Como ajudar as crianças a lidarem com a morte de um pet

Como muitas vezes essa pode ser a primeira experiência de perda de um ser amado, paciência e cuidado são necessários para auxiliá-la a lidar com o luto.

por Samantha Kelly — publicado 3 jun 2015 - 18:39

A morte de um pet já é um evento traumático para tutores de qualquer idade, e no caso das crianças, muitas vezes essa é a primeira experiência que elas têm de perda de um ser amado.

Mamães, papais, titios e avós precisam estar cientes de que a criança pode apresentar uma série de sentimentos e reações, e para isso, é preciso estar preparado para oferecer o suporte necessário para que elas consigam seguir em frente da melhor maneira possível.

Abaixo algumas dicas de atividades que podem auxiliar a criança a melhor lidar com a perda do pet.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

– A maneira que a criança irá reagir à morte do pet depende e cada uma pode apresentar reações distintas. Tristeza, raiva, vazio e culpa são todas emoções válidas. Algumas podem querer fazer várias perguntas, e outras podem internalizar e silenciar. Deixe claro que você estará ali e disponível para responder todas essas questões quando ela estiver pronta é importante para que se sinta amparada;

– Seja honesto com a criança, mesmo que o assunto seja tão delicado quanto a morte. É crítico que você demonstre bom senso quanto a idade da criança e o quanto/como irá falar sobre o assunto;

– Cuidado ao utilizar eufemismos como “Ele foi colocado para dormir”, já que há uma grande possibilidade da criança interpretar de forma literal e passar a ter medo de ir dormir;

– Como uma maneira de dizer adeus, rituais de passagem, como um funeral ou uma cerimônia simbólica, podem auxiliar e trazer um tipo de fechamento;

– Se você tiver um quintal na sua casa, plantar uma árvore em honra à vida do pet pode tornar o momento mais solene;

– Guardar uma lembrança como uma coleira ou brinquedo que o pet particularmente gostava;

– Sentar com a família e/ou com um grupo de amigos para falar dos momentos alegres do pet pode fazer a criança se sentir saudosa, mas também fará com que ela compreenda que todos estão passando por aquela situação e dor juntos;

– Outra maneira de lembrar é através da construção de um álbum de fotografias para que juntos, durante o processo, possam conversar e relembrar dos momentos felizes;

– Como algumas crianças podem internalizar o sentimento e ter dificuldade de se expressar, pedir para que desenhem ou que escrevam uma carta como uma forma de colocar para fora é uma boa alternativa;

– Pedir para que a criança complete sentenças como “Falar sobre a morte do meu pet faz com que eu me sinta…” é uma forma de fazê-los falar sobre seus sentimentos;

– Há muitos livros voltados para o público infantil que tratam sobre a perda de um pet de maneira didática e sensível;

– Se a criança continuar apresentando um comportamento diferente de seu normal, com dificuldade de se abrir ou lidar com o ocorrido mesmo depois de um tempo após o falecimento do pet, buscar o auxílio de uma profissional que seja especializada em crianças pode ser uma boa maneira de lidar com o luto;

– Só por que o sentimento mais agudo de saudade já passou, não quer dizer que o processo de cura de uma perda seja rápido. A criança pode continuar a fazer perguntas, falar sobre lembranças ou fazer observações sobre o assunto por dias, semanas ou até meses;

– Compartilhe o seu próprio sentimento com a criança, até para que ela saiba que é aceitável sentir tristeza, mas cuidado para não sobrecarregá-la. Para um maior auxílio, procure outros adultos melhor preparados.

 

Fontes de pesquisa: Vet Street, ASPCA e care2

 

Leitura complementar: Entrevista com a psicóloga Maíra Simeão sobre o luto e a perda de um cachorro

Tosadora abre sua loja na madrugada para ajudar um cachorro encontrado em péssimas condições

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 out 2017 - 18:33

Cachorros abandonados podem chegar a um estado terrível por conta da falta de cuidados. Isso fica ainda pior no caso dos animais peludos, pois os pelos vão crescendo, se emaranhando, e isso pode trazer graves consequências para os cães.

Na Flórida, nos Estados Unidos, um casal passeando de carro viu um cachorrinho na rua. Ao chegar mais de perto eles puderam perceber que o animal não estava perdido. Pela situação de negligência que o cão estava,

 » Read more about: Tosadora abre sua loja na madrugada para ajudar um cachorro encontrado em péssimas condições  »

Cachorro faz xixi em homem na rua e acaba ganhando um lar

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 out 2017 - 9:38

Este mês, um vídeo bastante engraçado com um cachorro fez muito sucesso nas redes sociais. As cenas mostram um homem sentado no chão tranquilamente mexendo no celular, até que um cachorro chega, cheira o homem e faz xixi nas costas dele. Ao sentir o xixi, o homem toma um susto e se levanta rapidamente pegando na blusa e dá um chute no ar, em direção ao cachorro.

Algumas pessoas criticaram bastante o homem, que se chama Heinze Sánchez e tem 27 anos,

 » Read more about: Cachorro faz xixi em homem na rua e acaba ganhando um lar  »

Cães encontrados em uma situação terrível juntos esperam ser adotados por uma mesma família

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 out 2017 - 9:36

Os cachorros Jefe e Jericho foram encontrados juntos em uma situação de negligência terrível. Desde o primeiro momento, os membros da equipe da Arizona Humane Society, organização de proteção animal que resgatou a dupla, perceberam que os cães, apesar de diferentes, eram grandes amigos e companheiros.

Os dois cachorros, um Chihuahua de 2 anos chamado Jefe bem extrovertido e um belíssimo Pastor Alemão de três anos de idade chamado Jericho, estavam no quintal de uma casa nos Estados Unidos,

 » Read more about: Cães encontrados em uma situação terrível juntos esperam ser adotados por uma mesma família  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Tosadora abre sua loja na madrugada para ajudar um cachorro encontrado em péssimas condições

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 out 2017 - 18:33

Cachorros abandonados podem chegar a um estado terrível por conta da falta de cuidados. Isso fica ainda pior no caso dos animais peludos, pois os pelos vão crescendo, se emaranhando, e isso pode trazer graves consequências para os cães.

Na Flórida, nos Estados Unidos, um casal passeando de carro viu um cachorrinho na rua. Ao chegar mais de perto eles puderam perceber que o animal não estava perdido. Pela situação de negligência que o cão estava, ele havia sido abandonado e não recebia cuidados há algum tempo.

O animal foi encontrado em uma situação de total abandono. (Foto: Reprodução / Bored Panda / Facebook BGE Grooming)

Seus pelos estavam enormes e tão cheios de nós que o cão quase não conseguia andar.

O casal, que não podia ficar com o cão durante a noite, fez um apelo nas redes sociais pedindo socorro para que alguém ajudasse o cachorro. Foi aí que apareceu Kari Falla, que é tosadora de cachorro.

Kari percebeu que o cão em questão precisava urgentemente de cuidados e então abriu seu “salão” meia-noite para dar o tratamento que o pobre cachorro tanto precisava.

Cão tomou banho e recebeu uma bela tosa nos pelos. (Foto: Reprodução / Bored Panda / Facebook BGE Grooming)

“Eu sabia que era ruim, mas nada me preparava para o que vi”, disse Kari, que trabalhou incansavelmente até 3 horas da manhã para deixar o cãozinho limpo e livre daquele peso de pelos que ele estava carregando.

Após dar banho e tosar o cachorro, Kari o levou ao veterinário. O cão, que agora se chama Lucky, foi encontrado cego e surdo, mas agora está se recuperando em um lar temporário. Quando estiver 100% pronto, o animal será colocado para adoção.

Após se livrar do peso de pelos que carregava, o cão também recebeu cuidados médicos. (Foto: Reprodução / Bored Panda / Facebook BGE Grooming)

Fonte: Bored Panda

Cachorro faz xixi em homem na rua e acaba ganhando um lar

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 out 2017 - 9:38

Este mês, um vídeo bastante engraçado com um cachorro fez muito sucesso nas redes sociais. As cenas mostram um homem sentado no chão tranquilamente mexendo no celular, até que um cachorro chega, cheira o homem e faz xixi nas costas dele. Ao sentir o xixi, o homem toma um susto e se levanta rapidamente pegando na blusa e dá um chute no ar, em direção ao cachorro.

Algumas pessoas criticaram bastante o homem, que se chama Heinze Sánchez e tem 27 anos, pela tentativa de agressão após o xixi. Porém, além de não ter agredido o cão, o homem acabou adotando o cachorro que fez xixi nele.

O cachorro foi até o homem discretamente e fez xixi nas costas dele. (Foto: Reprodução / Vídeo / Extra)

“Eu estava mexendo no celular. Ia responder uma mensagem e estava concentrado sentado no chão. Nem o vi chegar. Ele se aproximou devagar e eu só senti aquele negócio quente e tomei um susto. Quando olhei, vi que ele tinha feito xixi. Fiquei indignado com aquilo”, contou o homem.

“Muita gente me criticou por ter chutado ele. Mas não pegou não. Eu retraí a perna na hora. Foi uma reação do momento e não tive a intenção de machucá-lo. Ainda chegou outro cachorrinho perto e eu falei ‘viu o que o teu amigo fez comigo?’”, explicou Heinze.

Apesar de não ter agredido o cão de fato, o homem ficou com peso na consciência por ter brigado com o animal. Então, ele decidiu ir atrás do cachorro na rua onde tudo tinha acontecido.

O cãozinho agora tem um lar e um papai humano que está lhe dado muito carinho. (Foto: Reprodução / Facebook Heinze Sánchez)

“Quando o encontrei, chamei e ele veio abanando o rabo. Estava começando a chover. Fiquei brincando um tempo com ele e depois resolvi levá-lo para casa. Ele se aproximou de mim. É muito dócil, fica grudado, chora quando saio de casa. Faz algumas bagunças na casa do vizinho, mas é um bom cachorro”, contou Heinze agora bem feliz.

O homem escolheu um nome bem especial para o seu cãozinho, Enzo. “Dei esse nome porque sempre falava que quando eu tivesse um filho, se chamaria Enzo. Agora está comigo, alimentado e limpinho”, contou o novo tutor, que já publicou muitas fotos do novo membro da família nas suas redes sociais.

Fonte: Extra