Coprofagia em cachorros

Conheça as possíveis causas de alguns cães comerem fezes e como tratar esse desvio de comportamento

por George Augusto — publicado 5 mar 2014 - 22:34

O nome Coprofagia tem origem grega e significa comer fezes, copro “fezes” e “fagia” comer. Esse desvio de comportamento é bastante comum entre os animais, principalmente nos cães. Muitos proprietários tem uma ideia bastante deturpada, pensando, que essa ação se dá devido a deficiência nutricional do animal quando na verdade isso não passa de uma lenda urbana.

coprofagia-cachorros

Coprofagia em cachorros. Foto: Reprodução

Causas da coprofagia

Estudiosos afirmam que em muitos casos da coprofagia canina é devido a algum distúrbio no pâncreas, ou até mesmo, uma suposta presença de verminose no animal. Nesse caso, é importante que um médico veterinário avalie o cão. Um ponto também que deve ser considerado de grande importância é que em alguns casos, os tutores são demasiadamente rígidos ao ensinar ao animal o local correto onde defecar, levando assim, o mesmo a comer as fezes, na esperança de esconder e não ser castigado por seu dono.

A coprofagia dependendo da ocasião pode ser um ato normal. As cadelas comem as fezes dos seus filhotes, para que os predadores não cheguem até o ninho através do cheiro e também para que os animais não fiquem expostos a sujeira.

 

Tratando a coprofagia

O tratamento para esse desvio de conduto que o animal apresenta deve ser feito de forma gradual. Requer paciência por parte do proprietário do animal para que essa prática seja aos poucos abolida dos hábitos do pet.

Muitos profissionais indicam como forma de sessar esse hábito que assim que o animal defecar, o tutor jogue sobre as fezes alguma substância que solte um sabor desagradável ao ser consumida, como a pimenta, o alho e etc. Também é indicado que o proprietário ofereça brinquedos ao animal, fazendo com que o mesmo se distraia, mudando o foco de interesse. Hoje no mercado pet, existem produtos industrializados próprios para o combate da coprofagia.

Alguns casos de coprofagia ocorrem devido ao estresse do animal. Muitos animais que são presos por correntes por longo tempo e sem a oferta de alimento apresentam esse desvio de comportamento. Nesse caso, é indicado que o animal fique solto quando possível. O alimento também é muito importante pois ao dar o sentimento de saciedade evita que o animal procure as fezes.

É de suma importância que o proprietário não permita o cão se alimentar das próprias fezes, ou fezes de outros animais. Pois é através das fezes que muitos parasitas endógenos se disseminam para outros hospedeiros. Ao ingerir o bolo fecal, o animal está introduzindo ao seu organismo milhões de ovos de parasitas, que em um curto espaço de tempo estarão prejudicando a sua saúde.

Jamais castigue seu cão caso ele apresente esse comportamento. Procure sempre a opinião de um profissional da área. Essa prática que é comum entre os animais em geral, tem como ser revertida. Evite se consultar com balconistas de pet shop, pois um medicamento ou produto, pode ser tóxico ou causar alergias em seu animal. O indicado é que o pet seja examinado e medicado (se necessário), por um médico veterinário.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Livre após passar 38 anos preso injustamente, homem reencontra cachorro que conheceu na prisão

por Andrezza Oestreicher — publicado 24 fev 2018 - 9:32

Em 1980, quando tinha 21 anos de idade, Malcolm Alexander foi acusado e condenado por um crime grave e pegou prisão perpétua.

Porém, desde o dia de sua prisão, Malcolm se disse inocente e continuou afirmando isso durante todo o tempo em que esteve preso. Até que o Innocence Project (Projeto de Inocência), uma organização legal sem fins lucrativos dedicada cuidar de casos de pessoas que podem ter sido condenadas injustamente, resolveu,

 » Read more about: Livre após passar 38 anos preso injustamente, homem reencontra cachorro que conheceu na prisão  »

Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 fev 2018 - 9:34

Perder um cachorro é sempre muito triste e quem passa por esse momento sabe como é importante receber conforto e carinho das pessoas que amamos e também dos outros animais da família.

Pensando nisso, um aluno decidiu mandar uma cartinha para confortar uma professora quando soube que o cãozinho dela tinha acabado de falecer.

A cartinha era tão fofa, que a filha da professora decidiu fotografar e publicar no Twitter.

 » Read more about: Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro  »

Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 19:09

Muitos tutores ainda não conseguem entender o tamanho do perigo que é transportar animais de estimação no carro da forma incorreta. Além dos pets, as pessoas que estão dentro do automóvel também correm riscos.

Em Franca, município no interior do estado de São Paulo, um pequeno cachorrinho quase morreu ao ser arremessado pela janela de um carro durante um acidente.

Sendo levado no banco da frente, no colo de sua tutora, forma errada,

 » Read more about: Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Livre após passar 38 anos preso injustamente, homem reencontra cachorro que conheceu na prisão

por Andrezza Oestreicher — publicado 24 fev 2018 - 9:32

Em 1980, quando tinha 21 anos de idade, Malcolm Alexander foi acusado e condenado por um crime grave e pegou prisão perpétua.

Porém, desde o dia de sua prisão, Malcolm se disse inocente e continuou afirmando isso durante todo o tempo em que esteve preso. Até que o Innocence Project (Projeto de Inocência), uma organização legal sem fins lucrativos dedicada cuidar de casos de pessoas que podem ter sido condenadas injustamente, resolveu, em 1996, lutar por este homem.

Malcolm Alexander reunited with puppy

Malcolm Alexander, who was freed after nearly 38 years, will be joining us for a Facebook Live today at 4 p.m. ET. __Get started by leaving a question for him below and learn more about his case here: owl.li/i2Bu30i5VOE

Posted by Innocence Project on Tuesday, February 20, 2018

No dia 30 de janeiro deste ano, 2018, Malcolm Alexander foi liberado da penitenciária de Louisiana. Ele foi absolvido graças a provas que envolviam evidências de DNA.

38 anos depois e com 58 anos de idade, Malcolm, finalmente estava livre e pôde voltar para a sua família, sua mãe, filho e neto. Mas, estava faltando algo na vida dele. Algo muito importante que tinha ficado na penitenciária.

Era a cadelinha Innocence, também chamada de Inn, uma Labrador preta de nove meses de idade que nasceu na penitenciária e foi cuidada por Malcolm.

Felizmente, uma advogada do projeto que ajudou Malcolm cuidou também para que a cadela pudesse ficar com ele fora da prisão. “Você não tem mais nada com que se preocupar … Eu disse que eles iriam nos tirar”, ele disse para Inn quando a encontrou pela primeira vez após ser solto.

(Vídeo: Reprodução / YouTube NOLA.com)

A cadela, e mais nove irmãos, nasceu na penitenciária e vivia nos locais onde o homem trabalhava lá dentro, a loja de metais e a loja de madeira. Ele cuidou dela e a alimentou durante todo esse tempo e teve o direito de ficar com ela do lado de fora.

Ter um cão é um privilégio. Isso faz o mundo diferente”, afirmou Malcolm ao TODAY.

O homem, que aprendeu carpintaria, marcenaria e fabricação de joias durante seu tempo na prisão, espera encontrar trabalho em breve.

Fonte: Life With Dogs

Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 fev 2018 - 9:34

Perder um cachorro é sempre muito triste e quem passa por esse momento sabe como é importante receber conforto e carinho das pessoas que amamos e também dos outros animais da família.

Pensando nisso, um aluno decidiu mandar uma cartinha para confortar uma professora quando soube que o cãozinho dela tinha acabado de falecer.

O cãozinho precisou ser eutanasiado e sua tutora ficou muito triste. (Foto: Reprodução / Twitter @luciedunne_)

A cartinha era tão fofa, que a filha da professora decidiu fotografar e publicar no Twitter. O caso, que aconteceu na Escócia, acabou fazendo muito sucesso na internet.

Junto das imagens, Lucie Dunne, filha da professora, escreveu: “Mamãe ficou tão triste por termos que colocar o cachorro para dormir (eutanasiar) e estressada por ter que voltar para a escola hoje, e ela recebeu isso de um pequenino menino em sua classe”.

Na cartinha escrita em inglês, o menino fez um fofo poema começando cada frase com uma letra do nome do cão, um Golden Retriever que se chamava Charlie.

“Senhora Dunne, me desculpe se você não gostar da minha carta ou se ela deixá-la emocionada.
Querida Senhora Dunne, eu sinto muito pelo seu cachorro.
Eu quero dizer que o seu cachorro era
Atrevido, eu aposto que o seu cachorro era muito atrevido.
Feliz, eu aposto que o seu cachorro estava sempre feliz.
Adorável, eu aposto que o seu cachorro era super adorável!
Conectado, eu aposto que o seu cachorro era conectado e tinha uma ligação com você.
Sortudo, eu aposto que o seu cachorro era muito sortudo.
Incrível, eu aposto que o seu cachorro era superincrível.
Enérgico, eu aposto que o seu cachorro era sempre cheio de energia.
Mas, acima de tudo, eu sei que o seu cachorro era especial.
O seu cachorro está em um lugar melhor e está cuidando de você”.

Nós ficamos emocionados com a atitude deste menino e sonhamos com um mundo com mais pessoas com o coração cheio de amor, igual ao do pequenino.

Fonte: Veja São Paulo