Doença do carrapato – Erliquiose Canina

Doença do Carrapato - Saiba mais sobre a Erliquiose Canina, doença transmitida pelo carrapato

por Samantha Kelly — publicado 12 fev 2013 - 1:04

Muito conhecida como doença do carrapato, a Erliquiose é uma doença infecciosa transmitida pela mordida do carrapato contaminado pela riquetsia Erlichia sp.

erliquiose canina

Erliquiose canina – Doença do Carrapato. Foto: Reprodução

Erlichia sp. é um microorganismo do grupo das bactérias (riquétsia). Existe várias espécies de Erlichia, sendo a Erlichia canis a que mais comumente  afeta os cães.

Erliquiose (tanto em homens quanto em cães) geralmente é transmitida através do carrapato-vermelho-do-cão, porém, pode acontecer a transmissão através da transfusão sanguínea.

Depois que a Erlichia entra no corpo através da mordida do carrapato, ele afeta as células na corrente sanguínea do cachorro. As células brancas (preciosas na luta contra infecções), células vermelhas (necessárias para o transporte de oxigênio no corpo) e as plaquetas (necessárias para ajudar a formar coágulos sanguíneos) podem ser afetadas.

É importante salientar que apesar de homens e cachorros poderem ser afetados, não é conhecida nenhuma transmissão entre o cão e o humano, o carrapato sempre é o transmissor.

Todas as raças caninas são passíveis de adquirir a bactéria, porém algumas raças, principalmente o Pastor Alemão, são mais propícias a desenvolver uma infecção crônica séria.

 

erliquiose doença do carrapato

Doença transmitida pelo carrapato: Erliquiose. Foto: Reprodução

 

Fases da Erliquiose:

 

Aguda – Erliquiose pode ter três fases. Sinais da fase aguda da doença geralmente se desenvolvem de 1 à 3 semanas após a picada do carrapato infectado. A fase aguda da doença geralmente dura de 2 à 4 semanas. A Erlichia entra nas células brancas do sangue e se reproduzem dentro delas. Além do sangue, são encontrados nos nódulos linfáticos, baço, fígado e na medula óssea. Plaquetas, que ajudam na coagulação do sangue, são frequentemente destruídas. Como resultado da infecção, os nódulos linfáticos, o fígado e baço são frequentemente aumentados. Anemia, febre, depressão, letargia, perda de apetite, falta de ar, dor e rigidez nas articulações, contusões e são muitas vezes vistos. Muitos cães serão capazes de combater a infecção. Se não, eles entram na fase subclínica.

Subclínica – Na fase subclínica o animal pode aparentar estar normal ou ter apenas anemia leve. Durante esta fase, a Erlichia vive no interior do baço. Esta fase pode durar meses ou anos. Em última análise, o cão ou elimina a Erlichia do corpo ou a infecção pode progredir para a fase crônica.

Crônica – A fase crônica pode ser leve ou grave. A perda de peso, anemia, perturbações neurológicas, a hemorragia, inflamação do olho, edema (acumulação de líquido) nas patas traseiras, e febre podem ser vistos. Os testes de sangue mostram que um ou todos os diferentes tipos de células no sangue são reduzidas. Um tipo de células, os linfócitos podem aumentar e ser anormal na aparência. Isto pode por vezes ser confundido com certos tipos de leucemia. Se um cão se torna cronicamente infectado, a doença pode voltar, especialmente durante períodos de estresse. Em alguns casos, a artrite ou uma doença do rim chamada glomerulonefrite pode desenvolver-se.

Uma diminuição do número de plaquetas (plaquetas ajudam a coagular o sangue) é a evidência mais comum em todas as fases da doença. Alterações nos níveis de proteínas no sangue são comuns. A proteína mais comum, albumina, é reduzida e outro tipo de proteína, denominada globulina, é aumentada.

Uma vez que um carrapato pode estar infectado com mais de uma doença (ex.: babesiose), não é de todo incomum ver um cão infectado com mais de uma dessas doenças ao mesmo tempo, o que geralmente provoca sintomas mais graves.

 

 

Sintomas de Erliquiose em cães – Doença do Carrapato

  • Apatia
  • Falta de apetite
  • Febre
  • Corrimento Oculonasal
  • Vômitos e diarreia
  • Dispnéia (respiração ofegante)
  • Sangue pelo nariz
  • Dor e rigidez (devido à artrite e dores musculares)
  • Sintomas neurológicos (por exemplo, coordenação motora comprometida, depressão, paralisia, etc)
  • Hematomas pelo corpo
  • Mucosas pálidas (sinal de anemia)
  •  

    Diagnóstico de Erliquiose em cães

     

    O diagnóstico é baseado nos resultados laboratoriais e sinais clínicos.

    Através de exames bioquímicos e urinálise procura-se alterações precoces em outros órgãos, principalmente nos rins.

    Outros exames mais específicos, como sorologia e PCR, também são comuns na busca de um diagnóstico.

    O PCR testa a presença do próprio organismo, não anticorpos contra ele. Infelizmente, não faz distinção entre os organismos vivos e mortos. Por esta razão, recomenda-se geralmente realizar PCR, juntamente com um dos testes de anticorpos para fazer um diagnóstico.

     

    Cuidados e Tratamento – Doença do Carrapato

     

    Na ausência de cuidados, a erliquiose torna-se crônica e pode evoluir a morte. O tratamento exige a aplicação de antibióticos durante várias semanas. A Doxiciclina geralmente é usada e mostrou ser efetiva no tratamento para a doença. Se a erliquiose causar outras complicações, estas deverão ser tratadas separadamente, usando outros medicamentos e terapias para alcançar questões secundárias causadas pela presença da Erlichia.

    Em um animal com forte anemia, uma transfusão de sangue pode ser necessária.

    OBS: Os sintomas da Erliquiose podem ser facilmente confundidos com outras doenças, por isso é primordial que ao notar algo errado você leve o seu cão ao veterinário. Somente o veterinário poderá fazer os exames necessários, diagnosticar o problemas e a partir daí começar o tratamento adequado.

     

    Como prevenir a doença do carrapato

     

    A infecção da Erlichia não dá ao seu cão uma imunidade protetora, ou seja, se o seu cão já foi infectado uma vez, e acontecer dele ser mordido novamente por um carrapato infectado, ele poderá desenvolver novamente a doença.

    Atualmente não há uma vacina contra erliquiose. A maneira de se prevenir contra as doenças provenientes do carrapato é um controle apropriado (ex.: remédios e banhos carrapaticidas) combinado com testes periódicos.

    Limitar o máximo possível a exposição do cachorro ao carrapato é sempre algo que o dono deve manter em mente. Principalmente no verão e em áreas de grande risco de infecção, o dono deve manter uma rotina diária de inspeção.

     

     

    Fonte Online

    VetStreet

    VetMedicine

    PetEducation

    AnaQuevedodicasvet 

     

    Fonte Impressa

    Larousse – Do cão ao cãozinho

    Dr. Rousselet-Blanc

     

    Cadelinha morre de tanta tristeza após ser abandonada por seu tutor em aeroporto

    por Andrezza Oestreicher — publicado 22 nov 2017 - 9:28

    Nós ficamos completamente arrasados e de coração partido quando acontece algo com nossos animais de estimação. A morte dos nossos amigos peludos é uma dor enorme e o mesmo acontece se eles fogem e se perdem, casos que nos trazem muita preocupação sobre como eles estão longe de nós.

    Para os cães, a dor da morte de seus tutores também é muito grande, perdendo apenas para o sofrimento do abandono, que os enche de uma enorme tristeza.

     » Read more about: Cadelinha morre de tanta tristeza após ser abandonada por seu tutor em aeroporto  »

    Evelyn Regly adota cãozinho SRD do Instituto Luisa Mell

    por Andrezza Oestreicher — publicado 21 nov 2017 - 18:32

    Grande sucesso nas redes sociais e no YouTube, onde conta com mais de três milhões de seguidores, a blogueira e youtuber Evelyn Regly acabou de passar por um momento muito difícil em sua vida.

    Junto da alegria de se mudar para uma casa nova grande e espaçosa, seu sonho junto com o marido, Evelyn teve a tristeza de perder o seu cachorrinho de estimação e melhor amigo Bidu.

    Eu só queria agradecer a todas as mensagens e orações.

     » Read more about: Evelyn Regly adota cãozinho SRD do Instituto Luisa Mell  »

    Tutor faz festão de aniversário para cachorro e gasta quase R$ 3 mil

    por Andrezza Oestreicher — publicado 21 nov 2017 - 9:38

    Cada vez mais vistos como membros da família por seus tutores, os cãezinhos de estimação estão ganhando muitas coisas que antes era só para os humanos, como é o caso de certidão de nascimento, documento de carteira de identidade e até festinhas de aniversário.

    Fazendo da forma como é possível para cada família, os tutores não estão mais deixando os aniversários de seus amigos de quatro patas passar em branco e cada vez mais cachorros estão tendo o seu momento de “Parabéns para você”.

     » Read more about: Tutor faz festão de aniversário para cachorro e gasta quase R$ 3 mil  »

    deixe seu comentário:
    Siga o Portal do Dog
    Últimas notícias

    Cadelinha morre de tanta tristeza após ser abandonada por seu tutor em aeroporto

    por Andrezza Oestreicher — publicado 22 nov 2017 - 9:28

    Nós ficamos completamente arrasados e de coração partido quando acontece algo com nossos animais de estimação. A morte dos nossos amigos peludos é uma dor enorme e o mesmo acontece se eles fogem e se perdem, casos que nos trazem muita preocupação sobre como eles estão longe de nós.

    Para os cães, a dor da morte de seus tutores também é muito grande, perdendo apenas para o sofrimento do abandono, que os enche de uma enorme tristeza.

    Foi o que aconteceu com uma cadelinha que recebeu o nome de Nube Viajera dos veterinários que fizeram seu tratamento.

    Nube Viajera foi encontrada vagando pelo aeroporto de Palonegro, na Colômbia. De acordo com testemunhas e funcionários do aeroporto, a cadelinha passou cerca de um mês sem sair de dentro do aeroporto e sempre cheirando a todos que ela encontrava.

    Mesmo recebendo os cuidados necessários, a tristeza consumiu a cadelinha e ela acabou falecendo. (Foto: Reprodução / The Telegraph UK / CEN)

    A suspeita é que o tutor da cadela tenha abandonado o animal no aeroporto e que ela não saiu de lá na esperança de que sua família voltasse para buscá-la.

    Ainda segundo os funcionários do local, tanto muitos deles quanto vários passageiros ofereceram comida ao animal, mas ele sempre se recusou a comer, tamanha era a sua tristeza.

    A cadela foi resgatada depois que uma ONG foi informada do caso. Assim, Nube Viajera foi retirada do aeroporto e levada para receber cuidados médicos, já que ela estava extremamente desnutrida e cada vez mais fraca.

    Porém, a tristeza da cadelinha não teve fim ao ser levada para receber cuidados. De acordo com os médicos veterinários que cuidaram de Nube Viajera, ela continuou se recusando a comer e, mesmo recebendo alimentos e remédios por meio de injeção intravenosa, sua saúde não melhorou e ela foi ficando cada vez mais triste, entrando em uma depressão que acabou levando a cadelinha à morte.

    É preciso que todos aqueles pensam em levar um animal para casa entendam que esses bichinhos se apegam tanto aos seus humanos, que ser abandonado por aqueles que o pet mais ama pode afetar de uma forma muito forte a vida desses animais, como foi o caso da cadelinha Nube Viajera, que acabou falecendo após ser abandonada.

    Fonte: The Telegraph UK

    Evelyn Regly adota cãozinho SRD do Instituto Luisa Mell

    por Andrezza Oestreicher — publicado 21 nov 2017 - 18:32

    Grande sucesso nas redes sociais e no YouTube, onde conta com mais de três milhões de seguidores, a blogueira e youtuber Evelyn Regly acabou de passar por um momento muito difícil em sua vida.

    Junto da alegria de se mudar para uma casa nova grande e espaçosa, seu sonho junto com o marido, Evelyn teve a tristeza de perder o seu cachorrinho de estimação e melhor amigo Bidu.

    Eu só queria agradecer a todas as mensagens e orações. Tenho certeza que Deus ouviu cada um de vcs. Estava indo pra São Paulo hoje, antes de ir pro aeroporto, fui visitar meu Bidu no hospital, senti a patinha dele gelada e ele mesmo com os olhos abertos, parecia se despedir de mim…. mas eu não queria acreditar naquilo. Beijei ele, fiz carinho na sua barriguinha e disse pra ele que Deus tava cuidando dele. A última semana foi tão difícil pra nós… difícil acordar e não ter ele indo atrás de nós no banheiro, sua caminha vazia, sem ele latir pedindo biscoito de maisena que ele adorava… a casa parecia estar com um vazio sem fim. Ficamos sem força pra trabalhar, pra fazer a mudança pra casa nova… nada tinha graça e não tinha mesmo. Cadê ele no meio das caixas fazendo bagunça?! Pedindo pra ir na rua?! 😔 Hoje ele nos deixou…. Fizemos tudo que podíamos por ele, e ele sentiu tanto isso, que lutou até o fim… foi um velhinho guerreiro, mas agora se foi. Viveu com a gente tantos anos, viu a gente namorar, noivar e casar. Ele esteve nos melhores e nos piores momentos das nossas vidas. Nós vamos levar ele pra sempre nos nossos corações. Filho, descansa em paz! Mamãe te ama e vai te amar pra sempre! Meu bafinho❤️🐶😔#Biduzi 2002 ✝️ 2017

    A post shared by Evelyn Regly (@evelynregly) on

    O cãozinho, que já tinha 15 anos e estava bastante velhinho, acabou ficando doente por conta do peso da idade e faleceu, após ficar internado e lutar bastante pela vida.

    Porém, cerca de cinco dias depois do falecimento de Bidu, um novo membro chegou para animar a nova casa da família, o cachorrinho vira-lata Pernalonga.

    Pernalonga foi adotado há cerca de um mês atrás, quando Evelyn foi visitar o Instituto Luisa Mell para gravar um vídeo e ajudar o local, divulgando o trabalho que a ativista animal Luisa Mell faz.

    Cheguei xentiiiii!!!!! Êêê 👏🏻👏🏻👏🏻 Pra quem não me conhece, eu sou o Pernalonga. Fui resgatado junto com a minha mãe e meus irmãos pelo @institutoluisamell 🐾 minha mãe foi no instituto há um mês atrás e ela nem foi pra me adotar, mas eu não quis nem saber, eu que adotei ela. 😇 Ela não resistiu ao meu charme 😬 Eu não pude ir com ela no mesmo dia, pq eu tinha que castrar e tomar umas vacinas, mas depois o @institutoluisamell é tão bacana que cuidou tudo disso pra mim e ontem eu fiz a minha primeira viagem de avião. Fui pra minha casa nova e virei carioca cara, tá pensando o que mermão?! Kkkk ontem quando cheguei tudo era novo pra mim… me deparei com um negocio escrito meu nome, mas fiquei com medo daquilo. Depois minha Mãe subiu nela e me ensinou que era pra eu dormir. Se chama cama cara!!!! Eu ameiiiiii!!!!! 🤗 Nem chorei sabia? Eu sempre quis ter um lar. Dormi a noite toda, mas acordei minha mãe 5:59, pq eu tava apertado pra fazer xixi. Ela me soltou no quintal e eu abri a torneira naquele mato kkkkkk Ganhei uns negócios pra eu comer da amiga da minha mãe do @petdobred, ela disse que é brinquedo. Pq eu quis comer uns chinelos que eu vi no chão 🙄 agora já sei que não pode… mas dá mole não hein gente… aquelas havaianas são tentadoras kkkkkkk Espero que meus amigos do Instituto possam ter a sorte que eu tive. Conta pra todo mundo aí que meus amigos ficaram lá no @institutoluisamell esperando pra ter um lar também. Eles fazem feira de adoção sempre. Não gasta dinheiro não cara, adote um dos meus amigos pra gente ficar feliz. 💙#PernalongaRegly

    A post shared by Evelyn Regly (@evelynregly) on

    Porém, como na época a blogueira ainda estava em um apartamento pequeno esperando a casa ficar pronta e o cãozinho ainda precisava tomar algumas vacinas e ser castrado antes de ser liberado, Evelyn preferiu esperar se mudar para depois buscar o Pernalonga para o animal passar a viver de vez com sua família.

    Finalmente esse dia chegou e a youtuber voou até São Paulo, no dia 17 de novembro, especialmente para buscar o cãozinho, que se adaptou muito bem na casa nova, descansou bastante para repor as energias e já começou a brincar e se soltar.

    (Vídeo: Reprodução / YouTube Evelyn Regly)

    Nós ficamos muito felizes que o Pernalonga chegou para encher o novo lar da família de felicidade e afastar a tristeza.