Displasia Coxofemural

A Displasia Coxofemural é a má formação da articulação que liga o osso coxal ao osso fêmur, ocasionando dores muito fortes no pet.

por George Augusto — publicado 15 abr 2014 - 2:43

A displasia coxofemoral, ou  conhecida popularmente por “descadeiramento”, é uma doença que acomete, principalmente, cães que andam diariamente em piso liso. Essa enfermidade é hereditária, ou seja, pode passar para os descendentes, sendo os cães de porte grande e gigante os mais acometidos. Temos como exemplos os cães pastores alemães, filas brasileiros, rottweiler, labrador retriever, golden retriever, entre tantos outros. A displasia coxofemoral é a má formação da articulação que liga o osso coxal ao osso fêmur, ocasionando dores muito fortes no pet.

 

Displasia Coxofemural em cães. Montagem: Portal do Dog.

Displasia Coxofemural em cães. Montagem: Portal do Dog.

 

Principais causas da Displasia Coxofemural

Displasia Coxofemural em cães. Foto: Reprodução

Displasia Coxofemural em cães. Foto: Reprodução

Podemos citar inúmeras causas que influenciam no aparecimento dessa moléstia, porém as principais observadas, são:

– Primeiramente, o piso  em que os animais permanecem o dia inteiro. Isso é um ponto muito importante, pois em pisos escorregadios, os cães tendem a “patinar” com os membros posteriores, acarretando uma sobrecarga na articulação.

– Outro ponto bastante importante é a questão da obesidade. Animais muito acima do peso, tendem a sobrecarregar os membros, sendo isso péssimo para as articulações. A nutrição e o desenvolvimento rápido também são de suma importância, pois influenciam no crescimento e na formação óssea.

 

Sinais clínicos da Displasia Coxofemural

Os principais sinais clínicos aparecem no animal por volta dos 5 meses até 1 ano de vida . Em animais que possuem displasia coxofemoral, é comum encontrarmos sintomatologias, como:

– O cão sente dificuldade de andar, subir escadarias, se apoiar só com os membros posteriores e correr;

– Ocorre a manqueira;

– O quadril apresenta um nível visivelmente mais baixo que o anterior, o pet tende a sentir bastante dor; e em casos mais graves, prostração do mesmo.

 

Diagnóstico da Displasia Coxofemural

O diagnóstico só pode ser feito por um médico veterinário. Baseia-se no exame clínico do animal, sendo avaliados os sinais clínicos que o animal apresenta. Para a confirmação do diagnóstico, normalmente é feito um raio X do animal. É importante que o animal seja levado imediatamente a um profissional, tão logo se perceba alguma alteração.

 

Tratamento da Displasia Coxofemural

O tratamento consiste em terapia medicamentosa escolhida pelo profissional. Normalmente os profissionais indicam uma fisioterapia e um manejo diferenciado do animal. Em casos mais graves, a intervenção cirúrgica é a opção mais eleita, sendo feita a retirada da cabeça do fêmur e posta no lugar uma prótese, deixando assim o animal livre de dores e desconforto.

 

Prevenção da Displasia Coxofemural

Displasia Coxofemural em cães. Foto: Reprodução

Displasia Coxofemural em cães. Foto: Reprodução

A prevenção consiste num manejo correto do animal, procurando não permitir o aumento do seu peso, além de introduzir a prática de exercícios que não sobrecarreguem as articulações. É também interessante atentar para a colocação de pisos que não sejam escorregadios. É importante que diante de qualquer anormalidade no animal, o mesmo seja levado a um profissional para uma avaliação. Animais com displasia coxofemoral levam uma vida relativamente normal, apenas não sendo indicada a sobrecarga nas articulações do pet. Quando o cão é portador  da displasia, não é aconselhável ser posto para a reprodução, pois, como dito anteriormente, é uma doença hereditária. É importante que na hora da compra de um animal de pedigree, o tutor seja informado se há relatos de pais, avós ou ancestrais com a moléstia. Mas, lembre-se: não é porque o animal porta a doença que será considerado inválido. Ele poderá viver normalmente e desempenhar funções rotineiras de forma satisfatória.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Shar Pei e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda,

 » Read more about: Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira  »

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor,

 » Read more about: Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande  »

Dicas de presentes para o Dia das Mães

por Karina Sakita — publicado 18 abr 2018 - 18:42

Os cachorros já são parte da família, então é óbvio que mãe de cachorro também deve e merece comemorar o Dia das Mães.

Maridos, namorados e irmãos, vejam essas dicas de presentes para esta data especial!

E essas sugestões também vão servir para você que tem uma mãe que é apaixonada por cachorro. Não deixe para a última hora e garanta o presente dela na loja Doguim.

 » Read more about: Dicas de presentes para o Dia das Mães  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Shar Pei e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda, tem uma turma grande em casa e suas redes sociais estão repletas de registros dos pets.

Tenho certeza que metade da população brasileira desejou agora mesmo ser adotada por essa família.

 

Um tapete? Não… O Marley aproveitando o chão geladinho nesse calor. 🖤

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

A minha turma é da pesada… 😍🙈

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

Praça onde tudo aconteceu, sempre com a presença de crianças brincando. (Foto: Reprodução / Campo Grande News)

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor, que estava solto, se aproximou do seu pet e, em seguida, o policial disparou.

Thor foi atingido com um tiro e imediatamente socorrido por seus tutore, sendo levado para uma clínica veterinária. Não foi informado detalhes da situação do animal.

Além do fato de ter machucado gravemente o cachorro, os frequentadores da praça ficaram bastante assustados com o ocorrido, pois no momento do tiro havia muitas crianças brincando no local. “A praça estava lotada de crianças, poderia ter atingido outra pessoa”, afirmou uma testemunha.

De acordo com o depoimento prestado pelo policial, que se apresentou na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Piratininga ainda na noite do dia do incidente, ele contou que passeava com seu cão quando o Labrador escapou de uma casa e avançou no seu animal.

Animal baleado foi imediatamente socorrido e levado para clínica veterinária. (Foto: Reprodução / Campo Grande News)

Ainda no depoimento, o policial contou que atirou no chão para proteger seu cachorro, mas que o tiro acabou acertando Thor.

De acordo com o delegado Hoffman D’avilla, responsável pelo caso, o policial passou por teste do bafômetro, que deu negativo. Ainda segundo ele, todos os fatos serão analisados para que a ocorrência possa ser registrada.

O caso deve ser colocado em segredo de Justiça por envolver um policial.

Fonte: Campo Grande News