Diabetes em cachorros

por Samantha Kelly — publicado 26 nov 2012 - 8:50

Os cães podem sim ter diabetes e é bom compreender porque a doença se desenvolve no animal e como perceber os sintomas e complicações que são advindos da condição.

Caso o seu pet tenha diabetes, saiba um pouco mais sobre a doença e como reconhecer os sinais.

 

Diabetes em cães. Foto: Reprodução/Google Images

 

O que é diabetes?

 

– Diabetes Melitus tipo I ou insulino-dependente

– Diabetes Melitus tipo 2 ou não insulino-dependente

 

A diabetes tipo 1 é um distúrbio hormonal que afeta a produção de insulina. É o resultado da produção inadequada de insulina pelas  ilhotas pancreáticas.

A Insulina permite que as células utilizem a glicose que é transportada pela corrente sanguínea. Sem a insulina necessária, as células não têm energia suficiente e muita glicose se acumula no sangue. Deficiência de insulina resulta em hiperglicemia (alto nível de açúcar no sangue) e glicosúria (excesso de açúcar na urina). Glicose na urina faz com que o animal excrete um grande volume de urina, causando desidratação e a vontade de beber mais água.

Inicialmente os cães que não metabolizam açúcar suficiente têm um aumento de apetite e o desejo de comer mais. Depois, com os efeitos da desnutrição, o apetite diminui.

A maioria, se não todos os cães, têm diabetes de tipo 1. Ao contrário da diabetes tipo 2, que às vezes pode ser reduzida ou até mesmo curada, diabéticos do tipo 1 precisam de injeções de insulina regularmente ao longo de suas vidas.

 

A diabetes do tipo 2 é um distúrbio endócrino crônico, caracterizado por hiperglicemia (açúcar elevado no sangue). Ao contrário da diabetes tipo 1, em que o pâncreas não produz insulina suficiente, a diabetes tipo 2 pode ocorrer quando o corpo do cão não responde corretamente à insulina. A diabetes Tipo 2 pode ser referida como diabetes resistente à insulina. Pode haver falta de insulina liberada pelo pâncreas para satisfazer as necessidades do metabolismo do animal. O objetivo da insulina é o de permitir que a glicose entre adequadamente nas células, onde pode ser eficazmente utilizada para a produção de energia no corpo do cão.

 

A diabetes aflige 1 em cada 500 cães no mundo.

Pacientes com pré-disposição à diabetes: Cães na meia idade, fêmeas no período pós-ovular ou em gestação, algumas raças específicas com pre-disposição (como Cairn Terrier e Samoyeda) e cães acima do peso.

Vale ressaltar que qualquer cão pode adquirir diabetes, até mesmo cães jovens, que podem ter uma pré-disposição genética.

Hoje, cães diagnosticados com diabetes e que recebem tratamento adequado possuem a mesma expectativa de vida de cães sem a doença.

 

Quais os sintomas de diabetes nos cães?

 

– Perda de peso, geralmente apesar de um aumento no apetite.

– Sede e vontade de urinar em excesso.

– Urina com odor de maçã.

– Quebra de gordura corporal e desenvolvimento de cetoacidose.

– Hálito pungente, com um odor químico.

– Infecções recorrentes.

– Intolerância a exercício.

– Catarata.

– Desidratação.

 

É imperativo você leve o seu cão para o veterinário caso perceba alguma mudança de comportamento.

 

Fontes:

Wikipedia

Vetinfo Diabetes in Dogs Type 1

Vetinfo Diabetes in Dogs Type 2

Web M.D.

Livro Larousse – Do cão ao Cãozinho.

 

 

Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 13:23

Coisa boa é aumentar a família e levar um cachorrinho novo para casa. Além de todo o amor que eles sempre estão prontos para nos dar, esses animais conseguem trazer ainda mais luz, vida e alegria para o lar.

Quem está vivendo esse momento de muita alegria com um novo cãozinho em casa é Sharon Stone.

Joe and I welcome his new pal Bandit. #JoeStone #BanditStone #family ❤️

 » Read more about: Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho  »

Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 9:23

A Atrofia Muscular Espinhal, bastante conhecida também como AME, é uma doença degenerativa genética que afeta o sistema nervoso e leva à redução das funções motoras. Ela resulta em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.

A AME afeta os movimentos das pernas e braços, muitos pacientes perdem esses movimentos, e afeta também os músculos que atuam na deglutição de alimentos e na respiração.

Por conta disso tudo, pessoas com Atrofia Muscular Espinhal acabam não vivendo uma série de experiências que para aqueles que não sofrem com a doença seria tão simples. 

 » Read more about: Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes  »

Cachorros da raça Galgo Italiano são encontrados vivendo em terríveis condições em São Paulo

por Andrezza Oestreicher — publicado 25 abr 2018 - 13:00

Mais uma vez, a ganância do ser humano, chamado de racional, transformou seres tão amáveis como os cachorros em máquinas de reproduzir filhotes e em fonte de lucro e de dinheiro. É exatamente isso o que criadouros clandestinos fazem.

Na última sexta-feira, dia 20 de abril, a Polícia Militar Ambiental (PMA) encontrou em uma residência em Praia Grande, no litoral de São Paulo, cachorros da raça Galgo Italiano, considerada rara no Brasil, em um estado terrível e em visíveis condições de grave negligência.

 » Read more about: Cachorros da raça Galgo Italiano são encontrados vivendo em terríveis condições em São Paulo  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Sharon Stone aumenta a família com um novo filhotinho

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 13:23

Coisa boa é aumentar a família e levar um cachorrinho novo para casa. Além de todo o amor que eles sempre estão prontos para nos dar, esses animais conseguem trazer ainda mais luz, vida e alegria para o lar.

Quem está vivendo esse momento de muita alegria com um novo cãozinho em casa é Sharon Stone.

Joe and I welcome his new pal Bandit. #JoeStone #BanditStone #family ❤️

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

Já tutora de um cachorro da raça Buldogue Francês chamado Joe, a atriz decidiu aumentar sua família e levou para casa um fofo filhotinho. O cãozinho também é da raça Buldogue Francês, porém em cores diferentes do seu irmão canino mais velho, e recebeu o nome de Bandit Stone.

Goodnight. ❤️ #BanditStone

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

Sharon apresentou o novo membro de sua família para seus fãs e seguidores através de seu perfil oficial no Instagram. Em uma série de duas fotos, uma em que ela aparece muito feliz segurando o novo filhote e outra em que Joe aparece debaixo das pernas da tutora, a atriz escreveu: “Joe e eu demos boas-vindas ao seu novo amigo Bandit”.

Depois da apresentação, Sharon Stone já começou a encher seu perfil na rede social de fotos do novo filhote, assim como toda tutora apaixonada e mamãe coruja.

Joe and Bandit! ❤️ #puppylove #JoeStone #BanditStone #bigbrother

A post shared by Sharon Stone (@sharonstone) on

A atriz também compartilhou um vídeo em que aparecem os dois cachorros, onde o pequeno Bandit tenta chamar a atenção de Joe, que prefere se coçar um pouquinho.

Entre as fotos que mostra o fofo filhote dormindo, Sharon postou uma em que aparece com Bandit no colo e confessou que Joe parece estar com um pouquinho de ciúmes do novo irmãozinho. Porém, apesar disso, ela afirmou que eles estão se dando bem.

Bandit é realmente uma fofura de cãozinho.

Fonte: People

Cadela surfa com crianças com Atrofia Muscular Espinhal e proporciona muita felicidade aos pacientes

por Andrezza Oestreicher — publicado 26 abr 2018 - 9:23

A Atrofia Muscular Espinhal, bastante conhecida também como AME, é uma doença degenerativa genética que afeta o sistema nervoso e leva à redução das funções motoras. Ela resulta em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.

A AME afeta os movimentos das pernas e braços, muitos pacientes perdem esses movimentos, e afeta também os músculos que atuam na deglutição de alimentos e na respiração.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Por conta disso tudo, pessoas com Atrofia Muscular Espinhal acabam não vivendo uma série de experiências que para aqueles que não sofrem com a doença seria tão simples. Porém, um grupo de pacientes nos Estados Unidos contou com uma ajuda para lá de especial para ter uma experiência diferente e muito feliz.

Juntamente com o Cure SMA, um grupo que financia pesquisas relacionadas à doença, a cadelinha surfista Ricochet proporcionou muita diversão a esses pacientes, que tiveram a oportunidade de entrar no mar e surfar com a peluda.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Ricochet é o único SURFice dog® do mundo que fornece assistência terapêutica enquanto cria experiências únicas de surfe e outras atividades que reduzem a ansiedade social e capacitam crianças com necessidades especiais, pessoas com deficiências, soldados feridos e veteranos com TEPT.

As crianças eram as mais animadas do grupo de pacientes, todas queriam ser a primeira a surfar com Ricochet, cadela que tem treinamento extensivo como cão de serviço.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Como muitas das crianças que participaram da atividade não conseguem manter a cabeça erguida sozinha, uma cadeira de banho foi adaptada e fixada na prancha de surf para deixar os pequenos seguros e confortáveis.

O passeio contou com a participação e ajuda de uma incrível equipe de voluntários qualificados que fez com que a experiência fosse um sucesso e muito feliz para todos.

(Foto: Reprodução / Killer Surf Pix / Ionis Pharmaceuticals)

Apesar de todas as dificuldades e trabalho que deu colocar a ideia do surf com os pacientes em prática, todos, tanto crianças quanto adultos, se divertiram bastante e não queriam que aquele dia acabasse.

Fonte: 3 Million Dogs / Diário Catarinense