Epilepsia em cães

Essa patologia acomete em grande escala os caninos, principalmente nos cães de raça pura, tendo uma menor incidência em cães sem raça definida (SRD)

por George Augusto — publicado 6 dez 2014 - 16:35

Diferentemente do que muitos pensam, os cães tem doenças muito semelhantes ou, muitas vezes, iguais as dos seres humanos. Um exemplo disso é a epilepsia. Essa patologia acomete em grande escala os caninos, principalmente nos cães de raça pura, tendo uma menor incidência em cães sem raça definida (SRD). Para um melhor entendimento por parte dos leitores, o nome epilepsia vem do grego que significa: Possuir, capturar, portar. Essa com neurológica que podem ter duração curta ou até longa. É importante ressaltar que, não necessariamente por o animal apresentar um quadro convulsivo, ele é portador de epilepsia. Normalmente, é esperado que ele tenha, pelo menos, 3 convulsões para ser classificado como epilepsia. Existem doenças que levam a um caso isolado de convulsão.

A causa da epilepsia pode ser de origem primária (genética) ou secundária (adquirida). A causa primária, ou também chamada de origem genética, é manifestada normalmente no cão na sua fase adulta, variando entre 2 anos a 5 anos de idade. Nesse caso, pode ser decorrente de um gene herdado dos pais ou também devido à consangüinidade. A de causa secundária, ou chamada também de origem adquirida, é a mais comum nos cães. Normalmente é devido à presença de tumores cerebrais, ingestão de substâncias tóxicas, doença bacteriana, como também traumatismos na cabeça, ocorridos, principalmente, em atropelamentos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Os sinais clínicos da epilepsia são bem clássicos e de fácil percepção pelo tutor. Normalmente começa com a alteração de comportamento e humor. Nesse caso os animais tendem a ficar mais agressivos com as pessoas de casa e apresentar agitação. De um modo geral, os cães apresentam as seguintes sintomatologias: O animal começa a salivar bastante; Ocorre caso esporádico de desmaio; O animal cai inconsciente no chão e começa a ter tremores fortes e movimentos de pedalagem dos membros; Normalmente quando voltam da crise não reconhecem o dono e tendem a atacá-lo; Pode apresentar pequenos espasmos durante o dia.

O diagnóstico é de acordo com a anamnese feita pelo médico veterinário. Ele irá se informar dos episódios, assim como da sintomatologia que o animal apresentou, e com isso, conseguirá fechar um diagnóstico correto. Em hospitais veterinários e em grande clínicas, pode ser utilizado como apoio ao diagnóstico mais preciso, a tomografia computadorizada.

O tratamento é feito com medicamentos específicos para que seja controlada a crise epilética. É importante pontuar que, na maioria dos casos, o medicamento tem que ser administrado pra vida toda do animal. O cão leva uma vida totalmente normal com os medicamentos, não o impossibilitando de nada.

Existem certas prevenções e cuidados que os tutores tem que saber quando se tem um animal epilético em casa. Primeiro ponto é jamais deixar de administrar o medicamento do animal. O tratamento tem que ser rigoroso. Em caso de crises convulsivas, evitar que o cão fique em local que pode o machucar, como pedras, arames, próximo a objetos pontiagudos e etc.

Faça um acompanhamento rigoroso com o médico veterinário. Os cães epiléticos precisam dessa consulta de rotina para uma avaliação total do animal, conseguindo assim uma melhor qualidade de vida.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Atriz Chloë Moretz perde segundo cachorrinho em menos de um mês

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 ago 2017 - 9:38

Nós contamos aqui sobre o triste falecimento de Fuller, cachorro de estimação da atriz Chloë Moretz, fato que aconteceu no dia 31 de julho.

Chloë não teve nem tempo para se recuperar da separação e, infelizmente, já passou por novo baque, a morte de outro animal de estimação de sua família.

Rest In Peace my dear dear Fuller I love you more than you know. You've been my protector and best friend since I was a little girl and I wish the end didn't come so abruptly but I know you're at peace now.

 » Read more about: Atriz Chloë Moretz perde segundo cachorrinho em menos de um mês  »

51 Cães resgatados na Cracolândia pelo Instituto Luisa Mell foram adotados nesse final de semana

por Samantha Kelly — publicado 21 ago 2017 - 18:52

Como noticiado aqui, depois que os dependentes químicos foram expulsos da Cracolândia, seus cães e gatos ficaram e foram acolhidos por Dona Graça, que segurou todo o fardo e abriu as portas de sua pensão para os mais de 100 animais.

Para complicar ainda mais a situação, a pensão foi interditada e seria demolida em breve.

Ao todo foram 71 animais resgatados em um período de 36 horas, na maior operação até hoje realizada pelo Instituto Luisa Mell.

 » Read more about: 51 Cães resgatados na Cracolândia pelo Instituto Luisa Mell foram adotados nesse final de semana  »

Mais um cãozinho é baleado em tiroteio no Rio de Janeiro

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 ago 2017 - 18:05

Nós já mostramos aqui no Portal do Dog como a violência em nosso país está afetando, de várias formas, também os nossos animais de estimação.

Entre os casos frutos dessa grande violência estão os de animais que acabam sendo vítimas de bala perdida durante tiroteios. Ocorrências desse tipo estão crescendo bastante no Rio de Janeiro, onde mais um animal precisou ser atendido ao ser baleado.

O cão foi atingindo na manhã da última quinta-feira,

 » Read more about: Mais um cãozinho é baleado em tiroteio no Rio de Janeiro  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Atriz Chloë Moretz perde segundo cachorrinho em menos de um mês

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 ago 2017 - 9:38

Nós contamos aqui sobre o triste falecimento de Fuller, cachorro de estimação da atriz Chloë Moretz, fato que aconteceu no dia 31 de julho.

Chloë não teve nem tempo para se recuperar da separação e, infelizmente, já passou por novo baque, a morte de outro animal de estimação de sua família.

A cadelinha Isabella Moretz, que tinha cerca de 16 anos de idade, faleceu na última sexta-feira, dia 18 de agosto.

A atriz, que tem 20 anos de idade, perdeu dois cachorrinhos em um curto período de tempo, eles faleceram com uma diferença de menos de um mês.

Chloë anunciou a morte de sua amada cachorrinha através de sua página oficial no Instagram, onde publicou uma foto da cadela com uma emocionante homenagem.

“Nossa menina Isabella Moretz morreu hoje. Perder a sua luz nesse mundo deixa o meu coração em pedaços. Você nos deu o presente dos mais belos 16 anos com você. Nunca esquecerei como, quando você latia, seu corpo inteiro iria para trás porque você era tão pequena. Era a mais incrivelmente adorável do mundo. Eu amo você, pequena senhora. Nos momentos bons e nos momentos ruins você estava ao meu lado. 2001-2017 Descanse em paz meu querido anjo”.

Esperamos que a atriz Chloë Moretz supere este triste momento e que ela se lembre de que agora Fuller e Isabella estão juntos no céu dos cachorrinhos.

Fonte: Today

51 Cães resgatados na Cracolândia pelo Instituto Luisa Mell foram adotados nesse final de semana

por Samantha Kelly — publicado 21 ago 2017 - 18:52

Como noticiado aqui, depois que os dependentes químicos foram expulsos da Cracolândia, seus cães e gatos ficaram e foram acolhidos por Dona Graça, que segurou todo o fardo e abriu as portas de sua pensão para os mais de 100 animais.

Para complicar ainda mais a situação, a pensão foi interditada e seria demolida em breve.

Ao todo foram 71 animais resgatados em um período de 36 horas, na maior operação até hoje realizada pelo Instituto Luisa Mell.

E agora. após 2 meses de tratamento, esse final de semana no Shopping Morumbi finalmente todos os animais tiveram a chance de encontrar um lar.

Especialmente para o evento desse sábado (19), o vídeo “Missão Bichinhos da Cracolândia” criado pela VML apostou na emoção, intercalando depoimentos de Luisa Mell, presidente e fundadora do Instituto, do diretor financeiro, Marcelo Glauco, e da médica veterinária, Marina Passadore.

A ação sem dúvida rendeu frutos e o sucesso foi traduzido em 51 adoções. A partir de agora o trabalho de pós-adoção começa com o acompanhamento dos adotantes e adotados.