Antropomorfize tendo o Unwelt em mente

Nomear um cão é começar a torná-lo único - e, portanto, uma criatura antropomorfizável. Mas é assim que devemos proceder.

por Samantha Kelly — publicado 25 jul 2012 - 14:44

Antropomorfize tendo o Unwelt em mente.

Mesmo empregando uma abordagem científica do cão, nos surpreendemos usando palavras antropomórficas. Nossos cães – meu cão- fazem amigos, sentem-se culpados, divertem-se, têm ciúmes; entendem o que queremos dizer, pensam, sabem mais; ficam tristes, alegres e apavorados; querem, amam, esperam.

Essa maneira de falar é fácil, e ás vezes útil, mas também faz parte de um fenômeno maior e excepcional. Quando reformulamos cada momento da vida de um cachorro em termos humanos, começamos a perder completamente o contato com o animal que existe neles. Já não é raro que um cão seja banhado, vestido com roupas e festejado em seu aniversário. Tudo isso pode parecer benigno, mas também faz parte de uma “desanimalização” dos cães que é, até certo ponto, extrema. Raramente estamos presentes em seus nascimentos, e muitas pessoas escolherão não estar presentes quando seus cães morrerem. Na maioria das vezes, eliminamos o sexo: castramos os cães e desencorajamos a mais modesta estocada lasciva de seus quadris. Eles são alimentados com comida esterilizada, em tigelas; são geralmente restritos à distância de uma coleira de nossos calcanhares. Nas cidades, o excremento é recolhido e jogado no lixo. (Felizmente, ainda não os ensinamos a usar o banheiro… embora saibamos o quanto conveniente seria.) Os tipos de raça são descritos como produtos, com características específicas. É como se estivéssemos tentando nos livrar da parte animal do cão.

Se adotarmos a redução do fator animal a zero, teremos surpresas desagradáveis. Nem sempre os cães se comportam exatamente como pensamos que deveriam se comportar. Ele pode sentar, deitar e rolar e, em seguida, reverter magnificamente: de repente, agacha e urina dentro de casa, morde sua mão, cheira sua região genital, pula em cima de um cara estranho, come algo embolado na grama, não atende seu chamado, ataca violentamente um cãozinho. Dessa forma, nossas frustrações em relação a eles muitas vezes surgem de nossa extrema antropomorfização, que nega toda a animalidade dos cães. Um animal complexo não pode ser explicado de forma simples.

A conduta alternativa não se limita a tratar animais como precisamente não humanos. Agora possuímos as ferramentas para avaliarmos com maior precisão o comportamento deles: tendo em mente seu unwelt (mundo interior) e suas capacidades perceptuais e cognitivas. Tampouco precisamos assumir uma posição desapaixonada. Os cientístas antropomorfizam…em casa. Dão nomes a seus bichos de estimação e vêem amor no olhar de baixo para cima de um cão com nome.

Nas pesquisas, os nomes são proibidos: embora possam ajudar a identificar os animais, eles não são benignos. Nomear um animal selvagem “afeta o pensamento de alguém sobre ele para sempre”, observou um destacado biólogo de campo. Existem preconceitos observacionais óbvios que são introduzidos assim que o sujeito de suas observações é nomeado. Para distinguir animais, os etólogos usam marcas identificatórias – faixas na perna, etiquetas ou marcações com tinta no pelo ou nas penas – ou procuram pela identidade nos comportamentos habituais, na organização social ou nas características físicas.

Nomear um cão é começar a torná-lo único – e, portanto, uma criatura antropomorfizável. Mas é assim que devemos proceder. Dar um nome a um cão é demonstrar interesse no entendimento da natureza dele; não nomeá-lo parece ser o auge do desinteresse. Os cachorros chamados Cão me deixam triste: eles já estão definidos como não sendo parte integrante da vida dos donos. O Cão não tem nome próprio; ele é apenas uma subespécie taxonômica. Nunca será tratado como indivíduo. Quando nomeamos um cão iniciamos a personalidade na qual ele se desenvolverá. Ao experimentar diferentes nomes para nosso cão, soltando palavras em sua direção – “Bela!”, “Fofinha!”, “Pituca!” – para ver se algum deles estimularia algum tipo de reação, senti que buscava pelo “nome dela”: o nome que já era dela. Com isso, o vínculo entre humano e animal – moldado no entendimento, não na projeção – podia começar a se formar.

Vá olhar seu cão. Chegue perto dele! Imagine seu unwelt (mundo interior) – e deixe-o mudar o seu.

 

Texto extraído do livro “A cabeça do cachorro”, da autora Alexandra Horowitz, PhD.

Homem faz festa temática para comemorar aniversário de um ano do seu cão de serviço

por Andrezza Oestreicher — publicado 13 dez 2017 - 9:24

Nós ficamos muito felizes em poder celebrar e comemorar a vida daqueles que amamos. E é claro que com nossos animais de estimação não poderia ser diferente.

Charles Wilson-Adams é um tutor louco por seu cão e um grande fã da saga Star Wars. Então, ele decidiu juntar essas duas paixões na hora de comemorar o aniversário de um ano do seu cachorro Deuce, um cão de serviço da raça American Bully.

De acordo com Charles,

 » Read more about: Homem faz festa temática para comemorar aniversário de um ano do seu cão de serviço  »

Katherine Heigl passa momentos complicados com doença grave de sua cadelinha

por Andrezza Oestreicher — publicado 12 dez 2017 - 18:53

A atriz Katherine Heigl não é só conhecida por atuar em filmes como “Ligeiramente Grávidos”, “Vestida para Casar” e “A Verdade Nua e Crua” ou por seu papel de Dra. Izzie Stevens em “Grey’s Anatomy”, ela também é conhecida por ser uma das maiores amantes de animais entre as estrelas de Hollywood.

Porém, infelizmente, ela esta agora passando por uma grave situação com um de seus cães de estimação que ninguém deseja passar. A cadela Gracie Lou está com um tumor cerebral.

 » Read more about: Katherine Heigl passa momentos complicados com doença grave de sua cadelinha  »

Cadela que sofria maus-tratos em casa é resgatada pela polícia

por Andrezza Oestreicher — publicado 12 dez 2017 - 9:32

Em Santa Cruz do Sul, município do Rio Grande do Sul, policiais civis foram até uma residência para resgatar dois cães que sofriam maus-tratos causados pelo homem que deveria cuidar dos animais.

As denúncias foram feitas por uma ONG de proteção animal local, a Protetores de Santa Cruz, que já tinha ficado com um outro animal do mesmo homem, depois que também receberam, no mês de abril, denúncias de que ele maltratava o cão que tinha acabado de adotar.

 » Read more about: Cadela que sofria maus-tratos em casa é resgatada pela polícia  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Homem faz festa temática para comemorar aniversário de um ano do seu cão de serviço

por Andrezza Oestreicher — publicado 13 dez 2017 - 9:24

Nós ficamos muito felizes em poder celebrar e comemorar a vida daqueles que amamos. E é claro que com nossos animais de estimação não poderia ser diferente.

Charles Wilson-Adams é um tutor louco por seu cão e um grande fã da saga Star Wars. Então, ele decidiu juntar essas duas paixões na hora de comemorar o aniversário de um ano do seu cachorro Deuce, um cão de serviço da raça American Bully.

Festa teve Star Wars como tema. (Foto: Reprodução / Twitter @CiCiAdams_)

De acordo com Charles, um estudante universitário de 24 anos, disse que Deuce entrou na sua vida em um momento muito difícil e o ajudou bastante. Por isso ele pensou em fazer uma festa especial para o seu melhor amigo.

“Na verdade, eu conheci o Deuce quando estava passando por um momento difícil na minha vida, e essa é outra razão pela qual eu o amo tanto. E eu senti como se eu devesse preparar uma festa de aniversário para ele porque eu realmente o vejo como meu filho”, contou o tutor.

E já que era para ser tudo bem especial, a festa teve até tema, Star Wars, outra paixão na vida de Charles. “Eu tive que fazer algo especial para ele. E cresci gostando de Star Wars, então eu decidi preparar para ele uma festa de aniversário com tema de Star Wars. E todos no campus o amavam, então eu os convidei para a festa de aniversário [também]”, explicou Charles.

O aniversariante ganhou uma roupa nova combinando com o tema da festa. (Foto: Reprodução / Twitter @CiCiAdams_)

Os pratos, guardanapos e bandeirinhas, tudo era do Star Wars, incluindo a roupinha que o aniversariante usou durante a noite, que contou ainda com bolo e, claro, com o “Parabéns pra Você”.

A comemoração terminou com Deuce se divertindo enquanto estourava os balões que enfeitaram seu aniversário e com a promessa de seu tutor de uma nova festa no ano que vem.

Fonte: People

Katherine Heigl passa momentos complicados com doença grave de sua cadelinha

por Andrezza Oestreicher — publicado 12 dez 2017 - 18:53

A atriz Katherine Heigl não é só conhecida por atuar em filmes como “Ligeiramente Grávidos”, “Vestida para Casar” e “A Verdade Nua e Crua” ou por seu papel de Dra. Izzie Stevens em “Grey’s Anatomy”, ela também é conhecida por ser uma das maiores amantes de animais entre as estrelas de Hollywood.

Porém, infelizmente, ela esta agora passando por uma grave situação com um de seus cães de estimação que ninguém deseja passar. A cadela Gracie Lou está com um tumor cerebral.

Hey, small dog moms and dads! Have you shared why your small dog is great yet? Share a photo or video with #MySmallDogIs so we can inspire more adoptions and save the lives of small dogs in the U.S.!

A post shared by Katherine Heigl (@katherineheigl) on

O animal foi diagnosticado em setembro, mas só agora a atriz tornou o assunto público.

De acordo com Katherine, há cerca de um ano Gracie Lou “começou a mostrar alguns sinais que estava sentindo dores”. A cadela foi imediatamente levada ao veterinário, que acreditou que ela estava com uma hérnia de disco ou alguma lesão no pescoço, mas nada extremamente grave.

Então, o veterinário receitou alguns medicamentos para dor e tratamento. Com isso, a cadelinha aparentemente voltou ao normal, mas há cerca de três meses ela pareceu estar ruim novamente.

O veterinário tentou outras terapias e medicamentos, porém todas pensando que o problema do animal seria no pescoço. Porém, a cadela continuou piorando e passou a ter convulsões. Foi quando resolveram fazer uma ressonância magnética, que revelou não só tumor cerebral, mas também que ele já estava muito grande, ao ponto de estar pressionando o cérebro de Gracie Lou.

De acordo com informações, a cadelinha passou por uma cirurgia que conseguiu remover quase 50% do tumor, que estava localizado em um ponto bastante complicado do cérebro.

“Estamos passando a maior parte do tempo atendendo as necessidades pós-operatórias da Gracie”, disse Katherine em uma postagem feita no dia 1º de dezembro em seu blog, Those Heavenly Days. “Agora meus dias consistem em tentar salvar Grace”, completou a tutora, explicando que a cadelinha teve um dano cerebral que a fez desaprender a beber água sozinha.

Em uma publicação em seu perfil oficial no Instagram, Katherine contou que vai fazer uma pausa no seu blog para se dedicar completamente aos cuidados de Grace.

“Qualquer um que tenha amado um animal de companhia sabe o quanto de amor incondicional, paciência, conforto, lealdade, risos e alegria eles trazem para nossas vidas. Gracie foi tudo isso e mais para mim, então agora vou fazer tudo o que posso para salvá-la!”, escreveu Katherine Heigl junto com uma série de fotos com a cadelinha.

Fonte: People