Anestesia em cães

Saiba mais sobre a anestesia em cães e conheça as características das anestesias local e geral

por George Augusto — publicado 9 maio 2014 - 2:17

A anestesia é, nada mais nada menos que, um fármaco que tem a função de suprimir por um tempo determinado a dor do paciente. A área de anestesiologia é uma das mais difíceis e de enorme importância nas profissões de saúde, sendo a medicina humana e medicina veterinária as que mais usam as variedades de anestésicos. Como dito anteriormente, a anestesiologia é uma área bastante complexa, sendo necessária a presença imprescindível de um médico anestesiologista para a escolha do melhor fármaco a ser utilizado naquela situação.

Existem vários tipos de protocolo para cada tipo de situação, porém a anestesiologia é dividida em dois principais planos anestésicos, sendo eles a anestesia local e anestesia geral.

 

Anestesia em cães. Foto: Reprodução

Anestesia em cães. Foto: Reprodução

Anestesia Local: A anestesia local, como o próprio nome diz, é o bloqueio da condução nervosa não ocorrendo a perda da consciência, e sim a supressão da dor num local determinado. Dentro da anestesia local existem inúmeras formas de provocar essa supressão, sendo a anestesia tópica, ou seja anestesia na forma de pomada ou spray, a mais comumente usada. Outros tipos de anestesias locais também incluem a espinhal, a intravenosa e intra-articular.  Esse tipo de anestesia é mais utilizada em casos que não sejam de cirurgias muito invasivas, e sim em procedimentos mais simples, como: Retirada de tumor, sutura na pele, remoção de unha e etc.

Anestesia Geral: Na anestesia geral, o animal apresenta perda total da consciência, ocorrendo na maioria dos casos, a necessidade da intubação do paciente. A anestesia geral requer bem mais atenção que a local, tendo em vista que altera a fisiologia do animal. É de suma importância, antes do ato anestésico, o médico avaliar e encaminhar o paciente para os exames complementares, pois existem fármacos que não podem ser administrados em animais que apresentam problemas cardíacos, renais, hepáticos e etc. A escolha da anestesia geral é feita, na maioria das vezes, quando se trata de cirurgias bem traumáticas e invasivas, como: Castração em fêmeas, remoção de algum órgão, amputação de membros e etc. A sua administração é feita por via  intravenosa ou inalatória.

É importante ressaltar que jamais uma pessoa, sem ser habilitada, deva administrar anestesia num animal. A anestesia feita de forma ou quantidade errada pode levar o animal a óbito, em um curto espaço de tempo. Não existe anestesia melhor ou pior, isso irá de acordo com a saúde que o animal goza no momento do ato anestésico,  bem como com a duração e o tipo de cirurgia que o animal vai ser submetido. Para o cão, comparado com o gato, a anestesia é bem menos traumática e o pós operatório mais favorável.

É importante que antes que o animal entre em um centro cirúrgico, o tutor converse com o anestesista responsável pela cirurgia para que seja esclarecido o procedimento, os riscos e o protocolo anestésico escolhido. O anestesista é quem vai avaliar e acompanhar o paciente antes da cirurgia, no período do ato cirúrgico, como também no pós operatório. Existem muitos mitos em torno das anestesias, por isso é indicado que todas as dúvidas sejam tiradas antes mesmo do ato cirúrgico.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Cachorro fica em incêndio e protege rebanho de cabras da família

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 out 2017 - 9:21

Quanto mais nós conhecemos novos cachorros e ficamos sabendo das diferentes histórias envolvendo estes animais pelo mundo todo, mais nós nos encantamos e nos surpreendemos com a quantidade de amor e lealdade que eles são capazes de oferecer.

No condado de Sonoma, na Califórnia, um cachorro se arriscou durante um grande incêndio para proteger o rebanho de cabras de sua família.

De acordo com Roland Hendel, proprietário do lugar, ele não teve tempo de salvar todos os membros de sua família do fogo.

 » Read more about: Cachorro fica em incêndio e protege rebanho de cabras da família  »

Califórnia proíbe a venda de animais provenientes de “fábricas de filhotes”

por Andrezza Oestreicher — publicado 17 out 2017 - 18:31

O governador da Califórnia, nos Estados Unidos, deu um enorme passo para o fim da comercialização de animais de estimação. A partir do ano que vem, será proibida a venda de cães, gatos e coelhos provenientes de criadores ilegais e de fábrica de filhotes no estado norte-americano.

De acordo com uma nova lei, que foi assinada pelo governador Jerry Brown no dia 13 de outubro e entrará em vigor no dia 1º de janeiro de 2019,

 » Read more about: Califórnia proíbe a venda de animais provenientes de “fábricas de filhotes”  »

Paolla Oliveira aproveita tempinho livre para relaxar com cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 17 out 2017 - 9:36

A atriz Paolla Oliveira é uma amante de cachorros assumida e nós já demos muitas provas disso aqui no Portal do Dog.

Tutora de três cachorros (dois deles adotados) e 11 gatos, Paolla também é madrinha da ONG Paraíso dos Focinhos e sempre está participando de campanhas para ajudar a instituição, além de incentivar a adoção.

Pronta pra semana… Só que no horário de verão. 😂🙆

 » Read more about: Paolla Oliveira aproveita tempinho livre para relaxar com cachorro  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cachorro fica em incêndio e protege rebanho de cabras da família

por Andrezza Oestreicher — publicado 18 out 2017 - 9:21

Quanto mais nós conhecemos novos cachorros e ficamos sabendo das diferentes histórias envolvendo estes animais pelo mundo todo, mais nós nos encantamos e nos surpreendemos com a quantidade de amor e lealdade que eles são capazes de oferecer.

No condado de Sonoma, na Califórnia, um cachorro se arriscou durante um grande incêndio para proteger o rebanho de cabras de sua família.

A propriedade ficou completamente destruída. (Foto: Reprodução / Facebook Roland Tembo Hendel)

De acordo com Roland Hendel, proprietário do lugar, ele não teve tempo de salvar todos os membros de sua família do fogo. Além de seus filhos, ele tem ainda dois cães e oito cabras. Quando percebeu o fogo se aproximando de sua casa, ele só teve tempo de salvar as crianças e um dos cães, Tessa.

O cachorro Odin estava com as cabras. Ele poderia ter fugido e Roland não conseguia entender qual o motivo do cão ter continuado onde estava.

Roland perdeu absolutamente tudo, mas sua maior dor era em relação seu grande amigo Odin e as cabras que tinham ficado no incêndio. Ele estava se sentindo bastante culpado por não ter conseguido salvar os animais. “Eu tinha certeza de que os tinha condenado a uma morte horrível e agonizante”, escreveu ele em uma rede social.

Apesar de bastante exausto e sujo, o cão Odin foi encontrado vivo junto com as cabras. (Foto: Reprodução / Facebook Roland Tembo Hendel)

Quando o fogo acabou e ele teve permissão de voltar ao local onde ficava sua casa, Roland e sua família tiveram uma surpresa maravilhosa. Em meio à devastação total da casa, oito de suas cabras resgatadas e o cachorro Odin continuavam na área, vivos, apesar de visivelmente cansados.

Odin estava bastante exausto e sujo por conta da fumaça, mas parecia estar bem. O reencontro com a família, principalmente com a cadela Tessa, deixou o cão bem animado.

“Ele parece estar ficando mais forte, e a presença de sua irmã seguramente ajudará a levantar seus espíritos e tirar um pouco do peso de seus ombros gigantes”, afirmou Roland.

O reencontro com sua família deixou Odin muito animado. (Foto: Reprodução / Facebook Roland Tembo Hendel)

Todos acreditam que o cão tenha ficado no local para cuidar das cabras, pois ele sabia que isso era sua responsabilidade no momento em que aconteceu o incêndio. Porém, como eles conseguiram se salvar continua sendo um grande mistério.

Fonte: Life With Dogs

Califórnia proíbe a venda de animais provenientes de “fábricas de filhotes”

por Andrezza Oestreicher — publicado 17 out 2017 - 18:31

O governador da Califórnia, nos Estados Unidos, deu um enorme passo para o fim da comercialização de animais de estimação. A partir do ano que vem, será proibida a venda de cães, gatos e coelhos provenientes de criadores ilegais e de fábrica de filhotes no estado norte-americano.

De acordo com uma nova lei, que foi assinada pelo governador Jerry Brown no dia 13 de outubro e entrará em vigor no dia 1º de janeiro de 2019, as lojas de animais e pet shops de toda a Califórnia só poderão oferecer animais vindos de abrigos ou provenientes de resgates.

Os locais conhecidos como “fábricas de filhotes”, na maioria das vezes, não possuem a estrutura certa para manter os animais. (Foto: Reprodução / Gaikphotos)

As lojas que forem flagradas vendendo animais vindos de criadores ilegais ou de fábricas de filhotes poderão receber multas de até 500 dólares.

Essa proibição tem como objetivo acabar com as chamadas “fábricas de filhotes”, locais onde animais são confinados apenas com a finalidade de reproduzir para que os donos tenham lucro financeiro com a venda dos filhotes. E tudo isso em larga escala, ou seja, em grandes quantidades.

A preocupação com este tipo de comércio é muito grande, pois esses locais não oferecem a estrutura e nem os cuidados que os animais precisam, tanto matrizes (como são conhecidas as cadelas reprodutoras, as mamães) quanto filhotes.

Nesses locais, as cadelas matrizes, as mães, não recebem nenhum tipo de cuidado e são bastante negligenciadas. (Foto: Reprodução / One Green Planet)

Essa falta de cuidados e condições pode causar doenças e até traumas nos animais. Além disso, na maioria das vezes as pessoas que compram animais provenientes destes lugares nem imaginam como os bichinhos viviam antes de serem levados para o novo lar.

36 cidades da Califórnia, incluindo Los Angeles, San Francisco e San Diego, já proíbem a criação em massa, em grande quantidade. Agora, a proibição da venda é em todo o estado. Porém, criadores particulares ainda poderão vender animais de forma independente.

Nas “fábricas de filhotes” os animais vivem amontoados e muitas vezes em meio a muitas sujeiras. (Foto: Reprodução / schnauzerfriendsza)

“Quando os consumidores compram cachorros e gatinhos nas lojas de animais, desconhecem, muitas vezes, a origem dos animais e contribuem para uma indústria triste e de sofrimento”, disse Deborah Howard, presidente da Companion Animal Protection Society (CAPS), que acredita que a mudança irá ajudar a quebrar um ciclo de crueldade e maus-tratos, principalmente com as cadelas utilizadas apenas para procriar e que acabam sendo descartadas quando não podem mais ter filhotes.

Fonte: The Telegraph / Jornal de Notícias