Lidando com a adoção e a compra de cachorros

Incentivando a adoção e a compra responsável

por Samantha Kelly — publicado 21 abr 2014 - 3:07

A falta de estrutura e de políticas públicas aliadas ao desrespeito pela lei, que vai desde os criadores ilegais aos pseudo-tutores que abandonam cães nas ruas todos os dias, transformou a situação de muitos animais do nosso país em um verdadeiro caos, sentenciado milhões a zanzar pelas ruas, com fome e doentes, enfrentando a morte iminente no próximo carro ou nos já lotados CCZs.

Adoção e compra de animais. Foto: Reprodução

Adoção e compra de animais. Foto: Reprodução

Sabendo dessa realidade e querendo ver uma mudança, aqui no Portal, nós SEMPRE incentivamos a adoção de animais por saber e conhecer a briga a ser travada contra o descaso. Desde o princípio a adoção é uma prioridade em nossos temas e ações.

Atualmente, além de incentivar através de nosso trabalho diário e abrir espaço para iniciativas e projetos que ajudam animais, estamos desenvolvendo o site “Ong na Minha Cidade“, um projeto paralelo dos administradores do Portal do Dog que será um banco de dados com o intuito de construir uma ponte entre possíveis adotantes e os animais e dar visibilidade ao trabalho magnífico feito por organizações não governamentais que resgatam animais que se encontram em situação de abandono, negligência e sofrimento.

Esse é o nosso trabalho e a nossa escolha, o que não nos dá o direito de impor o nosso pensamento ao outro. O que nós podemos fazer é trocar informações e, quem sabe, inspirar com o exemplo.

Demonizar, generalizar ou não admitir que há criadores que são sérios e que há pessoas que compram  de locais comprometidos e amam seus cães, não irá ajudar em nada a gerar uma conscientização. É colocar a culpa nos que não são os culpados e simplificar um problema muito mais complexo do que aparece na superfície.

Independente de como você se sinta em relação ao comércio de animais, ele existe e é permitido em nosso país. Por isso, batemos na tecla que é importante a troca de conhecimento e a educação do grande público quanto ao tema. Algumas pessoas vão comprar um cachorro de determinada raça por vários motivos, desde uma afeição especial até as qualidades e predisposições da raça (como por exemplo os cachorros que trabalhavam com pastoreio). Então, se a decisão é essa, que o façam de maneira responsável.

Estamos sempre insistindo que, antes de comprar, chequem se o criador é sério e regularizado, que não comprem de petshops, que pratiquem a posse responsável. Que se a nossa justiça é morosa e falha e a falta de fiscalização é praticamente uma regra, que sejamos conscientes o suficiente em não alimentar o comércio ilegal de animais ao dar dinheiro a fábricas de filhotes e criadores de fundo de quintal, que continuam por ainda ter lucro na exploração desenfreada. (Ler mais em “Como saber se o criador do meu cachorro é sério?“)

Como se não bastasse o preconceito que o SRD enfrenta, agora notamos uma certa aversão de algumas pessoas a cães de raça definida. Munidos de muito julgamento e geralmente com pouco trabalho pela causa, soltam seus “por que um cachorro de raça” ou “por que não adotou?”, sem nem saber da história por trás de cada um e esquecendo o fato que nem todos os cães disponíveis para adoção são SRDs.

Eu sei que um dia, talvez não na minha vida, nossa sociedade não vai mais olhar para cães SRDs e não enxergar falta de status, olhar para cães de raça definida e não enxergar o comércio ilegal de animais, enxergar cães idosos e com necessidades especiais e não enxergar um objeto descartável… E que essa discussão de adoção e compra será tão defasada, que irão nos perguntar como um dia fomos tão atrasados. Nesse futuro, todos serão o que são: cachorros, amigos leais e companheiros.

Até lá, continuaremos defendemos que a melhor maneira de ensinar, conviver e incentivar a adoção não é xingar a escolha alheia e sim focar toda essa energia em começar ou continuar a ajudar. Polarizar é cortar o diálogo com o “outro lado”, é julgar e se fechar em sua verdade sem se permitir conhecer pontos de vista diferentes.

O ato de receber em cachorro em sua vida, através da adoção ou da compra, e verdadeiramente apreciá-lo, garantir que ele tenha uma vida decente e confortável, praticando a posse responsável até o mais íntimo do seu significado, para nós esse é o importante.

 

Atualização 22/04

Cachorros encontrados em estado de negligência em um condomínio de luxo são resgatados

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 jan 2018 - 9:38

Após denúncias de vizinhos, 14 cachorros foram resgatados de uma casa localizada em um condomínio de alto padrão em Mogi das Cruzes, São Paulo.

De acordo com informações dadas pelos vizinhos e registradas em boletim de ocorrência, todos os moradores da casa estavam viajando e os animais estavam, ou deveriam estar, sendo cuidados por uma funcionária. Porém, o que se via no local era uma cena de completo abandono. Os animais estavam vivendo em meio a muita sujeira e fezes.

 » Read more about: Cachorros encontrados em estado de negligência em um condomínio de luxo são resgatados  »

Com muita tristeza, Salma Hayek se despede de sua amada cadelinha Lupe

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 jan 2018 - 18:32

Salma Hayek está passando por um momento bastante triste. Apaixonada confessa por animais, a atriz mexicana naturalizada norte-americana está de luto pela morte de sua tão amada e cadelinha Lupe.

Proprietária de um rancho, que ela chama de santuário, onde cuida de cerca de 30 animais de diferentes espécies, incluindo cavalos, alpacas, papagaios, coelhos, perus e galinhas, além dos cachorros que ela pega da rua e mais outros pets, Salma disse estar sem palavras após perder sua companheira de tantos anos.

 » Read more about: Com muita tristeza, Salma Hayek se despede de sua amada cadelinha Lupe  »

Cadela resgatada adota filhotes de gato e mostra quanto amor tem para dar

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 jan 2018 - 9:39

Apesar de já sabermos como os cachorros são amorosos com humanos e animais de diferentes espécies, nunca deixamos de ficar maravilhados quando encontramos um fato que mostra a quantidade de amor que os cães são capazes de distribuir.

Um abrigo de animais no México encontrou uma ninhada de pequenos gatinhos recém-nascidos. Eles provavelmente tinham sido abandonados naquele local, pois ainda precisavam ser amamentados e estavam sem a sua mamãe. Naquela situação, as chances de os pequenos sobreviverem eram bem poucas.

 » Read more about: Cadela resgatada adota filhotes de gato e mostra quanto amor tem para dar  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cachorros encontrados em estado de negligência em um condomínio de luxo são resgatados

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 jan 2018 - 9:38

Após denúncias de vizinhos, 14 cachorros foram resgatados de uma casa localizada em um condomínio de alto padrão em Mogi das Cruzes, São Paulo.

De acordo com informações dadas pelos vizinhos e registradas em boletim de ocorrência, todos os moradores da casa estavam viajando e os animais estavam, ou deveriam estar, sendo cuidados por uma funcionária. Porém, o que se via no local era uma cena de completo abandono. Os animais estavam vivendo em meio a muita sujeira e fezes.

Os cachorros estavam vivendo em estado de abandono. (Foto: Reprodução / Polícia Militar)

Segundo os vizinhos, a funcionária da casa já tinha chegado a passar seis dias sem aparecer por lá. Porém, a situação dos animais, que estavam com os pelos descuidados, cheios de nós e bem sujos, mostrava que eles estavam sendo negligenciados a mais tempo do que apenas seis dias.

O abandono dos animais foi denunciado pelos vizinhos à Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB Subseção de Mogi das Cruzes e a advogada Ana Carolina Arantes de Souza Faria, presidente da comissão e quem recebeu a denúncia, esteve no local pessoalmente para averiguar a situação.

“O que foi apurado é que os moradores do imóvel estão viajando e que os animais estavam sob os cuidados de uma funcionária. Essa funcionária, segundo o que foi apurado, já chegou a ficar seis dias sem aparecer no local. Quando cheguei na casa vi que o espaço onde estavam os cachorros estava abandonado, com fezes espalhadas e os animais em estado precário”, informou Ana Carolina.

Eles conviviam diariamente com muita sujeira e fezes. (Foto: Reprodução / Polícia Militar)

A denúncia foi feita depois que os vizinhos viram dois filhotes mortos no meio dos outros animais. Esses moradores, então, pediram que o condomínio interferisse. “A pedido dos mesmos [os vizinhos], por uma questão de saúde pública e até para preservar os demais cães, o supervisor da segurança adentrou ao local e retirou os corpos, tendo documentado a situação no mesmo dia, na sequência a Polícia Militar foi acionada, a qual compareceu por volta das 20:00 e informou que não tinham conhecimentos técnicos para avaliar eventual abandono ou maus-tratos, sendo necessário a presença do Centro de Controle de Zoonoses e um laudo de veterinário”, contou Gilberto Farias, diretor de segurança do condomínio.

Além destes dois filhotes mortos, os vizinhos afirmam que também viram a funcionária sair da casa com um cachorro dentro de uma sacola, mas não conseguiram ver se o animal estava vivo ou morto.

Os corpos retirados pelos funcionários do condomínio, que afirmou estar “ao lado das autoridades fornecendo todo suporte e informações que forem solicitadas”, foram enterrados.

Além disso, os cães estavam muito sujos e com os pelos cheios de nós. (Foto: Reprodução / Polícia Militar)

Ainda de acordo com informações do boletim de ocorrência, que foi registrado como crime contra o meio ambiente por praticar ato de abuso a animais, uma ONG de Mogi das Cruzes e o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) foram acionados pela presidente da Comissão de Proteção e Defesa Animal, que também solicitou apoio da Polícia Militar.

“Os animais vivos foram encaminhados para um instituto que fica em Ribeirão Pires. Esse mesmo instituto poderá ingressar com uma ação contra os tutores e requerer a posse dos animais, que depois de serem tratados poderão ser encaminhados para adoção”, informou Ana Carolina.

Sobre o caso, a presidente da Comissão de Proteção e Defesa Animal explicou que ele deve ser encaminhado para a Delegacia do Meio Ambiente, que deverá acionar o Ministério Público. “A Polícia Civil deverá atuar na investigação e a comissão vai acompanhar o andamento do inquérito”, finalizou a advogada.

Fonte: G1

Com muita tristeza, Salma Hayek se despede de sua amada cadelinha Lupe

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 jan 2018 - 18:32

Salma Hayek está passando por um momento bastante triste. Apaixonada confessa por animais, a atriz mexicana naturalizada norte-americana está de luto pela morte de sua tão amada e cadelinha Lupe.

Proprietária de um rancho, que ela chama de santuário, onde cuida de cerca de 30 animais de diferentes espécies, incluindo cavalos, alpacas, papagaios, coelhos, perus e galinhas, além dos cachorros que ela pega da rua e mais outros pets, Salma disse estar sem palavras após perder sua companheira de tantos anos.

A atriz, que foi indica ao Oscar de Melhor Atriz em 2003 por interpretar Frida Kahlo no filme Frida, confirmou a morte do animal, que tinha 18 anos de idade, na última quarta-feira, dia 17 de janeiro, através do seu perfil oficial no Instagram, onde publicou uma emocionante homenagem de despedida para Lupe.

Junto com uma foto em que aparece com Lupe nos braços, Salma escreveu: “Com meu coração cheio de amor e dor, tive que dizer adeus à minha Lupe. Estou tão agradecida pelos 18 anos em que enriqueceu minha vida com seu grande espírito. Não tenho palavras ou lágrimas para descrever o quanto ela significa para mim. Que ela possa correr livre com meu bando de cães que já estão esperando por ela no céu dos cachorros”.

Lupe, que também recebeu uma homenagem em espanhol, morreu dois anos depois de outra triste perda de Salma, o falecimento do cãozinho Mozart, que tinha nove anos de idade quando foi encontrado morto, no rancho da atriz, com um tiro próximo ao coração.

Nós torcemos para que Salma se recupere logo e agradecemos tudo o que ela faz pelos animais.

Fonte: People