Castração – Pré-cirúrgico, dia da cirurgia e pós-operatório

Conheça um pouco mais sobre a castração - pré-cirúrgico, dia da cirurgia e pós-operatório

por Samantha Kelly — publicado 2 ago 2012 - 4:42

Saiba um pouco mais sobre a castração canina. Do pré-cirúrgico ao pós-operatório.

 

Avaliação pré-cirúrgica da castração

O seu veterinário pode recomendar uma avaliação antes de castrar seu pet. A avaliação pré-cirúrgica pode incluir um exame físico para garantir que o cachorro está bem o suficiente para fazer a cirurgia. Os exames checam uma série de doenças, como infecção, anemia, açúcar baixo, coagulação inadequada, doenças nos rins e fígado.

Se o seu cachorro já possui alguma doença, como uma doença no coração, o seu veterinário pode recomendar mais exames para determinar se há alguma precaução a mais ou se a cirurgia pode ser feita. A avaliação pode ser feita no dia da cirurgia, porém se não há urgência, alguns veterinários fazem os testes alguns dias antes.

 

Dia da cirurgia

Para reduzir o risco de vômito durante a cirurgia, geralmente é recomendado que o pet vá de estômago vazio antes de passar pela anestesia. Seu veterinário provavelmente pedirá que remova a comida e água na noite anterior. Se acontecer de o seu cachorro comer ou beber algo no dia da cirurgia, avise ao seu veterinário, já que o reagendamento da cirurgia pode ser recomendado. Se o seu pet precisa de insulina ou qualquer outro medicamento, pergunte ao veterinário o que fazer no dia da cirurgia. Você pode ser aconselhada a diminuir a dosagem ou segurá-la por um dia.

Antes da cirurgia começar, seu pet irá receber uma anestesia. Ela mantem seu cachorro parado, dormindo, e completamente sem dor durante a operação. Há muitos tipos de anestesia; seu veterinário vai escolher qual é a melhor para o seu cachorro. Alguns tipos são através de injeção e outros são em forma de gás. Durante a anestesia, um pequeno tubo de plástico é inserido no canal respiratório do paciente para auxiliá-lo a respirar. O tubo é conectado à máquina de gás de anestesia com  o intuito de dar um fluxo constante de gas anestésico e oxigênio. Durante esse tempo, o time veterinário poderá conectar equipamentos de monitoramento para acompanhar o ritmo cardíaco, respiração e o uso do oxigênio durante a anestesia.

Uma vez que o seu pet está dormindo, o local da cirurgia é raspado e limpo com uma solução germicida.  A área é então drapeada com material estéril que ajuda a manter a área limpa. O veterinário e assistente se preparam para a cirurgia lavando repetidamente as mãos com sabão germicida, e então colocando roupas estéreis, máscaras e luvas. Manter o ambiente estéril ajuda a prevenir contra infecções.

Para a castração de um cachorro, a incisão é feita alguns centímetros em cima do escrotro. Os testículos são localizados, então retirados através da incisão, e separados de suas estruturas arredores. Então, os vasos sanguíneos são fechados e checados em busca de algum sangramento. Por fim, o a incisão é suturada.

Em alguns cachorros, quando um dos testículos não desce para o escroto (mais raramente os dois), como deveriam em um desenvolvimento normal, o veterinário geralmente precisa fazer uma incisão diferente (as vezes no abdômen) para removê-lo.

Na castração da fêmea, uma incisão é feita no abdômen para retirar os ovário se o útero. Também é possível remover apenas os ovários, procedimento que pode acontecer com cadelas mais novas.

Independente do procedimento usado, todo esforço será feito para manter seu cachorro seguro e saudável. Quando a cirurgia acaba, a área cirúrgica é limpa, e o paciente pode acordar da anestesia. Nesse período, ele será monitorado em uma área de recuperação até que acorde completamente e esteja estável o suficiente para ir para casa. Um medicamento de dor adicional é dado. Alguns hospitais escolhem por manter o pet por mais um dia em observação por precaução.

 

Pós-operatório

Até a operação mais bem sucedida por ter complicações se o período do pós-operatório não é respeitado e lidado de forma inadequada.  Seu veterinário deverá lhe dar instruções para o cuidado nessa fase, porém aqui também temos algumas dicas:

Comida e água: Você pode estar tentado a dar ao seu pet uma refeição grande, mas não o faça! Quantidades menores são recomendados nos primeiros dias.

Pontos: Seu pet pode ter pontos fora da pele, porém alguns veterinários podem escolher deixar os pontos embaixo da pele ou usar cola cirúrgica. Alguns materiais para sutura dissolvem e não precisam de remoção, enquanto outros precisão ser removidos (de 7 a 14 dias). Mesmo que os pontos não estejam aparentes, cheque a incisão para inchaço, sangramento ou machucados e avise seu veterinário caso haja algum evento anormal.

Protegendo a incisão: Seu pet não deve ser permitido lamber ou morder a área da incisão. Isso pode abrir a incisão e causar uma séria infecção. O seu veterinário pode indicar que o cachorro use um colar Elizabethano (cone de plástico) ou uma batinha de pano que é fechada na área da incisão para evitar o contato.

Medicação: Não esqueça de dar a medicação seguindo as instruções do veterinário. Se o seu pet vomitar após receber a medicação, ligue para o seu veterinário.

Restrições de atividade: Correr, pular ou usar as escadas devem ser evitados o máximo possível por aproximadamente 7 a 10 dias depois da cirurgia de castração. Atividades em excesso podem causar dor, sangramento, inchaço e uma série de complicações. Mesmo se o seu pet parece estar completamente recuperado, siga as instruções do veterinário.

 

Fonte

 

 

Cadelinha adotada é seguida por ovelhas da família e se torna a líder dos animais

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 dez 2017 - 9:30

A cadelinha Lady é da raça Basset Hound, que foi resgatada por um abrigo e adotada por sua família há três anos. Por conta de seu passado, que não é tão conhecido, a cadelinha tinha muito medo e chegava até a ser agressiva com outras pessoas, porém, as companhias certas fizeram com que Lady se abrisse mais para a sua nova família e ficasse mais tranquila e leve.

Na nova casa, os tutores Michael Jobson e Fiona Morton não conseguiam levá-la para passear no parque,

 » Read more about: Cadelinha adotada é seguida por ovelhas da família e se torna a líder dos animais  »

No Rio de Janeiro será proibido utilizar animais para testes de produtos cosméticos

por Andrezza Oestreicher — publicado 15 dez 2017 - 9:29

E a causa animal teve mais uma vitória no Brasil. Nos próximos dias, será promulgada uma lei que proíbe o uso de animais para testes de produtos cosméticos.

Em uma votação feita na última terça-feira, dia 14 de dezembro, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) derrubou, por 40 votos a favor e nenhum contra, o veto do governador Luiz Fernando Pezão e sancionará lei proibindo o uso de animais para cosméticos.

A lei irá valer em todo o estado do Rio de Janeiro e,

 » Read more about: No Rio de Janeiro será proibido utilizar animais para testes de produtos cosméticos  »

Em Portugal, crianças aprendem na escola sobre comportamento e bem-estar dos animais de estimação

por Andrezza Oestreicher — publicado 14 dez 2017 - 18:38

As pessoas costumam dizer que as crianças são o futuro planeta e a esperança de um mundo melhor. Pensando nisso, surgiu, em Portugal, o projeto “Eu Cuido. Um mundo melhor para os animais”.

O “Eu cuido”, que até o ano que vem vai atingir cerca de oito mil alunos só na Grande Lisboa e no Grande Porto, tem como maior objetivo ensinar e sensibilizar as crianças para diversos temas relacionados a animais de estimação.

 » Read more about: Em Portugal, crianças aprendem na escola sobre comportamento e bem-estar dos animais de estimação  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cadelinha adotada é seguida por ovelhas da família e se torna a líder dos animais

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 dez 2017 - 9:30

A cadelinha Lady é da raça Basset Hound, que foi resgatada por um abrigo e adotada por sua família há três anos. Por conta de seu passado, que não é tão conhecido, a cadelinha tinha muito medo e chegava até a ser agressiva com outras pessoas, porém, as companhias certas fizeram com que Lady se abrisse mais para a sua nova família e ficasse mais tranquila e leve.

Na nova casa, os tutores Michael Jobson e Fiona Morton não conseguiam levá-la para passear no parque, pois eles tinham receio de que ela viesse a avançar em alguém. Como eles moram em uma fazenda com bastante espaço, eles deixaram que a cadela ficasse livre pelo espaço enquanto cuidavam de alguma coisa na área externa.

Lady sempre é seguida pelas ovelhas da fazenda. (Foto: Reprodução / Metro UK / Mercury)

Porém, em um desses dias em que a cadela acompanhava seu tutor no trabalho da fazenda, por descuido, Michael deixou Lady se misturar com as ovelhas e ficou surpreso com o que aconteceu.

“Elas simplesmente começaram a seguí-la em todos os lugares. Isso certamente me fez rir. Ela [Lady] estava completamente inconsciente, mas estava fazendo um trabalho brilhante”, contou o tutor orgulhoso.

De cara a cadelinha se sentiu bastante à vontade no meio das ovelhas. Lady não se incomoda com os animais, fica tranquila entre eles e muitas vezes nem chega a perceber que é seguida pelas ovelhas.

A cadela acabou se tornando a líder do rebanho. (Foto: Reprodução / Metro UK / Mercury)

Os tutores ficaram impressionados com o talento que Lady tem para cão de pastoreio. Sempre que ela está perambulando pelo campo as ovelhas passam a seguir a cadelinha, apesar de Lady parecer estar mais preocupada em cheirar o mato e seguir seu tutor.

“Lady normalmente está atrás de mim me seguindo, mas às vezes ela sai sozinha e, de alguma forma, ela se torna a líder das ovelhas”, conta Michael.

De acordo com os tutores, eles estão até pensando em usar os talentos de Lady para ajudar o real cão de pastoreio da família, Tom.

Fonte: Metro UK

No Rio de Janeiro será proibido utilizar animais para testes de produtos cosméticos

por Andrezza Oestreicher — publicado 15 dez 2017 - 9:29

E a causa animal teve mais uma vitória no Brasil. Nos próximos dias, será promulgada uma lei que proíbe o uso de animais para testes de produtos cosméticos.

Em uma votação feita na última terça-feira, dia 14 de dezembro, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) derrubou, por 40 votos a favor e nenhum contra, o veto do governador Luiz Fernando Pezão e sancionará lei proibindo o uso de animais para cosméticos.

(Foto: Reprodução / The Wildcat Voice)

A lei irá valer em todo o estado do Rio de Janeiro e, de acordo com o seu texto, fica proibido o uso de animais para desenvolvimento, experimento e teste de produtos cosméticos, higiene pessoal, perfumes, limpeza e seus componentes. Além disso, também será proibida a comercialização de produtos que tiverem tido seus testes feitos em animais.

“Já há metodologias que fazem testes desses produtos sem utilizar os animais, então, nós temos que respeitar a dignidade dos animais e não tratá-los de forma cruel”, afirmou o deputado Gilberto Palmares, um dos autores do o projeto de lei 2.714/14, em comunicado oficial.

De acordo com Elizabeth Mac Gregor, diretora do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA) do Ministério da Ciência e Tecnologia emitiu um relatório em 2016 reconhecendo que os métodos alternativos validados são mais eficientes do que o modelo animal.

(Foto: Reprodução / sirireporter)

Para quem quer ter certeza se suas marcas preferidas não fazem testes em animais ou quer passar a escolher marcas que não contribuem com maus-tratos a animais, é só buscar no site do PETA a lista com as empresas certificadas que utilizam métodos alternativos de testes.

Para ter essas informações de empresas nacionais, é só entrar no site do Projeto Esperança Animal (PEA).

Fonte: O Globo / Capricho