Cálculo renal em cachorros

O cálculo renal é formado por pequenos cristais encontrados em todo trato urinário do animal que, ao longo do tempo, tornan-se uma massa dura e compacta

por George Augusto — publicado 27 dez 2014 - 0:31

É bastante comum ouvirmos pessoas queixarem-se de dor nos rins e afirmarem que possuem a famosa “Pedra nos rins”. O que muitas pessoas não sabem, é que essa doença não ocorre somente em seres humanos, e sim também nos animais, dentre eles os cães, principalmente os idosos. O cálculo renal, como é conhecido dentro da medicina, ocorre em grande escala nos pets, sendo um dos pricipais motivos das entradas de emergências em clínicas e hospitais veterinários. Para um melhor esclarecimento, o cálculo renal é formado por pequenos cristais encontrados em todo trato urinário do animal que, ao longo do tempo, tornan-se uma massa dura e compacta. É importante ressaltar que os cálculos renais, também conhecidos como urolitíase, podem se localizar em várias partes do trato urinário, tais como: Rim, Ureteres, Bexiga e Uretra.

As causas para o aparecimento de cálculos em cães podem ser de origem genética, ou seja, quando o animal já nasce com a predisposição para o aparecimento ou em casos de doenças adquiridas. Quando ocorre o aparecimento em grande escala de certas substâncias na urina, elas se juntam aos cristais presentes no local e começam a se solidificar e formar as “pedras”.

Existem quatro principais tipos de cálculos, estando a sua grande diferença na composição da qual é formado.

Cálculo de Cistina: É decorrente a uma doença renal genética que o animal pode ter, levando a presença em grande escala de Cistina na urina.

Cálculo de Cálcio: Esse tipo de cálculo é o mais encontrado nos cães, conhecido também como cálculo de Oxalato de cálcio. Nesse caso, na maioria das vezes, o animal volta a formar cálculos depois do tratamento.

Cálculo de ácido úrico: Esse ocorre em maior casos em cães de rua ou aqueles em que o tutor não fornece água em abundância ao animal. A falta de ingestão correta de líquido acarreta a formação desse tipo de cálculo.

Cálculo de estruvita: É uma das principais causas de obstrução do trato urinário.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Os sinais clínicos que portador de cálculo renal apresenta são amplos, podendo,  na maioria das vezes, passar  despercebidos pelo tutor. Em muitos casos, só é observado pelo tutor  quando está num estágio mais avançado. A sintomatologia encontrada é: O animal sente dor ao ser tocado com mais força nos flancos; Uivos e choros sem motivos aparentes; Em caso de dor extrema o animal  reluta a movimentar-se e comer; Apresenta dor ao urinar (em alguns casos); Hematúria (sangue na urina); O animal pode passar alguns dias sem conseguir urinar e entre outros.

O diagnóstico é feito junto ao médico veterinário, onde é observado os sinais clínicos e feitos exames específicos. Um exame importante, e que ajuda um bom diagnóstico, é o ultrassom e o Raio-x. Podem ser feitos também exames laboratoriais, tais como exame de urina (urinálise), perfil bioquímico e hemograma completo.

O tratamento consiste primeiramente na remoção da dor do animal, como também numa suposta desobstrução, se o quadro assim exigir. Pode ser usada uma terapia medicamentosa específica para o caso, ou uma intervenção cirúrgica, se o médico veterinário achar necessário. É interessante também o animal passar por uma dieta rígida, escolhida pelo profissional. Lembre: somente um profissional habilitado pode executar o tratamento. Não arrisque a vida do seu animal.

A prevenção consiste numa dieta específica. Muitos tutores utilizam restos de comida ou alimentam os pets com alimentos inadequados, causando sérios danos à saúde. Uma ida rotineira ao médico veterinário e o check-up anual, ajudam a prevenir o cálculo renal.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Cadelinha continua deixando metade de sua comida para seu amigo canino que morreu

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 jun 2017 - 9:33

Os cães Stitch e Cookie, ambos da raça Labrador, sempre foram melhores amigos e faziam tudo juntos e até dividiam o potinho de comida.

Desde que chegou na casa de sua família, a cadelinha Cookie aprendeu a deixar metade da ração que tinha no pote para que Stitch, o outro cão que já vivia na casa, comesse depois dela.

O tutor dos animais sempre colocava uma quantidade de ração suficiente para os dois e Stitch sempre se certificava de que sua amiga Cookie estava deixando a parte dele.

 » Read more about: Cadelinha continua deixando metade de sua comida para seu amigo canino que morreu  »

Kim Kardashian apresenta o novo cachorrinho de sua filha

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 jun 2017 - 18:50

Para comemorar o aniversário de quatro anos de sua filha com kanye West, Kim Kardashian deu para a pequena North West um filhote de cachorro como presente.

Kim apresentou o pequeno cachorro em suas redes sociais, mas não deu grandes detalhes.

O filhote parece ser da raça Lulu da Pomerânia, também conhecida por Spitz Alemão. Alguns sites internacionais especulam que o cão seja um Teacup Lulu Da Pomeranian, tamanho maior e que apresentaria menos problemas de saúde do que o micro.

 » Read more about: Kim Kardashian apresenta o novo cachorrinho de sua filha  »

Casal que mantinha 170 cães em péssimas condições é proibido de ter animais

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 jun 2017 - 9:33

Nos Estados Unidos, um casal foi condenado por maus-tratos a animais por manterem cerca de 170 cachorros em péssimas condições. Mark Vattimo, de 72 anos, e Christine Calvert, de 62, se declararam culpados por negligenciarem os cachorros, todos da raça Yorkshire Terrier.

Em janeiro deste ano, 2017, dezenas de cachorros foram encontrados em uma sala escura. A situação era terrível. Os animais estavam vivendo em meio a muita sujeira e com urina cobrindo o chão e até paredes.

 » Read more about: Casal que mantinha 170 cães em péssimas condições é proibido de ter animais  »

deixe seu comentário:

Cadelinha continua deixando metade de sua comida para seu amigo canino que morreu

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 jun 2017 - 9:33

Os cães Stitch e Cookie, ambos da raça Labrador, sempre foram melhores amigos e faziam tudo juntos e até dividiam o potinho de comida.

Desde que chegou na casa de sua família, a cadelinha Cookie aprendeu a deixar metade da ração que tinha no pote para que Stitch, o outro cão que já vivia na casa, comesse depois dela.

Stitch e Cookie eram melhores amigos e sempre dividiam o mesmo pote de comida. (Foto: Reprodução / Twitter @_EasyBreasy_)

O tutor dos animais sempre colocava uma quantidade de ração suficiente para os dois e Stitch sempre se certificava de que sua amiga Cookie estava deixando a parte dele. Dessa forma, cada um comia o tanto certo.

Porém, infelizmente, o cachorro Stitch faleceu no início deste mês de junho, e Cookie perdeu o seu melhor amigo.

Como agora só tinham um cão em casa, o tutore passou a colocar uma quantidade menor de comida no pote que os cães dividiam, pois agora a ração seria apenas para a cadela.

Acontece que o tutor reparou que, mesmo se passando vários dias após a morte de Stitch, a cadela Cookie não se esquece de seu melhor amigo e continua deixando metade da ração para ele comer depois dela.

Mesmo após a morte do amigo Stitch, a cadela Cookie continuou deixando metade de sua comida para ele. (Foto: Reprodução / Twitter @_EasyBreasy_)

“Nós peguamos Stitch quando eu estava no jardim de infância. Na terceira série, pegamos Cookie. Eu sentia que o Stitch precisava de companhia. Mas eles eram como Batman e Robin, estavam sempre juntos, sempre um ao lado do outro, brincando ou tomando conta um do outro”, contou o tutor dos animais sobre a amizade dos cães.

É, os cães sempre nos mostrando e provando que não existe amor e nem amizade maior do que a deles.

Fonte: Estadão

Kim Kardashian apresenta o novo cachorrinho de sua filha

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 jun 2017 - 18:50

Para comemorar o aniversário de quatro anos de sua filha com kanye West, Kim Kardashian deu para a pequena North West um filhote de cachorro como presente.

Kim apresentou o pequeno cachorro em suas redes sociais, mas não deu grandes detalhes.

Kim Kardashian deu um fofo cachorrinho de presente para a sua filha. (Foto: Reprodução / Instagram @kimkardashian)

O filhote parece ser da raça Lulu da Pomerânia, também conhecida por Spitz Alemão. Alguns sites internacionais especulam que o cão seja um Teacup Lulu Da Pomeranian, tamanho maior e que apresentaria menos problemas de saúde do que o micro.

O que também se sabe é que Penélope, filha de Kourtney Kardashian e sobrinha de Kim, também ganhou um filhote igual ao da prima North.

Ao mostrar o pequeno filhote para seus fãs pela primeira vez, Kim só contou que o animal era da sua filha e que ele ainda não tinha nome.

Kim apresentou o filhote para seus fãs através das redes sociais. (Foto: Reprodução / Daily Mail UK / Kim Kardashian Snapchat)

“Gente, quão fofo é o cachorrinho de Northie?”, perguntou Kim para os seus seguidores do Snapchat. Ainda em um vídeo publicado na rede social, Kim olha para o fofo filhote e pergunta: “Como devemos chamar você?”.

Em seu perfil oficial no Instagram, a esposa de kanye West contou que sua sobrinha já escolheu o nome do seu cachorrinho, que agora se chama Honey e perguntou para os seus seguidores: “Como deveremos chamar o nosso?”.

North West e sua prima Penélope ganharam cachorrinhos iguais.
(Foto: Reprodução / Instagram @kimkardashian)

O que sabemos de fato até agora é que ambos os filhotes são muito lindos e fofinhos e esperamos que eles sejam sempre muito bem cuidados.

Fonte: TMZ / Daily Mail UK