Terrier Escocês

Jovial e próximo do dono
CBKC - Grupo 3
Esse Terrier de corpo rente ao chão tem fisionomia divertida, com o longo focinho e a barbicha.
Também conhecido como: Scottish Terrie, Scottie, Terrier da Escócia.

Informações Gerais

Esse escocês de silhueta característica já atingiu o status de ícone canino. Com seu visual angular, reto, barbicha charmosa, cauda ereta e sua beleza estonteante, o Terrier Escocês sem dúvida é uma das raças mais reconhecíveis do mundo.

Podendo ser considerado um cão rústico, o Scottie vem das planícies da Escócia e foi criado para caçar e ser resistente ao ar livre. Sua personalidade e corpo são sem dúvida um reflexo dessa seleção.

Com uma verdadeira atitude de Terrier, esse cão é inteligente, valente, teimoso, obstinado e corajoso durante a caça, adora cavar e definitivamente não é um cachorro que gosta da vida sedentária. Seu temperamento independente não é um modelo de obediência e precisa ser trabalhado através de um adestramento consistente e firme, respondendo sempre melhor a técnicas que utilizam o reforço positivo.

Sua aparência séria esconde o fato que ele ama estar com a família, é leal e muito apegado aos tutores. Por isso, nem pense em deixá-lo sozinho no quintal, seu lugar é dentro de casa. Idealmente, todos os cães teriam uma casa com acesso ao jardim, e no caso do Scottie, que é normalmente ativo, passeios diários são necessários para drenar sua energia. Os tutores desse belo cão precisam ter paciência e no geral oferecer muito amor e atenção para seu companheiro canino.

Sua natureza aventureira o faz adorar um desafio, então é muito provável que ele se encontre em esportes como agility e earthdog trials, já que dessa maneira tanto irá desenvolver o relacionamento com o tutor, quanto irá ser instigado fisicamente e mentalmente.

É mais indicado para casais e famílias com filhos já maiores. Por ser cabeça dura, as coisas geralmente devem ser como ele quer, e crianças muito pequenas e um pouco imprevisíveis não combinam muito com seu jeito. Seu instinto de caça também é aflorado e a convivência com outros animais, principalmente os que outrora seriam suas presas, assim como outros gatos e cachorros pode ser problemática, caso não seja trabalhada de maneira saudável com adestramento. Ele se mostra indiferente e até mesmo desconfiado com estranhos.

Ele está sempre alerta, o que o torna um bom cão de guarda. Atrás do Rottweiler e Pastor Alemão, ele é o terceiro em utilizar os latidos para alertar o tutor de algo estranho.

Esse cão de em média 10 quilos precisa de boa manutenção e precisa ir no pet groomer pelo menos 1 vez por mês para manter sua estrutura.

Expectativa de vida

Expectativa
Mínima
11 anos
Expectativa
Máxima
13 anos

Altura

Altura
Mínima
25
cm
Altura
Máxima
28
cm

Peso

Peso
Mínimo
8
kg
Peso
Máximo
10
kg

Características

Adaptabilidade
Nível de afeição
Bom para apartamento
Tendência de latir
Amigável com gatos
Amigável com crianças
Amigável com cães
Necessidade de exercícios
Espaço necessário
Tosa
Problemas de saúde
Inteligência
Gosto por brincadeiras
Queda de pelo
Necessidade social
Amigável com estranhos
Territorialista
Facilidade de treinamento
Cão de guarda
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor

Origem do Terrier Escocês

País: Reino Unido

Vindo das planícies escocesas, essa raça antiga tem origem de certa maneira obscura e não documentada. O Terrier Escocês, assim como muitas outras raças criadas no Reino Unido, tinham como intuito de caçar, cavar e matar animais nas fazendas, como texugos, raposas e outros predadores.

Acredita-se que ele tenha parentesco com um cachorro descrito por Pliny em 55 A.C. Quando os romanos invadiram a Grã-Bretanha, ele escreveu “Eles encontraram, para sua surpresa, cães pequenos que os seguiam nas pedreiras”. Chamados pelos romanos de terrarii, que significa “trabalhadores da terra”, nome vindo da palavra Terra, do Latim, o Terrier Escocês era um caçador e ainda preserva seu instinto nos tempos de hoje.

O antigo terrier escocês é apontado por muitos como uma das raças mais antigas da Escócia e a base para todas as outras raças do grupo Terrier. Atualmente extinta, a raça é descrita como trabalhadora, com muita força e coragem.

Em 1436, no livreo de Don Leslie, A History of Scotland (A História da Escócia, tradução livre), o autor descreve uma raça pequena muito similar ao Terrier Escocês.

No início do século 17, James I da Inglaterra mandou diversos cachorro para a França como um presente para a monarquia do país. Esses cachorros, que seriam da raça que serviu como origem para o Scottie. O amor do rei pela raça ajudou a aumentar sua popularidade, que foi subindo no gosto popular em uma crescente nos próximos 3 séculos.

Nos primeiros anos de 1800, muitos autores faziam a distinção entre dois tipos de Terrier, o primeiro sendo um Terrier Escocês (com pelagem dura) e um Terrier Inglês (com pelagem macia). Ao final do século, os terriers estavam sendo divididos novamente em dois grupos, porém agora em Dandie Dinmont Terriers e Skye Terriers (estes tendo origem na Ilha de Skye). Os Terriers Escocêces estavam no grupo Skye Terrier e continuaram assim até 1870.

Por muito tempo, o Scottie não tinha nenhuma descrição, porém, em 1877, depois de uma sicussão acalorada nas páginas do Live Stock Journal sobre o que fazia um verdadeiro Terrier Escocês, os editores foram desafiados a escrever uma dissertação sobre a raça.

Três anos depois desse episódio, J.B. Morrison escreveu um padrão para a raça que continua até hoje.

Nesse período, o grupo então dividido em quatro raças que conhecemos hoje: Scottish Terrier, Skye Terrier, West Highland White Terrier e Cairn Terrier.

Durante esse período, o Terriers Escocês ainda era conhecido como os seguintes nomes: Highland, Cairn, Diehard e Aberdeen Terrier.

A raça foi levada para os Estados Unidos por John Naylor em 1833. Ele começou a apresentar os cães e a também importar mais. A Scottie Dake foi a primeira a ser registrada no American Kennel Club (AKC), em 1884.

A raça realmente se tornou mais popular durante a primeira e a segunda grande guerra, com a formação do clube nos Estados Unidos em 1900.

mostrar mais

Curiosidades sobre o Terrier Escocês

– O Terrier Escocês e o Pastor Alemão são as únicas raças que viveram na Casa Branca mais de 3 vezes. Franklin D. Roosevelt teve diversos Scotties, sendo a mais conhecida de nome Fala, Dwight D. Eisenhowere o George W. Bush, que possuia dois pets da raça, Barney e Miss Beazley;

– Outras personalidades que tiverevam ou ainda têm um Terrier Escocês como pet: Rainha Victoria, Eva Braun, Jacqueline Kennedy Onassis, Ed Whitfield, Rudyard Kipling, Lech Kaczynski, May Gibbs e Tatum O’Neal;

– Uma dos tokens mais famosos do jogo Monopoly é tem o formato de um Terrier Escocês;

– As Universidades Carnegie Mellon University e Agnes Scott College têm o Scottie como seus mascotes;

– A marca de bolsas e acessórios Radley têm o Terrier Escocês como símbolo e seu formato está por todas as criações lançadas;

– O Terrier Escocês é a raça que mais venceu o título de Best in Show, depois do Wire Fox Terrier, no Westminster Kennel Club Dog Show, com um total de 9 vezes;

– Em 2015, a Terrier Escocês Knopa foi a grande vencedora do Crufts, maior show canino do mundo. Desde 1929, um cão da raça não levava o prêmio para casa.

Cuidados e Bem Estar

A aparência do Terrier Escocês requer grooming mensal, assim como escovação diária para manter sua pelagem saudável e livre de nós. Durante a escovação, prestar atenção redobrada em áreas como a barriga ou as pernas.

Cuidados básicos devem sempre ser mantidos, como banhos regulares, unhas cortadas, dentes escovados diariamente e orelhas limpas.

Por ser uma raça com muita energia, o Scottie precisa passear todos os dias. Devido a sua origem de caçador e os tantos anos que passou perto da natureza, ele adora poder andar em campos e áreas verdes.

Dentre as atividades físicas, não inclua a natação. Os Terriers Escocêses não são bons nadadores e afundam facilmente devido as suas pernas pequenas e corpo pesado.

 

Predisposição à Doenças: Alterações urinárias, ortopédicas, neoplásticas, hemodinâmicas, neurológicas, oftálmicas, dermatológicas e reprodutivas.

Aparência física

Seu pequeno volume dá a impressão de que a cabeça é particularmente comprida em relação ao corpo atarracado. Os olhos, amendoados, são castranhos-escuros e encimados por grossas sobrancelhas. A trufa é de grande dimensão e as orelhas são pequenas, pontudas e eretas. O pescoço, musculoso, é de comprimento moderado; ombros largos são colados ao corpo; tem peito largo e bem descido entre os membros curtos e robustos. A cauda, de comprimento médio, é mantida ereta ou ligeiramente curvada. O pelo áspero é denso e dura e a capa interna maxia. Sua pelagem vem em tonalidade preta, trigo e às vezes malhada.

Pelagem do Terrier Escocês

Bem fechado, pelagem dupla; subpelo curto, denso e macio; pelo de cobertura
áspero, denso e de arame; juntos formam uma cobertura resistente às intempéries.

Cor da pelagem

Preto, trigo ou tigrado em qualquer tonalidade.

Filhotes

Por ser um cachorro de muita determinação e por vezes cabeça dura, ele precisa ser adestrado desde jovem, sempre com reforço positivo e paciência.

Preço

R$2000 a R3200

Perguntas frequentes

O Terrier Escocês pode viver em apartamentos ou espaços pequenos?

É um cachorro que pode ser bom para apartamento, portanto que o tutor se comprometa a levá-lo para passear todos os dias, já que ele tem muita energia para gastar. Seu tamanho pequeno ajuda nessa questão já que não precisa de muito espaço para se locomover em sua vida diária.

O Terrier Escocês é recomendado para crianças?

O Terrier Escocês é recomendado para famílias com crianças maiores.

O Terrier Escocês pode ficar sozinho em casa?

É um cachorro independente e reage melhor se ficar por algumas horas sozinho. Entretanto, todos os cães são seres sociais e nenhum deve ficar por longos períodos de tempo sozinho.

O Terrier Escocês late muito?

É um cachorro que late para avisar que alguém ou algo estranho está acontecendo. Essa tendência aumenta quando está desequilibrado e frustrado. Nesses casos, não só o latido aparece, como também outros comportamentos como agressividade e a necessidade de escavação.

O Terrier Escocês solta muito pelo?

Não o Terrier Escocês não solta muito pelo, principalmente se a escovação estiver em diao tutor não notará muito os pelos pela casa.

Fotos doTerrier Escocês

Raças similares aoTerrier Escocês

Skye Terrier

De temperamento forte

Bedlington Terrier

Esperto e caçador, cheio de confiança

Bull Terrier

Estável, ardente e corajoso

Lakeland Terrier

Alegre, amigável e corajoso

Explore outrasRaças

Deixe seu comentário

Os comentários estão desativados.