Chihuahua


Informações gerais

Chihuahua (Chihuahueño)

TAMANHO
Macho: De 16 a 20 cm.
Fêmea: De 16 a 18 cm.
PESO
Macho: De 500 g a 3 kg.
Fêmea: De 500 g a 3 kg.
PERFIL
Forte e sólido, apesar do pequeno tamanho, tem andadura leve e graciosa.
TEMPERAMENTO
É sempre muito atento. SINAL PARTICULAR: É o menor cão do mundo.
O Chihuahua é inteligente, ativo, irrequieto e corajoso. Muito afetuoso, ele é apaixonadamente ligado ao dono. É muito bom guardião, mas late ao menor ruído. Basta um pouco de firmeza para que se torne um companheiro obediente e discreto. Mesmo que a vida em apartamento lhe convenha, ele precisa de longos passeios. A cabeça do Chihuahua deve ser redonda como uma maça, de preferência sem fontanela. Existem duas variedades de Chihuahua: A primeira se característica por um pelo curto, bem assentado sobre o corpo, que é brilhante, de textura macia e duplicado por uma capa. A segunda, mais rara, possui um pelo comprido que é fino, sedoso, liso e ligeiramente ondulado; uma leve capa é procurada. Para a pelagem, todas as cores e todas as misturas de cores são admitidas, mas as pelagens fulvas, marrons-chocolate, brancas, areia, fulvo-prateadas, cinza-prateadas, pretas, preto e fogo, assim como fulvo-malhadas, são particularmente apreciadas,

Características do Chihuahua

  • Nível de energia : Alto
  • Exercício : Pouco
  • Brincalhão : Não muito brincalhão
  • Nível de afeição : Moderado
  • Amigável com outros cachorros : Tímido
  • Amigável com outros animais de estimação : Amigável
  • Amigável com estranhos : Tímido
  • Fácil de Treinar : Fácil de treinar
  • Cão de Guarda : Sim
  • Habilidade de proteção : Não muito protetor
  • Cuidados com a aparência : Poucos
  • Tolerância ao frio : Baixa tolerância
  • Tolerância ao calor : Alta tolerância

Saúde

O Chihuahua é um cão vivo que precisa de exercício, apesar de poder suprir essa necessidade correndo de um cômodo ao outro dentro de casa. O Chihuahua não é um cão que deve viver fora de casa. Não tolera bem o frio e procura o calor. Cuidados com a aparência são mínimos. O Chihuahua de pelo comprido precisa de escovação de 2 a 3 vezes por semana. NOTA: Moleira é um traço comum na raça. Expectativa de vida: 14 a 18 anos.Expectativa de vida: 14 a 18 anos.


Origem

O nome chihuahua vem do original chihuahueño, que possui, na língua espanhola, cinco diferentes significados. Por definição, este nome pode significar "lugar das fábricas", apesar de não ter sido encontrada no dialeto local antes da fundação da cidade; "junto das águas", que remeteria ao encontro de dois rios, o Sacramento e o Chuviscar, ainda que a palavra resultante seja apenas assemelhada (Ocuabahuiqui); "lugar da pedra furada", que remeteria ao conselho da vila, embora seja impossível chegar a este significado cruzando as palavras em tarahumara, dialeto local; costalera o saquería, que designava uma bolsa de couro, embora fosse mais provável designar um local no qual era possível encontrar um dado mineral; e o mais aceito como significado, que seria "lugar seco e arenoso", palavra de origem nahua, descoberta e descrita por Félix Ramos y Duarte. Outras versões apontam para a língua náuatle: "lugar onde os rios se encontram" ou "lugar seco e arenoso", esta como significado mais provável e consensual, de uma junção de "xi" e "cuahua" para formar primordialmente "cuahuacqui", palavra usada para designar seca ou qualquer coisa seca ou ainda, areia. Sobre a origem deste canino não existe apenas uma teoria mas várias, que variam desde a China ao Império asteca, o que gera inúmeras questões. Por alguns, são considerados serem descendentes de uma raça semelhante e antiga, um pouco maior e associada com a realeza da civilização asteca conhecida como techichi. Em decorrência disso, pode-se dizer que esta é a raça mais antiga da América do Norte, com origens mexicanas, já que o seu nome é o do estado mexicano de Chihuahua. Já para outros parece que, apesar deste animal estar ligado a nação latino-americana, tenha sido introduzido no país pelos chineses. Apesar das teorias, o que é realmente considerada é sua ligação com o techichi. Por terem sido encontradas imagens gravadas em pedras sobre esses animais, foi possível visualizar semelhanças entre elas. Alguns chegaram a afirmar que o techichi fora um animal selvagem capturado e domesticado pela civilização tolteca. A despeito disso, para aquela civilização, e apesar de não servir como cão de trabalho devido a seu tamanho, os techichis eram animais quase sagrados, com os quais as pessoas poderiam ter uma relação de amizade mesmo após a morte, e que estes os acompanhariam no além-vida. Isso significava que, quando o dono morresse, o cão deveria ser enterrado junto, fato este comprovado em tumbas encontradas na região, com homem e cão um ao lado do outro. Enquanto raça legalmente mexicana, as evidências que isso afirmam são comprovadas pelo fato de a maioria dos registros dessa antiga raça tenham sido encontrados próximos da Cidade do México. Por essas razões, especula-se que ele tenha sido criado, a partir do cruzamento do techichi, com um pequeno cão pelado que foi trazido da Ásia para o Alasca, supostamente responsável pela baixa estatura do canino. No que diz respeito a especulações, existem ainda as teorias de que o cão tenha vindo de uma ilha cubana ou do Egito, devido a ossadas encontradas serem bastante assemelhadas ao chihuahua. Todavia, estes indícios remontam a 1000 a.C e nada se sabe a respeito da semelhança das raças. O chihuahua, acredita-se, possui forte parentesco com o techichi, do qual só não herdou o tamanho. Antes de chegar aos Estados Unidos e após as invasões espanholas, que exterminaram a civilização tolteca, o chihuahua foi deixado a outros nativos, o que gerou o risco de extinção pelo desconhecimento do tratamento destes caninos. Contudo, a sua reprodução deu-se de forma satisfatória até à sua descoberta pelos norte-americanos, que nomearam a raça como Arizona e Texas, e ajudaram nos cruzamentos daqueles pequenos animais. O que há de certo é que várias histórias foram formuladas a respeito do passado deste cão, e em todos esses registros, de onde possivelmente ele pode ter se originado, sempre há a descrição de um canino semelhante ao moderno chihuahua. Porém, o passo seguinte foi reconhecer o animal mundialmente como raça, algo até então só ocorrido nos Estados Unidos. No século XIX, a raça foi transportada para outros locais. Na América, participava de competições de raça e teve seu primeiro exemplar registrado em 1914. A partir deste momento, o "refinamento" da raça tornou-se constante e com isso reduziu-se o seu tamanho, tornando o animal mais fino e criou-se a variação de subpelo. Como ajuda na divulgação deste novo cão, Lupe Velez, famosa atriz mexicana, e Xavier Cugat, apareceram a seu lado. Durante a Segunda Guerra Mundial, no entanto, o chihuahua foi quase extinto. A despeito disso, sua criação posterior voltou ao normal e a raça recuperou-se numericamente, conquistando pouco a pouco espaço como raça de companhia em lares pelo mundo. Sua popularidade foi atingida devido a sua excentricidade, aparições em filmes e televisão, fragilidade e tamanho, características importantes que ajudaram o chihuahua a conquistar o apelido de "cão de colo", que despertam o instinto maternal e a necessidade do ser humano em acolher e cuidar. Fonte: Wikipedia


Fotos do Chihuahua

  • Compartilhe


  • Receba as notícias do
    Portal do Dog no seu email!
    É gratuito!


    Deixe seu comentário