Câncer de testículo em cachorros

O câncer de testículo é a doença que mais afeta os canídeos machos do Brasil e de todo o mundo

por George Augusto — publicado 25 fev 2014 - 12:44

A neoplasia testicular, também conhecida como câncer de testículo, é a doença que mais afeta os canídeos machos do Brasil e de todo o mundo. Os animais são acometidos independentemente da raça, sexo ou idade, porém aparece principalmente em cães idosos. Essa patologia evidencia-se também nos animais que possuem criptorquidismo (retenção do testículo na cavidade abdominal). Para um maior entendimento, os testículos se localizam dentro do saco escrotal e têm a função de produzir espermatozoides e testosterona.

A neoplasia testicular pode ser classificada como um tumor germinativo não seminomatoso (mais agressivo e de crescimento mais rápido) e tumor germinativo seminomatoso (de crescimento mais lento).

 

Fatores que contribuem para a formação do câncer de testículo

Não existe uma causa específica que seja conhecida quanto à origem da neoplasia testicular, porém existem alguns fatores que contribuem para o seu aparecimento. São eles:

Presença de criptorquidismo (quando um ou ambos testículos não descem para o saco escrotal, permanecendo na cavidade abdominal);

Fatores genéticos (ocorrência de câncer na linhagem), como também, em alguns casos, o trauma contínuo no escroto.

 

Sinais clínicos do câncer de testículo

Câncer de testículo em cães. Foto: Reprodução

Câncer de testículo em cães. Foto: Reprodução

Fase inicial

Como todo o câncer na sua fase inicial, este também não apresenta sinais clínicos clássicos, somente o aparecimento do nódulo no testículo.

Fase avençada

Alguns animais quando estão na fase mais avançada da doença, começam a apresentar sinais, como:

Dor na região escrotal (devido à hemorragia no testículo);

Tosse;

Prostração, e em alguns casos, a ocorrência de metástase (a disseminação da doenças para outros órgãos do corpo através da corrente sanguínea e vias linfáticas).

 

Diagnóstico do câncer de testículo

O diagnóstico da doença pode ser feito no exame rotineiro do animal, através da palpação. No caso de aparecimento de alguma massa anormal, é feito o exame de ultrassonografia para a verificação da região acometida. A prática mais exercida pelos profissionais é a retirada do testículo, que, em seguida, é levado para o exame de biópsia. É a partir daí que o médico veterinário irá avaliar se há a necessidade de uma quimioterapia ou não.

 

Tratamento do câncer de testículo

O tratamento consiste na intervenção cirúrgica para retirada do testículo afetado com o nódulo, como dito anteriormente. Dependendo do resultado da biópsia, o paciente deverá passar por quimioterapia, na tentativa de evitar a metástase. Não necessariamente o animal ficará infértil depois do tratamento, se o problema se instalar em apenas um dos testículos, porém quando o animal é reprodutor, muitos tutores optam por guardar o esperma do animal a fim de garantir futuras linhagens.

 

Prevenção do câncer de testículo

A prevenção do câncer de testículo é examinar o animal rotineiramente. O aparecimento de uma massa anormal no testículo pode ser o início de uma neoplasia. Atualmente, a castração está sendo a prática mais indicada pelos profissionais, para evitar um futuro câncer testicular. Os criadores que almejam a reprodução, devem sempre ter o acompanhamento de um médico veterinário para o exame rotineiro nos testículos. Um câncer descoberto no início pode evitar um dano maior no animal, afastando em cerca de 85% as chances de óbito. Consulte sempre um profissional.

 

Saiba mais sobre câncer em cachorros AQUI

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário: