele. Ele pode pensar que é seu dever intervir.

O Mastim Tibetano é tranquilo dentro de casa, mas fora é muito ativo. Ele é um cão moderadamente ativo e atlético, um quintal murado é necessário para ele poder fazer seus exercícios. Mas não ache que ele não pode escalar o muro ou pular a cerca de arame se decidir que quer ir explorar as redondezas. Ele também gosta de cavar, por isso não se surpreenda se você voltar para casa e encontrar um novo projeto de paisagismo em seu jardim.

A noite é o momento certo para latir. Nas aldeias tibetanas ele podia vaguear à noite e latia de várias maneiras diferentes para comunicar as ocorrências da madrugada. Algo do tipo: “Tudo está bem”, “Eu ouvi algo suspeito”, ou “Saia daqui antes que eu te mate” Ele vai fazer o mesmo em sua casa se você deixá-lo ao ar livre à noite. Permita que os vizinhos tenham uma boa noite de descanso e deixe ele dormir dentro de casa. Dessa forma, ele vai estar lá para protegê-lo se alguém não autorizado entrar.

Expectativa de vida

Expectativa
Mínima
10 anos
Expectativa
Máxima
14 anos

Altura

Altura
Mínima
61
cm
Altura
Máxima
66
cm

Peso

Peso
Mínimo
55
kg
Peso
Máximo
80
kg

Características

Adaptabilidade
Nível de afeição
Bom para apartamento
Tendência de latir
Amigável com gatos
Amigável com crianças
Amigável com cães
Necessidade de exercícios
Espaço necessário
Tosa
Problemas de saúde
Inteligência
Gosto por brincadeiras
Queda de pelo
Necessidade social
Amigável com estranhos
Territorialista
Facilidade de treinamento
Cão de guarda
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor

Origem do Mastim Tibetano

País: Tibet

Descendente direto do Grande Cão do Tibete, o Mastim ou Dogue do Tibete permaneceu praticamente igual; só seu tamanho diminuiu.
Na Ásia, onde vigia vilarejos inteiros contra animais selvagens e ladrões, conservou seu temperamento agressivo e até mesmo feroz. É um guardião nato.

Como tantas raças, ele tem pouco registros históricos de antes do final do século XIX. Provas de DNA nos diz que tipo Mastiff são cães originados no Tibete cerca de 5.000 anos atrás, e o Mastim Tibetano é, sem dúvida, um descendente daqueles cães.

Pouco se sabe sobre o Mastim tibetano antes de 1800. Em 1800, o capitão Samuel Turner mencionou o uso de “enormes cães” em seu livro de memórias, An account of an Embassy to the Court of the Teshoo Lama in Tibet, mas ele não deu nenhuma descrição deles.

Em 1847, o primeiro cão do Tibete foi importado para a Inglaterra e dado à rainha Victoria como um presente do Lord Hardinge, o vice-rei da Índia.

Em 1873, o England’s Kennel Club foi fundado e o Mastim Tibetano oficialmente entrou no Stud Book como o Tibetan Mastiff, deixando seu título de “Grande Cão do Tibete” para trás. Em 1874, o príncipe de Gales, que mais tarde se tornou rei Edward VII, importou mais dois Mastins Tibetanos para a Inglaterra e eles participaram da exibição em 1875 no Alexandra Palace Show. Mastins Tibetanos continuaram a ser importados, ocasionalmente, para a Inglaterra e Europa, e o primeiro clube da raça Mastim Tibetano foi fundado em 1931.

A II Guerra Mundial pôs fim à criação de animais, e não foi antes 1976 que os criadores ingleses começaram a importar os cães novamente. A raça teve uma história similar nos Estados Unidos. No final da década de 1950 foi visto dois Mastins Tibetanos sendo dados de presente ao presidente dos Estados Unidos, mas os cães foram levados para uma fazenda e nunca mais foram vistos. Em 1970 vários Mastins Tibetanos foram importados para os Estados Unidos e eles se tornaram os cães de reprodução da raça nos Estados Unidos.

O Tibetan Mastiff Club of America foi fundado em 1974, no mesmo ano também surgiu a American Tibetan Mastiff Association. A primeira competição de exibição em que os Mastins Tibetanos foram vistos foi o National Specialty Match em outubro de 1979. A raça só recentemente foi reconhecido pelo American Kennel Club como membro do Grupo de Trabalho em janeiro de 2007. Hoje, no Tibete, é difícil encontrar um puro-sangue do Mastim Tibetano, mas ocasionalmente pode ser encontrado viajando com as caravanas e os comerciantes, e guardando gado e casas.

mostrar mais

Curiosidades sobre o Mastim Tibetano

– Os criadores de Mastim Tibetano desenvolveram dois tipos: o Do-Khyi, que viviam em aldeias ou viajavam com pastores nômades e agiam como guardiães do rebanho, e o maior Tsang-Khyi, que normalmente eram dados aos criadores de lhamas, onde serviam como guardas para monges budistas tibetanos;

– Por causa de sua natureza protetora, um Mastim Tibetano nunca deve ser fazer caminhadas sem coleira. Varie suas caminhadas para que ele não se torne territorialista sobre uma rota específica;

– Mastins Tibetanos são altamente inteligentes, independentes e teimosos, mas sensíveis aos humores humanos. Eles ficarão na defensiva se você gritar ou disciplinar seus filhos, ou discutir com seu cônjuge quando ele está por perto. Eles gostam de sua companhia, mas nunca são bajuladores;

– Mastins Tibetanos que são deixados ao ar livre à noite vão latir para que você saber que eles estão atentos – por isso não deixe-os ao ar livre à noite.

Cuidados e Bem Estar

O Mastim Tibetano é um cão de companhia que deve viver dentro de casa, com acesso a um quintal grande, bem seguro, ou seja, murado onde ele possa se exercitar. Um pequeno quintal ou corridinha  não são suficiente para suas necessidades.

Seu pelo pesado faz com que ele seja inadequado para climas quentes e úmidos, embora ele possa tolerar o calor seco. Durante o tempo quente, ele deve ter sempre acesso a sombra e água fresca sempre que ele estiver ao ar livre.

As necessidades de exercício do Mastim Tibetano pode ser satisfeita com 20 a 30 minutos de jogos no quintal ou uma caminhada de meia hora. Ele vai gostar de ter um outro cão para brincar, de preferência um que chegue perto de seu tamanho.

Seja paciente, firme e consistente para desenvolver o vínculo mais forte com seu Mastim Tibetano. Sempre estimule comportamentos que você possa dar recompensas em vez de puni-lo por infrações.

A prática de treino regular e interação social ajudará a garantir um melhor comportamento. Um Mastim Tibetano entediado ou que se sente solitário é mais destrutivo e barulhento do que você pode imaginar. O treino em casa é algo fácil de ser aceito pelo Mastim Tibetano.

Acostumar ao uso de coleira também é importante, especialmente quando Mastim Tibetano estiver pesando uns 70 kg ou mais e for capaz de puxá-lo para onde ele quer ir. Mastins Tibetanos nunca devem fazer passeios sem coleira e precisam ser obedientes aos comandos para ter boas maneiras  para preservar seus músculos e sua felicidade também. A socialização é uma obrigação para esta raça. O Mastim Tibetano não pode ser excessivamente dominante com outros cães, e eles também tendem a tornar-se excessivamente protetores de sua casa e família.

O Mastim Tibetano perdem pouco pelo e essa perda pode ou não ser sazonalmente, dependendo do clima em que vive. Escove uma a três vezes por semana com uma escova mais lisa de aço para remover pelos mortos ou soltos. Se tiver dúvida no tipo de escova pergunte ao veterinário qual a mais indicada para o pelo dele.

Certifique-se de verificar se há emaranhados ou nós na juba, culotes e cauda, ​​onde o pelo é mais pesado. Banhar conforme necessário. Esta raça tem pouco odor característico de cão, então ele geralmente não requer mais do que um banho uma vez por mês. Outras necessidades de cuidados incluem higiene bucal e cuidados com as unhas. Escovar os dentes do seu Mastim, pelo menos, duas ou três vezes por semana para remover o acúmulo de tártaro e as bactérias que o acompanham. Diariamente é melhor.

Apare as unhas uma ou duas vezes por mês, ou conforme necessário. Tenha cujidado para cortá-las muito curto e causar um sangramento. Se você tiver dúvida de com cortar as unhas peça ajuda ao veterinário ou tosador.

Verifique os ouvidos semanalmente para certificar-se de que não há detritos, vermelhidão ou inflamação. Limpar as orelhas, conforme necessário, com uma bola de algodão e um produto de limpeza recomendado pelo veterinário do seu cão. Limpe ao redor na parte externa do canal auditivo, e não meter a bola de algodão mais profundo do que a primeira junta de seu dedo. Começar esses cuidados quando seu cão ainda é um filhote para quando estiver adulto seja algo natural para ele.

Na parte de alimentação seja cuidadoso com as quantidades corretas. Quem deve controlar o quanto e quando seu cão come é você e não ele. O recomendado são 4 a 6, ou mais, xícaras por dia de uma ração para cães de grande porte com alta qualidade, divididos em duas refeições. Evite deixar ração sobrando na vasilha do seu cão, isso pode levar a obesidade e outras doenças.

Predisposição à Doenças: Displasia coxofemoral, displasia do cotovelo e hipertireoidismo.

Aparência física

A cabeça é larga e maciça, e o focinho, de ponta quadrada, boa largura e espesso, exibe mandíbulas fortes, com dente em tesoura.
Os lábios, bem desenvolvidos, são tanto caídos. Os olhos, medianos e de forma oval, de cor marrom em todas as suas nuances, são bem afastados. As orelhas, medianas e triangulares, pendem contra a cabeça. Elas são mantidas para frente quando o cão está em alerta.
O pescoço, forte, não deve ter muita barbela. O corpo é maciço. O peito é bastante alto ea garupa, larga e um tanto achatada. Os membros são bem estruturados, os anteriores equilibrados e bem angulados. A cauda, de comprimento médio, é mantida curvada em cima da garupa.

Pelagem do Mastim Tibetano

A capa, densa e bastante lanosa, torna-se um tanto esparsa sod o efeito do calor. O pelo é cerrado na causa e forma uma crina. Os posteriores são bem franjados.

Cor da pelagem

A pelagem desse magnifico cão pode ser de um preto intenso marcado de fogo ou não; azul,, marcado de fogo ou não; ou dourada, que pode ir do fulvo intenso até o vermelho sustentado.

Filhotes

O Mastim Tibetano cresce mais rapidamente do que raças menores, mas isso não significa que eles estão fisicamente maduros. Sua maturidade física só está completa depois de um ano de idade. Para evitar danos ortopédicos, limitar os exercícios no quintal, e evitar longas caminhadas até o seu cachorro ter pelo menos um ano de idade.

Comece a treiná-lo no dia que você trouxe-lo para casa. Eles são inteligentes e aprendem rápido, mas sua natureza independente e teimosia significa que um treino formal não traz os melhores resultados. Você precisa ser paciente e criativo. Treine seu cão com carinho, elogios e recompensas. Não seja rude ou violento com seu filhote. Aulas de socialização para filhotes é um ótimo começo, mas a socialização não deve terminar aí.

Preço

R$ 2.500 a R$ 4.000

Perguntas frequentes

O Mastim Tibetano pode viver em apartamentos ou espaços pequenos?

Devido sua grande necessidade de espaço para se exercitar não são recomendados para apartamentos.

O Mastim Tibetano é recomendado para crianças?

São ideias para famílias com crianças mais velhas de cinco anos para cima. Eles são muito grande e podem sem querer derrubar ou machucar um bebê. Interação cão/criança, não importa a idade deve ser sempre supervisionada por um adulto.

O Mastim Tibetano pode ficar sozinho em casa?

Eles são independentes mas não se são muito bem com tédio e solidão. Eles provavelmente vão criar um novo design para seus móveis ou fazer um projeto próprio de paisagismo no seu jardim se deixados muito tempo sozinhos.

O Mastim Tibetano late muito?

A noite, se estiver fora de casa, ele vai latir sempre que sentir necessidade de avisar sobre algo. Seu latido é forte e alto. Mehor deixá-lo dormir dentro de casa onde ele fica mais tranquilo.

O Mastim Tibetano solta muito pelo?

Não tem queda de pelo grande demais. As escovações ajudam a reduzir os pelos mortos evitando que caiam dentro de casa.

Fotos doMastim Tibetano

Raças similares aoMastim Tibetano

Fila Brasileiro

Dócil, obediente e seguro de si.

Bulmastife

Ativo, cheio de ardor e seguro de si.

Mastim Napolitano

Muito forte. Firme e leal, não é agressivo

Cane Corso

Forte, ágil, obediente, elegante, robusto e musculoso

Explore outrasRaças

Deixe seu comentário

Os comentários estão desativados.