Cientistas estudam genoma de cães e lobos para entender suas diferenças

por Fabio Sakita — publicado 11 jun 2013 - 10:13

DO “NEW YORK TIMES”

Foto: Reprodução / Google

Imagine um lobo apanhando um “frisbee” 12 vezes seguidas, conduzindo policiais a um esconderijo de cocaína ou apenas dormindo ao seu lado no sofá. É um exagero, para dizer o mínimo. Os cães podem ter evoluído a partir dos lobos, mas as mentes dos dois são muito diferentes.

O cérebro dos cachorros se tornou sintonizado com o dos humanos. Os cientistas estão se concentrando em alguns genes que foram cruciais para reprogramar o cérebro canino. Seus resultados poderão ensinar algo sobre a evolução de nossos cérebros: alguns dos genes que evoluíram nos cães são os mesmos que evoluíram em nós.

Para rastrear a mudança nos cérebros caninos, os cientistas tiveram de elucidar como as raças de cães se relacionam entre si e como todas elas são parentes dos lobos. O doutor Zhang Ya-Ping, geneticista na Academia Chinesa de Ciências, liderou uma rede internacional de cientistas que compararam pedaços de DNA de diferentes caninos. Eles chegaram à conclusão de que os lobos começaram sua transformação na Ásia oriental.

Aqueles primeiros cachorros então se espalharam para outras partes do mundo. Muitas das raças mais conhecidas hoje surgiram apenas nos últimos séculos. Aqueles primeiros cães permaneceram durante milhares de anos. Hoje são conhecidos como cães nativos chineses. “Os cães chineses vivem em aldeias rurais, ajudando as pessoas a proteger suas casas”, escreveu o doutor Zhang em um e-mail.

Ele e seus colegas sequenciaram o genoma dos cães nativos chineses e o compararam com os genomas de lobos asiáticos e raças modernas de cães.

Ao comparar as mutações, puderam estimar quando os lobos e os cães divergiram. Como relataram em 14 de maio na revista “Nature Communications”, eles descobriram que a divisão começou 32 mil anos atrás.

Os primeiros cachorros encontraram pequenos bandos de caçadores/coletores. As pessoas só se estabeleceram em aldeias para praticar a agricultura na Ásia oriental há 10 mil anos.

Depois que os cães se separaram dos lobos, seus genes começaram a evoluir em uma nova direção. O doutor Zhang e seus colegas puderam identificar alguns desses genes, vários dos quais ainda ativos no cérebro de cachorros.

Alguns dos genes que evoluíram primeiro no cão estão no córtex pré-frontal, onde os mamíferos tomam decisões sobre como se comportar. Alguns genes participam da criação de conexões entre os neurônios. O gene chamado SLC6A4 transporta serotonina para os neurônios.

Os resultados oferecem pistas sobre como os lobos tornaram-se parecidos com os cachorros. “A visão convencional é que os caçadores/coletores recolheram filhotes”, disse Chung-I Wu, da Universidade de Chicago. Se os humanos criaram os primeiros cachorros dessa maneira, então eles seriam descendentes de uma população muito pequena.

Em vez disso, parece que uma grande população de lobos começou a se aproximar dos humanos. Nesse cenário, os lobos agressivos teriam se saído mal, porque os humanos os teriam matado, enquanto lobos mais mansos teriam prosperado.

Isso significaria que não domesticamos os lobos -eles se domesticaram. O gene SLC6A4 pode ter tido um papel crucial nessa mudança, porque a serotonina influencia a agressividade.

O doutor Zhang e seus colegas esperam descobrir como as variantes de genes como o SLC6A4 afetam o comportamento dos cães. Os resultados podem ajudar a explicar a evolução humana: alguns genes que evoluíram no cérebro dos cães, como o SLC6A4, também mudaram no cérebro humano.

“Os humanos também tiveram de se domesticar”, disse Adam Boyko, da Universidade Cornell em Ithaca, Nova York, um dos colaboradores de Zhang. “O processo provavelmente é semelhante ao dos cães -você precisa tolerar a presença de outros.”

Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 fev 2018 - 9:34

Perder um cachorro é sempre muito triste e quem passa por esse momento sabe como é importante receber conforto e carinho das pessoas que amamos e também dos outros animais da família.

Pensando nisso, um aluno decidiu mandar uma cartinha para confortar uma professora quando soube que o cãozinho dela tinha acabado de falecer.

A cartinha era tão fofa, que a filha da professora decidiu fotografar e publicar no Twitter.

 » Read more about: Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro  »

Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 19:09

Muitos tutores ainda não conseguem entender o tamanho do perigo que é transportar animais de estimação no carro da forma incorreta. Além dos pets, as pessoas que estão dentro do automóvel também correm riscos.

Em Franca, município no interior do estado de São Paulo, um pequeno cachorrinho quase morreu ao ser arremessado pela janela de um carro durante um acidente.

Sendo levado no banco da frente, no colo de sua tutora, forma errada,

 » Read more about: Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro  »

Hilary Duff faz homenagem muito emocionante para seu cachorro que faleceu

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 9:40

Quando passamos pelo triste momento da morte de um cachorro, nós, que amamos animais, sentimos uma dor muito forte e sentimos muito a partida.

É exatamente por esse momento que nenhum amante de animal quer passar que a atriz Hilary Duff, uma apaixonada por cachorros, está passando agora.

❤️💔forever

A post shared by Hilary Duff (@hilaryduff) on Feb 20, 2018 at 12:08pm PST

Hilary acabou de perder o seu companheiro peludo Dubois,

 » Read more about: Hilary Duff faz homenagem muito emocionante para seu cachorro que faleceu  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 fev 2018 - 9:34

Perder um cachorro é sempre muito triste e quem passa por esse momento sabe como é importante receber conforto e carinho das pessoas que amamos e também dos outros animais da família.

Pensando nisso, um aluno decidiu mandar uma cartinha para confortar uma professora quando soube que o cãozinho dela tinha acabado de falecer.

O cãozinho precisou ser eutanasiado e sua tutora ficou muito triste. (Foto: Reprodução / Twitter @luciedunne_)

A cartinha era tão fofa, que a filha da professora decidiu fotografar e publicar no Twitter. O caso, que aconteceu na Escócia, acabou fazendo muito sucesso na internet.

Junto das imagens, Lucie Dunne, filha da professora, escreveu: “Mamãe ficou tão triste por termos que colocar o cachorro para dormir (eutanasiar) e estressada por ter que voltar para a escola hoje, e ela recebeu isso de um pequenino menino em sua classe”.

Na cartinha escrita em inglês, o menino fez um fofo poema começando cada frase com uma letra do nome do cão, um Golden Retriever que se chamava Charlie.

“Senhora Dunne, me desculpe se você não gostar da minha carta ou se ela deixá-la emocionada.
Querida Senhora Dunne, eu sinto muito pelo seu cachorro.
Eu quero dizer que o seu cachorro era
Atrevido, eu aposto que o seu cachorro era muito atrevido.
Feliz, eu aposto que o seu cachorro estava sempre feliz.
Adorável, eu aposto que o seu cachorro era super adorável!
Conectado, eu aposto que o seu cachorro era conectado e tinha uma ligação com você.
Sortudo, eu aposto que o seu cachorro era muito sortudo.
Incrível, eu aposto que o seu cachorro era superincrível.
Enérgico, eu aposto que o seu cachorro era sempre cheio de energia.
Mas, acima de tudo, eu sei que o seu cachorro era especial.
O seu cachorro está em um lugar melhor e está cuidando de você”.

Nós ficamos emocionados com a atitude deste menino e sonhamos com um mundo com mais pessoas com o coração cheio de amor, igual ao do pequenino.

Fonte: Veja São Paulo

Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 19:09

Muitos tutores ainda não conseguem entender o tamanho do perigo que é transportar animais de estimação no carro da forma incorreta. Além dos pets, as pessoas que estão dentro do automóvel também correm riscos.

Em Franca, município no interior do estado de São Paulo, um pequeno cachorrinho quase morreu ao ser arremessado pela janela de um carro durante um acidente.

Com o movimento brusco, o cãozinho foi arremessado pela janela do carro. (Foto: Reprodução / EPTV)

Sendo levado no banco da frente, no colo de sua tutora, forma errada, mas muito praticada, de se transportar um animal no carro, o cãozinho Fred, da raça Shih-Tzu, acabou voando pela janela do automóvel quando a estudante Tainara Galvani Moreira, que conduzia o carro, precisou fazer uma manobra brusca para evitar um acidente maior.

Na hora que Tainara puxou o carro de forma bem rápida para a calçada, desviando de um outro automóvel, os air bags frontais foram acionados no painel e acabaram atingindo o cachorro. Com o susto, a mãe de Tainara, que segurava Fred, não conseguiu segurar o animal, que foi arremessado pela janela.

Felizmente, o cachorro não apresentou nenhum ferimento mais grave. Fred bateu em um muro, caiu no chão e saiu andando apenas mancando.

O animal bateu no muro e caiu no chão. (Foto: Reprodução / EPTV)

Tainara disse que só percebeu que o animal não estava dentro do carro depois que o automóvel parou completamente. “Eu só vi a hora que o carro parou, foi quando eu dei falta dele. Eu saí desesperada procurando”, contou ela.

Agora, depois do acidente, a família afirmou que vai passar a utilizar o compartimento especial para transportar animais em carros. “Parecia que estava tudo acabando naquela hora. Graças a Deus está tudo bem com a gente e agora é só cuidar dele. O Fred é muito amado aqui em casa”, disse Rosa Aparecida Galvani Moreira, mãe de Tainá e quem segurava o cãozinho na hora do acidente.

Fonte: G1